PDA

View Full Version : Documentários - Marxismo cultural, A degradação da Educação no Ocidente, etc.


Ricardo Mendonça
January 9th, 2012, 07:40 PM
http://www.youtube.com/watch?v=gIdBuK7_g3M&feature=related

Depois acrescento um comentário e sugestões de leitura.

Ricardo Mendonça
January 9th, 2012, 07:42 PM
http://www.youtube.com/watch?v=XpOCkf7Pjuc&feature=related

Sobre a destruição do sistema educativo Ocidental.

Ricardo Mendonça
January 9th, 2012, 07:49 PM
http://www.youtube.com/watch?v=tz8pzG02oxU

Também tenho de ver, para emitir uma opinião.

Estão todos convidados.

Se estes 3 documentários focarem o assunto como eu penso que focam. Está aqui o um dos melhores ponto de partida (relativamente aos assuntos aos quais primeiro dedicar atenção, tempo e esforço para perceber como chegámos a este estado de coisas...) este encadeamento de assuntos é um dos melhores abre olhos.

Já tive várias oportunidades de referir que são inúmeros os caminhos possíveis para cada um ir fazendo aproximar o seu próprio entendimento, da verdade das coisas, do porquê de as coisas estarem assim.

Este, repito é um deles. Marxismo cultural, de onde? De quem? Como?

Destruição do sistema educativo Ocidental? Como? Por quem? Há quanto tempo?

A tomada do poder pelas minorias. O que significa isto? Que influências tem no tecido social o "políticamente correcto"?


Vamos ver se os documentários correspondem ao que penso.

Ricardo Mendonça
January 9th, 2012, 09:59 PM
The End of White People Prof. Kevin MacDonald Cal State - Video Dailymotion@@AMEPARAM@@http://www.dailymotion.com/video/xky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news" /><meta property="og:site_name" content="Dailymotion" /><meta property="og:type" content="video" /><meta property="og:image" content="http://static2.dmcdn.net/static/video/602/181/35181206:jpeg_preview_source.jpg?20110908221056" /><meta property="og:description" content="The End of White People Prof. Kevin MacDonald Cal State Full interviewo2optimus2o ZOGDestroyer white whites europeans europe israelites hitler ww2 ww1 israel jew jews jewish esau edomites canaanites khazars synagogue of satan 9-11 Missing Links Israel mossad wtc world trade centers wtc7 zionist jews jewish zion talmud judaism warning to americans usa new order nwo elite protocolsofzion terrorist terrorism holocaust lie holohoax shoah jesus christ christians baptist history knowledge truth" /><meta property="og:video" content="http://www.dailymotion.com/swf/video/xky1zq?autoPlay=1" /><meta property="og:video:width" content="640" /><meta property="og:video:height" content="360" /><meta property="og:video:type" content="application/x-shockwave-flash" /><meta property="og:language" content="en" /><meta property="video:duration" content="1557" /><meta property="video:release_date" content="2011-09-08T14:17:23+02:00" /><meta property="video:tag" content="o2optimus2o" /><meta property="video:tag" content="The" /><meta property="video:tag" content="End" /><meta property="video:tag" content="White" /><meta property="video:tag" content="People" /><meta property="video:director" content="http://www.dailymotion.com/o2optimus2o" /><meta http-equiv="content-type" content="text/html; charset=utf-8" /><meta name="language" content="en" /><meta http-equiv="content-language" content="en" /><meta property="fb:app_id" content="96937694899" /><meta name="title" content="The End of White People Prof. Kevin MacDonald Cal State - Video Dailymotion" /><meta name="description" lang="en" content="The End of White People Prof. Kevin MacDonald Cal State Full interviewo2optimus2o ZOGDestroyer white whites europeans europe israelites hitler ww2 ww1 israel jew jews jewish esau edomites canaanites khazars synagogue of satan 9-11 Missing Links Israel mossad wtc world trade centers wtc7 zionist jews jewish zion talmud judaism warning to americans usa new order nwo elite protocolsofzion terrorist terrorism holocaust lie holohoax shoah jesus christ christians baptist history knowledge truth" /><meta name="keywords" content="o2optimus2o,The,End,White,People,Prof.,Kevin,MacDonald,Cal,State" /><meta name="copyright" content="http://www.dailymotion.com" /><meta name="author" content="dailymotion.com" /><meta name="y_key" content="a87a0d996fe5f70f" /><meta name="msvalidate.01" content="42E38E6C5CF3C253563039FCD6F3F775" /><link rel="stylesheet" href="http://static1.dmcdn.net/css/gen/widget/pack/baseskin-prod.css.v3e6edc0c63ceef3f2" /><link rel="canonical" href="http://www.dailymotion.com/video/xky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news" /><link rel="image_src" type="image/jpeg" href="http://www.dailymotion.com/thumbnail/160x120/video/xky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news" /><link rel="video_src" href="http://www.dailymotion.com/swf/video/xky1zq?autoPlay=1" /><link rel="thumbnail" type="image/jpeg" href="/thumbnail/320x240/video/xky1zq" /><link rel="alternate" type="application/json+oembed" href="http://www.dailymotion.com/services/oembed?url=http%3A%2F%2Fwww.dailymotion.com%2Fvideo%2Fxky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news&format=json" title="The End of White People Prof. Kevin MacDonald Cal State" /><link rel="alternate" type="text/xml+oembed" href="http://www.dailymotion.com/services/oembed?url=http%3A%2F%2Fwww.dailymotion.com%2Fvideo%2Fxky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news&format=xml" title="The End of White People Prof. Kevin MacDonald Cal State" /><link rel="search" type="application/opensearchdescription+xml" href="/opensearch.xml" title="Search videos on Dailymotion" /><link rel="apple-touch-icon" href="/images/apple-touch-icon.png.vcbf86c6fe83fbbe12" /><link rel="shortcut icon" type="image/x-icon" href="/images/favicon.ico.v849208c29ba8997d2" /><style type="text/css">div#right_content_box {margin-top:-413px;}</style><script type="text/javascript" src="http://static1.dmcdn.net/js/gen/widget/pack/mandatory.js.v1447949cf22ce5912"></script><script type="text/javascript">DM_CloseLabel = 'close';DM_PayedLabel = 'payed';DM_LoginCookie = 'log_inf';DM_PageStartTime = new Date();facebook_enabled = true;DM_Widget_PageItem_Facebook_Connect_AUTOLOGIN = true;DM_CurrentVideoId = '35181206';DM_RECOMMENDATIONS_ACTIVATED = false;DM_LoginCookieWithRecos = 'log_inf_r2';thefilter_enabled = true;thefilter_recommandation_enabled = false;thefilter_recsCount = '30';thefilter_videoId = '35181206';thefilter_userLocale = 'US';thefilter_userId = null;thefilter_publisherId = null;thefilter_channel = '6';thefilter_familyFilter = 'true';DM_Widget_PageItem_Adsense.title = 'Ads by Google';google_ad_channel = "us news";google_ad_client = "ca-dailymotion_js";google_ad_output = "js";google_ad_type = "text";google_feedback = "off";google_language = "en";google_max_num_ads = "4";google_hints = "o2optimus2o,The,End,White,People";if (!window.DM_Widget_PageItem_Masscast_READERISOWNER){DM_Widget_PageItem_Masscast.forceDomain();document.write("<scr" + "ipt type=\"text/javascript\" src=\"http://www.dailymotion.com/masscast/4/dailymotion.us/news/videoplayer/1099440045@Bottom,Middle,Top,Top3,x11,x13,Middle1,Top2?DMOWNER=o2optimus2o&DMAPIPLAYER=0&DMROUTE=video_item&DMTITLE=The End of White People Prof. Kevin MacDonald Cal State&DMTAGS=o2optimus2o,The,End,White,People,Prof.,Kevin,MacDonald,Cal,State&DMEXT=0&DMVIDEO=35181206&DMDURATION=1557&DMVIDEOAGE=2967&DMVIEWS=0+&DMNOADFIT=0&DMEXPLICIT=0&DMCHANNEL=news&DMLANG=en&DMTYPE=prod&DMV3=1\"></scr" + "ipt>");document.write("<scr" + "ipt type=\"text/javascript\" src=\"/js/lib/masscast/richOAS.js\"></scr" + "ipt>");}</script></head><body id="bodyall" class="dm_page_html_video"><div class="dmco_html" id="fb-root"><script type="text/javascript">FBScriptLoaded = false;window.fbAsyncInit = function(){FBScriptLoaded = true;if (typeof DM_Widget_PageItem_Facebook_Connect != 'undefined' && typeof FBConnectInit != 'undefined' && !FBConnectInit){DM_Widget_PageItem_Facebook_Connect.initialize(true);}};(function(){if (facebook_enabled){var e = document.createElement('script');e.type = 'text/javascript';e.src = "http://connect.facebook.net/en_US/all.js";e.async = true;document.getElementById('fb-root').appendChild(e);}}());</script></div><div class="dm_scriptpack dmpi_topscripts"></div><div id="topwrapper"><div id="header_full"><div id="header"><div class="contain new_header_top"><a class="dmco_simplelink logo dmco_link not_ajax" href="/us" title="home">Dailymotion<span id="logo_legend">home</span></a><ul class="dmco_menu header_main_menu bottom"><li><div class="menu_link"><a id="header_menu-videos" class="main_menu_link" title="Videos" href="/us/visited-today/creative-official/1">Videos</a></div></li><li><div class="menu_link"><a id="header_menu-channels" class="main_menu_link" title="Categories" href="/us/channels">Categories</a></div></li></ul><div id="family_filter">Family Filter <span class="family_filter_link linkable" onclick="this.href = familyFilterUri" hf="">ON</span></div><div class="dmpi_masscast"><div id="mc_Top2" class="Top2"></div></div><div id="login_info" class="login_info"><span class="dmco_simplelink dm_login_info sign_in no_icon_loading popup_ie_width width_496 linkable ajax_link action:popup" hf="2f706167656974656d2f6c6f67696e706f7075703f6d6f64653d626173696326726571756573743d2f6c6f67696e26" title="Sign in">Sign in</span><div id="login_infos" class="dmco_html dmpi_facebook_connect dm_fb_button fb_no_infos" style="visibility:hidden;"><a class="fake_fb_login_button icon_facebook_short no_icon_loading" href="javascript:void(0);" onclick="DM_Widget_PageItem_Facebook_Connect.onLoginFacebook(); return false;"></a></div><span class="dmco_simplelink register linkable" hf="2f7265676973746572" title="Register">Register</span></div><script type="text/javascript">loadLogin();</script><div id="utility_links"><span class="dmco_simplelink linkable" id="quicklist_link" hf="2f717569636b6c697374" title="Quicklist"><span class="icon"></span></span><span class="dmco_simplelink linkable" id="history_link" hf="2f686973746f7279" title="History"><span class="icon"></span></span></div></div></div><div id="header_nav"><div class="contain new_header_bottom"><form action="/" class="dmco_form_container dmco_form dmpi_search light_border" id="header_search" method="get"><div style="display:none"><input class="dmco_form_input dmco_form_hidden " id="header_search_form_name" name="form_name" type="hidden" value="dm_pageitem_search" /></div><div class="input_search_cont"><input class="dmco_form_input dmco_form_text text" id="header_search_search" maxlength="256" autocomplete="off" name="search" type="text" value /></div><input class="dmco_form_input dmco_form_hidden " id="header_search_hitmap" name="hitmap" type="hidden" value /><input class="dmco_form_input dmco_form_submit button short_input " id="header_search_submit_button" type="submit" name="submit_button" value="Search" /></form><span class="dmco_simplelink upload_button button button_green linkable" hf="2f75706c6f6164" title="Upload a Video">Upload a Video</span></div></div></div><div id="wrapper" class="container"><div class="dmco_box"><div class="dmpi_subheader"></div><div class="dmpi_masscast"><div id="mc_Top" class="Top"><center></center></div></div></div><div id="content"><div class="dmpi_box dmpi_bigbox" itemscope itemtype="http://schema.org/VideoObject"><link itemprop="url" href="http://www.dailymotion.com/video/xky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news" /><link itemprop="thumbnailUrl" href="http://static2.dmcdn.net/static/video/602/181/35181206:jpeg_preview_large.jpg?20110908221056" /><link itemprop="embedURL" href="http://www.dailymotion.com/swf/video/xky1zq" /><meta itemprop="name" content="The End of White People Prof. Kevin MacDonald Cal State" /><meta itemprop="description" content="The End of White People Prof. Kevin MacDonald Cal State Full interviewo2optimus2o ZOGDestroyer white whites europeans europe israelites hitler ww2 ww1 israel jew jews jewish esau edomites canaanites khazars synagogue of satan 9-11 Missing Links Israel mossad wtc world trade centers wtc7 zionist jews jewish zion talmud judaism warning to americans usa new order nwo elite protocolsofzion terrorist terrorism holocaust lie holohoax shoah jesus christ christians baptist history knowledge truth" /><meta itemprop="playerType" content="Flash" /><meta itemprop="width" content="640" /><meta itemprop="height" content="360" /><meta itemprop="duration" content="PT25M57S" /><div class="box_header"><div class="header_center"><div class="dmco_box left_title"><h1 class="dmco_title"><span class="title" title="The End of White People Prof. Kevin MacDonald Cal State">The End of White People Prof. Kevin MacDonald Cal State</span></h1></div></div></div><div class="box_content"><div class="content_right"><div class="dmco_box column span-8 top_box_content" id="top_content_box"><script type="text/javascript"> (function(){ var components = { tabs: { replace: "#player_page_tabs_ph", options: { gg_search: false } }, next_page: { replace: "#np_seo_ph" } }; components["related"] = { replace: "#related_ph", options: { buzzableVideoId: DM_Widget_PageItem_Masscast.getBuzzableVideoId(), buzzableTitle: encodeURIComponent(DM_Widget_PageItem_Masscast.getBuzzableTitle()), video: DM_CurrentVideoId }, callback: function() { if (window.vsContextInstrument) { window.vsContextInstrument("#related"); } if (window.dm_context) { dm_context.apply("#related"); } // apply preview animated handlers if (window.DM_Widget_PageItem_Video_Preview) { EventSelectors.start(DM_Widget_PageItem_Video_Preview.animatedPreviewRules("#related")); } } }; DM_WidgetV3.multiGet("video", document.location.pathname, components); })(); </script><div class="dmco_box player_box"><div class="user_container"><a href="/o2optimus2o"><img alt="o2optimus2o" src="http://static2.dmcdn.net/static/user/732/085/40580237:avatar_small.jpg?20110915154809" /></a><span class="owner foreground2">By <a class="name" title="go to o2optimus2o's profile" href="/o2optimus2o">o2optimus2o</a></span><button class="dmpi_user_subscribe popup_ie_width width_500 icon_subscribe button_green button action:popup" title="o2optimus2o rocks! Become a fan and be updated when he uploads new videos!" onclick="DM_Ajax.link(this); return false;" data-hf="/pageitem/user/subscribeUnlogged?request=%2Fo2optimus2o"><span class="button_icon"></span><span>Subscribe</span></button><div id="player_tools"><div id="light_options" title="Turn off the lights" class="light_options" onclick="DM_JS.get('DM_PlayerLightAndExpander',function(){DM_PlayerLightAndExpander.toggleLightDimmer();});"></div><button class="button" title="Expand player" onclick="DM_JS.get('DM_PlayerLightAndExpander',function(){DM_PlayerLightAndExpander.togglePlayerExpand();});" id="player_expander"><span></span></button></div><button title="46 views" class="foreground2 no_button" id="video_views_count"><b class="video_views_value">46</b> views </button></div><div class="dmpi_video_playerv4 span-8" id="player_4f0bba6892235" style="background-color: #000; height: 349px;"><div class="dmco_html player_box" id="container_player_4f0bba6892235"><script type="text/javascript"> var version = deconcept.SWFObjectUtil.getPlayerVersion(); if (version.major > 10 || (version.major == 10 && version.minor >= 1 && version.rev >= 53)) { var SWFURL = "http://static1.dmcdn.net/flash/dmplayerv4/dmplayer-prod.swf.v84b30b45d3c8e1892"; var so_player_4f0bba6892235 = new SWFObject(SWFURL, "video_player_4f0bba6892235", "100%", "100%", "9", "#336699"); so_player_4f0bba6892235.addVariable("background", "0x171D1B");so_player_4f0bba6892235.addVariable("foreground", "0xF7FFFD");so_player_4f0bba6892235.addVariable("highlight", "0xFFCC33");so_player_4f0bba6892235.addVariable("enableApi", "1");so_player_4f0bba6892235.addVariable("playerapiid", "video_player_4f0bba6892235");so_player_4f0bba6892235.addVariable("apiSequenceURL", "http%3A%2F%2Fwww.dailymotion.com%2Fsequence%2F%25TYPE%2F%25VIDEO_ID%3F%25QUERY_PARAMS");so_player_4f0bba6892235.addVariable("chromeless", "0");so_player_4f0bba6892235.addVariable("parentURL", "");so_player_4f0bba6892235.addVariable("isEmbedded", "0");so_player_4f0bba6892235.addVariable("allowHTTPSRewriting", "0");so_player_4f0bba6892235.addVariable("APICustomParams", "%7B%22autoplay%22%3Atrue%7D");so_player_4f0bba6892235.addVariable("id", "video_player_4f0bba6892235");so_player_4f0bba6892235.addVariable("skin", DM_Widget_PageItem_Masscast.getPlayerSkin("http://static1.dmcdn.net/flash/dmplayerv4/skins/default.swf.v903f9253283f391c2"));so_player_4f0bba6892235.addVariable("sequence", "%5B%7B%22name%22%3A%22root%22%2C%22layerList%22%3A%5B%7B%22name%22%3A%22background%22%2C%22type%22%3A%22Background%22%2C%22param%22%3A%7B%22color%22%3A%22000000%22%2C%22withLoading%22%3Atrue%7D%2C%22sequenceList%22%3A%5B%7B%22name%22%3A%22reporting%22%2C%22layerList%22%3A%5B%7B%22name%22%3A%22reporting%22%2C%22type%22%3A%22Reporting%22%2C%22param%22%3A%7B%22auditude%22%3A1%2C%22URLs%22%3A%7B%22mediaLogView%22%3A%7B%220%22%3A%22http%3A%5C%2F%5C%2Fwww.dailymotion.com%5C%2Flogger%5C%2Fvideo%5C%2Faccess%5C%2Fxky1zq%3Fsession_id%3D%26referer%3D%26country%3DUS%26lon%3D-122.3422000000000%26lat%3D47.6344000000000%26key%3D50wynegxd61l7an80lxkmko%26v%3D4f0be448%26i%3Dce297f10%26h%3De8a00c9cc1a36f1371f2c4734036b946%22%2C%22visual_science_video_view%22%3A%22http%3A%5C%2F%5C%2Fwww.dailymotion.com%5C%2Fsense%5C%2Fimages%5C%2Fvs%5C%2Ftag.gif%3Froutename%3Dvideo_item%26pagename%3Dplayer%252Finternal%26video%3D35181206%26vchan%3Dnews%26videotitle%3DThe%2BEnd%2Bof%2BWhite%2BPeople%2BProf.%2BKevin%2BMacDonald%2BCal%2BState%26user%3Do2optimus2o%26locale%3Dus%26asnum%3DAS33211%26country%3DUS%26lat%3D47.6344000000000%26lng%3D-122.3422000000000%26rid%3D1326168680%26urange%3D75%26ff%3Don%26log%3D1%22%2C%22comscore%22%3A%22http%3A%5C%2F%5C%2Fb.scorecardresearch.com%5C%2Fb%3Fc1%3D1%26c2%3D4000005%26c3%3D4000005%26c4%3D4000005%26c5%3D060100%26c6%3Dxky1zq%22%7D%2C%22mediaComplete0%22%3A%5B%22http%3A%5C%2F%5C%2Fapi161.thefilter.com%5C%2FDailyMotionService%5C%2FCaptureRest.ashx%3Fcmd%3DAddVideoEvidence%26evidenceType%3DPlayStart%26catalogid%3D35181206%26userLocale%3DUS%26fmt%3DIMG%26userid%3D%26filterEnabled%3Dfalse%26ref%3D%26refid%3D1326168680%22%2C%22http%3A%5C%2F%5C%2Fwww.dailymotion.com%5C%2Fhistory%5C%2Fmanage%5C%2Fadd%5C%2Fxky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news%22%5D%2C%22mediaComplete25%22%3A%5B%5D%2C%22mediaComplete50%22%3A%5B%5D%2C%22mediaComplete75%22%3A%5B%5D%2C%22mediaComplete100%22%3A%5B%22http%3A%5C%2F%5C%2Fapi161.thefilter.com%5C%2FDailyMotionService%5C%2FCaptureRest.ashx%3Fcmd%3DAddVideoEvidence%26evidenceType%3DPlayEnded%26catalogid%3D35181206%26userLocale%3DUS%26fmt%3DIMG%26userid%3D%26filterEnabled%3Dfalse%26ref%3D%26refid%3D1326168680%22%5D%2C%22mediaPlayLive%22%3A%5B%22http%3A%5C%2F%5C%2Fwww.dailymotion.com%5C%2Fsense%5C%2Fimages%5C%2Fvs%5C%2Ftag.gif%3Faction%3Dlive%252Fplay%26locale%3Dus%26asnum%3DAS33211%26country%3DUS%26lat%3D47.6344000000000%26lng%3D-122.3422000000000%26rid%3D1326168680%26urange%3D75%26ff%3Don%26log%3D1%22%5D%2C%22mediaError%22%3A%5B%22http%3A%5C%2F%5C%2Ferroracct.dailymotion.com%5C%2Fxpmon%5C%2Fstreamerror%22%5D%2C%22mediaViewTime%22%3A%7B%2240%25%2C3min%22%3A%22http%3A%5C%2F%5C%2Fwww.dailymotion.com%5C%2Fbehavior%5C%2F%25SESSION_IDus%5C%2Fxky1zq%22%7D%7D%2C%22plugins%22%3A%5B%5D%2C%22extraParams%22%3A%7B%22playerName%22%3A%22Dailymotion+videoplayer%22%2C%22playerType%22%3A%22insite%22%2C%22playerAutoPlay%22%3A1%2C%22playerCountryCode%22%3A%22US%22%2C%22playerRemoteIP%22%3A%22206.41.127.16%22%2C%22playerAsNumber%22%3A%22AS33211%22%2C%22playerIsChromeless%22%3A0%2C%22playerEmbedder%22%3A%22http%3A%5C%2F%5C%2Fwww.dailymotion.com%5C%2Fvideo%5C%2Fxky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news%22%2C%22videoId%22%3A%22xky1zq%22%2C%22videoTitle%22%3A%22The+End+of+White+People+Prof.+Kevin+MacDonald+Cal+State%22%2C%22videoDescription%22%3A%22The+End+of+White+People+Prof.+Kevin+MacDonald+Cal+State+Full+interviewo2optimus2o+ZOGDestroyer+white+whites+europeans+europe+israelites+hitler+ww2+ww1+israel+jew+jews+jewish+esau+edomites+canaanites...%22%2C%22videoTags%22%3A%22o2optimus2o%2CThe%2CEnd%2CWhite%2CPeople%2CProf.%2CKevin%2CMacDonald%2CCal%2CState%22%2C%22videoChannel%22%3A%22news%22%2C%22videoUniqueURL%22%3A%22http%3A%5C%2F%5C%2Fwww.dailymotion.com%5C%2Fvideo%5C%2Fxky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news%22%2C%22videoSwfURL%22%3A%22http%3A%5C%2F%5C%2Fwww.dailymotion.com%5C%2Fswf%5C%2Fvideo%5C%2Fxky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news%22%2C%22videoPreviewURL%22%3A%22http%3A%5C%2F%5C%2Fstatic2.dmcdn.net%5C%2Fstatic%5C%2Fvideo%5C%2F602%5C%2F181%5C%2F35181206%3Ajpeg_preview_large.jpg%3F20110908221056%22%2C%22videoOwnerLogin%22%3A%22o2optimus2o%22%2C%22videoParentOwnerLogin%22%3Anull%2C%22videoLang%22%3A%22en%22%2C%22videoCountry%22%3Anull%2C%22videoType%22%3A%22content%22%2C%22videoAudioOnly%22%3Afalse%2C%22videoIsExplicit%22%3Afalse%2C%22videoIsUserbrand%22%3Afalse%2C%22videoUploadDateTime%22%3A%222011-09-08+14%3A17%3A23%22%2C%22playerIsInstreamAdActivated%22%3Atrue%2C%22videoProgram%22%3A%22ugc%22%7D%7D%7D%5D%7D%2C%7B%22name%22%3A%22main%22%2C%22layerList%22%3A%5B%7B%22name%22%3A%22auditudeLoader%22%2C%22type%22%3A%22AuditudeLoader%22%2C%22param%22%3A%7B%22prerollMessage%22%3A%22Advertising+-+Your+video+in+%25d+seconds%22%2C%22postrollMessage%22%3A%22Advertising+-+%25d+seconds+left%22%2C%22pluginTimeout%22%3A2%2C%22pluginAdUnitUrl%22%3A%22%22%2C%22externalTargetingParams%22%3A%7B%22ss_partnerId%22%3A56408%2C%22ss_mediaId%22%3A%22xky1zq%22%2C%22ss_mediaTitle%22%3A%22The+End+of+White+People+Prof.+Kevin+MacDonald+Cal+State%22%2C%22ss_mediaDescription%22%3A%22The+End+of+White+People+Prof.+Kevin+MacDonald+Cal+State+Full+interview%3Cbr+%5C%2F%3E%3Cbr+%5C%2F%3Eo2optimus2o+ZOGDestroyer+white+whites+europeans+europe+israelites+hitler+ww2+ww1+israel+jew+jews+jewish+esau+edomites+canaanites+khazars+synagogue+of+satan++9-11+Missing+Links+Israel+mossad+wtc+world+trade+centers+wtc7+zionist+jews+jewish+zion+talmud+judaism+warning+to+americans+usa+new+order+nwo+elite+protocolsofzion+terrorist+terrorism+holocaust+lie+holohoax+shoah+jesus+christ+christians+baptist+history+knowledge+truth%22%2C%22ss_pageURL%22%3A%22http%3A%5C%2F%5C%2Fwww.dailymotion.com%5C%2Fvideo%5C%2Fxky1zq%22%2C%22video_tags%22%3A%22o2optimus2o%2CThe%2CEnd%2CWhite%2CPeople%2CProf.%2CKevin%2CMacDonald%2CCal%2CState%22%2C%22gg_adSlotWidth%22%3A400%2C%22gg_adSlotHeight%22%3A70%2C%22gg_gender%22%3A1%2C%22gg_channels%22%3A%22news%22%2C%22gg_publisherId%22%3A%22ca-video-pub-1427805825892953%22%2C%22gg_adtest%22%3A%22off%22%2C%22gg_contentId%22%3A%22xky1zq%22%2C%22gg_adType%22%3A%22text_overlay%22%2C%22gg_age%22%3A1002%2C%22gg_language%22%3A%22en%22%7D%2C%22targetingParams%22%3A%7B%22DMAGE%22%3A%220%22%2C%22DMGENDER%22%3A%220%22%2C%22DMPARENTAL%22%3A%220%22%2C%22DMLANG%22%3A%22en%22%2C%22DMGROUP%22%3A%220%22%2C%22DMCONTEST%22%3A%220%22%2C%22DMPAGE%22%3A%22videoplayer%22%2C%22DMREVSHARE%22%3A%220%22%2C%22DMVIDEO%22%3A%2235181206%22%2C%22DMSKIN%22%3A%220%22%2C%22DMTYPE%22%3A%22prod%22%2C%22DMEXT%22%3A%220%22%2C%22DMREFEREREXT%22%3A%220%22%2C%22DMSEARCH%22%3A%220%22%2C%22DMTAGS%22%3A%22o2optimus2o%2CThe%2CEnd%2CWhite%2CPeople%2CProf.%2CKevin%2CMacDonald%2CCal%2CState%22%2C%22DMTITLE%22%3A%22The+End+of+White+People+Prof.+Kevin+MacDonald+Cal+State%22%2C%22DML%22%3A%225%22%2C%22DMVA%22%3A%221%22%2C%22DMMONETISABLE%22%3A%220%22%2C%22DMSITE%22%3A%22dailymotion.us%22%2C%22DMSECTION%22%3A%22news%22%2C%22DMOWNER%22%3A%22o2optimus2o%22%2C%22DMAPIPLAYER%22%3A%220%22%2C%22DMROUTE%22%3A%22video_item%22%2C%22DMDURATION%22%3A%221557%22%2C%22DMVIDEOAGE%22%3A%222967%22%2C%22DMVIEWS%22%3A%220%2B%22%2C%22DMNOADFIT%22%3A%220%22%2C%22DMEXPLICIT%22%3A%220%22%2C%22DMCHANNEL%22%3A%22news%22%2C%22DMV3%22%3A%221%22%7D%2C%22metadata%22%3A%7B%22type%22%3A%22ugc%22%2C%22mediaId%22%3A%22xky1zq%22%2C%22uploader%22%3A%22o2optimus2o%22%2C%22language%22%3A%22en%22%2C%22rating%22%3A%22nonadult%22%2C%22category%22%3A%22news%22%2C%22duration%22%3A1557%2C%22site%22%3A%22dailymotion.us%22%7D%7D%7D%2C%7B%22name%22%3A%22auditudeOverlay%22%2C%22type%22%3A%22AuditudeOverlay%22%2C%22param%22%3A%7B%22outsideVideo%22%3Atrue%2C%22adMessage%22%3A%7B%22plural%22%3A%22Advertising+-+Your+video+in+%25d+seconds%22%2C%22singular%22%3A%22Advertising+-+Your+video+in+%25d+second%22%7D%2C%22mute%22%3Afalse%2C%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%2C%22countdownMessageVisibility%22%3A1%2C%22campaigns%22%3A%7B%221923%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%222245%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%222105%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%221878%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%222353%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%222386%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%222138%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%224071%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%224262%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%224665%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%225088%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%225148%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%225177%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%224976%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%225418%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%225402%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%222341%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A5000%7D%2C%223128%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A5000%7D%7D%2C%22defaultAdMessage%22%3A%22Advertising%22%7D%7D%2C%7B%22name%22%3A%22video%22%2C%22type%22%3A%22VideoFrame%22%2C%22param%22%3A%7B%22autoPlay%22%3A1%2C%22mute%22%3A0%2C%22expandVideo%22%3A0%2C%22end%22%3A0%2C%22mode%22%3A%22vod%22%2C%22stopAtEnd%22%3A1%2C%22clickThroughURL%22%3A%22%22%2C%22clickThroughURLTarget%22%3A%22_blank%22%2C%22clickThroughURLTag%22%3A%22%22%2C%22clickThroughHotspot%22%3Atrue%2C%22unmuteOnMouseOver%22%3A0%2C%22allowKeyboard%22%3Atrue%2C%22pauseOnClick%22%3Atrue%2C%22fullscreenOnDoubleClick%22%3Atrue%2C%22fullscreenBlockedMessage%22%3A%22Fullscreen+has+been+disabled%22%2C%22applicationName%22%3A%22com.dm.player%22%2C%22repeat%22%3A0%2C%22video3DType%22%3A%22none%22%2C%22buttonMode%22%3Atrue%2C%22sdURL%22%3A%22http%3A%5C%2F%5C%2Fwww.dailymotion.com%5C%2Fcdn%5C%2FH264-512x384%5C%2Fvideo%5C%2Fxky1zq.mp4%3Fauth%3D1326341480-96aa1b86a0a8fb31329223932618606c%22%2C%22hqURL%22%3A%22http%3A%5C%2F%5C%2Fwww.dailymotion.com%5C%2Fcdn%5C%2FH264-848x480%5C%2Fvideo%5C%2Fxky1zq.mp4%3Fauth%3D1326341480-99c3939104f074165096e6e31abf2516%22%2C%22allowStageVideo%22%3Atrue%2C%22start%22%3A0%2C%22enableAutoErrorMessages%22%3Atrue%2C%22OSMFPluginsURL%22%3A%5B%22http%3A%5C%2F%5C%2Fstatic1.dmcdn.net%5C%2Fflash%5C%2Fdmplayerv4%5C%2Fplugins%5C%2Fosmf%5C%2FModedge-prod-ve97c132f2b4780602.swf%22%2C%22http%3A%5C%2F%5C%2Fstatic1.dmcdn.net%5C%2Fflash%5C%2Fdmplayerv4%5C%2Fplugins%5C%2Fosmf%5C%2FEdgecast-prod-v9427e9b7a8d9aacd2.swf%22%5D%7D%2C%22sequenceList%22%3A%5B%7B%22name%22%3A%22auditudeOverlay%22%2C%22layerList%22%3A%5B%7B%22name%22%3A%22auditudeOverlay%22%2C%22type%22%3A%22AuditudeOverlay%22%2C%22param%22%3A%7B%22mute%22%3Afalse%2C%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%2C%22countdownMessageVisibility%22%3A1%2C%22campaigns%22%3A%7B%221923%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%222245%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%222105%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%221878%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%222353%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%222386%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%222138%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%224071%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%224262%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%224665%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%225088%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%225148%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%225177%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%224976%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%225418%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%225402%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%222341%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A5000%7D%2C%223128%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A5000%7D%7D%2C%22defaultAdMessage%22%3A%22Advertising%22%2C%22adMessage%22%3A%7B%22plural%22%3A%22Advertising+-+Your+video+in+%25d+seconds%22%2C%22singular%22%3A%22Advertising+-+Your+video+in+%25d+second%22%7D%7D%7D%5D%7D%2C%7B%22name%22%3A%22qualitySwitcher%22%2C%22layerList%22%3A%5B%7B%22name%22%3A%22qualitySwitcher%22%2C%22type%22%3A%22QualitySwitcher%22%2C%22param%22%3A%7B%22sdButtonLabel%22%3A%22standard%22%2C%22hqButtonLabel%22%3A%22better%22%2C%22hd720ButtonLabel%22%3A%22best%22%2C%22hd1080ButtonLabel%22%3A%22awesome%22%2C%22sdButtonFeedback%22%3A%22Standard+Definition+is+on%22%2C%22hqButtonFeedback%22%3A%22High+Quality+is+on%22%2C%22hd720ButtonFeedback%22%3A%22High+Definition+720p+is+on%22%2C%22hd1080ButtonFeedback%22%3A%22High+Definition+1080p+is+on%22%2C%22showSdButton%22%3Atrue%2C%22showHqButton%22%3Atrue%2C%22showHd720Button%22%3Afalse%2C%22showHd1080Button%22%3Afalse%7D%7D%5D%7D%2C%7B%22name%22%3A%22export%22%2C%22layerList%22%3A%5B%7B%22name%22%3A%22export%22%2C%22type%22%3A%22Export%22%2C%22param%22%3A%7B%22hideHotspot%22%3Afalse%2C%22hotspotLink%22%3A%22http%3A%5C%2F%5C%2Fwww.dailymotion.com%5C%2Fvideo%5C%2Fxky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news%22%2C%22permalink%22%3A%22http%3A%5C%2F%5C%2Fdai.ly%5C%2FmWWtqX%22%2C%22shortDomainUrlCall%22%3A%22http%3A%5C%2F%5C%2Fwww.dailymotion.com%5C%2Fjson%5C%2Fvideo%5C%2Fxky1zq%3Ffield%3Dshort_domain_url%22%2C%22embedCode%22%3A%22%3Ciframe+frameborder%3D%5C%220%5C%22+width%3D%5C%22480%5C%22+height%3D%5C%22270%5C%22+src%3D%5C%22http%3A%5C%2F%5C%2Fwww.dailymotion.com%5C%2Fembed%5C%2Fvideo%5C%2Fxky1zq%5C%22%3E%3C%5C%2Fiframe%3E%3Cbr+%5C%2F%3E%3Ca+href%3D%5C%22http%3A%5C%2F%5C%2Fwww.dailymotion.com%5C%2Fvideo%5C%2Fxky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news%5C%22+target%3D%5C%22_blank%5C%22%3EThe+End+of+White+People+Prof.+Kevin+MacDonald...%3C%5C%2Fa%3E+%3Ci%3Eby+%3Ca+href%3D%5C%22http%3A%5C%2F%5C%2Fwww.dailymotion.com%5C%2Fo2optimus2o%5C%22+target%3D%5C%22_blank%5C%22%3Eo2optimus2o%3C%5C%2Fa%3E%3C%5C%2Fi%3E%22%2C%22hotspotCopiedLabel%22%3A%22Hotspot+link+copied%21+Press+%5C%22ctrl+%2B+V%5C%22+to+paste.%22%2C%22embedCodeCopiedLabel%22%3A%22Embed+code+copied%21+Press+%5C%22ctrl+%2B+V%5C%22+to+paste.%22%2C%22permalinkCopiedLabel%22%3A%22Permalink+copied%21+Press+%5C%22ctrl+%2B+V%5C%22+to+paste.%22%7D%7D%5D%7D%2C%7B%22name%22%3A%22actions%22%2C%22layerList%22%3A%5B%7B%22name%22%3A%22actions%22%2C%22type%22%3A%22VideoActions%22%2C%22param%22%3A%7B%22videoId%22%3A35181206%2C%22logged%22%3Afalse%2C%22autoHide%22%3Atrue%2C%22showCustomRightButton%22%3Atrue%2C%22redirectionErrorMessage%22%3A%22impossible+to+open+redirection%22%2C%22loginURL%22%3A%22%5C%2Fpageitem%5C%2Floginpopup%3Fmode%3Dbasic%26urlback%3D%22%2C%22showExportButton%22%3Atrue%2C%22exportButtonMessage%22%3A%22Export+via+permalink%2C+embed+code%2C+or+hotspot%22%2C%22showFacebookButton%22%3Atrue%2C%22facebookURL%22%3A%22http%3A%5C%2F%5C%2Fwww.facebook.com%5C%2Fsharer.php%3Fu%3Dhttp%253A%252F%252Fwww.dailymotion.com%252Fvideo%252Fxky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news%26t%3DThe%2BEnd%2Bof%2BWhite%2BPeople%2BProf.%2BKevin%2BMacDonald%2BCal%2BState%22%2C%22facebookButtonMessage%22%3A%22Post+to+my+Facebook+profile%22%2C%22showTwitterButton%22%3Atrue%2C%22twitterURL%22%3A%22http%3A%5C%2F%5C%2Ftwitter.com%5C%2Fshare%3Furl%3Dhttp%253A%252F%252Fdai.ly%252FmWWtqX%26text%3DDailymotion%2B-%2BThe%2BEnd%2Bof%2BWhite%2BPeople%2BProf.%2BKevin%2BMacDonald%2BCal%2BState%26via%3DDailymotionUSA%26related%3DDailymotionUSA%252C%2BDailymotion%22%2C%22twitterUrlCall%22%3A%22http%3A%5C%2F%5C%2Fwww.dailymotion.com%5C%2Fajax%5C%2Fvideo%3Fajax_function%3Dget_twitter_url%26ajax_arg%5B%5D%3Dxky1zq%22%2C%22twitterButtonMessage%22%3A%22Post+to+my+Twitter+profile%22%2C%22showQualityButton%22%3Atrue%2C%22qualityButtonMessage%22%3A%22Select+video+quality%22%2C%22qualityPromoted%22%3A%22hq%22%7D%7D%5D%7D%2C%7B%22name%22%3A%22controls%22%2C%22layerList%22%3A%5B%7B%22name%22%3A%22controls%22%2C%22type%22%3A%22MediaControls%22%2C%22param%22%3A%7B%22autoHide%22%3A1%2C%22mode%22%3A%22vod%22%7D%7D%5D%7D%2C%7B%22name%22%3A%22infos%22%2C%22layerList%22%3A%5B%7B%22name%22%3A%22infos%22%2C%22type%22%3A%22Infos%22%7D%5D%7D%5D%7D%2C%7B%22name%22%3A%22auditudeOverlay%22%2C%22type%22%3A%22AuditudeOverlay%22%2C%22param%22%3A%7B%22outsideVideo%22%3Atrue%2C%22adMessage%22%3A%7B%22plural%22%3A%22Advertising+-+Your+video+in+%25d+seconds%22%2C%22singular%22%3A%22Advertising+-+Your+video+in+%25d+second%22%7D%2C%22mute%22%3Afalse%2C%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%2C%22countdownMessageVisibility%22%3A1%2C%22campaigns%22%3A%7B%221923%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%222245%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%222105%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%221878%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%222353%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%222386%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%222138%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%224071%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%224262%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%224665%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%225088%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%225148%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%225177%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%224976%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%225418%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%225402%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A-1%7D%2C%222341%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A5000%7D%2C%223128%22%3A%7B%22closeButtonDisplayDelay%22%3A5000%7D%7D%2C%22defaultAdMessage%22%3A%22Advertising%22%7D%7D%2C%7B%22name%22%3A%22relatedBackground%22%2C%22type%22%3A%22Background%22%2C%22param%22%3A%7B%22color%22%3A%22000000%22%2C%22fadeImage%22%3Atrue%2C%22blurImage%22%3Atrue%2C%22expandImage%22%3Atrue%2C%22imageURL%22%3A%22http%3A%5C%2F%5C%2Fstatic2.dmcdn.net%5C%2Fstatic%5C%2Fvideo%5C%2F602%5C%2F181%5C%2F35181206%3Ajpeg_preview_large.jpg%3F20110908221056%22%7D%2C%22sequenceList%22%3A%5B%7B%22name%22%3A%22end%22%2C%22layerList%22%3A%5B%7B%22name%22%3A%22related%22%2C%22type%22%3A%22Related%22%2C%22param%22%3A%7B%22isEmbedded%22%3Afalse%2C%22clickTarget%22%3A%22_top%22%2C%22videoListURL%22%3A%22http%3A%5C%2F%5C%2Fwww.dailymotion.com%5C%2Fjson%5C%2Frelated%5C%2F35181206%5C%2F1%3A15%3Fwith_ralg%3D1%22%2C%22videoListURLParams%22%3A%7B%22thumbnailURL%22%3A%22thumbnail_medium_url%22%7D%2C%22urlBase%22%3A%22http%3A%5C%2F%5C%2Fwww.dailymotion.com%22%2C%22authorPrefix%22%3A%22by%22%2C%22clickThroughURL%22%3A%22%22%2C%22clickThroughURLTarget%22%3A%22_blank%22%2C%22clickThroughURLTag%22%3A%22%22%2C%22hashTag%22%3A%22from%3Dplayrelon%22%7D%7D%5D%7D%2C%7B%22name%22%3A%22export%22%2C%22layerList%22%3A%5B%7B%22name%22%3A%22export%22%2C%22type%22%3A%22Export%22%2C%22param%22%3A%7B%22hideHotspot%22%3Atrue%2C%22hotspotLink%22%3A%22http%3A%5C%2F%5C%2Fwww.dailymotion.com%5C%2Fvideo%5C%2Fxky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news%22%2C%22permalink%22%3A%22http%3A%5C%2F%5C%2Fdai.ly%5C%2FmWWtqX%22%2C%22shortDomainUrlCall%22%3A%22http%3A%5C%2F%5C%2Fwww.dailymotion.com%5C%2Fjson%5C%2Fvideo%5C%2Fxky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news%3Ffield%3Dshort_domain_url%22%2C%22embedCode%22%3A%22%3Ciframe+frameborder%3D%5C%220%5C%22+width%3D%5C%22480%5C%22+height%3D%5C%22270%5C%22+src%3D%5C%22http%3A%5C%2F%5C%2Fwww.dailymotion.com%5C%2Fembed%5C%2Fvideo%5C%2Fxky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news%5C%22%3E%3C%5C%2Fiframe%3E%3Cbr+%5C%2F%3E%3Ca+href%3D%5C%22http%3A%5C%2F%5C%2Fwww.dailymotion.com%5C%2Fvideo%5C%2Fxky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news%5C%22+target%3D%5C%22_blank%5C%22%3EThe+End+of+White+People+Prof.+Kevin+MacDonald...%3C%5C%2Fa%3E+%3Ci%3Eby+%3Ca+href%3D%5C%22http%3A%5C%2F%5C%2Fwww.dailymotion.com%5C%2Fo2optimus2o%5C%22+target%3D%5C%22_blank%5C%22%3Eo2optimus2o%3C%5C%2Fa%3E%3C%5C%2Fi%3E%22%2C%22hotspotCopiedLabel%22%3A%22Hotspot+link+copied%21+Press+%5C%22ctrl+%2B+V%5C%22+to+paste.%22%2C%22embedCodeCopiedLabel%22%3A%22Embed+code+copied%21+Press+%5C%22ctrl+%2B+V%5C%22+to+paste.%22%2C%22permalinkCopiedLabel%22%3A%22Permalink+copied%21+Press+%5C%22ctrl+%2B+V%5C%22+to+paste.%22%7D%7D%5D%7D%2C%7B%22name%22%3A%22actions%22%2C%22layerList%22%3A%5B%7B%22name%22%3A%22actions%22%2C%22type%22%3A%22VideoActions%22%2C%22param%22%3A%7B%22videoId%22%3A35181206%2C%22logged%22%3Afalse%2C%22autoHide%22%3Afalse%2C%22showCustomRightButton%22%3Atrue%2C%22redirectionErrorMessage%22%3A%22impossible+to+open+redirection%22%2C%22loginURL%22%3A%22%5C%2Fpageitem%5C%2Floginpopup%3Fmode%3Dbasic%26urlback%3D%22%2C%22showExportButton%22%3Atrue%2C%22exportButtonMessage%22%3A%22Export+via+permalink%2C+embed+code%2C+or+hotspot%22%2C%22showFacebookButton%22%3Atrue%2C%22facebookURL%22%3A%22http%3A%5C%2F%5C%2Fwww.facebook.com%5C%2Fsharer.php%3Fu%3Dhttp%253A%252F%252Fwww.dailymotion.com%252Fvideo%252Fxky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news%26t%3DThe%2BEnd%2Bof%2BWhite%2BPeople%2BProf.%2BKevin%2BMacDonald%2BCal%2BState%22%2C%22facebookButtonMessage%22%3A%22Post+to+my+Facebook+profile%22%2C%22showTwitterButton%22%3Atrue%2C%22twitterURL%22%3A%22http%3A%5C%2F%5C%2Ftwitter.com%5C%2Fshare%3Furl%3Dhttp%253A%252F%252Fdai.ly%252FmWWtqX%26text%3DDailymotion%2B-%2BThe%2BEnd%2Bof%2BWhite%2BPeople%2BProf.%2BKevin%2BMacDonald%2BCal%2BState%26via%3DDailymotionUSA%26related%3DDailymotionUSA%252C%2BDailymotion%22%2C%22twitterUrlCall%22%3A%22http%3A%5C%2F%5C%2Fwww.dailymotion.com%5C%2Fajax%5C%2Fvideo%3Fajax_function%3Dget_twitter_url%26ajax_arg%5B%5D%3Dxky1zq%22%2C%22twitterButtonMessage%22%3A%22Post+to+my+Twitter+profile%22%7D%7D%5D%7D%2C%7B%22name%22%3A%22controls%22%2C%22layerList%22%3A%5B%7B%22name%22%3A%22controls%22%2C%22type%22%3A%22RewindControls%22%2C%22param%22%3A%7B%22videoDuration%22%3A1557%2C%22fullscreenBlockedMessage%22%3A%22Fullscreen+has+been+disabled%22%2C%22clickThroughURL%22%3A%22%22%2C%22clickThroughURLTarget%22%3A%22_blank%22%2C%22clickThroughURLTag%22%3A%22%22%2C%22linkLabel%22%3A%22News+videos+hot+off+the+press+%5Cu00bb%22%2C%22linkURL%22%3A%22http%3A%5C%2F%5C%2Fwww.dailymotion.com%5C%2Fus%5C%2Fchannel%5C%2Fnews%22%2C%22linkTarget%22%3A%22_self%22%7D%7D%5D%7D%5D%7D%5D%7D%2C%7B%22name%22%3A%22feedback%22%2C%22layerList%22%3A%5B%7B%22name%22%3A%22feedback%22%2C%22type%22%3A%22Feedback%22%7D%5D%7D%5D%7D%5D%7D%5D"); so_player_4f0bba6892235.addParam("wmode", "direct"); so_player_4f0bba6892235.addParam("allowfullscreen", "true"); so_player_4f0bba6892235.addParam("allowscriptaccess", "always"); so_player_4f0bba6892235.useExpressInstall("/flash/dmmisc/expressinstall.swf.v8c4bdc47410fc7c02"); so_player_4f0bba6892235.addParam("bgcolor", "#000000"); so_player_4f0bba6892235.write("container_player_4f0bba6892235"); } else if (version.major != 0) { DM_Player.showWarning("player_4f0bba6892235", "You need to upgrade your Adobe Flash Player to watch this video.", "<a href=\"http://get.adobe.com/flashplayer/\" target=\"_blank\">Download it from Adobe</a>"); } else { // This code loads the Dailymotion Javascript SDK asynchronously. (function() { var e = document.createElement('script'); e.async = true; e.src = document.location.protocol + '//api.dmcdn.net/all.js'; var s = document.getElementsByTagName('script')[0]; s.parentNode.insertBefore(e, s); }()); var iframePlayer = null; // This function init the player once the SDK is loaded window.dmAsyncInit = function() { DM._domain.www = "http://www.dailymotion.com"; // PARAMS is a javascript object containing parameters to pass to the player if any (eg: {autoplay: 1}) iframePlayer = DM.player("container_player_4f0bba6892235", {video: "xky1zq", width: "100%", params: {}}); }; }</script><noscript><object classid="clsid:d27cdb6e-ae6d-11cf-96b8-444553540000" codebase="http://fpdownload.macromedia.com/pub/shockwave/cabs/flash/swflash.cab#version=9,0,0,0" width="100%" height="100%"><param name="movie" value="http://static1.dmcdn.net/flash/dmplayerv4/dmplayer-prod.swf.v84b30b45d3c8e1892" /><param name="flashvars" value="id=player_4f0bba6892235&sequenceURI=%2Fsequence%2Fxky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news&background=0x171D1B&foreground=0xF7FFFD&highlight=0xFFCC33&enableApi=1&playerapiid=video_player_4f0bba6892235&apiSequenceURL=http%3A%2F%2Fwww.dailymotion.com%2Fsequence%2F%25TYPE%2F%25VIDEO_ID%3F%25QUERY_PARAMS&chromeless=0&isEmbedded=0&skin=http%3A%2F%2Fstatic1.dmcdn.net%2Fflash%2Fdmplayerv4%2Fskins%2Fdefault.swf.v903f9253283f391c2&parentURL=&wMode=&APICustomParams=%257B%2522autoplay%2522%253Atrue%257D&allowHTTPSRewriting=0" /><param name="allowFullScreen" value="true" /><param name="allowScriptAccess" value="always" /><param name="wmode" value="transparent" /><embed src="http://static1.dmcdn.net/flash/dmplayerv4/dmplayer-prod.swf.v84b30b45d3c8e1892" flashvars="id=player_4f0bba6892235&sequenceURI=%2Fsequence%2Fxky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news&background=0x171D1B&foreground=0xF7FFFD&highlight=0xFFCC33&enableApi=1&playerapiid=video_player_4f0bba6892235&apiSequenceURL=http%3A%2F%2Fwww.dailymotion.com%2Fsequence%2F%25TYPE%2F%25VIDEO_ID%3F%25QUERY_PARAMS&chromeless=0&isEmbedded=0&skin=http%3A%2F%2Fstatic1.dmcdn.net%2Fflash%2Fdmplayerv4%2Fskins%2Fdefault.swf.v903f9253283f391c2&parentURL=&wMode=&APICustomParams=%257B%2522autoplay%2522%253Atrue%257D&allowHTTPSRewriting=0" wmode="transparent" width="100%" height="100%" name="flvplayer" align="middle" allowFullScreen="true" allowScriptAccess="always" type="application/x-shockwave-flash" pluginspage="http://www.macromedia.com/go/getflashplayer"></embed></object></noscript></div></div><script type="text/javascript">if (window.DM_Widget_PageItem_Masscast) { DM_Widget_PageItem_Masscast.setTheaterAd(); }</script></div></div><div class="dmco_box column span-8 bottom_box"><ul class="dmco_menu dmpi_video_tools" id="dmpi_video_tools"><li><button id="addto" class="tool_addto button action:toggleOrUpdate action:arg0:#moveto_container" title="Add to" data-hf="/pageitem/video/list/moveto?video=xky1zq&request=%2Fvideo%2Fxky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news" onclick="DM_Ajax.link(this); return false;"><span>Add to</span><span class="button_icon icon_select"></span></button><div id="moveto_container" style="display:none;"></div></li><li class=" last"><button id="share" class="tool_share button action:toggleOrUpdate action:arg0:#share_container" title="Email this video or post to other sites" data-hf="/pageitem/video/tools/shareSelect?request=%2Fvideo%2Fxky1zq&subRouteName=toolsShare" onclick="DM_Ajax.link(this); return false;"><span>Share</span><span class="button_icon icon_select"></span></button><div id="share_container" style="display:none;"></div></li></ul><div class="dmco_clear"><!--comment for IE6 height --></div><div class="id_xky1zq" id="inline_shares" style="height:24px; max-height:24px;"><div class="fb_iframe"><fb:like send="false" width="50px" href="http://www.dailymotion.com/video/xky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news" layout="button_count" show_faces="false" font="arial"></fb:like></div><div class="ggplusone_button"> <g:plusone expandto="bottom,right" size="medium" href="http://www.dailymotion.com/video/xky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news"></g:plusone> <script type="text/javascript"> var e = document.createElement("script"), head = document.getElementsByTagName("head")[0] || document.documentElement; e.type = "text/javascript"; e.src = "https://apis.google.com/js/plusone.js"; e.async = true; head.insertBefore(e, head.firstChild); </script> </div></div><div class="dmco_clear"><!--comment for IE6 height --></div><div class="dmco_html title_owner_rating background_3 foreground2 info_box"><span class="title_owner"><span class="small_video_title">The End of White People Prof. Kevin MacDonald Cal State</span> <span class="pref_owner"><span class="by_sep">by </span><span class="name owner_link linkable" hf="2f6f326f7074696d7573326f">o2optimus2o</span></span></span><div class="dmpi_video_rating last foreground rating_box"><div class="dmco_html dynamic_rating login"><div class="dmco_html current_rating" style="width:0px;" id="current_rating"> </div><button class="popup_ie_width width_496 dm_rate rating_1 no_button action:popup" title="You must be logged to vote" data-hf="/pageitem/loginpopup?mode=basic&request=%2Fvideo%2Fxnf3u2" onclick="DM_Ajax.link(this); return false;"> </button><button class="popup_ie_width width_496 dm_rate rating_2 no_button action:popup" title="You must be logged to vote" data-hf="/pageitem/loginpopup?mode=basic&request=%2Fvideo%2Fxnf3u2" onclick="DM_Ajax.link(this); return false;"> </button><button class="popup_ie_width width_496 dm_rate rating_3 no_button action:popup" title="You must be logged to vote" data-hf="/pageitem/loginpopup?mode=basic&request=%2Fvideo%2Fxnf3u2" onclick="DM_Ajax.link(this); return false;"> </button><button class="popup_ie_width width_496 dm_rate rating_4 no_button action:popup" title="You must be logged to vote" data-hf="/pageitem/loginpopup?mode=basic&request=%2Fvideo%2Fxnf3u2" onclick="DM_Ajax.link(this); return false;"> </button><button class="popup_ie_width width_496 dm_rate rating_5 no_button action:popup" title="You must be logged to vote" data-hf="/pageitem/loginpopup?mode=basic&request=%2Fvideo%2Fxnf3u2" onclick="DM_Ajax.link(this); return false;"> </button></div></div><div class="dmco_clear"></div></div><div class="dmco_box column span-8 last info_box"><div class="dmco_html column span-8 last video_description foreground2 background_3" id="video_description">The End of White People Prof. Kevin MacDonald Cal State Full interview<br><br>o2optimus2o ZOGDestroyer white whites europeans europe israelites hitler ww2 ww1 israel jew jews jewish esau edomites canaanites khazars synagogue of satan 9-11 Missing Links Israel mossad wtc world trade centers wtc7 zionist jews jewish zion talmud judaism warning to americans usa new order nwo elite protocolsofzion terrorist terrorism holocaust lie holohoax shoah jesus christ christians baptist history knowledge truth</div><div class="dmco_box column span-8 last background_3 np_more_desc" style="display: none;" id="np_more_desc"><div id="np_seo_ph"></div><div class="more_desc_box"> <span id="more_video_description" class="icon icon_plus_small foreground2">more</span> <span id="less_video_description" class="icon icon_minus_small foreground2">close</span> <div class="dmco_clear"></div> </div> <script type="text/javascript"> (function(){ var desc = $("video_description"); if(desc) { desc.setStyle({height: "auto"}); $("more_video_description").setStyle({display: "none"}); $("less_video_description").setStyle({display: "none"}); if (desc.getHeight() > 81) { desc.setStyle({height: "64px"}); $("more_video_description").setStyle({display: "block"}); $("np_more_desc").show(); } } else { $("more_video_description").up().hide(); } window.updateDescHeight = arguments.callee; })(); </script></div></div><div class="dmpi_video_infos column span-8 last foreground2 background_3" id="video_infos"><div class="dmco_box tags_and_channel"><div class="dmco_html channel_cont dmco_text_formatted"><span class="channel_icon"></span> <a class="dmco_simplelink dmco_link not_ajax" href="/en/channel/news" title="News">News</a></div><div class="dmco_html tags_cont dmco_text_formatted" id="video_infos_tags"><span class="tag_icon"></span><span class="dmco_simplelink dmpi_tag_item no_eip linkable" hf="2f7461672f6f326f7074696d7573326f" title="o2optimus2o">o2optimus2o</span>, <span class="dmco_simplelink dmpi_tag_item no_eip linkable" hf="2f7461672f546865" title="The">The</span>, <span class="dmco_simplelink dmpi_tag_item no_eip linkable" hf="2f7461672f456e64" title="End">End</span>, <span class="dmco_simplelink dmpi_tag_item no_eip linkable" hf="2f7461672f5768697465" title="White">White</span>, <span class="dmco_simplelink dmpi_tag_item no_eip linkable" hf="2f7461672f50656f706c65" title="People">People</span><button class="icon icon_plus_small tags_link no_eip no_button" title="All Tags" onclick="DM_Widget_Page_Video.toggleInlineTool($(this));" data-hf="javascript:void(0)"></button></div></div><div class="dmco_box misc_video_infos"><div class="dmco_text dmco_text_formatted uploaded_cont right_tools border_color_5" title="Uploaded on 08-09-2011">08-09-2011</div><div class="dmco_box right_tools border_color_5"><button class="embed_link inline_tool border_color_0 popup_ie_width width_955 no_button action:popup" id="small_embed_link" title="Embed video on blog or external site" data-hf="/pageitem/video/embedCode?request=%2Fvideo%2Fxky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news" onclick="DM_Ajax.link(this); return false;"></button></div><div class="dmco_box right_tools border_color_5"><button class="stats_link inline_tool border_color_0 inline_load no_button" title="Statistics" data-hf="javascript:void(0)"></button></div><div class="dmco_box right_tools border_color_5 last_inline"><button class="flag_link inline_tool border_color_0 no_button action:popup" title="this video may offend" data-hf="/pageitem/abuse?request=%2Fvideo%2Fxky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news&subRouteName=toolsReport" onclick="DM_Ajax.link(this); return false;"></button></div></div><div class="dmco_box column span-8 last background_3 border_color_0" id="additional_infos_container"></div></div><div class="dmco_clear"><!--comment for IE6 height --></div><div id="player_page_tabs_ph" style="min-height:175px"></div><div class="dmco_clear"><!--comment for IE6 height --></div><div class="dmpi_adsense dmpi_adsense_forcontent background_3 light_border" id="adsense_on_player_page" style="display: none;"></div></div><div class="dmco_box column span-4 last right_content" id="right_content_box"><div class="dmpi_masscast background_20 column span-4 last" id="player_middle_ad"><div id="mc_Middle" class="Middle"></div></div><div class="dmpi_masscast column span-4 last" id="sponsored_video"><div id="mc_Middle1" class="Middle1"></div></div><div class="column span-4 last" id="related"><div id="related_ph"></div></div></div><div class="dmco_clear"><!--comment for IE6 height --></div></div></div><div class="dmco_clear"><!--comment for IE6 height --></div></div></div><div class="dmco_box"><div class="dmpi_masscast"><div id="mc_Bottom" class="Bottom"></div></div></div></div><div class="dmco_box" id="push_footer"></div><div class="dmco_box" id="skin_tags"><div class="dmco_box hide" id="cptpixel"></div><div class="dmco_html" id="tracking_tag"></div></div><div class="dmpi_pagestats"><div class="dm_widget_pagestats" ><div style="display:none"><script type="text/javascript" id="vstag">vskeys= {vs_urange:"75",vs_asnum:"AS33211",vs_lat:"47.6344000000000",vs_lng:"-122.3422000000000",vs_country:"US",vs_rid:"tyAR1g8skrQDgNDfm",vs_log:"1",vs_ff:"on",vs_locale:"us",vs_player:"internal/dailymotion",vs_pagename:"player_page/internal/dailymotion/recent",vs_routename:"video_item"};vsUrl= "http://www.dailymotion.com/sense/images/vs/tag.gif?";vsRedUrl= "http://www.dailymotion.com/images/vs/tag.gif?";</script></div> <div id="quant_cont"><!-- IE6 Comment --></div><script type="text/javascript">_qoptions={qacct:"p-59ARNeKbT-0fM"};(function(){var e = document.createElement('script');e.type = 'text/javascript';e.src = 'http://edge.quantserve.com/quant.js';e.async = true;document.getElementById('quant_cont').appendChild(e);}());</script><noscript><a href="http://www.quantcast.com/p-59ARNeKbT-0fM" target="_blank"><img src="http://pixel.quantserve.com/pixel/p-59ARNeKbT-0fM.gif" style="display: none" border="0" height="1" width="1" alt="Quantcast"/></a></noscript></div></div></div><div class="dmpi_footer" id="footer"><div class="dmco_box" id="footer_centered"><ul class="dmco_menu column span-2 footer_menu" id="footer_dailymotion"><li><span class="footer_title">Dailymotion</span></li><li><span class="linkable" hf="2f75732f61626f7574">About</span></li><li><span id="footer_press_link" class="linkable" hf="687474703a2f2f70726573732e6461696c796d6f74696f6e2e636f6d2f7573">Press</span></li><li><span class="linkable" hf="2f75732f6a6f6273">Jobs</span></li><li><span class="linkable" hf="687474703a2f2f626c6f672e6461696c796d6f74696f6e2e636f6d">Blog</span></li><li class=" last"><a id="dmco_menu_4f0bb7c703396" href="/archived/index.html">All videos</a></li></ul><ul class="dmco_menu column span-2 footer_menu" id="footer_programmes"><li><span class="footer_title">Participate</span></li><li><span id="footer_advertise_link" class="linkable" hf="687474703a2f2f6164766572746973696e672e6461696c796d6f74696f6e2e636f6d">Advertise</span></li><li><span id="footer_motionmaker_link" class="linkable" hf="2f75732f6d6f74696f6e6d616b6572">Become a MotionMaker</span></li><li><span id="footer_official_link" class="linkable" hf="2f75732f636f6e74656e742f6f6666696369616c">Become an Official User</span></li><li><span id="footer_feedblitz_link" class="linkable" hf="2f66656564626c69747a">Subscribe to daily updates</span></li><li><span id="footer_dmcloud_link" class="linkable" hf="687474703a2f2f7777772e646d636c6f75642e6e65742f656e">B2B Solution</span></li><li class=" last"><span id="footer_publishers_link" class="linkable" hf="687474703a2f2f7075626c6973686572732e6461696c796d6f74696f6e2e636f6d2f3f6c3d656e">Dailymotion Publishers</span></li></ul><ul class="dmco_menu column span-2 footer_menu" id="footer_help"><li><span class="footer_title">Help</span></li><li><span id="dmco_menu_4f0bb7c703793" class="linkable" hf="2f75732f666171">FAQ</span></li><li class=" last"><span id="dmco_menu_4f0bb7c70381b" class="linkable" hf="2f75732f666565646261636b">Contact</span></li></ul><ul class="dmco_menu column span-2 footer_menu" id="footer_legal"><li><span class="footer_title">Legal terms</span></li><li><span id="dmco_menu_4f0bb7c70394f" class="linkable" hf="2f6c6567616c2f7465726d73">Terms of use</span></li><li><span id="dmco_menu_4f0bb7c7039cb" class="linkable" hf="2f6c6567616c2f70726976616379">Privacy policy</span></li><li><span id="dmco_menu_4f0bb7c703a49" class="linkable" hf="2f6c6567616c2f70726f68696269746564">Prohibited content</span></li><li><span id="dmco_menu_4f0bb7c703ac8" class="linkable" hf="2f6c6567616c2f636f70797269676874">Copyright notification</span></li><li class=" last"><span id="dmco_menu_4f0bb7c703b47" class="linkable" hf="2f6c6567616c2f6368696c6470726f74656374696f6e">Child protection</span></li></ul><ul class="dmco_menu column span-2 footer_menu" id="footer_extras"><li><span class="footer_title">Extras</span></li><li><span id="footer_mobile" class="linkable" hf="2f7361732f61707073">Mobile</span></li><li><span id="footer_stream" class="linkable" hf="2f73747265616d">Dailymotion Stream</span></li><li><span id="dmco_menu_4f0bb7c70419a" class="linkable" hf="2f75732f666163746f72792f6d61737375706c6f61646572">Mass Uploader</span></li><li><span id="dmco_menu_4f0bb7c7043b4" class="linkable" hf="2f75732f6578747261732f736c69646573686f77">Slideshow</span></li><li><span id="dmco_menu_4f0bb7c704546" class="linkable" hf="2f75732f68746d6c35">HTML5 Player Beta</span></li><li class=" last"><span id="dmco_menu_4f0bb7c7047cc" class="linkable" hf="2f75732f657874726173">more …</span></li></ul><ul class="dmco_menu column span-2 last footer_menu" id="footer_followus"><li><span class="footer_title">Developers</span></li><li><span id="dmco_menu_4f0bb7c704a13" class="linkable" hf="2f646f632f617069">Data API</span></li><li class=" last"><span id="dmco_menu_4f0bb7c704bc3" class="linkable" hf="2f75732f646f632f6170692f706c61796572">Player API</span></li></ul><div class="dmco_clear"><!--comment for IE6 height --></div><div class="dmco_html" style="display:none;" id="flag_select"></div><div class="dmco_html" id="footer_copyright">© 2005 - 2012 Dailymotion<span class="dmco_simplelink dmco_flag dmco_flag_us language_en linkable ajax_link action:toggleOrUpdate action:arg0:#flag_select" id="selected_locale" hf="2f706167656974656d2f6c6f63616c6553656c6563746f723f726571756573743d25324672656769737465722532466163746976617465" title="Change your language"><span class="flag"></span>United States<span class="arrow">▾</span></span></div><div class="dmco_html" id="footer_follow_us">Follow us<a href="/rss/us/buzz-premium" class="dmco_simplelink rss" target="_blank" title="RSS"></a><a href="http://www.twitter.com/DailymotionUSA" class="dmco_simplelink twitter" target="_blank" title="Twitter"></a><a href="http://www.facebook.com/pages/Dailymotion-USA/114385755252085 " class="dmco_simplelink facebook" target="_blank" title="Facebook"></a></div></div></div><div class="dm_scriptpack dmpi_bottomscripts"><script type="text/javascript" src="http://static1.dmcdn.net/js/gen/widget/pack/video.js.v31f0051cb6fe68bc2"></script><script type="text/javascript" src="http://pagead2.googlesyndication.com/pagead/show_ads.js"></script><!-- Begin comScore Tag --><script>document.write(unescape("%3Cscript src='" + (document.location.protocol == "https:" ?"https://sb" : "http://b") + ".scorecardresearch.com/beacon.js' %3E%3C/script%3E"));</script><script>COMSCORE.beacon({c1:2,c2:"4000005",c3:"4000005",c4:"4000005",c5:"060100",c6:"xky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news"});</script><noscript><img src="http://b.scorecardresearch.com/b?c1=2&amp;c2=4000005&amp;c3=4000005&amp;c4=4000005&amp;c5=060100&amp;c6=xky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news&amp;cv=1.3&amp;cj=1" style="display:none" width="0" height="0" alt="" /></noscript><!-- End comScore Tag --><script type="text/javascript">//<![CDATA[var e=document.createElement('img');e.id='erroraccounting';if (document.getElementById('footer')){document.getElementById('footer').appendChild(e);if(e.offsetWidth!=1 && document.location.href.match(/\bfb_xd_fragment\b/)===null)e.src='http://erroracct.dailymotion.com/xpmon/cssabsent';}//]]></script><script type="text/javascript" src="/js/gen/lib/pubmatic.js?4"></script><!--PubMatic Universal Pixel tag (Javascript) http://www.dailymotion.com--><script type='text/javascript'>var pubId=16237;var pixId=30;</script><script src='http://ads.pubmatic.com/AdServer/js/universalpixel.js' type='text/javascript'></script><script type="text/javascript">//<![CDATA[var familyFilterUri = '/family_filter?urlback=%2Fvideo%2Fxky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news';var familyFilterLabel = 'ON';var userType = false;var motionmakerUrl = '/us/motionmaker';var PM_DEBUG_LEVEL = 0;DM_MobileVersionAvailableLabel = 'A mobile version of Dailymotion is available for your device. Do You want to use it? Your choice will be remembered during 1 day.';DM_Widget_PageItem_Search_autocomplete_enabled = '1';DM_Widget_PageItem_Search_language = 'us';DM_Features = [];DM_Pagev3 = true;DM_CloseLabel = 'close';DM_CancelLabel = 'cancel';DM_MoreLabel = 'more';DM_LessLabel = 'less';DM_Widget_PageItem_Video_Related.nbRelated = 15;DM_Widget_Page_Video.customizePlayer = 'customize player...';DM_Widget_Page_Video.url = '/video/xky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news';DM_Widget_Page_Video.urlFull = 'http://www.dailymotion.com/video/xky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news';DM_CurrentVideoXID = 'xky1zq';DM_Widget_Page_Video.nowPlayingLabel = 'now playing';DM_Widget_PageItem_AutoComplete_typeLabel = 'Email addresses...';DM_Widget_Page.disableBodyLink = true;showRedBand = false;DM_Widget_Page_Video.player = 'player_4f0bba6892235';DM_PlayerLightAndExpander_LightOn = 'Turn on the lights';DM_PlayerLightAndExpander_LightOff = 'Turn off the lights';DM_PlayerLightAndExpander_Shrink = 'Shrink player';DM_PlayerLightAndExpander_Expand = 'Expand player';twitter_count_url = 'http://www.dailymotion.com/video/xky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news';twitter_short_url = 'http://dai.ly/mWWtqX';twitter_text = 'Dailymotion - The End of White People Prof. Kevin MacDonald Cal State';DM_Widget_PageItem_AutoComplete_targetElementId = 'share_recipients';DM_Widget_PageItem_Masscast.defaultReloadTime["Middle"] = null;DM_Widget_PageItem_Masscast.reloadMaxDuration["Middle"] = null;DM_Widget_PageItem_Masscast.defaultReloadTime["Middle1"] = null;DM_Widget_PageItem_Masscast.reloadMaxDuration["Middle1"] = null;DM_Widget_PageItem_Masscast.call = 'http://www.dailymotion.com/masscast/4/dailymotion.us/news/videoplayer/1099440045@Bottom,Middle,Top,Top3,x11,x13,Middle1,Top2?DMOWNER=o2optimus2o&DMAPIPLAYER=0&DMROUTE=video_item&DMTITLE=The End of White People Prof. Kevin MacDonald Cal State&DMTAGS=o2optimus2o,The,End,White,People,Prof.,Kevin,MacDonald,Cal,State&DMEXT=0&DMVIDEO=35181206&DMDURATION=1557&DMVIDEOAGE=2967&DMVIEWS=0+&DMNOADFIT=0&DMEXPLICIT=0&DMCHANNEL=news&DMLANG=en&DMTYPE=prod&DMV3=1';DM_Widget_PageItem_Masscast.enableRotateAd = true;DM_Widget_PageItem_Masscast.mandatoryJS = 'http://static1.dmcdn.net/js/gen/widget/pack/mandatory.js.v1447949cf22ce5912';DM_Widget_PageItem_Masscast.baseJS = 'http://static1.dmcdn.net/js/gen/widget/pack/base.js.v5e21c2656991ccb12';DM_Widget_PageItem_Masscast.baseSkin = 'http://static1.dmcdn.net/css/gen/widget/pack/baseskin-prod.css.v3e6edc0c63ceef3f2';DM_Widget_PageItem_Masscast.auditudeRunning = true;DM_Widget_PageItem_Masscast.positionCalled[0] = 'Bottom';DM_Widget_PageItem_Masscast.positionCalled[1] = 'Middle';DM_Widget_PageItem_Masscast.positionCalled[2] = 'Top';DM_Widget_PageItem_Masscast.positionCalled[3] = 'Top3';DM_Widget_PageItem_Masscast.positionCalled[4] = 'x11';DM_Widget_PageItem_Masscast.positionCalled[5] = 'x13';DM_Widget_PageItem_Masscast.positionCalled[6] = 'Middle1';DM_Widget_PageItem_Masscast.positionCalled[7] = 'Top2';DM_Widget_PageItem_Masscast.defaultReloadTime["Top"] = null;DM_Widget_PageItem_Masscast.reloadMaxDuration["Top"] = null;DM_Widget_PageItem_Masscast.defaultReloadTime["Bottom"] = null;DM_Widget_PageItem_Masscast.reloadMaxDuration["Bottom"] = null;DM_Widget_PageItem_Facebook_Connect_APP_ID = '96937694899';DM_Widget_PageItem_Facebook_Connect_API_KEY = 'c428ec775e20b333d99e64040df42c5c';DM_Widget_PageItem_Facebook_Connect_RECEIVER_URI = '/xd_receiver.htm';DM_Widget_PageItem_Facebook_Connect_LOGOUT_CONFIRM_MSG = 'A different Dailymotion user is currently logged into Facebook. Do you want to log them out?';//]]></script><script type="text/javascript">var gaJsHost = (("https:" == document.location.protocol) ? "https://ssl." : "http://www.");document.write(unescape("%3Cscript src='" + gaJsHost + "google-analytics.com/ga.js' type='text/javascript'%3E%3C/script%3E"));</script><script type="text/javascript">var ot = document.title; document.title = "video_item";try {var ga = _gat._getTracker("UA-64443-1");ga._addIgnoredOrganic("dailymotion");ga._addIgnoredOrganic("daily motion");ga._addIgnoredOrganic("daylimotion");ga._addIgnoredOrganic("dailymotion.com");ga._addIgnoredOrganic("dailymotion.fr");ga._addIgnoredOrganic("daily");ga._addIgnoredOrganic("daylymotion");ga._addIgnoredOrganic("dailimotion");ga._addIgnoredOrganic("dalimotion");ga._addIgnoredOrganic("dailymation");ga._setCustomVar(3, "page_type", "video_item", 3);ga._setCustomVar(1, "channel", "news", 3);ga._setCustomVar(2, "video_type", "ugc", 3);ga._setCustomVar(4, "segment", "75", 1);ga._trackPageview("/video/xky1zq_the-end-of-white-people-prof-kevin-macdonald-cal-state_news?site_version=us");var timeTracker = new TimeTracker();timeTracker._recordStartTime();setTimeout('timeTracker._recordEndTime(); timeTracker._track(ga, "Time spent", "5 mn");', 300000);ga._trackPageLoadTime();} catch(err) {}document.title = ot;</script></div></body></html>@@AMEPARAM@@xky1zq

O Professor Kevin McDonald, pronuncia-se sobre o declínio da raça branca, sobre as características comportamentais dos judeus, e volta a abordar a influência do marxismo cultural neste processo.

Duff Hill
January 10th, 2012, 07:56 PM
O Professor Kevin B. MacDonald é diretor (http://american3rdposition.com/leadership/) do American Third Position Party (http://american3rdposition.com/) que é o único partido que apoia o Nacionalismo Branco abertamente nos EUA.

http://www.wvwnews.net/images/teaser/american_third_position.jpg

Henzo
January 11th, 2012, 01:14 PM
http://www.youtube.com/watch?v=IKgLGrWmx7o

Ricardo Mendonça
January 11th, 2012, 02:06 PM
Henzo, excelente indicação. Esse video é realmente do maior interesse.
E parecia estar legendado em português.

Mas como vês uma vez mais a censura no jewtube entrou em acção. O video nem uma hora durou.

Escrevo isto e o teu post tinha 47 minutos...O video já tinha sido censurado.

Duff Hill
January 11th, 2012, 03:08 PM
A Repressão está a cada dia pior, Ricardo.

Até onde aguentaremos só Deus sabe.

Mas fica a dica;

Façam o download dos vídeos que lhes interessam para só assim conseguirmos divulgar a mensagem aos destinatários que precisam da mesma...

Informação é tudo.


--------------------------------------------------------------------


A influência do Marxismo nas escolas brasileiras se encontra desde as públicas até as mais bem "conceituadas" Universidades e colégios particulares com mensalidades superiores à R$2000,00.

Muito dos jovens Brasileiros não se identificarem com suas raízes européias e pouco conhecerem sua história de glórias e luta se deve à eles.

Preza por um pontualismo histórico, o homem não é fonte de um passado e semente do futuro, ele é singular, único, fruto de um acaso e de uma "opressão". Pouco importa de onde veio e para onde vai.

É uma doutrina de ingratidão, desrespeito e de materialismo igualiatário, animalizando e adestrando o homem. É a regressão ao estado primitivo deste último.

A liberdade não há, pois podam-se as habilidades e desejos do indivíduo em detrimento de um coletivismo essencialmente doentio e sem quaisquer bases sólidas (tradicionais).

Henzo
January 11th, 2012, 11:29 PM
Considero que uma politica de " "pesos & medidas" " e " "ações & consequências" " deve ser aplicada pelos ativos desde já em relação ao material removido pela censura da democrácia anti-branca.

(1)Backup ***cópia de segurança*** de todo material disponível, incluindo o download do material divulgado. Como exemplo, os videos do jewtube. O material deve ser guardado em pendrives ou acessórios capazes de armazenar dados. Fora do computador. Mantenha os HD's pessoais limpos de qualquer material capaz de alguma forma de te prejudicar ou servir de " "prova" "em um tribunal. A preferência por pendrives e outros dispositivos é porque são pequenos e de fácil camuflagem, podem ser transportados ou destruídos com maior facilidade.

(2)Cada material que por acaso seja removido do servidor será novamente " "upado" " 03 (três) vezes como forma de compensação. De preferência em servidores diferentes que tenham a mesma finalidade do servidor que teve o arquivo deleteado. Façam isso de algum lugar distante da área onde residem, evitem locais onde possam ser identificados de alguma forma. Lan Houses e pontos de acessos de redes wireless gratuitos são as melhores opções para tornar acessível o material removido.

(3)Substituam o link quebrado pelo novo link funcionando.

(4)Cada pessoa que postar algum material de hoje em diante fica responsável pelo backup do material. Se tornado responsável pela atualização do link em caso de exclusão.

Algumas coisas podem ser melhoradas nas sugestões acima. O que sugerem?

Ricardo Mendonça
January 16th, 2012, 08:11 PM
Fundamental

http://www.youtube.com/watch?v=LF15YAvT9G0

http://www.youtube.com/watch?v=B498dbsireA&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=ndtOAkDOBVs&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=B9Q78dro0t8&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=bkqnhrn_KnU&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=C1wlpY2W2BE&feature=related

Ricardo Mendonça
January 16th, 2012, 08:18 PM
Recomendo, as matérias complementam-se incontornávelmente.

Uma magnífica introdução à política global.

http://ecx.images-amazon.com/images/I/51k8pQuzUvL._SL500_AA300_.jpg

http://t1.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcQMpaIwM7-9m0NA0wrv9yL0KpweH07jBNAnsI1E8DTkUuBy7B7C

International security expert Michael T. Klare argues that in the early decades of the new millennium, wars will be fought not over ideology but over access to dwindling supplies of precious natural commodities. The political divisions of the Cold War, Klare asserts, have given way to a global scramble for oil, natural gas, minerals, and water. And as armies throughout the world define resource security as a primary objective, widespread instability is bound to follow, especially in those areas where competition for essential materials overlaps with long-standing territorial and religious disputes. In this clarifying view, the recent explosive conflict between the United States and Islamic extremism stands revealed as the predictable consequence of consumer nations seeking to protect the vital resources they depend on.

A much-needed assessment of a changed world, Resource Wars is a compelling look at warfare in an era of rampant globalization and intense economic competition.

O mesmo autor vai lançar brevemente:

http://ecx.images-amazon.com/images/I/41QeQ4C73lL._SL500_AA300_.jpg

Ricardo Mendonça
January 16th, 2012, 08:30 PM
Comparem os diferentes títulos dados ao mesmo documentário por diferentes "uploaders" no youtube

Vejam como este lhe chamou :

http://www.youtube.com/watch?v=lYWcSfWxaf8&feature=related

Que cada homem faça o seu juízo.

-----------------------"---------------------------

Deixo novamente uma "provocação"... vou-lhe chamar a "voz de Malthus"...

Thomas Malthus tinha razão ao fim ao cabo? É que desde o seu tempo a economia global cresceu 70 vezes, repito 70 vezes...

Qual é então o problema?....Aqueles livros e o documentário ajudam muito, mas há mais a dizer.

Coloco-me ao dispôr, para qualquer esclarecimento que consideram necessário sobre os livros deste autor especialista em segurança internacional, Michael Klare. Li e tenho todos comigo, é só perguntar.

Ricardo Mendonça
January 16th, 2012, 08:39 PM
Pequenos apontamantos sobre crescimento populacional e recursos.

http://www.youtube.com/watch?v=pdlKVfk7_iQ&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=1mP0bGYfxrw&feature=related

Ricardo Mendonça
January 21st, 2012, 10:21 PM
A voz de Malthus as "Leis de Sobrevivência"

Nota prévia : Aplicáveis a ratios de consumo de bens e recursos, assim como a populações e indivíduos.

Primeira Lei: Nada pode crescer indefinidamente num sistema finito.

Corolário :

a) Crescimento populacional e/ou crescimento de ratios de consumo de recursos não podem manter-se indefinidamente

b) Sociedades e modelos de organização social política e/ou económica assentes em continuo aumento populacional e de consumo de recursos são materialmente insustentáveis

c) Quem defende modelos que tenham como condição necessária à sustentação do modelo o contínuo crescimento económico e/ou populacional, é um idiota.

d) A expressão "crescimento económico sustentável" é uma impossibilidade lógica. Um oxímoro só ao alcance de políticos e/ou palermas.


Segunda Lei : O tempo de resposta de uma população à sua taxa de fertilidade é no mínimo o tempo de vida de uma geração.


Terceira lei : "Princípio da mútua competição exclusiva" ou príncipio de Gause

a) Duas espécies não podem coexistir no mesmo ecosistema se em competição pelos mesmos recursos finitos.

b) Quando uma espécie possui mesmo que a mais pequena vantagem sobre a outra, a espécie em desvantagem enfrenta a extinção.

Quarta lei :

O tamanho de uma população que um sistema finito pode sustentar é inversamente proporcional ao nível de recursos colocado à disposição de cada indíviduo da população. Designa-se por capacidade de carga.


a) Quanto maior o nível de conforto material que se pretende atribuir a uma população, implica que menor possa ser o tamanho dessa população.

b) O comércio de recursos à escala global, não é mais que exportação e importação de capacidade de carga.


Quinta lei : Nada é infinito excepto a estupidez humana.

a) "A natureza humana é constante e imutável"

b) Todos querem a sua fatia do bolo.

c) Muitos querem a maior fatia possível

d) O bolo não chega para todos.

e) No fim, todos farão o que for preciso.

http://www.youtube.com/watch?v=F-QA2rkpBSY

Ricardo Mendonça
January 21st, 2012, 10:30 PM
São 8 pequenos videos com um total aproximado de uma hora.

Eu não diria que é o mais importante video que alguém pode ver...Eu diria e muito sinceramente que o que está já disponível neste tópico, ou a luta do homem branco em geral, é um exemplo perfeito do mito de Cassandra nos tempos modernos.

Henzo
January 29th, 2012, 11:51 AM
Decálogo de Lênin, Os 10 princípios da esquerda, O tradutor de comunismo, O duplipensar do PT

O “DECÁLOGO”, escrito por LÊNIN em 1913.

Em 1913, Lênin escreveu o “Decálogo” que apresentava ações táticas para a tomada do Poder.

a) Qualquer semelhança com os dias de hoje, não é mera coincidência.

b) Tendo a História se encarregado de pôr fim à questão ideológica, a meditação dos ideais, então preconizada, poderá revelar assombrosas semelhanças nos dias de hoje, senão vejamos:



1.. Corrompa a juventude e dê-lhe liberdade sexual;

2.. Infiltre e depois controle todos os veículos de comunicação de massa;

3.. Divida a população em grupos antagônicos, incitando-os a discussões sobre assuntos sociais;

4.. Destrua a confiança do povo em seus líderes;

5.. Fale sempre sobre Democracia e em Estado de Direito, mas, tão logo haja oportunidade, assuma o Poder sem nenhum escrúpulo;

6.. Colabore para o esbanjamento do dinheiro público; coloque em descrédito a imagem do País, especialmente no exterior e provoque o pânico e o desassossego na população por meio da inflação;

7.. Promova greves, mesmo ilegais, nas indústrias vitais do País;

8.. Promova distúrbios e contribua para que as autoridades constituídas não as coíbam;

9.. Contribua para a derrocada dos valores morais, da honestidade e da crença nas promessas dos governantes. Nossos parlamentares infiltrados nos partidos democráticos devem acusar os não-comunistas, obrigando-os, sem pena de expô-los ao ridículo, a votar somente no que for de interesse da causa socialista;

10.. Procure catalogar todos aqueles que possuam armas de fogo, para que elas sejam confiscadas no momento oportuno, tornando impossível qualquer resistência à causa…

==

DEZ PRINCÍPIOS DA ESQUERDA:

1) um esquerdista crê que não existe moral (no fundo o esquerdista crê apenas na moral que o favorece, isto é, “não roubar” para os outros mas um esquerdista pode roubar à vontade).

2) o esquerdista promove o anti-convencional, violenta os costumes e prefere a descontinuidade.

3) os esquerdistas querem derrubar tudo que seja pré-estabelecido.

4) os esquerdistas agem com imprudência e irresponsabilidade.

5) os esquerdistas desejam a uniformidade universal – (todo mundo igual, exceto eles, quando estão no poder usufruindo dos privilégios).

6) os esquerdistas não se impõem limites e acreditam que podem melhorar, aperfeiçoar e acabar com as imperfeições de tudo, inclusive do próprio ser humano (“para fazer uma omelete há que se quebrar os ovos”, eles dizem, e partem para quebrar todos os ovos mesmo que não consigam fazer omelete alguma).

7) os esquerdistas são contra a liberdade e a propriedade – preferem a escravidão, embora a chamem por outros nomes: igualdade, responsabilidade social, justiça social, etc.

8-os esquerdistas impõem coletivismo forçado.

9) o esquerdista deseja o poder desmedido e a liberação de todas as paixões humanas (marxismo clássico e marxismo cultural).

10) o pensador esquerdista não quer estabilidade – prega a revolução perpétua.

==

TRADUZINDO A LINGUAGEM COMUNISTA

“”Você é pretensioso= Você ousa achar que sabe algo que eu não sei, e isso é um absurdo.
Vamos decidir democraticamente= Que tal se a gente parar de discutir idéias e ao invés disso fizer um concurso de popularidade?
Precisamos melhorar a educação no Brasil=Precisamos emitir mais diplomas para mais pessoas.
Precisamos proteger o grupo XXX de discriminação=Precisamos criar a ilusão de que quem não der dinheiro para mim odeia o grupo XXX.
Precisamos regulamentar a profissão XXX=Precisamos entravar ao máximo possível o acesso à profissão XXX para aumentar os privilégios de quem tiver autorização para exercê-la.
Se eu deixar você fazer isso vou ter que deixar todo mundo=Não existe nenhum motivo coerente para esta regra existir mas eu gosto dela.
Sua opinião também é válida=Vou ignorar completamente a sua opinião.
Essas são as tendências mais modernas nos EUA e na Europa=Eu li na revista Veja que uma vez em 1976 alguém tentou isso no Canadá.
Todo mundo sabe que XXX=Eu não faço a menor idéia de por que estou defendendo que XXX seja verdade.
E, last but not least:
Há que se endurecer sem perder a ternura=Há que se perder a ternura mas sem admitir abertamente.”"‘

Trecho extraído do livro 1984

“Saber e não saber, ter consciência de completa veracidade ao exprimir mentiras cuidadosamente arquitetadas, defender simultaneamente duas opiniões opostas, sabendo-as contraditórias e ainda assim acreditando em ambas; usar a lógica contra a lógica, repudiar a moralidade em nome da moralidade, crer na impossibilidade da Democracia e que o Partido era o guardião da Democracia; esquecer tudo quanto fosse necessário esquecer, trazê-lo à memória prontamente no momento preciso, e depois torná-lo a esquecer; e acima de tudo, aplicar o próprio processo ao processo. Essa era a sutileza derradeira: induzir conscientemente a inconsciência, e então, tornar-se inconsciente do ato de hipnose que se acabava de realizar. Até para compreender a palavra “duplipensar” era necessário usar o duplipensar.“

O Pt faz isto o tempo todo! Porisso é difícil combatê-lo. E a maioria dos anti petistas tratam o PT como MAIS UM PARTIDO, o que é um grande erro.

RECOMENDO A LEITURA DE “1984“, de “A Revolução dos Bichos“, a primeira parte da “Política” de Aristóteles, especialmente a parte em que ele fala da ameaça que são. os sem-terras (sic) gregos, para a democracia grega.

São livros facílimos de se encontrar e básicos! Não me parece produtivo ler livros mais recentes e com linguagem difícil sem antes ter lido o básico.

Fonte: http://homemculto.wordpress.com/decalogo-de-lenin-e-os-dez-principios-da-esquerda/

Henzo
January 29th, 2012, 12:02 PM
0 Como funciona a subversão comunista. Aula de ex agente do KGB
VIDEO: COMO SABOTAR UM PAÍS MANIPULANDO A MENTE DO POVO - AGENTE DA KGB YURI BEZMENOV
COMO SABOTAR UM PAÍS MANIPULANDO A MENTE DO POVO - AGENTE DA KGB YURI BEZMENOV
Fonte: http://homemculto.wordpress.com/0-como-funciona-a-subversao-comunista-aula-de-ex-agente-do-kgb/

video sobre massacres de ucranianos por Stalin, A arma da fome, massacres da Ucrânia
http://www.youtube.com/watch?v=UtFAUPZNcA0

União Soviética – comunismo – massacre de 100.000 , video
A escória da humanidade
http://vids.myspace.com/index.cfm?fuseaction=vids.individual&videoid=61840367#pm_cmp=vid_OEV_P_P
A História Soviética. Documentario fantástico sobre o maior assassino da humanidade, o comunismo. Se não tiverem tempo, salvem para ser visto outra hora.

Ricardo Mendonça
February 3rd, 2012, 01:16 PM
Camaradas, amigos e visitantes, venho aqui deixar um documentário extraordináriamente rigoroso sobre alguns dos problemas do modelo económico global. De todos os que vi é de longe o melhor.Perfeita sintese, quer como introdução ao assunto, quer para os outros, como exemplar confirmação.

Indirectamente toca numa panóplia de outros assuntos que, estou certo, à maioria dos que por aqui andam não irão passar despercebidos.

Recomendações de leituras e reflexões paralelas ou complementares à questão

livros : "Gli uomini e le rovine", Evola

"A revolta das massas", Ortega e Gasset (Apenas e de forma muito especial os capítulos dedicados à problemática do "poder" nas mãos das massas.) Ilusão e instabilidade. Consequências...Atenção! Gasset descreve magistralmente a entrada das massas no palco das decisões, mas a forma como, segundo Gasset, esta influencia a vida colectiva e política, não está a meu ver, correcta. Isso terá de ser encontrado noutro lugar.

E agora uma recomendação nova (à condição...apenas dei uma leitura superficial e preliminar...parece-me uma obra tão boa que no entanto arrisco já recomendar pelo menos uma consulta da vossa parte à obra e à autora.)

É esta. (Dá para comprar usado a vários preços...tenho bem a noção do que estão a pedir por um exemplar...)

The Demographic Struggle for Power: The Political Economy of Demographic Engineering in the Modern World

http://i43.tower.com/images/mm108376090/demographic-struggle-for-power-political-economy-engineering-milica-zarkovic-bookman-hardcover-cover-art.jpg

E agora os documentários (LIGAR AOS ANTERIORES!!!!)

http://www.youtube.com/watch?v=gWtrbGWixRQ

http://www.youtube.com/watch?v=2LZozsLYHD4&feature=related

Ricardo Mendonça
February 3rd, 2012, 01:35 PM
http://www.youtube.com/watch?v=g8B9bKFV0ns

O Duff deixou isto noutro tópico (e bem...) mas também aqui deve estar.

Agora digam-me se depois de ser ver tudo o que aqui foi deixado se não é tempo de começar a pensar bem nas "engenharias" criminosas e irresponsáveis dos mediocres que tomaram de assalto a política dos países ocidentais nas últimas décadas?

Procurar perceber, mas perceber mesmo o que é que têm andado a magicar, essa corja toda! O resultado da actuação dessa gente, e que o futuro de todos nós ameaça de morte, vem sem dúvida da irresponsabilidade cândida provinda da mediocridade pensante de uns, a criminosa sede de poder e dinheiro de outros...Por isso, creio profundamente, cada homem e mulher tem para consigo senão para com as gerações futuras o imperioso dever moral de pensar e na sua vida individual, repudiar qualquer tentativa de domínio ou alienção que vislumbre.

Portanto, é tempo de cada homem e mulher de bem e acordado, enfiar a cabeça nalguns livros e POR SI, aprender a conhecer as alternativas a tudo isto.

Ricardo Mendonça
February 3rd, 2012, 02:33 PM
A Repressão está a cada dia pior, Ricardo.

Até onde aguentaremos só Deus sabe.

Mas fica a dica;

Façam o download dos vídeos que lhes interessam para só assim conseguirmos divulgar a mensagem aos destinatários que precisam da mesma...

Informação é tudo.


--------------------------------------------------------------------


A influência do Marxismo nas escolas brasileiras se encontra desde as públicas até as mais bem "conceituadas" Universidades e colégios particulares com mensalidades superiores à R$2000,00.

Muito dos jovens Brasileiros não se identificarem com suas raízes européias e pouco conhecerem sua história de glórias e luta se deve à eles.

Preza por um pontualismo histórico, o homem não é fonte de um passado e semente do futuro, ele é singular, único, fruto de um acaso e de uma "opressão". Pouco importa de onde veio e para onde vai.

É uma doutrina de ingratidão, desrespeito e de materialismo igualiatário, animalizando e adestrando o homem. É a regressão ao estado primitivo deste último.

A liberdade não há, pois podam-se as habilidades e desejos do indivíduo em detrimento de um coletivismo essencialmente doentio e sem quaisquer bases sólidas (tradicionais).

Simplesmente brilhante. Um abraço de profunda e fraterna admiração.

Ricardo Mendonça
March 4th, 2012, 08:59 PM
O documentário da BBC, que deixei acima, o "How the West went Bust" aponta de forma extraordináriamente clara aquilo que se passou no Ocidente, em termos de "políticas" económicas por parte governantes e "estilo" de vida por parte de governantes...e de governados, acrescente-se.

As últimas duas décadas do século vinte foram vividas por mim enquanto adulto, assisti ao que se passou perfeitamente consciente do rumo para onde nos dirigimos e o que nos está reservado no fim deste caminho.

Escolhi propositadamente como podem ver, este tempo verbal. Fi-lo por que sei que se o rumo traçado e em que presentemente ainda nos encontramos como povos, e quer queiramos quer não, por indissociável relação, enquanto homens e mulheres, se não for corrigido garantirá ao Ocidente um futuro reservado, que não será pelo menos, um fim...suportável. Contudo, creio, que nada será capaz de garantir um outro futuro, pelo menos um em que o fim que se segue inevitávlemente a qualquer declínio seja como disse acima, pelo menos um futuro em que o fim seja ao menos suportável. É que o fim que se deixa perceber para quem usa a cabeça e gasta tempo a olhar com espírito crítico o mundo circundante, será realmente tudo menos fácil continuando a ir para onde vamos. De facto, não vislumbro como possível nada capaz de alterar o rumo dos acontecimentos. Esta é a minha convicção da leitura que faço. Cada um que faça o seu o próprio juízo. Sinceramente creio que no fim, pouco nos importará quem tinha mais razão...

Então aquilo que pretendo deixar presente, como contributo à formação do nosso juízo quanto a qual será o futuro colectivo que temos reservado nas próximas décadas é um outro documentário (desta vez um pertinente olhar ao que muito possívelmente está à espreita...) mas antes salientar o seguinte :

- Inúmeros países europeus estão à beira de perderem aritméticamente o controle da política externa dos seus países. (demografia e inevitável mortalidade de uma população nativa envelhecida...que vive muito...mas não é imortal, e não entra para contas em termos de natalidade)

- O comércio "global" e principalmente a movimentação de capitais sem que qualquer escrutínio pelas instituições soberanas, é a tinta e o papel com que se pode escrever o epitáfio do nosso modelo social e político. É uma catástrofe com hora marcada...

- Os Ocidentais TÊM de enfiar na cabeça que TÊM de mudar de vida. E não pensar que o "padrão de vida" europeu está garantido porque assim foi escrito nas estrelas.

- Os recursos e o seu controle, ditam a política global...Como é que se dá de comer a 9 Biliões de pessoas? Querem "pôr" todos a viver à europeu? Ou à americano?

É impossível! Não há maneira de conseguir isso! Recordo os conceitos fundamentais para o entendimento desta questão e para a IMPOSSIBILIDADE material inultrapassável são eles :

"Decoupling" relativo

"Decoupling" absoluto

Peço desde já desculpas, mas não conheço a expressão equivalente em português...

No entanto, a palavra "decoupling" pode ser traduzido de forma aproximada ao seu sentido em inglês por "separação" essa "separação" ou "decoupling" refere-se à capacidade de produzir riqueza "separando" a riqueza produzida do seu peso do ponto de vista do gasto energético e de matéria prima.

Como nota importante ao assunto penso que se deva olhar a que elementos se aponta em economia a capacidade de imprimir essa separação entre a unidade de riqueza criada e o seu peso em consumo de recursos e energia.

Em conclusão ao post, reafirmo a minha profunda convicção que caso não se assista a um elemento estranho ( e creio não vislumbrável...) ao presente conjunto de circunstâncias capaz de alterar de forma profunda a mentalidade dos Ocidentais, então digo que o futuro para as próximas gerações ( incluindo quem hoje tem 20 anos...) vai ser uma catástrofe.

Eu apenas posso especular como poderá ser o mundo em caso de colapso do presente e insustentável modelo económico e social, o que sei é que este modelo é intrinsecamente instável e vulnerável, a complexidade de relações que estabeleçemos e das quais quase na nossa totalidade dependemos absolutamente enquanto pessoas é tal que qualquer colapso a verificar-se terá forçosamente de ser repentino e quase irremediável.

Esta matéria é tratada e discutida, por inúmeros pensadores, "só" precisa é de ser trazida ao conhecimento e atenção da maioria das pessoas...

Apenas munidos desse saber poderão as massas, assim espero pois é a nossa única esperança, decidir.

Por agora, trago neste sentido à atenção de visitantes e camaradas, dois livros (o documentário coloco de seguida...) em que o escritor trata em forma de ficção o que e como pode provocar o colapso do nosso aparentemente garantido mundo de consumo e hedonismo, tão "confortável" e "garantido" como qualquer ilusão...ou delírio de demência (acrescento eu..)

http://ecx.images-amazon.com/images/I/411oyrzpFTL._BO2,204,203,200_PIsitb-sticker-arrow-click,TopRight,35,-76_AA300_SH20_OU01_.jpg

http://ecx.images-amazon.com/images/I/51puLRIJOUL._BO2,204,203,200_PIsitb-sticker-arrow-click,TopRight,35,-76_AA300_SH20_OU01_.jpg

O documentário...

http://www.youtube.com/watch?v=C-1J1GjiFxc

http://www.youtube.com/watch?v=ACd6WzagsnU&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=5ZSlQSXURmA&feature=related

Ricardo Mendonça
March 26th, 2012, 03:52 PM
Este documentário, em castelhano, fala da Mitologia das Astúrias.


http://www.youtube.com/watch?v=zVvRQZfKj_E

O que eu gostaria de deixar sublinhado, é que as "pedras" por si só não falam.

As pedras dos nossos castros, o vento que sopra nas nossas montanhas, para pessoas como eu sopram ecos de vozes longíquas. No entanto, nem eu nem ninguém consegue perceber no sussurro da brisa outonal dos bosques de castanheiros do norte da minha terra, nem no uivo do vento da invernia, todas as histórias, todas as tradições.

Esse testemunho precisa, para ser conhecido, ser transmitido numa cadeia ininterrupta, ou seja, é preciso que existam pessoas...

Nós estamos a desaparecer. Não nascemos e não se passa o testemunho da tradição às novas gerações.

Pela primeira vez em milénios, regiões inteiras da Europa estão a ficar despovoadas.

Quando o último velho de uma aldeia de uma região morre, o que morreu com ele?

Essa falta de identidade, e muitas das causas por detrás deste resultado é que originam essa "pretização" da sociedade...e facilitam e MUITO a diluição e perda da identidade racial e cultural através da miscegenação. "Limpos" de passado, ficámos todos aparentemente...iguais. Será que nunca ninguém se lembrou disto? Nunca ninguém se lembrou de utilizar isto como arma de engenharia social? De construção de "novas" sociedades? hm? Que é que acham?

Um tipo que desconhece quem são os pais é orfão...E um povo que desconhece quem é? Não é orfão também? Como é que conhece os seus pais? Como é que sabe quem é?

E no caso de esse individuo...ou povo...que até tinha muito de que se orgulhar tenha, vamos imaginar, por algum motivo, sido espoliado, roubado, dessa herança? Porque no nosso caso havia herança. Havia o que roubar, quando se roubou a nossa memória colectiva...E creio...houve e há responsáveis...e sabem, conscientemente o que estão a fazer.

No caso dos povos que efeitos tem este roubo sobre quem nasce e aquem nada é dito sobre quem é? Essa tábua rasa...essas mentes "em branco"...permitem que lá se escreva o quê?

Apelo por fim, a mais um último exercício de memória...

Quais são os casos de sucesso que a história vos aponta de convivência inter racial?

Alguma sociedade foi construída e mantida em convivência inter racial? Qual? Em que circunstâncias?

O que é que revelam os estudos genéticos (muito recentes...) sobre a mistura racial? Dizem-nos algo que já não soubessemos por outras fontes?

Que histórias nos contam? Como foi feita?

E nos casos de ocupação de território? O que aconteceu aos povos invasores e invadidos?

Que casos temos?

Obrigado desde já pela atenção e pela reflexão...

Ricardo Mendonça
March 26th, 2012, 04:00 PM
http://www.youtube.com/watch?v=BYmBQkbq8do

Sobre a conquista romana da Ibéria.

Pretendo que seja uma âncora para reflexão...Para que se estabeleça uma analogia com os tempos modernos...

Somos ainda feitos desta fibra?

A romanização e o "legado celta"....Como sobreviveu esse legado e porquê?

Por fim relembrar o cerco de Numância...Fala-se muito de Alésia e poucos conhecem a história do cerco a Numância...


Por fim a importância da memória colectiva, novamente...como e porquê?

Diferença na história de Portugal ou Espanha e na história da Península italiana aos olhos de um turista

Qual é a impotância de perceber esta diferença?

Pronto, estes foram os elementos que me surgiram quando vi o documentário pela primeira vez, e por agora são estes que tenho a trazer à discussão.

Nikolas Försberg
April 13th, 2012, 08:42 PM
DECÁLOGO DE LÊNIN

1 – CORROMPA A JUVENTUDE E DÊ-LHE LIBERDADE SEXUAL

2 – INFILTRE E DEPOIS CONTROLE TODOS OS MEIOS DE COMUNIÇÃO

3 – DIVIDA A POPULAÇÃO EM GRUPOS ANTAGÔNICOS, INCITANDO-OS A DISCUSSÕES SOBRE ASSUNTOS SOCIAIS

4 – DESTRUA A CONFIANÇA DO POVO EM SEUS LÍDERES

5 – FALE SEMPRE EM DEMOCRACIA E EM ESTADO DE DIREITO MAS, TÃO LOGO HAJA OPORTUNIDADE, ASSUMA O PODER SEM QUALQUER ESCRÚPULO.

6 – COLABORE COM O ESBANJAMENTO DO DINHEIRO PÚBLICO, COLOQUE EM DESCRÉDITO A IMAGEM DO PAÍS ESPECIALMENTE NO EXTERIOR, E PROVOQUE O PÂNICO E DESASSOSSEGO NA POPULAÇÃO POR MEIO DA INFLAÇÃO.

7 – PROMOVA GREVES, MESMO ILEGAIS, NAS INDÚSTRIAS VITAIS DO PAÍS.

8 – PROMOVA DISTÚSBIOS E CONTRIBUA PARA QUE AS AUTORIDADES CONSTITUÍDAS NÃO AS COIBAM.

9 – COLABORE PARA A DERROCADA DOS VALORES MORAIS, DA HONESTIDADE E DA CRENÇA NAS PROMESSAS DOS GOVERNANTES.

10 – PROCURE CATALOGAR TODOS AQUELES QUE TÊM ARMAS DE FOGO, PARA QUE SEJAM CONFISCADAS NO MOMENTO OPORTUNO, TORNANDO IMPOSSÍVEL QUALQUER RESISTÊNCIA

Este decálogo foi baseado nas cartas de Lenin, onde ele descrevia quais seriam os próximos passos.

Elas estão em "Às Portas da Revolução - Escritos de Lenin de 1917" de Slavoj Zizek

Ricardo Mendonça
May 2nd, 2012, 06:40 PM
Mais um olhar sobre o porquê e como as sociedades ocidentais chegaram a este ponto.

Um olhar à educação. À estupidificação das massas, em que é que se traduz isto é que é que consiste e que que consequências tem? Isto serve os interesses de quem?

E em que, repito a pergunta, consiste esta estupidificação? Quem a consegue sequer perceber? Quem ainda tem a capacidade de comparar?

---------------"--------------

Estes pequenos videos abaixo contêm muita informação importante para a discussão, este video sobre a UNESCO estando correcto no diagnóstico, ao identificar a missão da UNESCO, identificar não, lembrar, trazer à nossa atenção, falha ao apontar as verdadeiras consequências que isto teve.

É que isto e por isto o que aconteceu no que a nós diz respeito foi a destruição muito próxima da capacidade política e demográfica das populações brancas, não através de seringas directamente, cá no Ocidente e referindo-me apenas ao Ocidente a "receita" foi outra, veja-se qual foi.

http://www.youtube.com/watch?v=jjer4fTUA-I


http://www.youtube.com/watch?v=DDyDtYy2I0M&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=WGL8FEMc378&feature=related

Pense-se e procure-se na internet o porquê de a cultura Ocidental das massas hoje ser a imbecilidade que é!

Olhe-se para o cinema que se consome! Porquê? O que aconteceu à capacidade de pensar dos Ocidentais?

Olhe-se para o cinema, para os livros que se vendem nas livrarias do Ocidente!

Quem conseguir pense nas pessoas que tem à sua volta no dia-a-dia e pense na forma como falam, como escrevem, em que é falam! Sobre que assuntos? O que é interessa às pessoas? Como se pronunciam sobre esses assuntos?

Qual é o domínio que têm da sua própria lingua do seu idioma? Escrevem bem? Escrevem? Lêem? Aima de tudo...pergunto, o que é que as pessoas fazem com o seu tempo vital? Literalmente com o seu tempo de vida? ....

O que é os ocidentais fizeram com esta abastança material IRREPETÍVEL?

Qual é o problema dos sistemas de ensino actuais? Que pessoas aparecem hoje no mundo? Porquê? Quem nos fez isto?

O que é que têm nas suas casas? Livros? Ideias? É o quê? E quais as consequências disto? Que tipo de pessoas temos? É gente que intervem? Que pensa sobre o seu destino? Que pode ser um obstáculo a quem quiser decidir por elas?

Ricardo Mendonça
May 2nd, 2012, 06:50 PM
Vou aqui deixar primeiro as análises a um "excelente" livro que li, depois deixo mais alguma coisa sobre o livro.

Felizmente ainda vamos tendo entre nós pessoas capazes de ler e analisar um texto e fundamentalmente gente capaz de partilhar isso com os outros, capazes de se fazer explicar! Que não tropeçam nas palavras incapazes de construir um parágrafo.

O problema não é saber o aeiou ou saber escrever, é não saber pensar! Vou deixar sobre isto um relatório (FINALMENTE ALGUÉM ACORDOU...) o último sobre o estado da educação no Ocidente pela OCDE...Alguma cabeça vai rolar! Porque isto não era para ser dito.

Então agora e antes disso as análises ao livro

Veja-se a diferença, a diferença entre a regra e as infelizmente meras excepções...

These are not good days for Europe. It has lost its way and seems incapable of recognising the many dangers and threats it is facing. Many Europeans recognise that an ideological, spiritual and cultural malaise has swept over the continent, but they seem unable or unwilling to properly assess it, or to adequately deal with it.

Europe certainly has a major, gaping hole in its soul, with its outright repudiation of its Christian heritage. And into this void has rushed various challenges, such as militant Islam, resurgent nationalism (including a revived Third Reich), and rampant anti-Americanism.

********i is an American academic and journalist who has lived and worked in Europe for many years, and she does not like what she is seeing there. She argues that Europe is in the midst of a major crisis, and it is a crisis that will impact America and the rest of the free world.

Europe's rejection of its Christian past is only one aspect of this crisis, but it is a significant part.*******is no religious extremist. She describes herself as a secular *****. But she is well aware of the consequences of the secularisation of Europe.

Radical Islam's attempt to turn Europe into a Muslim stronghold is another major part of the crisis. ******* looks at a number of European nations in detail, including Germany, Italy, France, Holland, as well as Britain, and examines how they are coping with their unassimilated and resentful Muslim populations.

Consider the Netherlands for example. ****** shows that just as the Dutch attempted to appease the Nazis sixty years ago, they are now capitulating to militant Islam. Sure, the assassinations of two prominent Dutchmen has given them a reality check, but the Dutch tradition of tolerance is still working to undermine the nation.

When Bosnian Serbs swept into Srebrenica, pony-tailed Dutch forces didn't fire a shot: they simply stood by and allowed the massacre of 7,000 men and boys. Holland, like the rest of Europe, is "passive, paralysed, and fundamentally in disaccord with American idealism" says *****. While European diplomats bickered as Yugoslavia burned, it was the Americans who finally intervened.

Nation after nation in Europe has simply capitulated to hostile forces instead of standing up for what is of value. Within days of the 2004 Madrid terrorist train blasts, the newly-elected Spanish government pledged it would pull its troops out of Iraq, handing the al-Qaeda terrorists exactly what they wanted,. Neville Chamberlain-style appeasement is being replayed over and over again in Europe, with very few Europeans learning the lessons of history.

Demographic trends are also a major concern in Europe. If present trends continue, much of Europe will be losing population in the near future. And this is closely tied in with a disillusioned collective psyche. A nation or a continent that has no reason to exist, has no hope for the future, has no firm set of values to cling to, is not going to want to have children. Only people of hope, as well as people with a sense of the past, have children. Nihilistic, centreless Europeans have no hope, have no vision, and therefore, have no future.

Indeed, the only Western nation which is not suffering from population decline is the United States. Americans still have a sense of purpose and destiny, so they are still willing to have children. Europeans, by contrast, have been cast adrift, socially and spiritually, with no anchor and no rudder. Their childless nations offer brute testimony to this fact.

Each nation ****** examines shows ominous signs of moral decay and political paralysis. Europeans have lost their way. They no longer have anything to believe in. Thus they no longer have anything to fight for, or to live for. "Without vision, a people perish," we are told in the book of Proverbs. That truth is being played out before our eyes in Europe. Thus Europe as we know it may not long survive.

For those who are alert and observant, this will come as no surprise. But too many people have been deaf and blind as to the looming fate of Europe. Will Europe arouse from it slumber, shake off its lethargy, and turn things around, or will it simply further decline into oblivion? Whether the warnings sounded in this book will be heeded, and heeded in time, remains to be seen.

Ricardo Mendonça
May 2nd, 2012, 07:00 PM
Antes disso lembremos a geração jovem principlamnete urbana na Europa e EUA de 60 e 70. A avidez com que liam com que discutiam e pensavam.

E qual o produto, quais a manifestações culturais dessa capacidade de pensar? Por exemplo...


http://www.youtube.com/watch?v=C9KAqhbIZ7o

Oiçam isto, vejam isto! Quem pôde com vinte anos conhecer isto, ser confrontado com este tipo de estímulos não foi abençoado?

http://www.youtube.com/watch?v=uU4TQ1NTo50

http://www.youtube.com/watch?v=TckJBvl_uT0

E hoje?

Ricardo Mendonça
May 2nd, 2012, 07:12 PM
OCDE adverte Ocidente sobre perda de vantagem global na educação


Em português...pela globo (No site da Reuters está a notícia em Inglês com o link para o relatório)

Os países mais ricos do mundo correm o risco de perder a vantagem obtida com uma educação melhor à medida que os padrões de outros lugares, como a Coreia do Sul e a cidade chinesa de Xangai, sobem drasticamente, disse a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) na terça-feira.

Em um relatório com base em pesquisas com meio milhão de estudantes de 15 anos em 65 países, a OCDE, que tem sede em Paris, observou uma queda nas habilidades de leitura nos Estados Unidos e em muitos países da Europa ocidental na última década, em especial na Irlanda e na Suécia.

Por outro lado, a organização ressaltou uma melhora marcante na proficiência de leitura em países como Brasil, Peru, Chile, Indonésia, Letônia e Polônia, embora eles tenham um ponto de partida mais baixo, na maioria dos casos.

Apesar de as economias ocidentais ainda apresentarem uma classificação muito melhor, a OCDE listou muitos desses países como medianos ou pouco acima da média, mais fracos do que antes e muito atrás da Coreia do Sul, que deixou para trás todos os outros países da lista.

"É um alerta para as economias avançadas de que não podem pressupor como certo que irão ter para sempre um 'capital humano' superior do que outras partes do mundo", disse Angel Gurria, secretário-geral da OCDE.

"Numa época de competição global intensa, eles precisarão trabalhar duro para manter a base de conhecimentos e habilidades que permanece crescendo com demandas em transformação."

A OCDE afirmou que a Coreia do Sul oferece um exemplo impressionante, porque seu índice de aproveitamento superou a de uma elite privilegiada.

"A performance media da Coreia (do Sul) já era alta em 2000, mas os políticos coreanos se preocuparam com o fato de que apenas uma pequena elite chegava aos níveis de excelência no Pisa (o relatório)", afirmou a OCDE.

"Em menos de uma década, a Coreia foi capaz de duplicar a parcela de estudantes que demonstrava excelência no aproveitamento de leitura", afirmou a OCDE.

SUCESSO DE XANGAI

Na ausência de uma mostra verdadeiramente nacional para a China, a OCDE pegou o exemplo de Xangai, a cidade industrial que simboliza não apenas a nova riqueza da China, mas também contrasta com o subdesenvolvimento de boa parte do país mais populoso do mundo.

Embora não seja possível uma comparação com as médias nacionais dos outros países, Xangai ficou no topo das listas da OCDE, não apenas com os melhores leitores, mas também em matemática e ciências, as outras duas áreas avaliadas no relatório da OCDE sobre educação, chamado Pisa.

"O sucesso impressionante de Xangai-China, que encabeça todas as tabelas dessa avaliação com uma margem clara, mostra o que pode ser feito com recursos econômicos moderados num contexto social diverso", afirmou o relatório.

"Em matemática, mais de um quarto dos adolescentes de 15 anos de Xangai-China podem conceitualizar, generalizar e usar criativamente as informações com base em investigações próprias e fazer modelos de situações-problema complexos."

Os funcionários da OCDE reconheceram que Xangai não é representativa da China e afirmaram que outras regiões serão avaliadas nos estudos do futuro.

A vantagem dos estudantes de Xangai equivalia em cerca de três anos com relação aos alunos do México e somava seis anos de diferença com relação ao Quirguistão, o pior classificado na lista, informou a OCDE.

O grande diferenciador foi o sexo. As garotas se saíram melhores que os meninos em leitura, independentemente se estavam num país rico, médio ou pobre, de acordo com a OCDE.


Fonte Globo pela Reuters

Colonus
May 2nd, 2012, 07:26 PM
Um texto bom,enxuto,claro e com boas informaçoes,apesar de,como esta escrito na conclusao,nao ser nada surpreendente a nos.

O meio ocidental se transformou rapidamente,imergindo a populaçao na bestialidade,consumo exagerado e egoismo,sendo as midias,catalizadoras de tal processo.A falta de escopo,de vontade,de espirito e de conhecimento historico sao consequencias dessas deformaçoes atuais e,para meu desgosto,pouquissimos percebem que o "normal" nao o e'.

Espero poder fazer meu papel e ao menos ajudar o pais da maioria de meus anscestrais,que felizmente nao esta incluido na classe dos "moribundos",como a Holanda.

Colonus
May 3rd, 2012, 01:22 PM
Sei atraves da historia que o comunismo foi algo ruim para a sociedade,mas nao deixei de intrigar-me quando percebi isso:Como a Russia teve uma educaçao tao eficiente,a ponto de quase erradicar o analfabetismo e formar tantos universitarios,num governo tao "bruto"?

Nao creio que a qualidade educacional russa tenha subido drasticamente apos a queda do comunismo,portanto deve ser uma herança deste,assim como o poderio militar.Como esse imperio pode ser tao atrasado se possui,em porcentagem,mais pessoas formadas em universidades que qualquer pais europeu(desconsiderando o Canada)?

Consequentemente,pensei como um povo com tais caracteristicas pode permanecer com uma economia tao aquem do que pode sustentar.Sera apenas o governo ou ate mesmo a Russia,dita tao "apartada" da Europa,esta sofrendo com a "desilusao europeia"?

Desculpe a quantidade de perguntas,mas preciso faze-las...

Ricardo Mendonça
May 3rd, 2012, 05:34 PM
Sei atraves da historia que o comunismo foi algo ruim para a sociedade,mas nao deixei de intrigar-me quando percebi isso:Como a Russia teve uma educaçao tao eficiente,a ponto de quase erradicar o analfabetismo e formar tantos universitarios,num governo tao "bruto"?

Nao creio que a qualidade educacional russa tenha subido drasticamente apos a queda do comunismo,portanto deve ser uma herança deste,assim como o poderio militar.Como esse imperio pode ser tao atrasado se possui,em porcentagem,mais pessoas formadas em universidades que qualquer pais europeu(desconsiderando o Canada)?

Consequentemente,pensei como um povo com tais caracteristicas pode permanecer com uma economia tao aquem do que pode sustentar.Sera apenas o governo ou ate mesmo a Russia,dita tao "apartada" da Europa,esta sofrendo com a "desilusao europeia"?

Desculpe a quantidade de perguntas,mas preciso faze-las...

Excelentes perguntas. Garantir uma resposta adequada num post nem sei se é possível, mesmo estando na posse de todos os elementos. O que nem sei se alguém no mundo consegue estar sinceramente...É trabalho para uma vida de investigação.

Assim creio, que responder a isso, mesmo que parcialmente, implica que se conheça no mínimo um século de história, no mínimo absoluto.

As forças políticas em jogo são tão diversas como as realidades sociais de cada país, de cada geografia a cada momento, é muito muito díficil responder num post, ou até em vários posso tentar dar uma pinceladas e apontar umas alguns caminhos de formação de opinião na medida das minhas capacidades, o que não poderemos fazer, ainda assim, é dispensar nunca, muito, mas muito mais trabalho fora disto.

(Eu tenho recomendado umas leituras sobre isto pelos fóruns. Mas por agora vamos tentar começar de outra forma....)

Aliás penso mesmo que esse problema de escala, de dimensão em complexidade dos prolemas é o maior entrave à nossa causa. Não só nestas matérias de educação e controle da vontade das populações, e consequente redistribuição ou apropriação de poder político, mas em toda a problemática de entendimento da realidade circundante a cada indivíduo.

Portanto temos de escolher um ponto de partida qualquer, um pelo menos tão bom como outro poderá ser, se globalmente assistimos a uma destruição da capacidade de pensar no Ocidente e quais as razões que podemos encontrar para isso e aos interesses de quem isso pode servir.

Partindo disto e raciocinando ao longo da discussão ou da pesquisa que se faça, por forma a alargar o leque da nossa observação talvez consigamos obter pelo menos elementos plausíveis para a nossa construção da origem do problema...

Porque não começar por procurar na entrevista do agente do KGB que temos quais as motivações que nos trouxeram a isto.

Ou até à entrevista da Drª Charlotte Iserbyt, resumindo os aspectos fundamentais para já e ver se se adequam como possível solução do problema.

Nikolas Försberg
May 17th, 2012, 11:52 PM
A verdade sangrenta sobre o Comunismo

A União Européia é muito similar à antiga e dissolvida União Soviética. Mais de 110 milhões de pessoas morreram por causa dessa ideologia falida. Será que a história vai se repetir?

O livro negro do comunismo (inglês):
http://www.scribd.com/doc/3398379/Black-Book-of-Communism

Aprenda sobre Marxismo Cultural e Multiculturalismo (inglês):
http://www.americanthinker.com/2007/02/cultural_marxism.html

Aprenda sobre a aplicação do Marxismo no século 21 (inglês):
http://www.brusselsjournal.com/node/2125

Nikolas Försberg
May 18th, 2012, 09:46 PM
The Killing Fields (br: Os gritos do silêncio / pt: Terra sangrenta) é um filme britânico de 1984, do gênero drama de guerra, dirigido por Roland Joffé.

O roteiro foi escrito por Bruce Robinson, a produção é de David Puttnam, a trilha sonora de Mike Oldfield e a fotografia de Chris Menges.

Sinopse

Após a chegada de Pol Pot ao poder e a implantação de uma ditadura comunista, um correspondente estadunidense busca encontrar um amigo nos campos de concentração do Cambodja. Durante essa busca, ele testemunha os efeitos do genocídio perpetrado pelos comunistas, resposáveis pelo assassinato de milhões de Cambojanos.

The Killing Fields Trailer

Nikolas Försberg
August 4th, 2012, 12:30 AM
Cinco frases a serem ensinadas em escolas:


1) Não dá para prosperar os pobres com leis que tirem a prosperidade dos ricos.




2) O que uns recebem sem trabalhar tem que ser pago por outros que trabalham sem receber.




3) O governo não dá algo a alguém sem primeiro ter tirado de outra pessoa.




4) Não dá para multiplicar a riqueza do país dividindo-a.




5) Não dá para prosperar o país cobrando mais impostos e nem sair das dívidas tomando empréstimos.

Nikolas Försberg
August 4th, 2012, 12:34 AM
Toda a verdade sobre o Che Guevara

http://4.bp.blogspot.com/_Drn9r0ad-As/TS1NZh5mTyI/AAAAAAAAAGs/V-TVsjpYkqg/s200/che-comandante-asesino.jpg

Che Guevara foi um monstro, assassino e terrorista, muito longe desse ícone idealista que fizeram dele.

O blog abaixo revela a extensa folha corrida deste inimigo da humanidade:

http://overdadeirocheguevara.blogspot.com/

Nikolas Försberg
August 4th, 2012, 12:41 AM
A Hegemonia Petista explicada: Marxismo cultural anti-cristão
Texto baseado numa transcrição da palestra do Pe. Paulo Ricardo
(A transcrição não foi revisada pelo autor.)

MARXISMO CLÁSSICO VERSUS MARXISMO CULTURAL


O marxismo cultural faz questão de não ser identificado com o marxismo clássico.
O marxismo cultural não apenas é uma cultura anti-cristã, como também tenta ludibriar as pessoas fazendo passar idéias anti-cristãs como cristãs. Por exemplo, a idéia de paz mundial sem Cristo, simbolizada pelo logotipo da cruz invertida e com os braços quebrados.

A democracia precisa de uma base moral, de respeito mútuo onde possam conviver juntos a esquerda e a direita. Mas devido ao marxismo cultural, as coisas mudaram de tal maneira que o que antes era esquerda, virou centro; o que antes era a ultra-esquerda, virou a esquerda atual; e o que era direita, praticamente desapareceu do cenário político.

O manifesto comunista de Marx convocava os trabalhadores proletários de todo o mundo para que se unissem e se revoltassem contra os grandes proprietários. Sob esse perspectiva, Marx previa um grande conflito em toda a Europa em que os "trabalhadores oprimidos" atacariam os "patrões opressores" segundo os interesses de sua classe econômica.

Contudo, o conflito ocorreu mas não como fora previsto pelos marxistas. A Primeira Grande Guerra começou em 1914 e durou até 1919. O Kaiser alemão dizia "não há mais partidos, somos todos alemães" e trabalhadores se voltaram contra trabalhadores de outros países, cada um defendendo os "interesses de seus patrões".

Em 1917, a revolução bolchevique deu uma esperança aos marxistas, embora todas as outras tentativas de revolução comunista fracassaram.

Em 1919, a revolução Espartacista em Berlin, com Karl Liebknecht, Rosa Luxemburgo, Spartacus, fracassou.

Também em 1919, houve o governo do Soviete de Munich, cujo governo provisório não conseguiu atrair o apoio dos trabalhadores.

Na Hungria, o governo provisório de Bela Kun, do qual participava o filósofo Georg Lucács, também fracassou.

Na Itália houve a revolta sindicalista em Turim, que também fracassou.

Esses fracassos consistiram num grande problema teórico para o marxismo: por que a realidade não segue a teoria? Um cérebro normal rejeitaria a teoria se ela não é compatível com a realidade, mas o cérebro marxista não é normal: se a realidade não confirma a teoria, pior para a realidade!

Antonio Gramsci e Georg Lukács concluíram que teria sido a cultura ocidental que "alienara os proletários e os prevenia de lutarem contra os interesses das outras classes". A Rússia não era "ocidental" o suficiente e, na conclusão deles, por isso a revolução tinha dado certo lá.

A cultura ocidental é sustentada em 3 colunas: o direito romano, a filosofia grega e a moral cristã.

Para implantar o socialismo no Ocidente, eles concluíram que era preciso acabar com a moral cristã. Por isso é que o novo marxismo, o marxismo cultural, tem como objetivo destruir a moral cristã.

No entanto, isto criou um cisma no marxismo. No Ocidente, começou-se a lutar por uma outra espécie de marxismo diferente do marxismo ortodoxo que era praticado no Oriente, por trás da Cortina de Ferro.

O MARXISMO CULTURAL

Maurice Merleau-Ponty, um filósofo francês, cunhou a expressão "marxismo ocidental" para designar esse outro marxismo heterodoxo e herético aos olhos dos comunistas russos. Stalin odiava os comunistas do Ocidente por não aceitarem as ordens de Moscow apesar de também serem marxistas.

Vários filósofos e escritores famosos no Ocidente pertenceram a esse marxismo ocidental. Ernst Bloch (importante influência na revolução estudantil européia), Walter Benjamin, Jean Paul Sartre, Louis Althusser, Jürgen Habermas (que uma vez debateu com o então cardeal Ratzinger).

Em 1923, na Alemanha, foi realizada a Semana de Trabalho Marxista. Filósofos marxistas se reuniram para debater a crise da teoria marxista (por que a realidade não estava seguindo a teoria?) que vinha desde 1919. Nesse encontro, se destacaram Felix Weil e Georg Lukács. Felix Weil vinha de uma família rica e gastou o dinheiro do pai criando e sustentando financeiramente o Instituto Para a Pesquisa Social em Frankfurt em 1924: a famosa Escola de Frankfurt.

Esse grupo tinha como intenção inicial usar o nome "Instituto Marx-Engels", espelhando o instituto de mesmo nome em Moscow, mas decidiram que no Ocidente eles teriam maior vantagem em não se identificar como marxistas. Esse instituto editou o primeiro volume da Edição Geral das Obras de Marx e Engels (MEGA - Marx-Engels-Gesamtausgabe) simultaneamente ao instituto de Moscow.

Esses jovens ricos estudavam a sociedade alemã para descobrir como funcionava o pensamento ocidental e descobrir como destruí-lo. Com a ascenção de Hitler ao poder e sua perseguição aos judeus e aos marxistas, eles fugiram para os Estados Unidos.

Uma das principais características dos marxistas culturais é que eles não querem saber de luta armada, mas querem ocupar espaços para pregar suas doutrinas em universidades, na mídia, nas igrejas ou em qualquer lugar onde haja discurso.

Vários destes pensadores, sem se identificarem como marxistas, se infiltraram e conseguiram lecionar em universidades americanas. Deles, merecem destaque Teodor Adorno, Herbert Marcuse e Max Horkheimer, que foram lecionar na Universidade de Columbia, em Nova York. Horkheimer e Adorno voltaram à Europa depois do fim da Segunda Guerra Mundial e fizeram muitos discípulos. Marcuse trabalhou para a CIA (então chamada de OSS) em projetos de propaganda anti-nazista e depois mudou-se para a Califórnia. Na época em que explodiu a revolução estudantil de 1968, ele lecionava na Universidade de San Diego.

Marcuse influenciou enormemente a cultura do Ocidente, mudando o pensamento marxista ocidental para uma espécie de casamento intelectual entre Marx e Freud. Os marxistas queriam uma revolução e para isso precisavam de gente revoltada. A revolta dos trabalhadores, explorada pelo marxismo clássico, era comprovadamente insuficiente. Era preciso encontrar mais gente revoltada. Marcuse descobriu a juventude e as pessoas reprimidas sexualmente.

O discurso então se tornou: "a sociedade capitalista" - isto é, ocidental - "é uma sociedade repressora. Ela oprime as pessoas, reprimindo-as sexualmente. Você não pode exercer sua sexualidade livremente. Revolte-se!" Eles queriam acabar com a moral cristã mas não confessavam suas intenções.

A pregação marxista passou a defender a liberação da sexualidade, aborto, homossexualismo e divórcio, chamando o casamento monogâmico de "moral burguesa" (codinome para moral cristã).

Erich Fromm, Cornelius Castoriadis (teve papel na revolução estudantil em Paris), Michel Foucault (uma das primeiras vítimas da AIDS por ser drogado e homossexual bastante promíscuo) e Herbert Marcuse foram as maiores influências nas universidades. Quando a revolução estudantil de 1968 eclodiu, Marcuse, Foucault, Castoriadis e outros estavam em Paris insuflando os estudantes.

Em Hollywood, os marxistas também trabalhavam para acabar com a "moral burguesa". Vinte e poucos deles foram denunciados pelo senador Joseph McCarthy mas ele acabou sendo vítima do patrulhamento ideológico.

Depois da queda do muro de Berlin, o Código Venona foi descoberto nos arquivos da KGB e foi revelado que haviam não apenas vinte, mas mais de cem marxistas trabalhando em Hollywood sob ordens da KGB. O livro "Venona Code" explica esses fatos históricos em detalhes.

Em 1955, Marcuse escreveu "Eros e Civilização", livro muito divulgado nas universidades e que se tornou a "bíblia" da revolução Hippie. Segundo seu discurso, a sociedade capitalista gera a guerra e a repressão sexual, portanto, "faça amor, não faça guerra".

"Paz e amor, bicho!" Para ter coragem de des-reprimir, os jovens, que ainda foram criados em famílias cristãs, precisaram tomar drogas para conseguirem praticar perversões sexuais (a "liberação sexual"). Com isso veio Woodstock e o protesto contra a guerra do Vietnã. Os jovens e os transviados serviriam como combustível para o motor da nova revolução marxista.

NO BRASIL...


Em 1964, o Brasil era um país muito conservador, com uma sociedade capaz de realizar a Marcha da Família com Deus pela Liberdade em protesto contra a iminente revolução de João Goulart, que colocara o país rumo à uma ditadura comunista no estilo cubano.

Com a doutrinação através das novelas da Rede Globo - entre várias outras ocupações de espaços na mídia - isso mudou. Haviam muitos comunistas trabalhando nas Organizações Globo e outros órgãos da grande mídia brasileira. Roberto Marinho reagia contra o regime militar e protegia os comunistas da Globo: "Dos meus comunistas cuido eu." Deles, os mais notáveis - Dias Gomes e Janete Clair - dominaram a década de 70 com suas novelas.

Na biografia de Dias Gomes, "Apenas Um Subversivo" (à venda no Submarino), ele conta que pregou o divórcio - era tabu naquela época - na sua novela "Verão Vermelho" (1970). Na sua segunda novela, "Assim na Terra como no Céu" (1970), ele atacou o celibato clerical. Na novela "Roque Santeiro", em 1975 (mas que foi impedida pelo governo militar), ele atacou o Cristianismo.

Em "Roque Santeiro", o padre Albano (da teologia de libertação) e o padre Hipólito (supostamente conservador) discutem diante da estátua do Roque Santeiro, que havia morrido e se tornado mártir. Sob o protesto de padre Albano, o padre Hipólito vendia santinhos do Roque Santeiro e tentava encobrir o fato de que Roque Santeiro não havia morrido. Esta era a mensagem de Dias Gomes, traduzida: "O Cristianismo cria falsos mitos e é necessário denunciar esses mitos para impedí-los de se aproveitarem do povo."

O governo militar não tinha idéia do marxismo cultural. Mandavam revistar a casa de Dias Gomes em busca de armas e livros ensinando guerrilha e não encontravam nada. Só foram descobrir algo quando, sob escuta telefônica, Dias Gomes explicou o suas intenções ao amigo Nelson Werneck Sodré: "Mas a Censura vai deixar passar?" "... Assim passa. Esses militares são muito burros!" Essa conversa foi descrita no livro de Artur Xexéo, "Janete Clair, a Usineira de Sonhos". Assim que o governo soube da mutreta, a Censura baniu "Roque Santeiro" e justificou: "A novela contém ofensa à moral, à ordem pública e aos bons costumes, bem como achincalhe à Igreja".

O general Golbery do Couto e Silva, com sua "teoria da panela de pressão", foi um dos maiores responsáveis pelas desgraças que acontecem nas universidades brasileiras. "Toda panela de pressão deve ter uma válvula." A válvula que ele deu de bandeja para os marxistas foram as universidades.

Embora houvessem agentes do governo militar assistindo as aulas dos marxistas nas universidades, estes podiam pregar tudo, desde que não tocassem em assunto de luta armada e reforma agrária. Eles tiveram toda a liberdade para falar de aborto, divórcio, sexo livre pois isso não era identificado como marxismo. Hoje as universidades estão completamente desmontadas em termos de cultura cristã, se tornando máquinas anti-cristãs disfarçadas, acusando os conservadores e denunciando sua "moral burguesa" (cristã) e seu "pensamento retrógrado" (cristão).

O politicamente correto é obra marxista. Ele foi criado por eles para tentar convencer as pessoas de que as convicções morais cristãs seriam viciadas e de que seria necessário tornar todo mundo igual.

No 7 de Setembro, uma data que deveria ser de comemoração de patriotismo, a CNBB, parte da igreja brasileira dominada pela Teologia da Libertação, criou o "Grito dos Excluídos". Os "excluídos" são uma categoria criada por Pierre Bourdieu para perpetuar a idéia do conflito de classes.

Em Ibiúna, em 1968, foi realizado um congresso da UNE, sob a liderança dos atuais políticos de esquerda que estão no governo e na oposição. Os marxistas Aldo Rebelo (PC do B), José Serra (PSDB) e José Dirceu (PT), todos eles dos partidos em atual hegemonia, estavam nesse congresso.

No Brasil atual, dominado por este marxismo cultural, praticamente só existem partidos de esquerda. Todos eles tentam impôr e favorecer a sexualidade promíscua, o aborto e o homossexualismo, bem como o conflito racial e a histeria ecológica.

O PT chama o PSDB de direita, mas o PSDB não é direita. Ele está à direita do PT mas ainda é de esquerda. O PSOL acusa o PT e o governo Lula de não serem mais de esquerda, mas isso significa apenas que o PSOL está ainda mais à esquerda do que o PT.

A direita brasileira já não existe mais sob a forma de partidos, mas como os marxistas precisam de um inimigo imaginário, por isso usam o DEM - o antigo PFL, um partido criado para se opor ao regime militar e que foi tomado por oportunistas - como espantalho e saco de pancadas, um partido de oposição medíocre, subserviente e facilmente manipulável.

Essa hegemonia esquerdista é mantida em grande parte graças ao patrulhamento ideológico.

Se alguém ousar denunciar as trapaças dos marxistas, eles usam a tática proposta por Lênin: cair em cima da vítima coletivamente, fazendo inúmeras acusações.

"Você é agente da CIA, você é burguês, você é da elite branca, você é homofóbico, você é um louco" - todas as acusações e calúnias possíveis e imagináveis são usadas tendo como objetivo intimidar as demais pessoas para que elas não ousem concordar com quem denunciou as trapaças dos marxistas culturais.

A meta é fazer com que os outros tenham medo e pensem duas vezes antes de falar ou denunciar as mesmas coisas - esse é o patrulhamento ideológico.

Ricardo Mendonça
August 13th, 2012, 05:26 PM
Há muito tempo que não deixava aqui um contributo. A existência deste documentário é um autêntico milagre. Apesar das pressões sofridas ter sido realizado é um verdadeiro milagre...

Recentes descobertas científicas apontam para a presença de europeus numa América pré-histórica.

Porque é que certas descobertas científicas são tão melindrosas? Tão políticamente sensíveis que fazem dos profissionais que a elas se dedicaram uns proscritos?

Reflictamos e procuremos que outras descobertas científicas são censuradas por não estarem conformes à agenda política pró-fronteiras abertas dos países brancos.

Sem mais deixo à vossa atenção.

http://www.youtube.com/watch?v=maziRFPYU14

Nikolas Försberg
August 26th, 2012, 03:14 AM
O artigo abaixo é uma entrevista dada pelo Padre Paulo Ricardo de Azevedo ao site Canção Nova. O Padre Paulo Ricardo expõe de maneira exemplar a estrturação e implementação do "marxismo cultural" no mundo, realmente vale a pena lêr a entrevista abaixo.

Link da entrevista no site Canção Nova (http://www.cancaonova.com/portal/canais/entrevista/entrevistas.php?id=336)

PS: É uma pena somente que muitas pessoas despertadas para a verdade ainda não tenham conseguido perceber a mão dos judeus tanto no Comunismo (Marxismo-Leninismo) quanto no Capitalismo.

Um alerta contra a instrumentalização da Igreja face aos interesses dos comunistas

Padre Paulo Ricardo de Azevedo, consultor da Congregação do Clero, em assuntos de catequese junto à Santa Sé, professor de Filosofia e Teologia, e reitor do Seminário Cristo Rei de Cuiabá (MT) denuncia as influências materialistas do marxismo cultural no mundo Ocidental com o objetivo de "descristianizar" a sociedade. Alerta para o perigo de uma leitura sociológica da Bíblia em função dos interesses do comunismo.

cancaonova.com: O que é o marxismo cultural?

Padre Paulo Ricardo: Marxismo cultural é um movimento ideológico que pretende implantar a revolução marxista. Não através dos meios armados ou de uma movimentação de violência, mas por meio da transformação da cultura ocidental. Na verdade, o Ocidente é uma cultura que está toda baseada, desde o tempo dos antigos filósofos gregos, principalmente depois do Cristianismo, na espiritualidade.

cancaonova.com: Por que muitos pensam que o comunismo desapareceu totalmente, após a queda da União Soviética?

Padre Paulo Ricardo: O que desapareceu foi o comunismo real, no entanto, os ideais marxistas continuam de pé e muito vivos, basta lermos os programas dos partidos políticos no Brasil e veremos que aquilo que se pretende com o marxismo continua sendo o ideal de toda uma movimentação política. Só que esses adeptos da cultura marxista estão convencidos de que não conseguirão implantá-la aqui se antes não destruírem a cultura, que há no país, toda baseada na espiritualidade, o que é típico do Ocidente como já foi dito. Trocando em miúdos, o marxismo é materialista e para implantá-lo é necessário que as pessoas estejam convencidas do materialismo. Então, eles, aos poucos, vãos desmontando a cultura ocidental, que é espiritual, cristã, filosófica e metafísica, e implantando o materialismo pagão, que é contra a metafísica e que só é a favor daquilo que é experimental, que se pode palpar, aquilo que podemos experimentar no dia-a-dia.

cancaonova.com: Como esta ideologia comunista mais afeta nossa vida de Igreja e influencia nosso pensamento?

Padre Paulo Ricardo: Ela afeta justamente pelo fato de que a teologia da libertação, aqui no Brasil e na América Latina, tem como ideal a implantação de uma sociedade parecida com aquela que os socialistas e comunistas esperavam, ou seja, uma sociedade igualitária, em que as pessoas sejam todas iguais. Por meio dessa teologia, esse tipo de leitura da Bíblia e da realidade bastante socializante e materialista foram entrando aos poucos em nossa maneira de ver o mundo e da visão da Igreja.

cancaonova.com: Como combatê-la e se dar conta de que se trata de uma 'ideologia marxista', mesmo que disfarçada?

Padre Paulo Ricardo: A primeira coisa é compreendermos que, através da ideologia marxista, se tende a ler tudo a partir da sociologia. Então, quando, por exemplo, encontramos uma pessoa que começa ler a Bíblia e em todas as suas passagens tira alguma aplicação social, esse é um indício, um sinal bastante claro de que, talvez, ela esteja seguindo esse tipo de pensamento marxista. Sabemos que a Sagrada Escritura tem uma lição social, mas nós não podemos extrair dela apenas uma mensagem social.

cancaonova.com: Quais os principais meios utilizados pelos militantes do marxismo cultural para difundir suas idéias?

Padre Paulo Ricardo: O primeiro ponto é que eles agem em dois campos muito distintos. O primeiro campo mais importante para eles são as universidades, onde, basicamente, quase todos os professores, de alguma forma, foram influenciados por esse tipo de pensamento materialista e socializante. Já o segundo são os meios de comunicação. Através das novelas e noticiários, eles vão influenciando e montando a mentalidade do povo de uma forma contraria à do Cristianismo e à visão espiritual da realidade.

cancaonova.com: Como padre, na sua história de vida, o senhor percebe que foi alguma vez instrumentalizado pelos pensadores do marxismo cultural?

Padre Paulo Ricardo: Sem dúvida nenhuma. Quando eu era um jovem estudante de Filosofia, eu seguia aquilo que os professores ensinavam em sala de aula, dentro da universidade. E, sem perceber, ia escorregando para esse tipo de leitura sociológica, uma leitura socializante da Bíblia. Mas graças a Deus e pela providência divina, eu fui encontrando livros que, aos poucos, foram me abrindo os olhos e é por isso que, hoje, quero prestar esse serviço para as pessoas, ajudando-as também a encontrar o caminho de saída desse tipo de pensamento que esvazia o Evangelho.

cancaonova.com: Em qual aspecto os católicos devem ficar mais atentos para não serem 'inocentes úteis' nas mãos dos intelectuais do comunismo?

Padre Paulo Ricardo: A primeira coisa que nós temos de notar é que somos a maioria, só que, infelizmente, somos uma maioria inconsciente, ou seja, nós não temos consciência daquilo que deveríamos fazer. Enquanto eles são uma minoria muita bem treinada. Por exemplo: no jornal Folha de São Paulo foi veiculada uma pesquisa afirmando que 47% dos eleitores brasileiros, portanto, a esmagadora maioria de acordo com a pesquisa, são bastante conservadores em termos de moralidade, portanto, os brasileiros são contra o aborto, o casamento homossexual e todo esse tipo de coisa.
Mas os adeptos da cultura marxista procuram passar toda uma programação a favor do aborto e do casamento gay, porque pretendem desmontar a moral cristã para implantar uma mentalidade materialista.

Pois bem, se nós somos a maioria, por que é que eles conseguem nos dominar? Porque eles dominaram os meios de comunicação. Existe, na verdade, uma minoria falante que está dominando uma maioria muda. A primeira coisa que nós devemos fazer é parar de ser mudos e começar a falar, a protestar e a dizer: "Não, eu não estou de acordo com isso! Não é assim!" E se formos chamados de conservadores, não importa.

A primeira coisa que um católico precisa realmente ter consciência – diante do fenômeno do marxismo cultural – é de que nós iremos ser policiados por eles, naquilo que eles chamam de "patrulhamento ideológico", mas não temos de nos importar com isso, porque assim como os primeiros cristãos sofreram perseguições, nós também as sofreremos, mas estas serão de forma ideológica. Devemos lutar para levar a verdade do Evangelho para frente! Não podemos ceder e "barateá-lo" a uma nova agenda cultural que está nos sendo imposta.

cancaonova.com: O que o Papa Bento XVI significa em todo esse contexto?

Padre Paulo Ricardo: O Papa Bento XVI, quando era professor na Alemanha, sofreu bastante com esse tipo de movimentação do marxismo cultural, porque este movimento não está presente apenas na Igreja do Brasil, mas também na Alemanha. E muitos teólogos tentavam adaptar o Evangelho ao marxismo, de modo que foram eles que mais criaram problemas para ele. Quando ele foi eleito cardeal em Roma, logo começou a combater a teologia da libertação marxista, tentando mostrar justamente que se tratava de um desequilíbrio e de uma traição ao Evangelho. Agora que é papa, nós vemos claramente que Deus se manifestou ao escolher este homem para ajudar a Igreja do Brasil e do mundo inteiro a sair desta situação de querer ler o Evangelho através de uma visão sociológica e de uma agenda política que não tem nada a ver com o Cristianismo. Então, podemos dizer que a eleição de Bento XVI é a virada. Ele é, de alguma forma, o homem da providência e nós agradecemos a Deus por ter nos dado esse homem providencial.

cancaonova.com: Teremos uma sociedade ideal, harmônica, igualitária, neste mundo um dia, ou nossa meta de vida perfeita é para a 'pátria celeste'?

Padre Paulo Ricardo: Sem dúvida nenhuma, nós temos de ser realistas. Somos imperfeitos, por isso não somos capazes de gerar, nesse mundo, uma sociedade perfeita. Todos aqueles que quiseram implantar um paraíso, aqui, na terra, a única coisa que conseguiram produzir foi o inferno. Todas as ideologias do século XX, que propunham fazer um paraíso na terra, foram as que causaram mais mortes. Nós não podemos agir assim, temos de tentar melhorar a sociedade sim, lutar para a justiça, mas o próprio Papa Bento XVI nos recorda na encíclica "Deus Caritas Est": "Não é possível implantar o paraíso aqui na terra, o que nós devemos esperar é que tenhamos forças morais aqui na terra, suficientes para lutar contra o mal", mas essa luta irá durar enquanto o mundo for mundo. Somente no final dos tempos é que nós veremos o reino dos céus vir como um dom de Deus e não como a realização de uma obra humana. Entraremos na Jerusalém celeste, sim, mas como diz o livro do Apocalipse: "Ela é a esposa que desce do alto e não aquela que sobe da terra, porque quem sobe da terra, é a prostituta".

Contato: www.padrepauloricardo.org

Nikolas Försberg
August 26th, 2012, 03:28 AM
Abaixo alguns textos retirados do blog http://omarxismocultural.blogspot.com.br/ vale a pena a leitura do blog.

O lamento de Paulina Porizkova

http://4.bp.blogspot.com/-EgfixgF7dfA/UDiJQlfH7EI/AAAAAAAAM_8/4nh_k2CrVMY/s400/Paulina%2BPorizkova%2BYOUNG.jpg

É normal os homens terem ouvido as mulheres declarar o quão felizes ficaram por terem recebido a atenção masculina. Um assobio, um olhar demorado ou um sorriso respeitoso, aparentemente podem fazer toda a diferença no dia duma mulher. Antigamente as mulheres mais jovens reuniam-se e gabavam-se da forma como o ocasional assobio havia mudado o curso do dia, especialmente se elas não estivessem a ter um bom dia.

Actualmente, graças ao movimento feminazi e a sua luta constante em manter uma "guerra de classes" entre homens e mulheres, tudo mudou. Hoje em dia as feministas encontram mais e mais motivos para gerar sentimentos de "ofensa" entre as mulheres, mesmo que as mulheres não se sintam "ofendidas" com aquilo que as feministas declaram ser ofensivo. O assobio está a ser olhado com desdém [pelas feministas, não pelas mulheres], e o sistema legal está a ser adulterado de modo que até a normal conversa gerada numa boleia possa ser motivo de histeria internacional. Aparentemente, ficar ofendida está na ordem do dia.

Mais embaixo poderão ler o que uma antiga super modelo internacional, que usava a sua beleza e sexualidade para ter o que desejava dos homens, declara em torno do facto da beleza já não operar em seu favor.

Não deixa de ser interessante. Por um lado temos as [auto-denominadas] vadias feministas a condenar a "atenção desnecessária" que as mulheres recebem, mas por outro temos mulheres que eram belas a lamentar o facto de não receberem mais essa mesma atenção. Provavelmente isso acontece porque, em média, as feministas são mais feias e horripilantes que as mulheres normais, é portanto, é normal que elas fiquem revoltadas com o facto das mulheres mais jovens receberem a atenção masculina enquanto as feministas são practicamente ignoradas.

http://4.bp.blogspot.com/-UBkP7L-Xwz4/UDiLgPAVZVI/AAAAAAAANAg/jlVM_zEd00w/s400/Exorcista%2BFeminista.jpg

Como dito em cima, o movimento feminazi tem avançado a sua agenda misândrica através do sistema legal, garantindo que muitas mulheres passem a ser virtualmente ignoradas pelos homens. Os homens irão fazer isto não porque as mulheres sejam genuinamente repulsivas [não são] mas sim como medida de protecção, visto bastar uma falsa acusação de "assédio" para destruir a reputação dum homem honrado. Talvez esta seja a forma que as feministas encontraram para garantir a sua promoção no local de trabalho: acusar de "assédio" os homens que podem estar à sua frente na lista de promoções.

Veja-se a forma como a Barbara Ellen escreve, e como ela está a ajudar no clima de histeria em torno da "atenção não requisitada":

No outro dia estava a ler uma pesquisa da YouGov em torno do número de mulheres londrinas que recebeu atenção sexual indesejada em locais públicos (43% daquelas com idades entre os 18-35, no ano passado) e reparei na confusão que alguns homens sentem que pensam que eles apenas estão a ser "amigáveis". Fiquei a pensar se um esquema igual ao cartão de dador de órgãos poderia ajudar.

(Sempre que uma feminazi usar números e estatísticas que "confirmem" alegações feministas, ou que perpetuem o estatuto de vítima à mulher, podemos estar seguros que são dados exagerados e/ou totalmente falsos)

É dito com frequência que o movimento feminazi matou - ou está a tentar matar - tudo o que envolve relacionamentos entre homens e mulheres, e as palavras de cima são uma evidência disso mesmo. Aparentemente a atracção heterossexual é "machista" e "opressora" para as mulheres, embora elas estejam a agir de forma que parece apreciar tal atenção.

Mas olhemos agora para o que a envelhecida super-modelo Paulina Porizkova diz:

Quando nos habituamos a um tipo de tratamento [atenção masculina] é muito difícil ser despromovida, mesmo que o novo tratamento seja melhor que a média. Boohoo! Sim, eu eu sei. A minha vida não presta.

Não sei quando é que a beleza máxima deixa de existir e o tempo da "já-foi-bonita" tem início. É verdade que não é aos 45 anos. Se eu me esforçar muito, ainda recebo alguma atenção, mesmo que essa atenção esteja bastante reduzida [quando comparada ao passado]. Mas quem diria que eu sentiria saudades do tempo em que eu não passaria perto dum local de construção civil sem receber algum tipo de atenção? Hoje em dia, quando alguém assobia, quase de certeza que é um mensageiro de bicicleta pronto a atropelar-me.

Havendo sido confiante na forma como a minha aparência afectava os outros, eu usei-a nessas pessoas para obter algo análogo a dinheiro extra. Sim, na maior parte das vezes, isso funcionava junto da população masculina, mas esse extra que eu poderia obter deles - quando lhes implorava para não me multarem, ou quando lhes pedia que mantivessem a porta aberta só por mais alguns instantes, ou ainda quando lhes pedia que se esforçassem um pouco mais para encontrar um lugar vazio no avião - eu assumia ser um dado adquirido.

Tal como tudo na vida, há o retorno e isso é terrível. A beleza, ao contrário dos outros dons conferidos à nascença, não requer dedicação, paciência e trabalho árduo para recompensar, mas é também o único dom que NÃO fica para sempre. Geralmente floresce numa idade quando nós estamos menos equipadas para lidar com os seus benefícios e recompensas, e em vez disso, assumimos isso como um dado adquirido, e quando começamos a entender o seu valor, ela esfuma-se.

http://4.bp.blogspot.com/-2qVZEywMrss/UDiJjSNw5ZI/AAAAAAAANAI/crcRwxYZXuw/s400/Paulina%2BPorizkova%2BOLD.jpg


O tempo não perdoa, mas mesmo assim a Paulina não se pode queixar. Comparando-a com as mulheres da sua idade, ela está muito acima da média.

Mas esse nem é o ponto do texto. A questão aqui é demonstrar como o movimento feminista está a gerar um ambiente de tal modo opressivo que a beleza feminina será ignorada pelos homens devido ao receio destes de serem acusados de "assédio" ou "violação".

Não é preciso dizer isto, mas existe o assédio e existe o "assédio". Uma coisa é um grupo de homens da construção civil assobiar a uma mulher que passa, e outra é fazer avanços sexuais desrespeitosos e ofensivos. Embora seja obrigatório combater a segunda, o que as feministas querem fazer é criminalizar a primeira.

Como dito em cima, entende-se o ódio que as feministas têm pelas mulheres bonitas, uma vez que elas [as feminazis] costumam ser mais feias que as mulheres normais. No entanto, usar o sistema legal para garantir que NENHUMA mulher recebe qualquer tipo de atenção masculina só porque as feministas são ignoradas pelos homens, é uma atitude ditatorial a roçar o fascismo.

Mas destruir os relacionamentos é mesmo o plano do feminismo uma vez que a cooperação heterossexual é uma das forças estabilizadoras das sociedades funcionais. O feminismo, como umas das armas do marxismo cultural, tem como propósito destruir a unidade social como forma de garantir mais poder ao governo. Essa é uma das razões que faz com que os governos ocidentais sejam os principais financiadores da agenda feminista; quanto maior for a influência deste movimento, maior vai ser o poder do governo junto da sociedade.

http://3.bp.blogspot.com/-BYDbZQmf9pA/UDiJ7Q33BPI/AAAAAAAANAU/QwuBGX59i-Y/s400/Gostosona.PNG

Mas como em tudo o que envolve o esquerdismo, embora isto seja bom para quem tem planos ditatoriais, isto é mau para a sociedade. Primeiro, isto põe uma camisa de forças na atracção masculina. Segundo, isto vai isolar ainda mais a mulher - já de si rodeada de leis e éditos governamentais que a tornam virtualmente intocável. Por fim, isto é mau para os casamentos uma vez que muitos deles tem início precisamente em momentos onde a mulher atrai o homem através da sua beleza.

Porque é que as feministas odeiam a Margaret Thatcher?

http://1.bp.blogspot.com/-_0A-z8jC4nI/TwDuUVKlENI/AAAAAAAAF7Q/jzabefZzNU0/s400/036.jpg

Quando se fala da versão feminista da história (desculpem: herstory), louvor seja dado à Gloria Steinem. Ela fundou uma revista que ninguém lê. Grande aplauso à Billie Jean King, a tenista que provou que uma jovem profissional poderia vencer um homem de 55 anos.

Que tal uma salva de palmas para Indira Gandhi e Hillary Clinton? Elas provaram que se pode chegar ao poder agarradas às abas do papá ou do marido.

Celebremos também a Oprah Winfrey, que provou que se pode contorcer conversa de chacha mística, conversa de "poder" vazia de conteúdo e um perpétuo complexo de vítima até se chegar a um negócio de milhões de dólares.

Mas . . . e a mulher mais importante do século 20, Margaret Thatcher, alvo dum do filme com o nome de "The Iron Lady"? Quando se fala na Margaret Thatcher, as feministas ficam silenciosas. Recatadas até. Elas geralmente deixam que os homens tomem conta da conversa enquanto elas se mudam para o quarto ao lado.

Ou pior, elas atacam-na.

Durante a sua campanha para liderar a Grã-Bretanha, em 1979, um slogan popular emitido pelas feministas dizia:

Nós queremos o direito das mulheres e não mulheres da direita.

Isto demonstra que o feminismo é uma ideologia que trabalha para a esquerda política e não um movimento que tem em vista o bem da mulher em si.

Mas em 1983 as coisas ficaram piores quando os esquerdistas apenas diziam “Ditch the bitch.” Uma colunista afirmou a visão feminista em torno da Dama de Ferro:

Ela pode ser uma mulher mas ela não é uma irmã.

Ou seja, como ela não sacrifica no altar do feminismo, ela não faz parte da irmandade feminista.

No parlamento inglês os oponentes qualificavam-na de “Attila the Hen” (hen = galinha em inglês).

Mas Margaret Thatcher respondeu às feministas bem ao seu estilo:

Não devo nada ao movimento de libertação das mulheres.

As feministas odeiam-me, não é? Não as posso culpar uma vez que odeio o feminismo.

É puro veneno.

. . . . .

Ou seja, uma das mulheres mais bem sucedidas da história da humanidade é rejeitada pelas horríveis feministas pelo simples facto dela ser uma mulher que não alinha com a esquerda política.

Isto suporta a tese de que o feminismo é um produto político elitista da esquerda e não algo que genuinamente nasceu duma necessidade real e fundamental das mulheres.

http://4.bp.blogspot.com/-fHSj0YrMWCI/TwDu1Sb43AI/AAAAAAAAF7c/fMchICAtu70/s400/035.jpg

Nikolas Försberg
August 26th, 2012, 03:35 AM
As mentiras da feminista Lola (http://omarxismocultural.blogspot.pt/2012/05/as-mentiras-da-feminista-lola.html)

http://2.bp.blogspot.com/-HAWwvE6mVbs/T7uOfnHfsMI/AAAAAAAAKHM/1gPebnypjg0/s640/219.jpg

O feminismo é uma ideologia que visa conferir privilégios especiais e poder supremo a um segmento da sociedade em prejuízo do resto da população. No entanto, como há um limite máximo ao poder disponível a cada um dos géneros, as feministas tentam (com sucesso) obter para as mulheres poder que não lhes compete. Por exemplo, hoje em dia as mulheres tem o poder da vida e da morte sobre a existência de bebés inocentes. Este poder não lhes compete.

Havendo atingido tal poder sobre vidas alheias, e tendo em vista adquirir ainda mais poder, as feministas resistem agressivamente as ideologias e movimentos que imponham limites ao que as mulheres podem ou não fazer - mesmo que os princípios dessa ideologia não envolvam afectar os genuínos direitos humanos que as mulheres possuem, mas envolvam sim a defesa dos direitos humanos dos bebés e dos homens.

Um desses movimentos é composto pelos MRAs (Men's Rights Activists) e o mesmo visa acabar com a misandria e a discriminação que o feminismo gerou na sociedade ocidental. Para os MRAs, o objectivo não é "oprimir" ou "subjugar" as mulheres mas sim defender o que é seu das garras das feministas politicamente motivadas.

Como dito em cima, as feministas não aguentam movimentos que lutem por poder que elas queiram para si, e como tal, elas respondem da única forma que sabem a quem o faça: com mentiras e distorções da realidade.

Uma das feministas que resolveu mostrar ao mundo o quão profundamente imersa ela está nas mentiras do movimento ao qual ela entregou a sua alma é a blogueira Lola. No seu post com o título de "O masculinismo como ele é" Lola dedicou-se distorcer os MRAs de modo a que eles fiquem com uma imagem que não corresponde à verdade.

O seu post tem demasiadas mentiras para serem refutas num só post, e como tal, vamo-nos focar naquelas que o editor do blogue acha as mais perigosas.

Eu sempre digo que o masculinismo teria razão de existir se fosse para rediscutir o papel do homem na sociedade e o conceito ultrapassado do que é visto como masculinidade.

Mas um "masculinismo" que visa "rediscutir" o papel do homem na sociedade como forma de alterar o conceito "ultrapassado" de masculinidade seria practicamente indistinguível do feminismo. Porque é que teríamos dois "movimentos" com os mesmos propósitos se um deles já existe? O que a Lola quer é que as mulheres e os homens lutem em favor da sua versão do feminismo mas isso é ridículo - mais ridículo ainda se pensarmos que os MRAs existem PRECISAMENTE devido as mentiras e exageros feministas.

É péssimo (pros homens e pras mulheres) esse conceito arcaico de homem provedor, homem pegador, homem que precisa tomar a iniciativa nos relacionamentos e sair com quantas mulheres puder para não ser chamado de brocha ou v*ado, homem que não pode chorar, homem que aprende a resolver conflitos na base da porrada.

Não existe regra alguma entre os MRAs que defenda que homem só é homem se for "pegador", promíscuo ou violento sob pena de ser chamado de homossexual. Essa é uma caricatura que a Lola criou na sua cabecinha feminista. Os MRAs defendem os direitos do homem. Ponto final. O que as pessoas fazem com os seus corpos é consequência directa delas terem essa liberdade e não consequência delas lutarem pela defesa de direitos do homem.

Entre os MRAs existem homens que defendem o sucesso sexual junto da comunidade feminina como algo de bom, mas há outros que qualificam a promiscuidade sexual como algo de mau para todos (incluindo para o próprio homem). A Lola está errada ao qualificar as escolhas pessoas como algo que emana do seu envolvimento na defesa dos direitos do homem.

Mas colocando o foco no feminismo que a Lola defende, quem parece advogar a promiscuidade sexual como forma de fomentar um certo tipo de movimento, são as feministas, como se pode ver neste post:

"Não aceito que me julguem pelo número de pessoas com quem me relaciona sexualmente".

"uso o meu corpo para conseguir o que quero"

"Não abro mão do meu prazer só para agradar outra pessoa"

etc, etc. O foco deste movimento parece ser o sucesso sexual. Ou seja, para se ser uma boa feminista, tem que ser "pegada" por vários homens. Aquilo que a Lola acusa os MRAs (auto-promoção através da sexualidade) é exactamente o que existe no movimento que ela defende.

Sou totalmente a favor do fim do serviço militar obrigatório, de campanhas que incentivem os homens a fazer exame de toque pra detectar câncer de próstata, da pílula anticoncepcional masculina, do homem ter tanta responsabilidade quanto a mulher para evitar a gravidez e para criar a prole, do combate ao estupro nas cadeias, de homens não serem pintados pela mídia como babacas inúteis incapazes de manejar um aspirador em pó, de homens não sofrerem preconceito se escolherem profissões predominantemente femininas (professor de séries iniciais, enfermeiro, empregado doméstico etc). Mas preste atenção nesta grande revelação: nenhum dos sérios problemas descritos acima foi criado por feministas em particular ou por mulheres em geral.

A Lola aparentemente chegou ao planeta Terra nos últimos 3 meses. Como é que ela pode de forma séria afirmar que 1) a desproporcional investigação médica em torno da doenças femininas, 2) a inexistência da pílula masculina 3) e a caracterização mediática dos homens como
"babacas inúteis" não é consequência directa das acções preconceituosas das feministas?

Quem é que a Lola acha que está por trás desse tipo de manobras? Quem é que fica a ganhar com a redução social da importância dos homens? Quem é que fomenta o ódio à masculinidade e promove a discriminação dos homens? De certeza que não são as mulheres como um todo mas sim um sub-segmento de mulheres ideologicamente afiliadas ao movimento político com o qual a Lola se identifica (feminismo).

São tradições e velhos preconceitos que se perpetuam no sistema e ideologia que nós feministas combatemos: o patriarcado, o machismo.

Não é o patriarcado que fomenta o ódio aos homens. Não é o patriarcado que caracteriza o homem como um "babaca inútil". Não é o patriarcado quem canaliza mais verbas para as doenças femininas do que para as doenças que afligem os homens. Não é o machismo (que é o oposto de feminismo) quem defende o tratamento do homem como cidadão de segunda.

se o masculinismo realmente se opusesse a esses problemas, lutaria contra o patriarcado e o machismo.

Ou seja, o masculinismo só será um movimento com o qual a Lola esteja de acordo se o mesmo lutar em favor das coisas pelas quais a Lola luta. O que isto significa é que o masculinismo só será válido quando deixar de existir. Sim, porque se o masculinismo for defender as mesmas coisas que o feminismo defende (o fim do "patriarcado" e do "machismo"), o mesmo deixa de fazer razão de existir.

Portanto as opções que a feminista Lola coloca aos MRAs são "juntem-se a nós ou deixem de existir!".

Mas não. O que fazem os mascus? Inventam que o patriarcado acabou, e que agora vivemos num matriarcado

Os MRAs não defendem que o patriarcado acabou - a prova disso é que o último nome da Lola foi-lhe dado pelo pai e não pela mãe. O que os MRAs dizem é que a sociedade actual, controlada pela esquerda militante, tem dado apoio ao movimento feminista (como forma de aumentar o poder do governo) e tem gerado leis e atitudes que geram discriminação contra o homem. Será tão difícil de entender, Lola?

Negam que mulheres, gays, negros, sejam grupos historicamente discriminados.

O facto dos negros terem sofrido genuína discriminação (muitas vezes por parte de outros negros) não implica que os homossexuais e as mulheres também tenham "sofrido" aquilo que a Lola qualifica de "discriminação". O que se passa é que a Lola, como feminista, qualifica de "discriminação" aquilo que a sua agenda política considera como discriminação.

Por exemplo, o aborto só recentemente é que começou (infelizmente) a ter aceitação política em muitos países ocidentais. Para a Lola, como no passado a matança de bebés inocentes não era permitida, então a mulher era "discriminada".

Juram que a verdadeira vítima hoje em dia é o homem branco e hétero.

Especialmente se for cristão ou judeu.

E elegem as feministas como suas inimigas número 1.

O esquerdismo é o inimigo público número um. As feministas são apenas "idiotas úteis" que a elite esquerdista usa para atingir os seus fins totalitários. Quando a elite finalmente atingir os seus propósitos, as feministas levarão o proverbial chute no traseiro.

Ou as mulheres (eles consideram que toda mulher é feminista).

Felizmente, nenhum MRA considera toda a mulher como uma feminista. Quem normalmente faz isto são as feministas uma vez que para elas, crítica ao feminazismo equivale a uma crítica as "mulheres" (como se todas as mulheres tivessem planos de dar apoio a um movimento que visa dar "poder" as mulheres através da promiscuidade sexual).

Uma das centenas de diferenças entre feministas e masculinistas é de cunho ideológico. Enquanto feministas somos em grande parte de esquerda e lutamos para transformar o mundo, 99% dos masculinistas são de (extrema) direita.

Aparentemente na mente da Lola "ser de esquerda" e querer "transformar o mundo" possuem o significado de "santo e puro". Stalin também era de esquerda e lutava para "transformar o mundo". Hitler era um nacional-SOCIALISTA (esquerda) e também visava "transformar o mundo". Todos sabemos como isso acabou.

Nem preciso dizer isto, mas os MRAs abominam a extrema-"direita" pelos mesmos motivos que abominam o feminismo: ambos são movimentos fundamentados no ódio e no preconceito tendo como base para o ódio a composição genética das vítimas. Enquanto que a extrema-"direita" odeia negros, judeus e outras etnias PRECISAMENTE por serem dessa minoria étnica, as feministas odeiam os homens PRECISAMENTE por serem homens (XY).

E não querem mudar o mundo -– querem voltar atrás.

A Lola faz parte do grupo de pessoas que realmente pensa que o avanço no tempo melhora as sociedades. Para a Lola, só porque algo é do "passado" automaticamente significa que ela é moralmente inferior. Usando esta lógica tipicamente marxista (do lento progredir para um Éden esquerdista na Terra) somos forçados a concluir que ser um "pegador" é melhor que ser homem casado e fiel à esposa visto que, embora no passado existissem os pegadores, hoje eles são muito mais que no passado. Neste caso, a Lola provavelmente já não pensa assim.

De certa forma, os MRAs querem voltar o tempo atrás. Queremos voltar o tempo para a época em que o feminismo era virtualmente inexistente e as sociedades eram mais funcionais, produzindo maior felicidade para um maior número de pessoas.

Outra diferença é que nós feministas temos orgulho de lutar pelas nossas causas.

Irrelevante. Ter orgulho numa práctica não a torna moralmente correcta. Os esquerdistas que torturavam cristãos e judeus nos gulags também tinham "orgulho de lutar pelas suas causas", mas a sua causa era moralmente condenável.

A maior parte de nós têm nome e rosto.

. . . uns mais bonitos que os outros.

Já os mascus... Como levar a sério um movimento que se esconde por trás de pseudônimos como ArlindãoViril, Puscifer Casey, Enigmático e Realístico, Barão Kageyama e Lobo Sagrado?

Antes de criticar um movimento por este se "esconder" por trás de nomes falsos, a verdadeira questão é: o que acontece a um MRA quando este se revela publicamente? O que acontece aos homens e às mulheres que publicamente criticam o feminazismo?

O site ManWomanMyth.Com revela uma história em torno dum juiz que escreveu um editorial onde revelou que existe preconceito no sistema legal inglês contra os homens.

Pormenor: ELE NÃO SE ATREVEU A ASSINAR O EDITORIAL porque ele estava bem ciente do que as organizações feministas (financiadas pela indústria da violência doméstica) fazem aos homens e às mulheres que publicamente revelam a discriminação resultante da crescente influência social do feminismo.

Dois de seus líderes estão presos por fazerem ameaças e manterem um blog de ódio em que propõem estupro corretivo para lésbicas, sexo com “novinhas” (meninas com até 12 anos), morte a mulheres, gays e negros, e atentado a bomba no centro de ciências humanas da UnB, para assim eliminar vadias e esquerdistas.

A Lola fala dos idiotas que tomaram conta do site www.silviokoerich.com e que usaram essa plataforma para vomitar ódio e preconceito contra os grupos que ELES odiavam (não que os MRAs odeiam). O que a Lola não diz é que esse site foi universalmente (literalmente) condenado pela comunidade MRA lusófona.

Ou seja, os "mascus sanctus" que a Lola usa para colocar os MRAs lusófonos sob luz negativa foram corridos do movimento há muito tempo atrás (assumindo que alguma vez fizeram parte dele). Que pena que a Lola não fez o trabalho de casa antes de escrever a colecção de mentiras que colocou no seu post.

Mas se a Lola genuinamente quer usar a violência como forma de demonstrar a falta de moralidade dum movimento, que tal a Lola olhar mais de perto as pessoas que tem ao seu lado? O que dizer da doente mental Valerie Solanas?

Subsistem ainda fêmeas com mente cívica, responsáveis, em busca de emoções fortes e prontas a subverter o governo, eliminar o sistema monetário . . . . e destruir o sexo masculino.

Ou a Robin Morgan?

Sinto que o ódio aos homens é um acto político nobre e viável, e que os oprimidos possuem o direito de ódio de classes contra a classe que os oprime.

(Reparem na retórica marxista na boca da Solanas e da estúpida da Morgan.)

Voltando ainda para a Andreia Dworkin:

Quero ver um homem espancado até sangrar e com um salto alto enfiado na sua boca, tipo uma maçã enfiada na boca dum porco.

Germaine Greer?

Acho que a testosterona é um veneno raro.

Ou a Catherine MacKinnon?

Toda a actividade sexual, mesmo a consensual entre um casal, é um acto de violência perpetrado contra a mulher.

Ou a Marilyn French?

Todos os homens são violadores e é isso que eles são.

http://3.bp.blogspot.com/-E52UGaIZNwM/T7u5Dyj6g0I/AAAAAAAAKHs/pcb2Hz9MFZM/s400/222.jpg

Uma vez que a Lola defende que os "mascus sactus" são representantes genuínos dos MRAs lusófonos, somos obrigados a usar a sua própria forma de pensar e dizer que as doentes mentais e assassinas citadas em cima são representantes da forma de pensar da Lola. Ou será que a Lola quer afirmar que estas mulheres notáveis, misândricas confessas, não eram feministas?

Eles idolatram um sujeito que se suicidou ateando fogo a si mesmo em frente a uma corte de justiça nos EUA. Isso porque sua mulher tinha se divorciado dele uma década atrás por ele bater nela e na filha, e a corte -- que estranho! -- não queria lhe dar a guarda da menina (ah, ele também não pagava pensão).

A Lola fala dum homem (Thomas Ball) que foi literalmente sangrado até ao desespero pelo sistema judicial feminista através da indústria da pensão alimentícia. Incapaz de lutar contra o governo (aliado do feminismo) Ball cometeu o maior erro da sua existência: o suicídio.

Podem ler a história de mais um homem levado à morte pelo feminismo.

A Lola, como é normal, mente em torno dos motivos do suicídio do infeliz. Ele não se matou "porque sua mulher tinha se divorciado dele uma década atrás" mas sim porque a sua mulher, para além de impedir o seu acesso à criança (que, alegadamente, também era sua - só um teste de paternidade pode confirmar isso), usava e abusava do sistema judicial para levar a cabo o roubo aprovado pelo feminismo.

Ball sabia que não tinha hipóteses de vencer a máquina feminista - e deixou isso bem claro na carta de suicídio que ele escreveu - e como tal resolveu terminar com a sua vida. Perante esta situação, quem é que as feministas acham que sofreu? Ora, a mulher do homem!

Portanto, ele é que perdeu contacto com a prole, elevadas somas de dinheiro e a vida, mas segundo as feministas, a sua mulher é que foi a verdadeira "vítima" da situação. Se isto não revela de forma clara o egoísmo das feministas, então nada o fará.

Portanto, mascus não são um grupo cuti-cuti como a BBC faz parecer. Aqui nossos mascus não têm coragem sequer de se assumirem mascus, porque a vergonha alheia é tremenda.

Não é a vergonha que faz com que os MRAs não revelem os seus dados pessoais, mas sim a atitude fascista da esquerda militante quando os seus interesses são colocados em jogo. Em caso de dúvidas, perguntem o que aconteceu ao Júlio Severo quando ele começou a revelar a agenda homossexualista (esquerdista).

Nos EUA eles são muito mais organizados... e este ano, pela primeira vez, foram chamados por uma ONG pelo que realmente são: um grupo de ódio.

A ONG a que a Lola alude é um grupo esquerdista com o nome de Southern Poverty Law Center. Citar grupos esquerdistas como forma de demonstrar que outros grupos esquerdistas estão certos não é muito eficiente.

Para se ver o quão ridícula esta lista de "blogues de ódio" é, basta citar que um dos blogues que a SPLC acusa de ódio é um site que visa reportar as instâncias onde um HOMEM é falsamente acusado de ter violado uma mulher. Portanto, segundo a mente feminista da Lola, um site que demonstra como muitas mulheres MENTEM quando acusam um homem de as ter "violado" está a fomentar "ódio".

Dá para ter algum tipo de conversa adulta com pessoas assim?

Ao mesmo tempo em que se declaram eleitores de Bolsonaro e Malafaia e lamentam o fim da família, alardeiam que homens deveriam fazer “greve de casamento” (como se alguma mulher em sã consciência quisesse casar com eles)

Mas as duas posições não são mutuamente exclusivas. Eu posso defender que se beba muita água durante o Verão mas que evitem UM CERTO tipo de água. Do mesmo modo, o casamento, como instituição, é fundamental e importante para a estabilidade da sociedade. No entanto, o feminismo destruiu as mulheres de tal forma que casar com uma mulher ocidental é, hoje, um risco muito grande para os homens que tenham uma visão mais tradicional da vida.

A Lola que entenda isto duma vez por todas: Os MRAs não são contra o casamento em si mas sim contra O TIPO DE MULHERES que *actualmente* se "disponibilizam" para um "casamento".

Recém casada: "Amo o meu marido mas estou com vontade de dormir com um roqueiro"

Em suma, o masculinismo atrai os homens que sentem-se merecedores do que lhes foi prometido por nascerem homens, merecedores de um mundo que felizmente está começando a ser contestado.

Não. O movimento dos MRAs (que, para desespero da Lola, inclui muitas mulheres), atrai pessoas que estão fartas do esquerdismo e fartas de serem tratadas como pessoas de segunda classe apenas e só por não se alinharem com o feminismo.

E é por isso que eu faço questão de divulgar o masculinismo como ele é.

Só que, como se viu, ela não divulgou o masculinismo como ele é; ela DISTORCEU a verdade e apresentou a versão feminista do que o masculinismo é. Mas a Lola faz isto por motivos mais ou menos óbvios: se ela identificar e caracterizar os MRAs por aquilo que eles são, ela será forçada a justificar a existência desse movimento (lutar a misandria). Mas ela não quer falar nisso. Pelo menos não agora.

Para que os incautos não sejam enganados por reportagens cor de rosa como a que foi publicada pela grande mídia esta semana. E grande mídia, por favor, saiba quem você está divulgando positivamente: anônimos covardes cheios de ódio.

Uma vez que a a Lola atribui para si o direito de insultar pessoas que exercem o seu direito de não revelar informação pessoal por motivos de segurança, deixa-me retribuir o favor e qualificá-la de mentirosa, ignorante e estúpida por não saber - e nem querer saber - os rudimentos básicos dum movimento que é o resultado directo das acções odiosas das feministas.

Mas de certa forma, textos como o da Lola revelam que a verdade está a vir ao de cima e a onda anti-feminista está a crescer.

Conclusão:

http://1.bp.blogspot.com/-F_eC6E8zF74/T7u5qeAesHI/AAAAAAAAKH4/2Eju0gu2Sp4/s400/187.jpg

A Lola é o exemplo perfeito da necessidade de se controlar a retórica feminista. Ela não tinha a necessidade de dizer falsidades em torno dos MRAs, mas fê-lo apenas e só porque não consegue lidar com a verdade. Ela não aceita que haja homens que tenham sido vítimas do discurso de ódio proveniente das suas irmãs ideológicas, e como tal, não aceita que esse alegadamente não-existente discurso possa causar uma revolta social contra o feminismo.

Para as feministas como a Lola, o feminismo é a ideologia mais perfeita que já existiu à face da Terra, portanto qualquer resistência a ela é sinal de inferioridade moral por parte de quem a resiste. Mas ela não tem argumentos, e como tal, termina o seu post apelando AOS OUTROS que não disponibilizem espaço de antena a quem ela acha que é motivado pelo "ódio".

A boa notícia para os MRAs é que a guerra cultural contra o feminismo já passou a fase do "não liguem ao que eles dizem". Como se vê na imagem no topo do post, primeiro eles ignoram-te, depois ridicularizam-te, depois lutam contra ti, mas no fim tu vences.

E porque é que tu vences? Porque, no final dos tempos, o Bem vencerá o Mal.

Nikolas Försberg
August 26th, 2012, 03:54 AM
Mulheres enojadas com as marchas das vadias (http://omarxismocultural.blogspot.pt/2012/06/mulheres-enojadas-com-as-marchas-das.html)

Desde o início que as marchas das vadias se revelaram um circo sem qualquer tipo de sentido tendo em conta a forma como as mesmas surgiram. Para além dos normais ataques a todos os homens (como se todos os homens fossem violadores), ao Cristianismo e especialmente à Igreja Católica, as marchas falharam em mostrar como as mesmas de alguma forma foram eficientes no combate às violações. Lembrem-se que era esse o propósito: ensinar os homens (todos os homens) a não violar mulheres.

Mas há uma distância enorme entre o que elas falam (propaganda) e a forma como as feministas agem. Devido à forma ridícula e claramente misândrica como elas se comportam, algumas mulheres ainda não totalmente imersas nas mentiras feministas resolveram verbalizar o seu desgosto pelas marchas.

http://4.bp.blogspot.com/-VEidqFWNWPk/T8lKOKx00bI/AAAAAAAAKuw/Z2YDHnFDWYs/s640/C_02.jpg

http://3.bp.blogspot.com/-R2nFReYTHQU/T8lKOA3Df2I/AAAAAAAAKuk/7DkvXpSpKTk/s640/C_03.jpg

http://4.bp.blogspot.com/-npRGpO-gnVU/T8lKNtAKpCI/AAAAAAAAKuY/qQ4JYtO1vl8/s640/C_04.jpg

http://1.bp.blogspot.com/-b-yYft1Lfu0/T8lKNhXLEhI/AAAAAAAAKuM/1nOMJa7fUuo/s640/C_05.jpg

http://3.bp.blogspot.com/-mnG6crhJCrU/T8lKORmOWCI/AAAAAAAAKu8/UeYRrbZFjDQ/s640/C_01.jpg

Mas afinal, o que é que causou a que estas (e outras) mulheres se revoltassem contra o espírito das "marchas da vadias"? Não foram estas marchas especialmente feitas para o bem das mulheres? As fotos seguintes talvez sirvam de evidência.

Antes de continuar, tenho que pedir desculpas aos leitores que correctamente não usam e nem aprovam o tipo de linguagem vulgar presente nas marchas das vadias. No entanto, o impacto total das marchas das vadias depende em muito daquilo que elas dizem de si mesmas. O nojo que nós sentimos de algumas expressões e atitudes aqui presentes têm que ser dirigidas às feministas que usam estas marchas como formas de intimidação e marketing.

Começamos com uma foto que demonstra o quão baixo um homem [mangina] pode descer no seu propósito de promover o esquerdismo a todo o custo.

http://2.bp.blogspot.com/-qhd6zpr4L3k/T8f86_w9yyI/AAAAAAAAKss/o5JORqy5jaI/s1600/022_Mangina.jpg

Os ignorantes da foto de cima não sabem (ou não querem saber) do ódio que o movimento feminista tem pelos homens. Eis o que a doente mental Valerie Solanas diz:

Subsistem ainda fêmeas com mente cívica, responsáveis, em busca de emoções fortes e prontas a subverter o governo, eliminar o sistema monetário . . . . e destruir o sexo masculino.

Robin Morgan acrescenta:

Sinto que o ódio aos homens é um acto político nobre e viável, e que os oprimidos possuem o direito de ódio de classes contra a classe que os oprime.

Andreia Dworkin diz:

Quero ver um homem espancado até sangrar e com um salto alto enfiado na sua boca, tipo uma maçã enfiada na boca dum porco.

Germaine Greer:

Acho que a testosterona é um veneno raro.

Catherine MacKinnon:

Toda a actividade sexual, mesmo a consensual entre um casal, é um acto de violência perpetrado contra a mulher.

Marilyn French:

Todos os homens são violadores e é isso que eles são.

Tendo isto em conta, de que forma é que o feminismo"liberta" os homens?

Continuamos com mais uma demonstração do "respeito" que a esquerda militante tem pelo Cristianismo. Espero ansiosamente que as feministas "Cristãs" condenem este gesto cristofóbico ao mesmo tempo que espero que as feministas levem a cabo iniciativas semelhantes em mesquitas.

http://1.bp.blogspot.com/-TBIFdP38_V8/T8f86rfRrMI/AAAAAAAAKsg/eCGfrO4IuRk/s1600/046_Igreja.jpg

Como não poderia deixar de ser, as feministas fazem apelos à violência contra o "machismo" (seja lá qual for a definição semanal de "machismo"):

http://4.bp.blogspot.com/-c_hvCmKnWIk/T8f85wynYzI/AAAAAAAAKsY/tvcX9zyVOwo/s1600/045_Violencia.jpg

Obviamente que se os papéis estivessem invertidos, e um grupo de homens apelasse à violência conta o feminismo, esses mesmos homens seriam publicamente condenados pelos seus actos. Agora, as "oprimidas" feministas não tem problemas nenhuns em fazer isso.

Antes que alguém diga que o ataque é a machismo e não aos homens, basta lembrar que o machismo não pode ser combatido com pedras.
Em baixo, mais um "homem" que foi "liberto" pelo feminismo.

http://2.bp.blogspot.com/-5DXcirW-fhA/T8f85pgiciI/AAAAAAAAKsM/ci5CFUNiehw/s1600/044_Mangina.jpg

A foto seguinte é mais um ataque ao Cristianismo.

http://1.bp.blogspot.com/-xgr9bS7lnjo/T8f87NGrTCI/AAAAAAAAKs8/atOOi1IJgtc/s640/030.jpg

http://3.bp.blogspot.com/-y_Bh1hQd3pU/T8f8viezE4I/AAAAAAAAKr0/ty1e3cBu_E8/s1600/042_Aborto.jpg

A foto de cima é referência à estupidez aborcionista que declara que o bebé que se encontra no útero feminino faz parte do corpo da mulher. Se o bebé realmente fizesse parte do corpo da mulher, o sistema imunitário da mãe nunca consideraria o bebé como alguém distinto de si. Como é isso que acontece, então o corpo da mulher é distinto do corpo do bebé.

http://3.bp.blogspot.com/-LdZXY20kRUE/T8f8vdqwuAI/AAAAAAAAKro/p7BZcUyjRhg/s640/041.jpg

Não é degradante ser mulher (excepto se for feminista) e nem é degradante ser homem. O que é degradante é um homem tentar ser o que nunca vai ser, e uma mulher tentar ser o que nunca vai ser (um homem).

http://1.bp.blogspot.com/-soFyF99vPuI/T8f8vIjv30I/AAAAAAAAKrc/dY4z5tdJDjs/s1600/040.jpg

Palavras para quê?

http://2.bp.blogspot.com/-SIQszVe-Vdo/T8f8u3YdCNI/AAAAAAAAKrQ/aEHHsoARmiA/s1600/039_Cri.jpg

http://3.bp.blogspot.com/-gmwX8oZfd4I/T8f8wBPFdCI/AAAAAAAAKsE/lEn1gZyA43w/s640/043_Cri.jpg

O uso de crianças numa marcha onde estão presentes mulheres em trajes menores é algo condenável. No entanto, como isso foi levado a cabo por membros da esquerda militante, está tudo "bem".

http://1.bp.blogspot.com/-OX92s6vhmlU/T8f8UKzXh0I/AAAAAAAAKqs/DIVo7YZ5Nx0/s1600/038_Proj.jpg

Tal como defende o lobby gay, que diz que oposição à agenda homossexual é evidência de homossexualismo enrustido, aparentemente algumas feministas pensam que todos nós temos algo de feminista dentro de nós.

http://1.bp.blogspot.com/-Xy2xJIP5ER4/T8f8AAvHcWI/AAAAAAAAKpw/DA4XxRaQskA/s640/033.jpg

Quão apropriado que algumas feministas façam o símbolo de adoradoras de Satanás. Ela provavelmente nem sabe o que símbolo significa.

"Liberdade para as banhas" é uma frase interessante? "Liberdade" para o quê mesmo? Para ser gorda? Ela já tem essa liberdade. Existe alguma lei contra as gordas? Se elas se queixam do estereótipo da mulher esquelética, que é publicitado pelos média como um "ideal de beleza", as feministas que se zanguem com os seus amigos esquerdistas homossexuais uma vez que são eles que controlam o mundo da moda e são eles que criam a ilusão de que os homens gostam de mulheres com aparência de rapazinhos esfomeados, quando isso é falso.

http://3.bp.blogspot.com/-nQ1YmUQDbj4/T8f8AsaPEBI/AAAAAAAAKp8/KVDqJRau3IQ/s400/034.jpg

Levando em conta que o feminismo promove o aborto, e como todos os abortos matam um ser humano, é seguro dizer que o feminismo tem as mãos cobertas de sangue inocente. Quem escreveu este cartaz ou é burra ou acha que os bebés não são humanos enquanto não saem do útero.

http://3.bp.blogspot.com/-TdOuRlz2IYg/T8f7_jbrH-I/AAAAAAAAKpk/BAQVrX6rFpI/s640/032.jpg

Ou seja, usa a sala de aula para indoutrinar os alunos.

http://2.bp.blogspot.com/-A-DD6gysx60/T8f8BJfglyI/AAAAAAAAKqI/-Bn9zU583tQ/s640/035.jpg

O governo não é dono do útero EXCEPTO se o governo pagar o aborto. Ai, sim, o governo já se pode intrometer no útero das feministas.

Repetindo o que foi dito em cima, o útero da mulher é dela mas o bebé que se encontra no útero é outro ser humano distinto.

http://3.bp.blogspot.com/-TSwSp1xY-mo/T8f7ti2DonI/AAAAAAAAKoo/rSskoPs4f_E/s1600/029.jpg

Sim, a feminista pode escolher manter os joelhos unidos como forma de evitar a gravidez. Mas, como se sabe, afirmar que as pessoas devem modificar o seu comportamento como forma de evitar um certo tipo de consequências é algo anátema para as feministas. Para elas, não é a mulher que deve evitar ter relações sexuais como forma de evitar a gravidez, mas o resto da mundo é quem tem que pagar para que ela não se veja forçada a assumir a responsabilidade do seu comportamento.

Isso também é feminismo.

http://2.bp.blogspot.com/-G7jZgt5Bp5I/T8f7tZIXklI/AAAAAAAAKoc/biP477pFdhw/s640/028.jpg

Demasiado nojento para comentar.

http://4.bp.blogspot.com/-eZ_TKVHOXcQ/T8f7c-cPw2I/AAAAAAAAKns/wB7v6Q2ajGI/s640/025.jpg

Só que ser feminista não é um "favor a si mesma" mas sim um favor à elite globalista que usa a psicologia feminina para destruir a família. Quanto mais feminista for uma sociedade, mais infeliz vai ser a mulher.

http://1.bp.blogspot.com/-HvATPFegkVg/T8f7cv_Jm2I/AAAAAAAAKng/HjPs3I-jQjo/s640/024.jpg

Sem surpresa alguma, a militância feminista e o lesbianismo andam (literalmente) de mãos dadas. Isto não deveria ser surpresa algum se levarmos em conta que para muitas feministas o acto íntimo entre um homem e uma mulher é uma forma de "opressão" para a mulher.

http://2.bp.blogspot.com/-M85xoPRoOLo/T8f7R7wJ6OI/AAAAAAAAKnI/D1Tymh2d8Zg/s1600/019.jpg

Exacto. O corpo da mulher só pode ser tratado como um objecto nas marchas das vadias.

http://1.bp.blogspot.com/-WVOGfRE8Btk/T8f7Q2j8hrI/AAAAAAAAKmk/tgYVqzq65o8/s640/023.jpg

Por acaso, define. Uma mulher que anda com o sutiã e os seios à mostra no meio da rua revela problemas de carácter.

http://1.bp.blogspot.com/-1RDAN_H2-hY/T8f7ST7-6cI/AAAAAAAAKnU/sny5-bk8ZXg/s640/018.jpg

Então o mangina tem que falar com as organizadoras das marchas das vadias e dizer que elas não têm nada que andar com roupas reveladoras uma vez que isso é "tratar as mulheres como um objecto".

http://2.bp.blogspot.com/-BJv8mZ6MfIk/T8f7F60hyOI/AAAAAAAAKmA/JCiuslB5J0E/s640/015.jpg

Não se entende bem como é que andar com os seios à mostra vai reduzir os abusos sexuais das mulheres.

http://1.bp.blogspot.com/-zsdTIFyTAE8/T8f7FqDxzmI/AAAAAAAAKlw/zvOzXjsKwlw/s640/016.jpg

Não só é feio como é clinicamente auto-destrutivo e perigoso para a mulher. Além disso, como se pode ver no vídeo, é muito vergonhoso.

http://2.bp.blogspot.com/-8GDFAiki_oU/T8f7FWZvnvI/AAAAAAAAKlo/opqO8v5Uv80/s640/017_Mangina.jpg

Isto é o mesmo que dizer "sou judeu e sou nazista".

http://2.bp.blogspot.com/-OtS7aZJCLqk/T8f6xPMEJWI/AAAAAAAAKlQ/OZkDReLYQ5c/s640/010.jpg

Mas.....a marcha não se chama "marcha das VADIAS" ?

http://4.bp.blogspot.com/-mySNcmCVdP8/T8f6wgrkaKI/AAAAAAAAKlE/0Rmp5aCnDWk/s640/009_Burras.jpg

Como disse o Edu Testosterona, "chamem-me quando fizeram uma marcha pela alfabetização".

http://1.bp.blogspot.com/-MbXhanUqOGI/T8f6wbXeInI/AAAAAAAAKk4/4MOn4X3H_vk/s640/008.jpg

Hipócritas são aqueles que fazem uma marcha como o nome de "marcha das vadias" mas depois não querem ser chamadas de vadias.

http://1.bp.blogspot.com/-IfscYoo1RWU/T8f6xY7u1oI/AAAAAAAAKlc/PTfcSX6wyIM/s640/011_Proj.jpg

Frase curiosa, se levarmos em conta que mais em cima se via um cartaz que dizia "nem santa nem vadia; mulher".

Coerência não parece ser algo que as feministas gostem de seguir.

http://2.bp.blogspot.com/-kLnaB66i_F8/T8f6XOlI4tI/AAAAAAAAKkU/rOIP3odPmHk/s640/004_Mangina.jpg

Depende sempre da "história" que se quer fazer. Além disso, será que este cartaz está a apelar às mulheres que sejam "mal comportadas" como forma de "fazerem história"? Que tipo de mensagem isto passa às meninas?

http://1.bp.blogspot.com/-OqK99kJ2kD4/T8f6Wo_xFpI/AAAAAAAAKkM/y2bEsvMXtxQ/s640/003_Prom.jpg

Com um aspecto e atitude destas, não é de estranhar que esteja sozinha.

http://4.bp.blogspot.com/-SUa69nzIPEg/T8f6WFxCDoI/AAAAAAAAKj8/Qtvp5BVwuGA/s640/002_Mangina.jpg

Ficamos a saber que a feminista de amarelo usa os joelhos como suporte para outro tipo de "actividades", e a feminista ao seu lado pensa que o aborto é um privilégio das ricas.

Primeiro, não se sabe como é que a feminista de amarelo pensa combater o abuso sexual declarando ao mundo o que faz quando está de joelhos. Será que, quando souberem o que ela faz quando está de joelhos, os violadores pensarão duas vezes em lhe violar ?

Segundo, mesmo que "as ricas" tenham mais posses para matar o próprio filho, isso não torna essa práctica moralmente correcta. Em séculos passados só pessoas com algumas posses é que possuíam escravos. Isto não muda a natureza do acto em si?

É irrelevante se as ricas abortam mas as pobres não. O que interessa é que o aborto é a matança dum ser humano inocente, quer seja feito por uma rica ou por uma pobre.

http://4.bp.blogspot.com/-mxBrytuawXA/T8f6V7nfcwI/AAAAAAAAKjw/x9sPknPbw60/s640/001_Prom.jpg

E....? Como é que esta cetácea feminista combate o "machismo" e os abusos sexuais declarando ao mundo a satisfação que obtêm na sua vida sexual?

http://3.bp.blogspot.com/-YjI3FqTc1uY/T8f6XgQvahI/AAAAAAAAKkg/gvUzbVB_uDs/s1600/005_mangina.jpg

Eis aqui algumas imagens dos "privilégios" dos homens:

http://2.bp.blogspot.com/-w9KNzmnb_BM/T81MgbG90nI/AAAAAAAAK1E/uZv8Wlvyf98/s400/230_2.jpg

http://3.bp.blogspot.com/-hrM_dEnOJKg/T81MgEqbe3I/AAAAAAAAK00/tLNMKnG7XYs/s400/230_3.jpg

http://4.bp.blogspot.com/-NeWOevH4ekY/T81Mf0RZGnI/AAAAAAAAK0o/Tiw8QMQQIaw/s400/230_4.jpg

http://2.bp.blogspot.com/-PTCByaYPoJQ/T81MfYQZOxI/AAAAAAAAK0c/hWAHarJUd5E/s400/230_5.jpg

http://2.bp.blogspot.com/-FynmmbQjxOM/T81MiehFS9I/AAAAAAAAK1M/Llezw6DwkTY/s400/230_1.jpg

Claro que o mangina não sabe disto. O professor da universidade não lhe disse, e como tal ele não sabe. Tudo o que ele sabe é que homem = demónio e mulher = anjo.
Conclusão:

Como esperado, a marcha das vadias foi mais um momento de intimidação e não algo que de forma genuína visasse acabar com os abusos sexuais contra as mulheres. Estas marchas seriam mais correctamente entendidas se elas tivessem um título que melhor as qualificasse:

Marcha da intimidação

Marcha da irresponsabilidade

Marcha das infantis

Marcha das mulheres que não querem aceitar que actos geram consequências.

etc, etc.

Tal como se mostrou no início, estas marchas estão a ficar tão estúpidas e tão ridículas que até outras mulheres estão a ficar fartas delas. Será que isto pode ser o princípio do fim? Esperemos bem que sim.

Nikolas Försberg
August 26th, 2012, 03:56 AM
O Enxame Feminista OU A Não Existente Distinção Entre "Moderada" e "Radical"

Uma das linhas de argumentação usadas pelas feministas é:

As feministas não são todas iguais.

Paralelamente, ouviremos coisas como

"o feminismo não é monolítico",

"nem todas as feministas são iguais",

"nós não somos todas radicais",

"não queremos a supremacia feminina",

etc, etc...

No entanto, o que nunca ouviremos é estas feministas repudiarem EXPLICITAMENTE a retórica agressiva e carregada de ódio das feministas radicais que abertamente promovem o "fim do homem" e a supremacia feminina.

Tal como Adam Kostakis diz:

As feministas sinceras nem sempre tencionaram levar a cabo os propósitos enumerados pelas feministas radicais. Mas como elas fazem parte do colectivo feminista, elas irão agir como membros do colectivo.

Mesmo que elas não participem na perseguição activa dos homens. elas serão proibidas - como regra tácita - de exibir qualquer tipo de simpatia pelos homens - independentemente do sofrimento destes.

Aquelas que violarem esta lei não-falada, serão prontamente expulsas e catalogadas como anti-feministas e sujeitas ataques malignos do grupo.

Nenhuma feminista tentará impedir o processo de eliminação do homem, nem sentirá ela qualquer tipo de arrependimento mal isso esteja completo se ela se mantiver como feminista.

Se observarmos com atenção, elas nunca dirão que o seu feminismo sincero é o verdadeiro feminismo, enquanto que o mais radical não é o "verdadeiro" feminismo. As feministas não-radicais raramente - se alguma vez - condenam o ódio que as radicais propagam. Em vez disso, elas evitam cuidadosamente o assunto, mostram algumas "diferenças" e mudam logo de assunto.

Pessoalmente falando, isso já aconteceu comigo quando falava com uma das editoras do blogue "Feministas 100 Fronteiras". Ela teve o cuidado de se distanciar das feministas radicais mas nunca as qualificou de "não serem feministas".
A fraude nas definições.

"Lê a definição no dicionário" grita a igualitária feminista, "o feminismo centra-se na igualdade. Se alguém diz algo diferente ou odeia os homens, então, por definição, esse alguém não é uma feminista."

É mesmo?

Então porque é que estas feministas não-radicais não dizem, por exemplo, "A Andrea Dworkin afirmou que todos os homens são essencialmente violadores e isto não está de acordo com o feminismo, e desde logo Dworkin não era uma feminista" ?

Claramente, a querida Dworkin está em busca da igualdade; porque é que ela ainda é qualificada de feminista pelas feministas "moderadas"?

E que dizer da doente mental Valerie Solanas?

Subsistem ainda fêmeas com mente cívica, responsáveis, em busca de emoções fortes e prontas a subverter o governo, eliminar o sistema monetário . . . . e destruir o sexo masculino.

Ou a Robin Morgan?

Sinto que o ódio aos homens é um acto político nobre e viável, e que os oprimidos possuem o direito de ódio de classes contra a classe que os oprime.

(Reparem na retórica marxista na boca da Solanas e da estúpida da Morgan.)

Voltando ainda para a Andreia Dworkin:

Quero ver um homem espancado até sangrar e com um salto alto enfiado na sua boca, tipo uma maçã enfiada na boca dum porco.

Germaine Greer?

Acho que a testosterona é um veneno raro.

Ou a Catherine MacKinnon?

Toda a actividade sexual, mesmo a consensual entre um casal, é um acto de violência perpetrado contra a mulher.

Ou a Marilyn French?

Todos os homens são violadores e é isso que eles são.

Alguma vez ouvimos qualquer feminista afirmar que estas feministas notáveis, misândricas confessas, não eram feministas?

Porque é que achas que isso nunca aconteceu?

Eu digo-te porquê: é porque elas possuem uma irmandade próxima com estas outras feministas.

. . . .

Uma feminista pode não concordar com este tipo de misandria e pode mesmo discordar com sinceridade em alguns pontos, mas ela não irá qualificar as pessoas que promovem este ódio como alguém fora da irmandade uma vez que ela olha para elas como aliadas e ícones a seguir.

É muito difícil rejeitar uma heroína, alguém cujos livros ela pode ter lido quando era uma jovem feminista; alguém que ela cresceu a admirar.

Elas são iguais umas às outras, lutando pelos mesmos objectivos, vivendo na

Nikolas Försberg
August 26th, 2012, 04:01 AM
Mulher de 45 anos apercebe-se como o feminismo lhe destruiu a vida

Quando estava à beira de fazer 45 anos, cometi o erro de olhar para o espelho. Não era o espelho da casa de banho; era uma foto minha do tempo em que estava a acabar a universidade. Olhei para aquilo que eu era há 20 anos atrás e comecei a ter uma clara e surpreendente epifania.

Vêr como eu era há 20 anos não foi um momento feliz; foi um momento terrivelmente triste. Foi um momento tão triste que involuntariamente comecei a chorar, algo que já não fazia desde os dias negros do meu divórcio.

Olhei para a foto e cheguei à conclusão que havia desordenado a minha vida por completo. Senti a miséria que é a minha vida em ondas de tristeza, arrependimento, raiva e solidão. Durante quase uma hora, e à medida que olhava para mim mais jovem, chorei.

Tinha 24 anos e tinha um MBA duma excelente instituição. Estava ansiosa por conquistar o mundo. Era bem mais magra. As minhas roupas eram elegantes, quase sexy. Claro que o estilo do cabelo era horrível, mas estávamos nos anos 80, e como tal, tais escolhas têm que ser desculpadas.

Eu vi luminosidade no meu olhar; o brilho da vida, das grandes oportunidades que se abriam à minha frente. O mundo estava à minha disposição e eu estava pronta.

Mas, sem saber bem como, as coisas nunca chegaram a bom termo. A minha vida evoluiu para algo doloroso e complicado. Mas, até ao momento em que olhei para a minha foto de há duas décadas atrás, eu sempre culpei os outros. Eu nunca era responsável pelas más decisões que eu tomava. Normalmente os culpados eram sempre os homens - o meu pai, os meus namorados, o meu marido, o meu patrão ou os meus filhos. Nunca era o resultado de algo que eu tivesse feito.

Quando eu me lamentava junta às minhas amigas, todas elas me suportavam. Elas chegaram até a dar o seu apoio quando eu tive um amante afirmando que o meu marido não me dava a atenção que eu precisava.

Eu lia as revistas femininas e todos os artigos falavam do quão fortes, inteligentes, moralmente justas as mulheres eram - incapazes de tomar más decisões. Pior, eu acreditava que as minhas necessidades - independentemente da sua frivolidade, do número de vezes que eu mudava de opinião, do quão tristes os homens da minha vida ficavam - eram mais importantes que qualquer coisa (maternidade, avanço profissional, casamento feliz, etc).

Odeio o mundo por me ter ensinado estas lições. Lembro-me de me queixar que o meu marido nunca havia crescido, mas à medida que as lágrimas jorravam dos meus olhos, cheguei à conclusão que era eu que nunca havia crescido. Eu nunca tinha aprendido sobre compromisso, confiança, tolerância, amabilidade. Eu simplesmente era complicada.

Agora sei que ser complicada não tem nada a ver com o ser forte e independente. Ser complicada centra-se em ser repelente, desagradável, infeliz e sozinha. Ser uma mulher complicada nada mais é que ser uma princesa mimada que é demasiado egoísta e estúpida para aceitar as alegrias da vida.

Eu havia-me tornado numa princesa gorda, desagradável e de meia-idade apenas e só porque tinha-me recusado a crescer. É verdade que eu havia tomado sobre mim responsabilidades adultas (casamento, carreira profissional, casa, ser mãe) mas dentro de mim vivia uma rapariga de 13 anos que batia o pé e queixava-se sempre que as coisas não eram feitas tal como ela queria.

Obviamente que eu havia deixado de me queixar de forma infantil há anos atrás. Mas no lugar das queixinhas eu apenas havia colocado a manipulação emocional e personalidade complicada. Sem surpresa alguma, os meus dois filhos adolescentes passavam a maior parte do seu tempo livre com o pai do que comigo.
Enganada até à matança do filho.
Durante o tempo em que eu crescia como uma feminista diletante, engoli as declarações oficiais de que as mulheres podem ter tudo. Eu não só queria ter tudo e sentir validação completa em relação às minhas escolhas de vida, como não queria ter compromissos nem fazer sacrifícios.

O maior erro dos anos finais da minha adolescência foi deixar outras mulheres - pessoas que eu pensava serem fortes, independentes e inteligentes - determinar qual o estilo de vida que eu deveria seguir. Eu simplesmente era demasiado mimada e preguiçosa para olhar para dentro de mim, abraçando a introspecção necessária para se encontrar o caminho na vida, e escolher o caminho que haveria de me conduzir à realização e à felicidade.

Lembro-me muito bem do tempo da universidade. Foi uma época muito divertida e, pensei eu na altura, uma época muito iluminante. As festas eram boas, os debates políticos intensos, a lista de namorados e de encontros sexuais agradável.

Eu estudava muito e jogava duro. Frequentei os encontros feministas da universidade e ouvi as declarações presunçosas das oradoras em torno dos males da masculinidade. Aprendi a gozar com os homens quando não precisava deles por motivos egoístas - parceiros de estudo, ombros nos quais chorar, parceiros sexuais.

No entanto, nunca hesitei em piscar os meus olhos ou levantar a minha saia sobre as - então - magras coxas quando precisava algo dos homens. Era útil ter os homens por perto, mas, como as minhas amigas me diziam, não era vital.

Aprendi que o único lugar digno para as mulheres era a sala de reuniões e que a maternidade era algo abaixo da minha inteligência. "Apoderei-me" da noite em encontros depois da meia-noite com centenas de mulheres jovens como forma de provar ao mundo que todos os homens são violadores e criminosos em potência.

Quando engravidei, foi fácil fazer um aborto. O centro de saúde da universidade estava quase que desejoso em certificar-se que o procedimento [matar o bebé] era feito rapidamente e discretamente.

Nada disse aos meus pais nem ao homem que me havia engravidado. Nem sequer me lembro do seu nome. Só me lembro vagamente duma noite "selvagem" durante uma festa fora da universidade.

Só hoje considero a ironia de me sentir atraída pelos atletas da universidade - o tipo de homem que gosta de estar no comando.
Pós-graduação e adultério com o professor.
Seguir em frente com a minha carreira de MBA mal terminei os estudos foi uma consequência lógica. A pós-graduação foi dura. Competia com pessoas muito inteligentes - na maioria homens. Estes homens estavam destinados ao sucesso e eles sabiam-no. Mas eu tinha algo que eu na altura explorei. Eu tinha a minha feminidade e sempre que foi preciso, usei-a de um modo impiedoso.

Tentei convencer-me a mim própria que o meu romance com o professor de Finanças (casado) nada tinha a ver com as notas. Obviamente, a disciplina de Finanças era a mais difícil do curso. Quando eu consegui ter um B no final do semestre, foi difícil racionalizar que o caso amoroso secreto entre mim e o professor nada tinha a ver com isso.

Mas o fim justifica os meios e como tal, não havia forma alguma de eu não ser bem sucedida. As outras mulheres da minha turma fariam o mesmo se pudessem evitar as consequências. Nós nunca falávamos sobre isso, mas todas nós sabíamos (e ríamos dessa situação) que nós tínhamos algo que os homens nunca poderiam ter.
Casamento e filhos.
Conheci o meu marido no último ano da pós-graduação quando ele buscava qualificações em Sociologia. Ele tinha cabelo longo e uma mota. No princípio a química entre mim e ele foi muito intensa.

Ele era o boémio clássico e como tal, de modo a torná-lo num homem melhor (ou pelo menos a minha definição de "homem melhor"), senti a necessidade de lhe pôr umas rédeas. Ele era por vezes irresponsável mas eu amava-o de alma e coração.

Depois da graduação encontrei um emprego numa grande empresa. Todos os dias ia para o trabalho com a minha mala do poder e almofadas no meu casaco. O meu casamento foi algo tirado de revistas do tipo "Modern Bride". O meu marido finalmente aceitou cortar o cabelo depois de muita insistência minha. Mais tarde, ele chamou a minha insistência de importunação. Mas nada disso importava uma vez que eu tinha conseguido o que queria.

Ele começou a trabalhar numa organização de pesquisa de consumo. Ele não ganhava tanto como eu, mas nada disso importava. O meu salário era enorme e continuava em crescimento.

Compramos uma que encontrei nos subúrbios. Ele tinha recomendado uma casa mais modesta e mais perto do centro da cidade onde ambos trabalhávamos , mas eu nem queria ouvir falar nisso.

O meu sucesso tinha que ser visível através duma casa enorme e tradicional - bem como um quintal enorme. Apesar da sua resistência, certifiquei-me que ele tratava da relva do quintal.

Passados que estavam 5 anos, senti a necessidade te ter filhos. Não foi uma decisão mútua. Eu queria filhos. Não; eu desesperadamente precisava de filhos. Sentia-me vazia no meu interior por não ter filhos. Era um sentimento totalmente irracional para uma mulher com uma carreira proeminente determinada em ser a próxima directora executiva.

O meu marido, que não levantou oposição à minha ideia, perguntou-me como é que encontraríamos um equilíbrio entre as exigências paternas e a manutenção dum estilo de vida dispendioso. Eu não me importei. O meu útero estava vazio. Eu tinha necessidades. Nem a razão nem a lógica afectaram as minhas necessidades e os meus sentimentos.

Foi então que o primeiro bebé chegou. Instantaneamente a vida mudou. Não conseguia trabalhar as horas necessárias para manter a trajectória da minha carreira. O meu marido também mudou uma vez que perdeu a atitude boémia; vendeu a mota e tornou-se num pai devoto.

Ele amava o nosso primeiro filho de tal ponto que chegou a oferecer-se para trabalhar em part-time para permitir que eu mantivesse a minha carreira.

Mas isto para mim não era suficiente. Eu era a mãe, a rainha, a criadora omnisciente do meu filho. Claramente o meu marido era um tolo incompetente que não sabia distinguir uma fralda duma cadeira dum carro.

O meu patrão reparou que eu andava distraída com as minhas novas funções de super-mãe. Ele analisou a minha produtividade e soube que eu não poderia produzir como as minhas colegas solteiras ou as minhas colegas sem filhos. Quando um colega foi promovido em vez de mim, soube logo o que se estava a passar. Fiquei lívida. Como era possível eu não obter tudo o que queria?

Devido a isto, usei mais uma táctica feminista. Desta vez usei um pau em vez duma cenoura. Fui ao Recursos Humanos munida duma ameaça subentendida de processo legal por motivos de descriminação.

Uma vez que era claro que eu trabalhava menos horas, e, como consequência, produzia menos, esta táctica obviamente que não funcionou. Estava tudo documentado era perfeitamente defensível.

Fiquei furiosa. Como é que eles se atreviam a fazer uma coisa desta? Invoquei toda a indignação justificada que poderia invocar. Consultei ajuda legal externa à empresa - uma feroz advogada que estava perfeitamente preparada para iniciar um processo legal contra a empresa, até que ela se atirou a mim.

Sem dúvida que eu era uma mulher de mente aberta mas não era uma lésbica.

Pus de parte a movimentação legal e com tristeza aceitei o meu reduzido papel no emprego. Afinal de contas, tínhamos dívidas para pagar e o meu salário era necessário.

Observei o meu marido evoluir de um boémio para um pai responsável. Ele era surpreendentemente bom com o nosso primeiro filho. Claro que, com o tempo, eu não reconheci isso. Pensei sempre que tudo o que ele fazia estava errado. Apenas eu, a mãe suprema, poderia criar o nosso primeiro filho.

Batalhamos durante alguns anos e não foi fácil. Quando eu voltei a engravidar - planeado por mim sem consultar o meu marido - o stress continuou a crescer. Não havia dificuldades financeiras mas a tensão de manter o nosso estilo de vida, e a casa enorme, caiu sobre os meus ombros.

Eu nutria um ressentimento contra o meu marido por causa disso. Ele havia escolhido uma carreira profissional que gostava mas o seu rendimento não era nem de perto nem de longe tão elevado como o meu. Eu tinha mesmo que trabalhar. Havendo entrado no percurso materno, não havia forma alguma de eu conseguir atingir o que esperava da minha carreira.

Nós usávamos os serviços duma creche e tínhamos uma empregada a dias em part-time. Na verdade, tivemos 8 empregadas domésticas. Elas nunca eram suficientemente boas para mim.

Nada era suficientemente bom para mim. Os meus sapatos não me serviam, as minhas roupas ficavam-me mal, o carro não estava suficientemente bem lavado, e o meu marido não atingia os meus padrões.

Olhando para trás com uma honestidade brutal, eu era uma mulher pura e simplesmente problemática. Acho que passaram-se anos sem eu dizer uma frase simpática. Fico surpreendida pelo facto do meu marido me ter aturado. Eu nunca o levava a sério. Afinal, ele era apenas um homem.

Durante a minha limitada vida social, eu passava o meu tempo com mulheres como eu. Nós éramos um grupo infeliz de mulheres na casa dos 30 com carreiras poderosas. Mas todas nós sorríamos e fingíamos que a nossa vida era perfeita. Tínhamos as casas perfeitas, os carros perfeitos e as escolas perfeitas para os nossos filhos.

Convence-mo-nos de que, de facto, nós tínhamos tudo. Ocasionalmente uma de nós exibia algum tipo de frustração pela situação. Quando isso acontecia, nós tínhamos sempre bodes expiatórios: os nossos maridos, os nossos patrões, as nossas donas de casa, as escolas, o que quer que seja. Nunca era culpa nossa porque nós éramos mulheres.
Divórcio.
Quando um dos nossos filhos tinha 5 anos e o outro 7, o mundo ruiu. Melhor, explodiu. O meu marido desistiu. Ele não só me havia apoiado bastante como era bom com as crianças. Devido a isto, o facto dele desistir apanhou-me de surpresa. Mas acho que deveria ter previsto.

Eu usava a intimidade sexual como arma contra ele. Se ele não fizesse exactamente o que eu queria - se ele não se desdobrasse para satisfazer todas as minhas exigências - ele não experimentava qualquer tipo de gratificação sexual. Lembro-me que uma noite apanhei-o a "brincar consigo mesmo". Fiquei furiosa. Porque é que ele se atreveu a experimentar satisfação sexual sem que o meu controlo estivesse de alguma forma envolvido?
Adultério.
Como uma mulher saudável, eu tinha as minhas necessidades sexuais. Em vez de desfrutar o sexo dentro do contexto do casamento, tive um caso. Foi fácil. Eu ainda era mais ou menos atraente. Havia homens por perto. "Porque não?" racionalizei para mim mesma. O meu marido não me dá atenção suficiente, e como tal ele é o culpado.

O caso foi inconsequente; relações sexuais ao fim de semana e durante viagens de trabalho. Eu precisava disso portanto não havia problemas alguns. Eu estava a ser uma mulher poderosa e independente ao mesmo tempo que visitava motéis reles com um homem que me poderia dar orgasmos.

O romance durou 3 meses. O meu marido nunca soube de nada. Ele não precisava de saber: ele apenas desistiu. Curiosamente, ele direccionou os seus esforços para um negócio paralelo como consultor de marketing. Isto revelou-se muito lucrativo para ele. No espaço de 6 meses, o seu rendimento excedeu o meu. A nossa conta de poupanças cresceu consideravelmente. "É para as mensalidades universitárias dos rapazes" disse-me ele, vez após vez.

Eu estava infeliz. A minha carreira era stressante e insatisfatória. Devido às minhas horas de trabalho, os meus dois filhos eram mais próximos ao meu marido do que a mim. Por essa altura, ele havia terminado o seu emprego a tempo inteiro e prosperava como consultor de marketing, um emprego que ele poderia fazer a partir de casa com um computador e um telefone.

Sentia-me frustrada e vazia. As minhas amigas recomendaram aconselhamento e como tal, lá fomos nós dar uma tentativa. Subtilmente, eu escolhi uma conselheira que eu sabia ser mais simpatética à minha causa. As sessões eram, na verdade, divertidas mas de um modo desagradável.

A conselheira e eu passávamos 50 minutos a provocar o meu marido. Ele calmamente mantinha-se sentado, recebendo as críticas, pedindo desculpas e prometendo mudar. Eu nada tinha que prometer. A conselheira - uma mulher como eu [feminista] - deixou bem claro que as minhas necessidades eram prioritárias e as suas irrelevantes.

Obviamente que o aconselhamento não funcionou para nós. O meu marido retirou-se para a paternidade e para o seu crescente negócio. Contemplei mais um caso extra-conjugal, mas infelizmente eu estava a ganhar muito peso. Era difícil arranjar homens atraentes que notassem em mim. As minhas amigas recomendaram que eu considerasse um divórcio.

Eu hoje em dia olho para trás e penso nas minhas "amigas" desse período da minha vida. Elas eram um grupo de mulheres infelizes tentando desesperadamente validar as suas más escolhas de vida. Deixei que elas me influenciassem quando eu deveria ter sido forte. Isso foi um erro enorme.
Divórcio.
Eu não odiava o meu marido; eu apenas já não o amava mais. Eu queria uma vida nova e melhor. Eu era capaz de criar os meus filhos sem ele. Eu havia lido que, na verdade, as crianças não precisam de pais.

Sentia-me tão insatisfeita. Quando dei os papéis do divórcio ao meu marido, ele não parecia surpreso. Eu havia consultado uma boa advogada matrimonial e ela recomendou fortemente que eu tentasse ficar com tudo - casa, carros, custódia, pensão alimentícia, tudo. As suas palavras foram:

Isto é uma guerra, e como uma mulher, você tem que vencer.

O divórcio foi horrível e apesar do facto de eu ter ficado com a casa, o carro, as crianças, a pensão e as poupanças que ele havia feito, eu perdi. Ele foi viver para um apartamento modesto e concordamos que ele poderia ver os filhos todos os fins de semana.

Na verdade, o tribunal ordenou que isso acontecesse. Eu ficaria feliz em forçá-lo a sair completamente das suas vidas, mas ele insistiu rigidamente nesse ponto, e o maldito juiz concordou.
Vida depois do divórcio.
Eu estava solteira outra vez. Mas com 38 anos, ter encontros românticos não era como nos tempos "selvagens" da faculdade quando eu era jovem, bonita e desejável aos olhos dos homens. Não, agora eu era uma mãe solteira. Tinha cortado o meu cabelo e a minha figura estava quase a passar o ponto de não retorno. O tipo de homem que eu queria não tinha interesse algum em mim. Esses homens poderosos e bem sucedidos tinham namoradas mais jovens e mais bonitas.

Os divorciados eram os piores. Eles estavam tão desiludidos que ou não conseguiam manter uma relação, ou saltavam de cama em cama - não querendo ser exclusivos.

O que eu realmente queria era que um homem atraente me arrebatasse nos seus braços, cuidasse de mim e fizesse os meus problemas desaparecer. Eu ainda olhava para mim como uma princesa. Ainda era tola, estúpida e imatura.

No entanto os homens que me atraíam não olhavam para mim duas vezes. Os homens que me queriam eram totalmente inadequados.

Foi um choque para mim descobrir que já não era atraente. Durante os anos da faculdade havia muitos homens atrás de mim. Lembro-me de gozar com todos os rapazes que se aproximavam de mim durante as festas. Se ele tivessem a mínima falha, eu rejeitava-os - usualmente com um insulto ou dois.

Nunca pensei duas vezes sobre os homens que rejeitei, alguns decentes e doces, agora que olho para trás. Eu e as minhas amigas chamava-mos a esses rapazes de "meninos da mamã", ao mesmo tempo que nos deixávamos levar pelos arrogantes e espertalhões que despertavam em nós atracção e luxuria.

Para piorar as coisas, eu não conseguia consertar nada em casa. O meu marido havia lidado com esses assuntos durante anos. Os meus filhos era pré-adolescentes e difíceis de controlar.

Eles odiavam o facto de só poderem vêr o pai aos fins de semana. As suas notas caíram e começaram a ter problemas disciplinares na escola. Naturalmente, eu culpei o pai deles. Era culpa sua que nós estávamos divorciados e ele vivia afastado deles. Tentei não dizer coisas más sobre ele à frente dos meus filhos, mas os sentimentos eram muitos fortes. Disse coisas terríveis sobre o seu pai especialmente quando estava bêbada - o que na altura acontecia muitas vezes.

Se eu era infeliz quando estava casada, agora eu era totalmente miserável como mãe solteira em busca de amor. Tentei persistentemente convencer-me que era forte, independente e inteligente. Às vezes funcionou - especialmente quando intimidava os meus subordinados na empresa.

Na verdade, eu odiava o meu emprego, Sim, ele dava-me uma boa vida, mas eu havia atingido o zénite da minha carreira e a sala de director executivo não se encontrava mais próxima. Eu ainda me sentia em conflito devido aos esforços para ser uma boa mãe ao mesmo tempo que era uma mulher executiva.

Eu tinha muitas culpas para depositar em ombros alheios. Não havia hipótese alguma da condição da minha vida ser o resultado das minhas decisões. As minhas amigas solteiras disseram-me precisamente isto muitas e muitas vezes durante bebidas que ingeríamos em bares para mulheres solteiras.

Eu havia lido muitas revistas femininas e o conselho que apreendi era essencialmente o mesmo: a culpa nunca era das mulheres.

Tentei perder peso, mas era muito difícil. Quando ficava com fome, eu simplesmente tinha que comer. Tive que comprar roupa nova outra vez uma vez que o peso continuava a aumentar. Durante um encontro às cegas o homem com quem me encontrei teve a audácia de me dizer:

Vais-me desculpar mas eu não me sinto atraído a ti por causa do teu peso.

Nunca tinha levado em conta a minha hipocrisia por querer um homem que me atraísse fisicamente. Os homens tinham que estar atraídos a mim. Afinal, eu sou uma mulher.
A foto do arrependimento.
Os últimos anos têm sido meio confusos. O meu marido encontrou um novo amor e como tal, nutri ódio contra ele devido a isso. Tentei aumentar o dinheiro da pensão dos nossos filhos. Como isso não funcionou, tentei impedir os meus filhos de o visitar. Eles ofereceram resistência.

[Que tipo de mulher tenta impedir crianças de ter contacto com o próprio pai? Só uma feminista.]

Como consequência, libertei as minhas frustrações no emprego. O meu patrão ameaçou despedir-me. Só as minhas amigas ainda me apoiavam. Para ser sincera, nós éramos um grupo de mães solteiras - gordas e infelizes - que culpava o mundo inteiro pelo estado das nossas vidas.

Por isso é que quando vi a fotografia, a epifania atingiu-me de um modo bastante profundo. Através das lágrimas da angustia, raiva, mágoa e negação, veio a realização dolorosa de que eu era responsável pela minha própria infelicidade. Finalmente me apercebi que eu não havia crescido e nem havia abraçado a vida adulta. Isto foi há seis meses atrás.
Mudanças.
Fiz algumas alterações profundas na minha vida. Primeiro e antes de mais nada, parei de culpar os outros pelos meus problemas. Isto foi o mais difícil. Durante toda a minha vida foi-me dito - e eu acreditei - que, como mulher, 1) eu nunca poderia fazer algo de errado, 2) eu não era a culpada, 3) que eu era de uma ou outra forma uma vítima.

Mal aprendi a deixar de culpar o mundo, aprendi a ser mais agradável e simpática. Isto também foi difícil. Sempre confundi a amabilidade com fraqueza, mas não era o caso. Uma nova colega - mulher do sul do país - mostrou-me que era bastante simples ser simpática e forte ao mesmo tempo.

Durante este processo, vi-me livre das minhas amigas. Esta parte foi fácil. Este grupo de mulheres infelizes e negativas encorajou-me a fazer coisas estúpidas como divorciar-me dum bom homem devido ao meu egoísmo e devido aos meus sentimentos arbitrários da altura. Finalmente aprendi que agir segundo os sentimentos pertence à esfera infantil e não a esfera adulta. Pode ser que aquelas mulheres um dia aprendam isso, mas duvido.
O presente.
Agora todos os dias vou ao ginásio. Depois de ter sido rejeitada por tantos homens atraentes e decentes, resolvi aplicar padrões realistas a toda a minha busca por um novo amor. Afinal, se eu acreditava na atracção física, porque é que os homens não acreditariam?

Ser gorda significa não ser fisicamente atraente aos olhos de muitos, muitos homens, e, como tal, cabe-me a mim fazer algo em relação a isso - e não ficar zangada com todos os homens por causa disso. O peso está a desaparecer; é uma batalha, sem dúvida, mas ele está a desaparecer. Estou também a deixar crescer o meu cabelo e ver-me livre de todo aquele estilo de cabelo à "mãe".

Já não leio aquelas repugnantes revistas feministas nem vejo TV. Quando livrei o meu pensamento do que me tinham dito sobre os homens, aprendi que, na verdade, eles são pessoas maravilhosas.

Os meus filhos aperceberam-se da minha transformação. À medida que eles crescem e se vão tornando homens, parei de chateá-los em torno de "sentimentos" e "sensibilidade" e agora encorajo-os a serem homens.

Duvido que alguma vez consiga resolver as coisas com o meu ex-marido, mas tudo o que posso desejar é que ele encontre a felicidade e alegria na sua vida. Tenho um respeito renovado por ele - um respeito que nasceu no momento em que entendi que os homens são diferentes, não piores, mas apenas diferentes. O meu ex é também um excelente pai, e como tal, sou abençoada nisso.

Aprendi a aceitar que as minhas necessidades não são o centro do universo. Na verdade, isto foi muito libertador. Não mais eu sou uma escrava dos caprichos das minhas emoções superficiais que não podem ser razoavelmente satisfeitas. Isto significa que eu queixo-me menos. Se não consigo mudar uma situação, para quê queixar-me? O inverno é frio; as minhas queixas em relação à temperatura não vão aumentar o calor da atmosfera.

O maior arrependimento que eu tenho na minha vida é o de ter sido fraca o suficiente para só agora fazer uma introspecção séria. Se eu tivesse sido verdadeiramente forte, e verdadeiramente inteligente, eu teria levado em conta o que realmente é importante para mim em vez de ter sido levada pela manada [feminista].

Em retrospecção, ter-me agarrado à escada corporativa foi uma má decisão. Explorar a minha feminidade para manipular os homens foi ainda pior. Adoro ser uma mulher, mas usar o sexo para obter o que quero não é melhor do que um homem usar a força física para obter o que deseja.

Ainda estou solteira; esta coisa de encontros amorosos ainda me engana. Há, no entanto, uma chama de esperança; um homem simpático elogiou o meu sorriso.

Aos 45 anos, esta foi a primeira vez que alguém notou no meu sorriso. O meu filho também fez menção ao sorriso:

Mãe, eu nunca te vi a sorrir até agora.

A vida tem que se tornar melhor para mim.

Isso é a minha responsabilidade e a de mais ninguém.

Nikolas Försberg
August 26th, 2012, 04:11 AM
O que é uma feminista patológica?

- Quer 100% do poder mas 0% da responsabilidade.

- Revolta-se contra todos os deveres de género das mulheres mas espera que os homens sejam fiéis aos seus.

- Gaba-se de não ser capaz de cozinhar ou limpar a casa (sem dúvida, um "feito notável").

- Orgulha-se mais do que não consegue fazer do que o que consegue fazer.

- Acredita que os homens e as mulheres deveriam receber exactamente o mesmo, embora os níveis de produtividade sejam distintos.

- Orgulha-se em adoptar estereótipos chauvinistas masculinos e comportamento javardo.

- Acredita que todos nós somos naturalmente andróginos.

- Acredita que o mundo seria melhor se houvessem mais mulheres nos lugares de chefia.

- Devido à insegurança que possui em torno da sua feminidade, nega todos os comportamentos de género e identifica-os como "construções sociais".

- Todos os seus relacionamentos são disfuncionais e condenados ao fracasso devido ao facto das teorias académicas entrarem em conflito com a natureza dos dois sexos.

- Equivale a feminidade com a fraqueza e a masculinidade com a força.

- Acredita que ser "forte" significa ser dominadora, inflexível, inconsiderada e pouco indulgente.

- Acredita que dedicar-se a sua carreira (escravatura do salário) é mais nobre e realizador que de dedicar-se à família (esposa/mãe).

- Valoriza mais o prestígio profissional do que o amor pessoal.

- Adia a maternidade durante anos - até a altura em que pensa "estar pronta" - só para descobrir que já não pode mais ter filhos.

- Vive para trabalhar; não trabalha para viver.

- Tem inveja das mulheres bonitas e tenta a todo o custo envergonhá-las.

- Tenta arrastar todas as mulheres para o buraco emocional que é a sua vida.

- É tipicamente lésbica ou perpétuamente solteira.

- Tenta preencher o vazio criado pelo ódio aos homens com compras, animais de estimação, doces, drogas, anti-depressivos, programas como "Sex And The City", fofoca, auto-actividades sem fim e equipamentos mecânicos para auto-gratificação sexual.

- Valoriza mais a independência solitária do que a dependência mútua.

- Nega a sua solidão ao mesmo tempo que tem a casa de banho cheia de comprimidos.

- Nunca está satisfeita, mas está sempre amarga e hostil com os homens.

- Foca-se apenas no pior que há nos homens - ao mesmo tempo que ignora tudo o que eles possuem de bom - como forma de racionalizar a sua misandria (ódio aos homens).

- Recusa ter qualquer tipo de responsabilidade pessoal e culpa os homens por todas as suas falhas.

- É extremamente egoísta, egocêntrica e auto-absorta.

- Quando se envolve nas forças militares, nos bombeiros ou nas forças policiais, exige receber a mesma remuneração que os homens recebem, embora faça testes físicos menos exigentes, seja salvaguardada de locais de maior perigo, trabalhe menos que os homens nos horários de maior criminalidade e seja mantida longe dos palcos de guerra mais sangrentos.

- Apercebe-se que os homens ocidentais estão a rejeitar as mulheres ocidentais, mas em vez de modificar o seu comportamento, tenta impedir que os homens tenham acesso a mulheres de outros países.

- O seu ego é maior que o seu coração.

- Coloca sempre as suas necessidades à frente das necessidades alheias.

- Acredita que a mulher pode ser tão promiscua como os homens, mas depois descobre chocada que os homens não gostam de mulheres promiscuas.

- Nunca se questiona sobre o que ela pode fazer pelos outros, mas sim o que os outros podem fazer por ela.

- Acredita que "o que é meu, é meu, o que é teu, é nosso".

- É sempre uma tomadora e nunca uma doadora.

- Acredita sempre que "a galinha da minha vizinha é melhor que a minha"

- Acredita que tu és responsável pela sua felicidade.

- Nega que as mulheres tenham uma atracção por homens violentos embora isso seja um facto auto-evidente.

- É uma queixinhas profissional, com licenciatura em misandria e bacharelato em complexo de vítima (mania da perseguição).

- Apela à "imunidade de vítima" sempre que possível como forma de negar ou rejeitar qualquer tipo de má conduta.

- Varia entre "forte e independente" e "vítima fraca e vulnerável" quando lhe é conveniente. A primeira é usada quando tenta justificar promoções ou acréscimo de poder. A segunda forma de pensar é usada quando alega ter sido "violada", ou vítima de "violência doméstica" ou como forma de justificar o seu comportamento criminoso.

- Não se importa em usar dualidade de critérios ideológicos, hipocrisia, inversões de lógica e contradições desde que isso jogue em seu favor e benefício.

- Combina os piores aspectos do estereótipo do comportamento masculino e feminino.

- Não quer igualdade de género mas sim supremacia feminina.

- Enquanto é jovem e bonita fica feliz por ter atenção masculina, mas quando os anos avançam e perde a sua beleza, fica chocada por descobrir que os homens continuam a gostar de mulheres jovens e bonitas.

- Os seus relacionamentos estão condenados ao fracasso desde o princípio.

- Acredita que impedir o acesso do pai aos seus próprios filhos é bom, desde que sirva os seus interesses egoístas.

- Envergonhada com o passado criminoso, violento, discriminatório e assassino do movimento feminista, inventa um novo termo ("femismo") para se distanciar das criadoras do movimento.

- Entra nos grupos de discussão masculinos como forma de encontrar homens que afirmam coisas que são rapidamente condenadas pelo resto do grupo e usa esses incidentes como representativos de todos os MRA ("Men's Rights Activists").

- Acha perfeitamente justo o ensino da misandria nas escolas públicas.

- Qualifica de "liberdade de expressão" os apelos à violência feitos pelas mulheres em relação aos homens, mas depois nega que esses apelos tenham sido feitos. Quando se confirma que os mesmos foram feitos, nega que os mesmos tenham alguma coisa a ver com o feminismo.

- Auto-qualifica-se de "defensora das mulheres", mas não condena o aborto selectivo - que mata mais mulheres o que homens - e nem defende mulheres conservadoras quando elas são vítimas de ataques provenientes de esquerdistas.

- Qualifica a civilização ocidental de "brutal" mas poucos ou nenhuns esforços faz para aliviar a genuína brutalidade a que está submetida a mulher muçulmana - e nem demonstra vontade em ir viver para outro tipo de civilização.
- Não vê problemas nenhuns em voltar os filhos contra o pai.

- Quando engravida de outro homem que não o marido, faz todos os esforços para não fazer o teste de paternidade.

- Quando o teste revela que o marido não é o pai, usa o sistema judicial para forçar o marido a suportar a criança de outro homem.

- Divorcia-se do marido - ficando com os filhos e com compensações financeiras provenientes do bolso do marido - pensando que os homens que lhe lançavam piropos no trabalho farão filas para ter encontros românticos com ela. Descobre - horrorizada - que os homens não estão interessados em mulheres que já demonstraram não ter vergonha em usar os violadores judiciais para abusar do marido.

- Depois de divorciada, vagueia de relacionamento em relacionamento (cada um mais problemático que outro), expondo as crianças a homens potencialmente perigosos e a um estilo de vida nada condigno duma mãe.

- Questiona-se se o divórcio foi uma decisão acertada, mas lembra-se que nada pode fazer em relação a isso porque o ex-marido já a trocou por outra mulher - mais nova e mais bonita que ela.

- Está destinada a morrer miserável, sem amor, sozinha (porque mais cedo ou mais tarde, os filhos apercebem-se que a mãe feminista não "joga com o baralho todo") e cheia de remorsos em relação às escolhas de vida.

Feminismo: movimento baseado no ódio

Imagina que tu eras uma mosca que se encontrava dentro duma sala onde decorria uma reunião privada. Da lista de participantes faziam parte uma lobista executiva, uma professora universitária, uma membra dum concílio artístico, uma escritora política, uma novelista "best-seller", uma assistente de comunicações duma câmara de comércio, uma web designer, uma professora envolvida em educação de crianças especiais e uma profissional dedica aos cuidados infantis.

O que é que achas que ouvirias nessa reunião? Talvez planos para melhorar a educação de crianças, especialmente aqueles com necessidades especiais? Talvez um apelo para se mobilizarem recursos com os quais se possam garantir que as crianças não entrem nas aulas com fome, ou que elas não sejam vítimas de abuso e exploração?

Ou se calhar ouvirias genuínas preocupações àcerca da qualidade da educação e dos orçamentos escolares durante a recessão global. Ou ouvirias discussões em torno dos problemas com os quais a geração vindoura de cidadãos mundiais teriam que lidar.

Bem, uma reunião desse tipo tem ocorrido liderada por indivíduos suficientemente qualificados para se equivalerem à lista mostrada em cima no texto. Mas as melhorias educacionais não foram os seus tópicos de conversa.

A agenda da reunião foi o desejo comum de abusar e matar crianças, amarrar pessoas em edifícios de madeira e explodir o prédio, atirar crianças através e de janelas, insistir com o infanticídio e eugénica forçada e seriamente entreter e prosseguir a ideia de seguir com métodos para exterminar metade da população mundial.

Se estás à espera da piada final, não esperes.

O RadFem Hub (RadFem é versão encurtada de Radical Feminist) é um site que exibe artigos escritos por activistas muito bem conhecidas, muitas delas com posições politicas e sociais influentes.

http://4.bp.blogspot.com/-WTjMpbQAKZE/TvZdYAHbrgI/AAAAAAAAFqA/OouSh9mSRBk/s400/142.jpg

O site tem sido o foco de alguma atenção desde que a novelista Pamela O’Shaughnessy (a feia da foto), postando sob o nome de Vliet Tiptree, escreveu um artigo advogando experiências em seres humanos e eugenismo forçado de modo a que se possa "extirpar" alguns aspectos da masculinidade.

As editoras da RadFem Hub frequentemente professam e promovem solidariedade filosófica com Valerie Solanas, a doente mental e autora do livro "The Scum Manifesto", e uma ideóloga violenta que propôs a extermínio dos homens.

Ela também disparou contra Andy Warhol, ferindo-o para toda a vida.

Algumas figuras bem conhecidas estão intimamente associadas ao RadFem Hub.

Loretta Kemsley, editora da Moon Dance Magazine, que recebeu um prémio da "United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization", é listada como alguém que tem "presença no conselho" no seu perfil público lá listado.

Sheila Jeffreys, autora feminista e professora na "University of Melbourne" tem uma presença pública lá e frequentemente providencia artigos.

Julie Bindle, autora e colunista no The Guardian, um jornal popular na Grã-Bretanha, também postou por lá.

No entanto, por baixo da fachada de consciência social da RadFem, e agregado ao mesmo site, existe um fórum privado; o núcleo e o sala que servem de motor para todo o site. As discussões lá presentes, tidas como fora do visionamento público, são virulentas e cheias de ódio. Com relativa frequência elas eram temperadas com apelos à violência. Durante muito tempo elas foram bem sucedidas em manter o secretismo e a a privacidade.

Até agora.

Durante os últimos meses, um operacional - que vamos identificar como Agente Laranja - conseguiu com sucesso infiltrar-se no grupo e recolher bastante informação. Entre esta informação encontram-se mais de 100 screen shots que documentam o que só pode ser qualificado de a mais chocante evidência de ódio extremo presente no movimento feminista alguma vez visto.

Não só estas conversas foram muito bem documentadas com screen shots, como foi possível ao Agente Laranja, com a ajuda de um investigador, localizar as identidades de várias figuras. Não só o nível de confiança da informação é enorme, como mais serão reveladas num futuro próximo.

Eis aqui uma porção das mulheres identificadas bem como as suas declarações.
Danielle Pynnonen (nickname “Allecto”), uma mulher que trabalha com crianças mas cujo patrão é desconhecido.

http://www.avoiceformen.com/portal/wp-content/uploads/2011/12/Allecto-2-little-rapists-300x175.png

Kat Pinder (nickname “Amazon Mancrusher”), coordenadora de desenvolvimento da comunidade em Perth (Austrália) e ex-participante do programa inglês Big Brother;

http://www.avoiceformen.com/portal/wp-content/uploads/2011/12/Amazonmancrusher-300x92.png

Isabelle Moreira (nickname: “Izzie”), programadora web do Brasil (Curitiba);

http://www.avoiceformen.com/portal/wp-content/uploads/2011/12/Izzie2-276x300.png

Lucy Nicholas (“Luckynkl”), professora e palestrante tanto na University of Edinburgh como na University of Portsmouth. Neste post, Nicholas claramente demonstra o entendimento de que as ideias que ela está a avançar são ilegais;

http://www.avoiceformen.com/portal/wp-content/uploads/2011/12/Luckynckl-300x177.gif

http://www.avoiceformen.com/portal/wp-content/uploads/2011/12/Luckynckl2-300x291.gif

http://www.avoiceformen.com/portal/wp-content/uploads/2011/12/luckynckl3-300x292.gif

http://www.avoiceformen.com/portal/wp-content/uploads/2011/12/Luckynckl4-300x275.gif

Mary Syrett (“Mary Sunshine”), escritora e membro da City of Kingston Arts Council em Ontário, Canada;

http://www.avoiceformen.com/portal/wp-content/uploads/2011/12/Sunshine-300x85.png

Julie LeComte (“Rain”), assistente de comunicação na Câmara do Comércio e Indústria Franco-Canadiana na Austrália;

http://www.avoiceformen.com/portal/wp-content/uploads/2011/12/Rain1-300x280.png

Lorraine Allen (“White Tiger”), educadora e professora de pessoas especiais no The Center for Discovery Hurleyville, New York;

http://www.avoiceformen.com/portal/wp-content/uploads/2011/12/White-Tiger-300x201.png

Laila Namdarkhan (“yabawife”), uma conhecida activista feminista que foi instrumental na aprovação de legislação relativa à saúde mental das mulheres nas prisões da Grã-Bretanha;

http://www.avoiceformen.com/portal/wp-content/uploads/2011/12/YBAWIFE-300x230.png

E, claro, Pam O’Shaughnesey (nickname alterada de Vliet Tipree” para “karma”), uma escritora de renome, editora e advogada. Neste post, a total depravação da ideologia defendida pela O’Shaughnessy exibe-se de forma clara quando ela demonstra clara vontade em levar a cabo o "assassínio em massa" como "último recurso".

http://www.avoiceformen.com/portal/wp-content/uploads/2011/12/Karma-300x235.png

Estes prints representam apenas uma amostra das imagens e de outros dados que mostram pessoas reais a levar a cabo o que só pode ser descrito de orgia de ódio de género dirigido aos homens.

O que é mais significativo é que estas feministas não são pessoas que vivem à margem da sociedade, mas sim mulheres que possuem cargos públicos e posições de revelo nos centros académicos e nos órgãos de comunicação.

As vozes e as ideias carregadas de ódio destas mulheres são ouvidas em centros de legislação um pouco por todo o mundo (e mesmo nas divisões das Nações Unidas).

Num futuro próximo, o corpo de dados integral recolhido pelo Agente Laranja vai-se tornar público. Isto significa que qualquer pessoa interessada em aprender mais àcerca destas pessoas, e publicar a sua própria análise nos seus blogues, contas de youtube o outro veículo, poderá fazê-lo.

Isto significa também que os membros públicos interessados podem vocalizar as suas preocupações à imprensa, bem como em qualquer lado onde quer que estas mulheres possam ser uma ameaça (especialmente no que se trata do bem estar de crianças).

Há já algum tempo que os MRA (Men's Rights Activists = Activistas Pelos Direitos do Homem) e outros têm tentado mostrar aos políticos e ao público em geral que o feminismo é, no seu âmago, um movimento fundado no ódio (e não na "igualdade"). As pessoas que contestam este ponto de vista alegam que o feminismo radical não é considerado como legítimo pela maior parte das feministas, e que as radicais não são levadas a sério.

Esta nova informação demonstra que isso é falso.

Estes dados, bem como a montanha de dados que estão para chegar, revelam que as feministas radicais, com seu pensamento preconceituoso e inclinado à violência, estão bem implantadas nos órgãos sociais, nos sistemas educacionais e nos sistemas governamentais um pouco por todo o mundo.

Para além disso, estas mulheres estão a exercer a sua influência de modo a avançar com legislação e políticas que não só reflectem o seu ódio aos homens e aos rapazes, como reflectem o seu desejo de se colocarem em lugares estratégicos de modo a que possam causar o maior número de dano possível aos homens.

Fontes:

http://en.wikipedia.org/wiki/Moondance_Magazine

http://en.wikipedia.org/wiki/Sheila_Jeffreys

http://en.wikipedia.org/wiki/Julie_Bindel

http://radicalhub.wordpress.com/

Nikolas Försberg
August 26th, 2012, 04:14 AM
Mulheres preferem ficar em casa a cuidar dos filhos

O movimento feminista convenceu uma substancial facção das mulheres modernas que a genuína realização pessoal vem das qualificações académicas e das conquistas profissionais adquiridas e não - como era costume num passado cada vez mais longínquo - das actividades que envolvem escolher ficar em casa a cuidar do lar e dos filhos.

Alegadamente, as mulheres que voluntariamente escolhiam ficar em casa eram "oprimidas". Não se entende bem como alguém que livremente escolhe ficar em casa a cuidar dos seus filhos (ao mesmo tempo que um homem lhe paga todas as despesas) é de alguma forma "oprimida".

Mas sendo um movimento político esquerdista sem conhecimento da natureza da mulher, o feminismo está condenado a trazer infelicidade às mulheres, às famílias, às crianças e principalmente aos homens.

Uma das formas através da qual nós podemos vêr que o feminismo desconhece a natureza da mulher é precisamente na questão que envolve a escolha feminina de querer ser dona de casa em detrimento duma carreira profissional.

Se a mulher era oprimida por escolher ficar em casa, porque é que um significativo número de mulheres actuais anseia poder ter liberdade económica para ficar em casa a cuidar dos filhos?

Segue-se o testemunho duma mulher grávida:

Eu simplesmente não quero voltar a trabalhar e deixar a educação da minha linda bebé nas mãos de outra pessoa. Quando os meus outros filhos eram pequenos, eu fiquei em casa e fui fazendo trabalhos que não perturbavam o meu tempo com eles.

Adorei todos os momentos que passei com eles.

Depois da minha filha mais nova ter iniciado a escola, voltei a estudar e no ano de 2007 graduei-me. Depois de ter encontrado um emprego a tempo inteiro engravidei outra vez.

Pensei sobre isso e determinei-me a regressar a trabalhar. Se as outras mães conseguem, certamente que eu também conseguiria.

Mas à medida que a minha gravidez se aproxima do fim, cheguei à conclusão que não quero abandonar o bebé. Quero ser aquela que vê o seu primeiro passo, ouve a primeira palavra e a ensina a ter bons modos.

Eles crescem tão depressa que o tempo vai-se num abrir e fechar de olhos.

Não poderia suportar o pensamento dela estar a chorar no infantário e ninguém lhe prestar atenção por haver outras crianças a necessitar de apoio.

Quem me dera poder ignorar todas estes pensamentos mas não consigo. Adoro ser uma mãe que fica em casa [a cuidar dos filhos].

Porque é que me sinto culpada por querer ficar em casa a cuidar dos meus filhos? Há por aí outras mães que também se sentem assim?

É um triste sinal dos tempos quando uma mãe se sente culpada por querer ficar junto dos filhos. Por aqui se vê o quão devastadora tem sido a influência do feminismo sobre a forma de pensar feminina.

Outra mulher expressa sentimentos semelhantes:

A minha licença de parto está quase terminada mas, sinceramente, eu não quero colocar a minha filha num infantário. Não creio que seja viável o pagamento das mensalidades.

Além disso sinto-me desconfortável com a ideia de outra pessoa a criá-la.

Como é que as feministas explicam esta tendência natural da mulher de querer ficar em casa a cuidar dos seus filhos? Esta inclinação natural e saudável das mulheres está a ser suprimida pelo movimento feminista ao identificar a posição de cuidadora do lar como algo "humilhante" e "degradante".

http://2.bp.blogspot.com/-DvQkznq6Vrg/Tr2qY35HuAI/AAAAAAAAEtk/FdLv_hEs21o/s400/017_Feminists_are_miserable.gif

As feministas, na sua ânsia de colocar as mulheres no mercado de trabalho sob a bandeira da liberdade, conseguiram gerar uma legião de mulheres stressadas que tenta equilibrar a atenção dada aos filhos com o avanço da sua carreira profissional.

Pior que isso, as feministas conseguiram uma das mais fantásticas obras de ilusionismo da História do Homem ao identificarem a redução da liberdade de escolha como algo "libertador".

Antigamente, as mulheres tinham a opção de poder ficar em casa, arranjar um emprego a part-time, ou trabalhar a tempo inteiro.

Hoje, graças aos movimentos políticos que visam colocar as mulheres debaixo da escravatura do ordenado, as mulheres são practicamente obrigadas a optar pela terceira opção como forma de suportar as despesas. Aquilo que é visivelmente uma perda de liberdade é apresentado à mulher como uma "vitória".

Na sua essência, o feminismo é uma ideologia anti-mulher. Infelizmente, a esmagadora maioria das mulheres não se apercebe disso.

http://4.bp.blogspot.com/-jDfwztoRhBU/Tr2sDBuEFEI/AAAAAAAAEuI/NDf6dC2dwxI/s400/053_nowomen.jpg

A essência do feminismo.

Nikolas Försberg
August 26th, 2012, 04:17 AM
Feminista: Porque é que os homens não se querem casar com mulheres promíscuas? (http://omarxismocultural.blogspot.pt/2011/04/feminista-porque-e-que-os-homens-nao-se.html)

Por incrível que pareça, existem algumas feministas que não querem reconhecer que a promiscuidade sexual é má para as mulheres em termos de encontrar homem disposto a casar-se com elas.


Feministas descobrem como funciona a economia de mercado (ou pelo menos o conceito de oferta) embora continuem inocentes no que toca a intersecção com a procura. Isto é quase como observar macacos a descobrirem que a coisa brilhante que se move por cima da pilha de madeira está quente.

A autora deste blog cita uma feminista que diz:

Nos média existe esta noção de envergonhar as mulheres promiscuas (eng: "slut") e isto acontece num nível mais pessoal entre pessoas que se envergonham umas as outras. Há também algo que é discutido em outros sites mas nunca falado nos média - algo chamado de "rejeição de promiscuas". Esta última acontece com homens heterossexuais em busca de mulher com quem passar o resto da sua vida. Eu tenho alguma experiência pessoal com isto. O meu ex não tentou envergonhar-me mas mal soube mais sobre mim [o passado sexual], esfumou-se da minha vida.

Isto de se rejeitar as promiscuas está tão errado que as mulheres vêem-se obrigadas a recorrer a mentiras ou a esconder o seu passado. Ambas as estratégias estão condenadas a ter efeitos contrários aos desejados.

A solução da feminista para o facto dos homens rejeitarem mulheres promiscuas quando pensam em casar? Simples:

Eu acho que se a maior parte das mulheres (ou muitas mulheres) tivessem uma história sexual frutífera, isso tornaria-se na norma e desde logo aceitável.

A escritora do blogue Susan Walsh comenta:

Isto é de facto uma declaração notável. A solução feminista para a rejeição de mulheres promiscuas é recrutar o maior número possível de mulheres para a promiscuidade de forma a que o mercado de mulheres sexualmente inexperientes desapareça.

Por outras palavras, os homens teriam a sua diversão enquanto fossem estudantes universitários mas quando chegasse a hora de casar, a sua única opção seriam as mulheres "frutíferas".

Esta declaração é interessante porque mostra que os homens não podem ser convertidos para o pensamento feminista. O Movimento das Mulheres destruiu muitos muros mas o cérebro do homem é a sua última fronteira, e o cerco feminista não consegue erradicar esta dualidade de critérios.

A reacção feminista às consequências não previstas e indesejáveis do seu feminismo é tipicamente fascista. Em vez de reavaliarem as suas crenças, o que as feministas tentam fazer é reduzir todas as mulheres a objectos sexuais de forma a que os homens não tenham por onde escolher senão entre uma delas.

Talvez por isso é que as feministas tenham um ódio tão grande pela mulher que mantém o seu respeito e não "extravagaza" em promiscuidade sexual. Essas mulheres - aquelas suficientemente confiantes para saber que não precisam de sexo para se sentiram "poderosas" - estão literalmente a condenar as feministas a uma velhice infeliz e solitária.

Quarenta anos de indoutrinação feminista não conseguiram transformar a preferência masculina em casar com mulheres sexualmente conservadoras, por isso as feministas voltaram-se (com algum sucesso) para outra estratégia: transformar as mulheres em objectos sexuais.

Nem é preciso dizer isto, mas a estratégia feminista de tornar "promiscuizar" as mulheres está condenada ao fracasso. Isto pode ser visto de forma simples: a esmagadora maioria das feministas são mulheres caucasianas (brancas). A esmagadora maioria das mulheres do mundo não são caucasianas. Se os homens ocidentais não conseguirem encontrar mulheres sexualmente castas para casar no ocidente, ou eles não se casam ou casam-se com mulheres de outras etnias.

De qualquer das formas, as feministas e as sexualmente promiscuas vão ser rejeitadas pelos homens.
Conclusão:
A análise da Sra Walsh é de se louvar uma vez que ela reconhece uma realidade que muitas mulheres não descortinam. Todos os novos parceiros sexuais que as mulheres aceitam, não só tornam essas mulheres marginalmente menos atraentes aos olhos dos homens interessados em compromissos permanentes, como também reduzem o seu potencial valor marital.

Nikolas Försberg
August 26th, 2012, 04:28 AM
Dez grandes mentiras do feminismo

http://3.bp.blogspot.com/-nBO-lIRJ1oo/T3d7WzXGXFI/AAAAAAAAI6E/ZWZVkn0ExUg/s400/182.jpg

Continue lendo... (http://omarxismocultural.blogspot.pt/2012/03/dez-grandes-mentiras-do-feminismo.html)

Mulheres eram mais felizes antes da chegada do feminismo

http://2.bp.blogspot.com/-ujb4SJIWT48/T1Jp_qwf6aI/AAAAAAAAIHU/HcAjeXbAbHw/s400/0035.jpg

Um artigo feito por Betsey Stevenson e Justin Wolfers, The Paradox of Declining Female Happiness, demonstra que os níveis subjectivos da felicidade feminina diminuíram:

Apesar da vida das mulheres nos EUA ter melhorado muito durante os últimos 35 anos, tendo como base muitos métodos objectivos de quantificação, nós mostramos agora, segundo a analise do bem estar subjectivo, que a felicidade da mulher piorou - tanto em termos absolutos como em comparação com os homens.

Este declínio no bem estar relativo encontra-se através dos vários conjuntos de dados, análise do bem estar subjectivo, grupos demográficos, e países industrializados.

O declínio relativo na felicidade feminina gerou uma lacuna na felicidade onde as mulheres dos anos 70 reportavam um bem estar subjectivo superior ao dos homens.

Este declínio continua e uma nova lacuna está a emergir - uma onde se verifica um bem estar superior entre os homens.

Portanto, as mulheres eram mais felizes antes do feminismo e das grandes empresas (aliadas aos governos) "libertarem-nas" do horrível papel de dona de casa - onde elas sofriam humilhações diárias como cuidar dos filhos, alindar a casa e ter um homem a trabalhar para si - e colocarem-nas nas grandes prisões em cubo, lugar onde elas aparentemente tanto desejavam estar.

Que surpresa tão grande. Retirem as mulheres do ambiente que melhor se ajusta à sua natureza empática e nutridora, coloquem-na no jardim zoológico que é o actual ambiente de escritório, e elas começam a arrancar os seus cabelos como se fossem um animal selvagem recentemente enjaulado.

No entanto, e embora elas se apercebam de que algo está errado e estejam cientes das milhentas mulheres com histórias similares, elas continuam a depositar a sua fé nas líderes feministas quando estas lhes mentem e lhes dizem que isto é o que elas sempre quiseram (ficar longe dos filhos e ser escrava do salário).

Quem agradece são as grandes empresas e o Estado. Com mais pessoas no mercado de trabalho, as empresas pagam ordenados mais baixos. Semelhantemente, com a presença da mulher no mercado de trabalho o Estado tem mais pessoas a quem recolher impostos.

Zoe Lewis: Fui enganada pelo movimento feminista

Nunca pensei que alguma vez viria a dizer isto, mas ser uma mulher "livre" não é bem o que se pensa. Esse som que oiço será o das sufragistas a rebolarem nos seus caixões? Talvez.

A minha mãe era uma hippy que manteve uma colecção de livros (poeirentos) de Germaine Greer e Erica Jong junto à sua cama (tal como todas as boas feministas, ela nunca entendeu o porquê de ter que ser ela a fazer toda a limpeza doméstica). Ela incutiu em mim os grandes valores da escolha, igualdade e libertação sexual. Lutei contra o meu irmão mais velho e venci; na universidade ganhei aos rapazes do râguebi em jogos de bebedeira. Comigo não se brincava.

Hoje, com 37 anos, esses mesmos valores fazem-me sentir um pouco fria. Quero amor e filhos mas nenhum deles está perto. Sinto-me como um inspector da ONU enviado para o Iraque apenas e só para descobrir que nunca houve armas de destruição maciça.

Fui levada a acreditar que as mulheres poderiam "ter tudo" e, mais apropriadamente, que nós queríamos tudo. Tendo esse fim em vista, passei 20 anos a perseguir os meus sonhos de forma impiedosa - para ser uma bem sucedida "playwright". Sacrifiquei todos os meus deveres femininos e depositei-os no altar da carreira profissional. E será que valeu a pena? A resposta só pode ser um não resoluto.

Há 10 anos atrás o The Times publicou um artigo em volta da minha peça "Paradise Syndrome". Era baseado na vida das minhas amigas na indústria da música. Tudo o que fazíamos era fazer festas, trabalhar e beber. A peça esgotou e então pensei:

Pronto! É agora que vou ter tudo: sucesso, poder, e os homens vão-me desejar por isso.

Na verdade, isso foi o princípio de anos de trabalho árduo, cartas de rejeição e vida nas filas de pão.

Uma década depois escrevi a peça de continuidade com o nome "Touched for the Very First Time", onde a Lesley, desempenhada por Sadie Frost, é uma rapariga normal de 14 anos de Manchester que se enamora com a Madonna, em 1984, depois de ouvir a música "Like a Virgin".

Ela segue religiosamente a ícone através dos anos enquanto Madonna vende o seu último sonho: "Tu podes fazer tudo - ser o que quiseres - segue em frente, miúda."

Lesley descobre ao mesmo tempo que Madonna que tentar "ter tudo" é um grande jogo. Escrevi esta peça porque muitas das minha amigas foram inspiradas por esta mulher teimosa que nos permitiu ser fortes e sexy. Ainda a amo e sempre a hei-de amar, mas ela encorajou-nos a perseguir uma fantasia, o que é uma grande desilusão.

Eu posso até ser um caso extremo. Os meus pontos de vista podem não representar o que as outras mulheres da minha geração pensam. Será que eu apenas sou uma miúda mimada da classe-média que teve uma carreira profissional que apenas mudou de forma de pensar? Acho que não.

Este mês a "General Household Survey" observou que o número de mulheres solteiras com menos de 50 anos aumentou mais do que o dobro durante os últimos 30 anos. E aos 30 anos, uma em cada cinco destas "freemales" (free + females, livres + femininas) que escolheu a independência em vez dum marido, já atravessou uma coabitação falhada.

Eu argumento que as liberalistas das mulheres dos anos 60 e anos 70 colocaram o carreira profissional em primeiro plano, pisando o papel tradicional das mulheres por baixo dos seus Doc Martens. Quem me dera que uma visão mais balanceada da mulher tivesse estado à minha disposição. Quem me dera que ser uma dona de casa ou uma mãe não fosse uma ideia tão tóxica para as liberais da classe média do passado.

Um número cada vez maior das minhas amigas feministas está a desistir das sua carreiras em favor do amor, das crianças e da cozinha. Quem me dera ter tido filhos há 10 anos atrás, quando o tempo estava do meu lado, mas o problema não foi o tempo mas a mentalidade. Tomei a decisão consciente de não ter relacionamentos sérios porque pensei que tinha todo o tempo do mundo. Muitas das minhas amigas fizeram o mesmo.

Isto resume-se em entender o que é realmente importante na vida, e pelo que já vi e pelo que sinto, relacionamentos amorosos e as crianças trazem mais felicidade que o trabalho alguma vez poderia trazer. Natasha Hidvegi, de 37 anos, deixou o seu trabalho como cirurgiã para se dedicar ao seu filho.

Descobri que era impossível ser uma boa mãe e uma boa cirurgiã. Embora tenha sido uma decisão horrível, não me arrependo.

Sempre pensei que as homens gostariam de mulheres independentes e fortes, mas (no geral) não parece ser esse o caso. Eles não tem culpa. Não está nos seus genes.

Holly Kendrick, de 34 anos e com um emprego de elevado estatuto no teatro, concorda:

Os homens tem tendência a ficar perturbados quando as mulheres trabalham tanto como eles.

É por isso que muitas das minhas amigas está sozinha.

A verdade, no entanto, não é que os homens não tenham aceite a modernidade feminina - a mulher alfa que nunca questiona o seu direito de ter os mesmos empregos, a mesma diversão e a mesma gratificação sexual que os homens - mas sim que as mulheres não aceitaram.

Eu sinto uma pressão enorme por parte das mulheres da minha geração, que tem parceiros e filhos, para nos juntarmos ao seu clube. Aos seus olhos eu não sou a indicadora dum novo percurso mas sim uma falhada. A minha amiga Rita Arnold, de 36 anos, trabalha em Marketing.

Não são os homens que me julgam por ser uma carreirista. São as outras mulheres. As garras saem para fora.

Isto deixa-me doente. Nós estamos a desiludir-mo-nos umas as outras mas há uma traição ainda maior. Eu sou uma falhada aos meus próprios olhos. Algures dentro de mim espreita uma mulher que eu não posso controlar. Ela está na cozinha com um bebé à cintura e com massa de farinha nas mãos e a olhar para mim de cima para baixo. Ela diz-me:

Isto é felicidade, tudo resume-se a isto.

É um instinto que faz de mim uma mulher, um instinto que eu não posso ignorar mesmo que quisesse.

Felicity Wren, 36 anos, é uma actriz que ainda busca o sr Perfeito. “Sinto a pressão, mas apenas de mim própria, porque eu não tenho uma vida convencional. A maior parte das pessoas não se importa.”

Se eu tivesse este entendimento da minha natureza há 10 anos atrás, eu teria despromovido a minha escrita (e o hedonismo) e buscado vigorosamente um relacionamento. Houve muitos homens e mesmo uma proposta de casamento, mas eu não queria desistir dos meus sonhos.

Falei com as raparigas que eram o assunto da minha peça "Paradise Syndrome" em 1999. Sas Taylor, 38 anos, solteira e sem filhos, gere a sua companhia de Relações Públicas:

Durante os meus anos 20 eu sentia-me invencível . . . . Mas agora eu gostaria de ter feito as coisas de forma diferente. Parece que assusto os homens por ser tão capaz [profissionalmente]. Tenho um bem sucedido negócio mas isso não te faz feliz.

Nicki P, 35 anos e solteira, trabalha na indústria musical e acrescenta:

No passado era tudo um jogo, mas agora estou em pânico. Ninguém me disse que divertir-me não era tão divertido como pensava.

À medida que escrevo isto, sinto-me triste, como se os princípios feministas que a minha mãe me ensinou estejam a ser lançados no lixo. Será que estou a trair a feminilidade? Não; estou apenas a revelar uma verdade vergonhosa.

As mulheres geralmente são as maiores inimigas do feminismo devido à nossa composição genética. Nós temos um tempo limitado para sermos mães e quando o tique-taque do relógio começa, nós abandonamos a nossa força e saltamos para a cama com quem quer que esteja disponível, esquecendo os tempos de entrega e as apresentações de PowerPoint em favor de carrinhos de bebé e os tempos de ovulação.

Nem todas as mulheres querem filhos mas desafio uma mulher a dizer que não quer ter um relacionamento amoroso. Quem me dera ter tido o conselho que estou a dar à minha irmã de 21 anos:

Se encontrares um bom homem, não tenhas medo de assentar e ter filhos uma vez que não perdes nada que não possas fazer mais tarde (exceptuando ter filhos).

Espero que no futuro haja um melhor entendimento da mulher por parte da mulher. Os últimos 25 anos foram confusos e sinto-me apanhada em fogo cruzado. Como mulheres nós devíamos aceitar-mo-nos umas as outras em vez de apenas apreciarmos o "sucesso". Sempre senti uma pressão enorme para ser bem sucedida como forma de mostrar aos homens que sou igual a eles. A mulher e a mãe deveriam ter paridade com a o papel de mulher de carreira na mente das feministas. [♦ Zoe não sabe que o feminismo radical tem como objectivo destruir o casamento ♦]

A minha mãe teve filhos cedo e de forma brilhante fez malabarismo entre uma carreira de produtora de cinema e ser progenitora. Ela fazia parte duma geração na encruzilhada: tinham valores feministas mas tinham filhos cedo. Não teve as oportunidades de emprego que a nossa geração possuiu; ela teve que aceitar trabalhos menores de forma a estar presente nas noites paternais.

A escolha e a carreira são vitais, claro, mas nenhuma delas deve ser perseguida de forma impiedosa. Gosto de ser escritora e ainda tenho o meu sonho, mas agora estou a enfrentar os factos.

O que melhor me fez sentir na vida foi estar apaixonada pelo meu ex-namorado, e o que me faz sentir mais focada é estar no campo com crianças, cães, e, sim, talvez na cozinha.

A planeada destruição da família

Recentemente, uma "mulher abusada"- esta era a forma como ela se identificava - requisitou a minha ajuda. O seu amante, que não vivia com ela e com os seus filhos, a havia espancado de forma violenta forçando-a a ir ao hospital. Depois disto, ele trouxe-a de volta à sua casa e ficou com ela durante o tempo em que as suas mazelas recuperavam.

Com um grande suspiro eu disse "você não é uma mulher abusada". Eu defino uma mulher abusada como aquela que é uma vítima genuína da violência do seu parceiro. "Você é uma mulher inclinada à violência, vítima da sua necessidade da violência."

Eu dei um longo suspiro porque essas duas frases, proferidas há 25 anos atrás, durante o meu trabalho inicial em Chiswick, causaram a que eu fosse odiada e desprezada. Tornei-me na consciência da nação.

Atrevi-me a afirmar publicamente que as mulheres podem ser tão violentas como os homens e que as mulheres eram psicologicamente mais violentas que os homens. No caso desta mulher há muito trabalho por fazer, e ele precisa de arranjar um bom terapeuta.

http://2.bp.blogspot.com/-JJVbON-9DwM/T4bHzMrpJII/AAAAAAAAJIA/uIupF1t03aE/s400/2.jpeg

Em 1971, inspirada pela promessa de mulheres jornalistas e outras manipuladores dos média, decidi juntar-me ao recentemente formado Movimento das Mulheres. "A irmandade [feminina] é poderosa" cantavam elas. "Irmãs, uni-vos, fim à competição, mulheres a ajudar outras mulheres."

Soava demasiado bom para ser verdade. O meu primeiro encontro deixou-me cheia de dúvidas. O mesmo foi mantido num casa muito classe-média em Chiswick e eu olhei para os cartazes de Mao [militante ateu, esquerdista e o maior genocida da história da humanidade] nas paredes da sala de estar.

Quando me perguntaram o porquê de eu estar ali, eu disse que o meu marido era um repórter televisivo e devido a isso raramente estava em casa; como tal eu sentia-me sozinha e isolada com os meus dois filhos.

O seu problema não é o seu isolamento mas o seu marido. Ele oprime-a e é um capitalista.

Eu ressalvei o facto dela também ter uma mensalidade da casa para pagar, e que longe de ser um "opressor", o meu marido tinha ficado em casa a tomar conta das crianças enquanto eu ia à reunião. O marido dela encontrava-se numa reunião sindical a organizar a fábrica "Brentford Biscuit" , com a ajuda das suas qualificações em Ciência Política, como forma de preparar a revolução vindoura.

O que a mulher não sabia é que eu era filha dum diplomata. Nasci na China e viajei o mundo inteiro com o meu pai. Também trabalhei para o Ministério das Relações Exteriores e estava bem ciente das atrocidades da Rússia e da China.

Depois, durante o chá, foi-nos assegurado que as mulheres eram um grupo minoritário. Eu ressalvei que as mulheres são 52% da população mundial [algo que o aborto está a mudar de forma rápida visto que o mesmo mata mais mulheres que homens]. Foi-me dado o pequeno livro vermelho de Mao e uma cópia da revista SHREW magazine. Levei-a para casa e fiquei horrorizada com o ódio que a mesma vomitava contra os homens.

Decidi que esta organização precisava de ser analisada de modo mais atento.

Com ambas as crianças na escola, e com tempo livre nas minhas mãos, fui trabalhar para a "Women's Liberation Workshop" em Shaftsbury Avenue. Fui testemunha de mulheres a abrirem cartas e a colocarem nos seus bolsos as 3 libras e os 10 shillings que mulheres desesperadas enviavam como forma de se alistarem ao movimento. Tentei responder ao maior número possível de cartas .

Parte do dinheiro era canalizado para a aquisição de explosivos. Terroristas pertencentes ao Movimento das Mulheres arrebentaram a carrinha da BBC que se encontrava no Concurso da Miss Universo e arrebentaram com o topo da "Post office tower".

Chamei a polícia. Toda esta bagatela e toda esta retórica tinham como propósito levar a cabo o levantamento da "classe operária", a morte do Capitalismo e a destruição de todos os homens. Escusado será dizer, mas practicamente não havia mulheres da classe operária no movimento. A maior parte da revolução era combatida à volta de mesas de jantar da classe média na sinistra Islington.

Por esta altura eu já era a "inimiga". Durante esta fase a maior parte dos homens via o movimento como uma anedota mas, como os homens afastados das suas próprias casas e longe dos filhos confirmarão, isto não era uma anedota. Atacados por advogadas feministas e terapeutas, os homens tem sido rotineiramente privados das suas casas, dos seus filhos e dos seus rendimentos.

Eu sabia que queria realizar o meu sonho original: mulheres a trabalhar com mulheres em cooperação com os homens. A sugestão de que deveríamos trabalhar em parceria com os homens era anátema para estas mulheres. O Movimento das Mulheres era dominado pelo Movimento Separatista Radical. Não só elas odiavam os homens, como odiavam as mulheres heterossexuais. Eu pude através da sua agenda muito bem oculta.

Pus-me de pé em plataformas e disse que, se tinha que pagar 3 libras e 10 shillings, reunir-me em células e identificar as minhas amigas como "camaradas", então elas estavam a pedir que eu me alistasse no Partido Comunista. Não colectem dinheiro sob falsas pretensões.

Eu tinha muitos bons amigos comunistas. Eu queria um partido que realmente representasse as mulheres e não política masculina gasta.

. . .

Os encontros colectivos e as conferências iniciais envolviam centenas de mulheres, na sua maioria mulheres da classe média aborrecidas com o seu estilo de vida, e elas eram assustadoras. Qualquer pessoa que tenha sido educada num internato como eu fui sabe o quão violentas e manipulativas as mulheres podem ser. O bullying nas cooperativas não tinha paralelo. Não havia batons, saltos altos ou desodorizante e eu violei todas as regras.

Eu perguntei:

Se tu odeias os homens, porque é que usas fatos e gravatas masculinas?

A resposta vazia de humor foi "Estamos a usar os símbolos da nossa opressão."

Através da leitura da literatura do Movimento das Mulheres, apercebi-me que estas milhares de mulheres a trabalhar em todos as áreas de cuidados sociais, os jornalistas e os produtores de televisão estavam determinados em destruir a família. [Ver o "Manifesto Comunista"]

"Tornem assuntos pessoais em assuntos políticos" era um dos seus estandartes. Devido a isto, milhares de mulheres violentas e perturbadas atacaram as mulheres que se encontravam satisfeitas nos seus casamento e nos seus estilos de vida tradicionais.

Realizavam-se encontros secretos (tudo era feito em segredo) e eu recebi uma carta que dizia:

"... e a cooperativa decidiu que, até todo o assunto estar resolvido, e você ter declarado a sua posição a uma advogada, ou qualquer outra pessoa na N.C.C.L., você não deveria trabalhar na agência ou participar nos encontros em qualquer cooperativa.'

Profundamente deprimida com a minha experiência no movimento, abandonei-o e comecei a fazer o que sempre acreditei que genuinamente libertaria as mulheres; um lugar para unir e trabalhar em cooperação com os homens.

Passado pouco tempo, mulheres vítimas de violência física e os seus filhos começaram a buscar a minha ajuda. Não havia qualquer tipo de literatura em torno das mulheres vítimas de violência e como tal eu escrevi "Scream Quietly Or The Neighbors Will Hear."

Comecei a ter problemas imediatos porque não só o livro não era "politicamente correcto", como discutia a violência doméstica e eu não permiti que os editores da Managing Director politicizassem o meu livro. Por esta altura comecei a defender que, das primeiras 100 que vieram ao abrigo, 62 eram tão violentas - ou mais violentas - que os homens que haviam deixado para trás.

Muitas prostitutas buscavam refúgio dos seus proxenetas violentos. Isto enfureceu o Movimento das Mulheres. Eu sabia que, mal eu conseguisse atrair publicidade e financiamento, o Movimento das Mulheres, que por esta altura não atraía nenhuma das duas, me iria bater à porta.

Quando realizei uma pequena conferência, sob o propósito de ajudar outros grupos, muitas centenas de mulheres unidas a feministas, e separatistas feministas radicais, invadiram a conferência.

http://2.bp.blogspot.com/-BKucjR-yTiM/T4bJzZoc2wI/AAAAAAAAJIY/xuQP1L7h68U/s400/1.jpeg

Elas deram início ao tradicional lixo por elas proferido tentado apelar às mães que estavam no meu refúgio e usando com frequência a frase "classe operária".

As minhas mães [as mulheres que estavam no abrigo] não se deixaram impressionar.

Uma das minhas amigas mais próximas em Chiswick disse [às feministas] "não há uma única mulher da classe operária entre vocês." Outra, ligeiramente mais corajosa, disse:

Voltem para casa e levem convosco os vossos dildoes.

Saímos dali e deixamos que elas resolvessem o assunto entre elas. Mais tarde elas formaram o "The National Women's Aid Federation" (NWAF). Isto alegrou os meus muitos inimigos no Home Office e no Department Of Social Security. O meu maior inimigo na minha primeira reunião era uma afiliada da irmandade. "Como é que vais cobrir as dívidas do abrigo?" perguntou ela. "Vou orar", disse eu. Eu fazia-o o tempo todo porque foram as nossas orações que sustiveram Chiswick durante todos aqueles anos.

A NWAF usou todos os seus contactos nos média (muitos deles eram jornalistas) para denegrir o meu trabalho.

Por esta altura eu escrevia durante a noite em casa. Eles vieram entrevistar-me acerca dos meus livros mas os livros nunca foram tema de conversa, mas sim o quão gorda eu era ou o quão beligerante eu era.

Há pouco tempo perguntei ao Home Office pelos seus relatórios mais recentes e não fiquei surpresa em descobrir que o meu nome e o meu livro 'Scream Quietly', o primeiro livro no mundo em torno do espancamento de mulheres, estavam desaparecidos.

A partir de outros colegas escritores fiquei a saber que os editores da publicadoras londrinas eram eles mesmos feministas radicais e era hábito seu ditar os temas a escritores desesperados, que eram então coagidos a escrever o livro dos editores, sabendo que, se recusassem, nunca seriam publicados.

O meu irmão Danny escreveu sempre o que lhe foi dito para escrever. Certa altura, e pouco antes de morrer, ele queixou-se amargamente através do telefone que "Não tenho contractos ou acordos cinematográficos em vista." Ele reescreveu 4 vezes a sinopse de 400 páginas do seu livro de modo a que este estivesse de acordo com o que o seu agente e o seu publicador queriam.

. . .

Durante todas as minhas batalhas eu sempre defendi que a vida familiar é - e vai ser sempre - o fundamento de qualquer civilização. Destruam a família e irão destruir o país.

Eu avisei que, entre todas as mulheres que vinham com os seus filhos ter comigo, nenhuma usava contraceptivos. As minhas mães tinham em média 5.1 filhos, enquanto as famílias não violentas tinham a média de 2.5. Escrevi relatórios, elaborei memorandos mas para nada. Ninguém queria ouvir o que eu tinha a dizer.

Na parte traseira do livro 'Scream Quietly' listei todas as agências que haviam falhado junto das minhas famílias. Escrevi que eu não me mantinha em contacto com qualquer tipo de assistente social, mas que via activistas políticos com qualificações em ciências sociais. O mesmo para professores, oficiais de liberdade condicional, editores de livros e revistas. Tal como um cancro gigante, este movimento enterrou as suas patas em todo o sítio onde era possível extrair poder.

Muitas mulheres, com a ajuda de homens fracos, procuraram destruir-me e destruir o meu trabalho. Eu sabia que, depois de finalmente ter defendido casos judiciais que envolviam a desobediência a juízes como forma de salvar a vida de crianças, eu seria expulsa do meu próprio refúgio.

Alguns poucos homens corajosos tentaram fazer as suas vozes ouvidas, apercebendo-se do perigo. Também eles foram atacados e perseguidos - tanto por homens como por mulheres. Os homens de negócio dos média, gerindo directores de casas de publicação, nunca se aperceberam que os seus editores lhes estavam a mentir.

Apelando ao argumento do número. "Quem é que tu pensas que és?" gritou uma editora feminista. "Devo ser alguém." respondi eu. "Afinal, estou na lista Quem é Quem de Debret. Você não é ninguém entre as publicadoras." Outra disse . . . "Porque é que não escreves o tipo de livros que tu sabes que eu gosto, Erin . . . . livros sobre mulheres a amarem outras mulheres?" Eu respondi "Não posso. Sou heterossexual e todos os meus livros celebram a vida familiar."

Como os homens olhavam para o abrigo como "uma assunto de mulheres", enviavam mulheres-repórteres com o expresso propósito de me atacar. Dirigi-me a uma conferência de feministas radicais e perguntei-lhes o porquê de eu ter que respeitar as suas escolhas políticas e a sua liberdade em definir a sua própria sexualidade, mas elas negavam-me os meus direitos em torno da minha heterossexualidade, o meu direito de viver e preservar a vida familiar e o apreço de estar em casa com a minha família.

Acho que ser mãe e avó deu-me mais alegria que qualquer outra conquista. Gritaram comigo e deparei-me com hostilidade incrível.

Mariana Britto não sabe o que é o feminismo

Continue lendo... (http://omarxismocultural.blogspot.com.br/2012/06/mariana-britto-nao-sabe-o-que-e-o.html)

PS: O link contém imagens fortes.

Mulheres tóxicas (http://omarxismocultural.blogspot.com.br/2011/10/mulheres-toxicas.html)

Uma mulher é tóxica se ela abraçou o feminismo e vive de acordo com as crenças cardinais de total egoísmo e irresponsabilidade para as mulheres. As mulheres tóxicas não só são bastante comuns como não parece que sejam uma espécie em vias de se extinguir num futuro próximo. De facto, as mulheres tóxicas são em maior número que as mulheres não-tóxicas.

As mulheres tóxicas pensam que é moralmente correcto:

Usar o sistema legal sob controle feminista para roubar os bens do ex-marido após o divórcio;

Negar o acesso do pai aos seus próprios filhos se a mulher quiser;

Iniciar processos legais contra patrões e colegas se ela achar que esta a ser "oprimida";

Acusar um homem de violação se, após uma noite de intimidade, ele não a abraça pela manhã ou nunca mais volta a ligar;

Ter empregos como "bombeira" e polícia (ou militar) e receber o mesmo que os homens embora não tenham a mesma habilidade, força ou destreza, e nem corram os mesmos riscos que o homem corre.

Não é seguro um homem ficar sozinho com uma mulher tóxica e nem é seguro ele dar-lhe boleia até a sua casa ou fazer-lhe qualquer tipo de um elogio - as falsas acusações de violação ou assédio sexual estão prontas a serem lançadas por mulheres que sofram uma de uma vasta gama de problemas de personalidade.

Se um homem espera evitar problemas legais e financeiros, ele nunca deve sair em encontros românticos, ficar perto, contratar ou interagir com mulheres tóxicas.
Mulheres tóxicas na sociedade.
Se tu és um homem a viver na Europa ou nos EUA, ou em qualquer outro lugar onde o feminismo já tenha infectado as mulheres locais (Brasil, etc), então tu és um homem a viver entre milhões de mulheres tóxicas. Estas mulheres não são um bocado tóxicas: elas são tóxicas até ao extremo. Elas são tão tóxicas que apenas o gesto de estar ao lado delas é prejudicial para a saúde do homem.

O feminismo, e a sua disseminada adopção por parte da maior parte das mulheres ocidentais, gerou uma mentalidade feminina monstruosa que aflige todos à sua volta. Esta mentalidade "primeiro eu", "quero tudo", "sou melhor que tu" é uma atitude que estas mulheres abraçaram tendo pleno conhecimento (ou ignorância imperdoável) do mal que isso causa às pessoas à sua volta - em especial aos homens.
Quão tóxica é esta mulher?

Feministas são tóxicas se te casas com elas.

Antigamente o casamento não só era algo de importante como também era a base da sociedade, e, de facto, de toda a civilização. De uma forma ou outra, e atravessando culturas e divisões históricas, a definição formal de família - que implicava a união entre um homem e uma mulher - teve um propósito vital em incentivar o homem, proteger a mulher e gerar crianças.

Nos dias que correm, no entanto, o casamento é um contrato totalmente desigual onde o homem foi sobrecarregado com responsabilidades financeiras em relação à mulher, ao mesmo tempo que, à mulher, nada foi imposto, requerido ou restrito.

Com um divórcio sem responsabilidades, a mulher é livre para escolher abandonar o casamento (e em 90% dos casos é ela que inicia o divórcio) desde que ela assim o sinta, tendo como conforto a certeza de que o ex-marido vai ser obrigado a pagar o estilo de vida a que ela se acostumou. No entanto, não há qualquer tipo de provisão nesse sentido para o estilo de vida do homem - aparentemente é moralmente aceitável ele experimentar um decréscimo acentuado no seu estilo de vida devido ao facto dele estar a financiar as escolhas da sua ex-esposa.

As mulheres tornaram-se tão tóxicas, especialmente as mulheres americanas, que elas se aperceberam que estão a ser de modo incremental rejeitadas em favor de mulheres não-ocidentais. Mas em vez de levarem esse facto como um aviso ao seu nível tóxico, elas (as mulheres ocidentais) tentam impedir os homens de buscarem mulheres não insuladas pelo feminismo.

Se um homem não tomar cuidados extremos em escolher uma mulher que EXPLICITAMENTE renuncia o feminismo - e uma mulher em que ele possa depositar confiança - o casamento não é viável para o homem ocidental. A mulher tóxica tem muitas opções, muitas armas e muitas agências - incluindo o governo - que tem interesse em encorajá-la em abandonar o marido e destruí-lo no processo.

As mulheres são tóxicas se tiveres relações sexuais com elas.

Com a histeria injustificada em torno das violações que ocorrem nos encontros, ou violações sob efeito do álcool ou drogas, e mesmo violações entre conjugues, as mulheres estão sempre prontas a acusar os homens de violação quando se encontram na inconfortável posição de ter dormido com um homem e depois arrependerem-se pela manhã.

As mulheres são tóxicas se as contrata-as.

Contratar uma mulher com idade para conceber filhos não faz sentido para as pequenas empresas. Para além de elas poderem ter que se ausentar para ter os filhos, as mulheres no local de trabalho no geral são um risco e um peso para o patrão e para os colegas de trabalho.

A presença de mulheres no local de trabalho abre uma avenida de potenciais problemas que não existem com os homens:
* Alegações de assédio sexual
* Queixas em relação às diferenças salariais
* Ausências maternais
* Queixas em torno de "oportunidades iguais"
* "Alturas do mês".

As mulheres são tóxicas se lhes dás boleia a casa ou se partilhas um elevador com elas.

As falsas acusações de violação ou assédio sexual são bastante comuns em países como a Inglaterra. Isto é tanto assim que várias normas tem que ser seguidas para governar a interacção entre os homens e as mulheres. De um modo ostensivo, estas regras foram feitas para proteger as mulheres dos predadores masculinos (com todos os homens a serem inseridos neste grupo).

No entanto, apesar da misandria inerente a estas regras, elas ajudam os homens mais do que ajudam as mulheres uma vez que, embora os assédio reais e as violações sejam raras, as falsas acusações contra os homens são comuns.

Aconselha-se aos homens que se mantenham bem longe das mulheres tóxicas (feministas) e certifiquem-se que nunca se encontram sozinhos com elas em lugar algum.

As mulheres são tóxicas se tiveres filhos com elas.

Mães tóxicas não só estão totalmente à vontade para negar direitos de visita a pais sem custódia, como também possuem o total apoio do sistema de justiça - supostamente "no melhor interesse da criança".

As mulheres são também livres de acusar falsamente o homem de violência doméstica ou abuso sexual de modo a que a lei previna o marido de ver os filhos - e ela fique com a custódia.

Quando as mentiras das mulheres tóxicas são descobertas, os tribunais raramente punem as mulheres (supostamente como forma de "defender os interessas da criança").

As mulheres são tóxicas se discordas com elas.

Se um homem não está de acordo com as crenças cardinais do feminismo - pior, se ele chega a trazer a lume um ponto que não está de acordo com "os direitos da mulher" - ele é logo catalogado de "misógino". Desta forma, todas as opiniões masculinas feitas auto-defesa dos ataques feministas são suprimidas ao serem categorizadas de "ataques à mulher".

Por exemplo, se uma feminista declara que as mulheres são "o motor da sociedade", e tu lhe apontas para o facto de todas as grandes descobertas científicas e tecnológicas da Humanidade terem sido feitas por homens, apesar do que tu dizes ser uma constatação óbvia e historicamente correcta, a feminista pode considerar isso "um ataque às mulheres".

As mulheres são tóxicas se tu trabalhas com elas.

Devido aos seus receios de serem vítimas de falsas acusações de assédio, muitos (muitos!) homens que trabalham em sítios como a City de Londres nunca entram num elevador se a única pessoa lá presente é uma mulher. Mesmo homens poderosos e donos de grande companhias vivem com um medo constante das acusações das empregas.

Será que as mulheres vão mudar? Haverá luz no fundo do túnel?

Não, não há. Tal como as coisas estão actualmente, e devido às vantagens que essa ideologia lhes dá sobre os homens, não há incentivos para que as mulheres abandonem o feminismo. Apesar das supostas vantagens serem detrimentais para as mulheres - bem como para os homens e para as famílias - elas sabem bem para as mulheres e como tal, não há esperança em elas renunciarem essa ideologia.

O egoísmo das mulheres tóxicas simplesmente é demasiado extremo para elas se aperceberem da armadilha que o feminismo cavou para todos nós. Elas caíram na cantiga da sereia do feminismo e elas não só pensam que são as "escolhidas" como acreditam que são inerentemente superiores aos homens.

Elas ficam felizes quando roubam os bens do ex-marido e impedem-no de ter contacto com os filhos -- elas realmente pensam que isto é uma vitória para elas. Elas nem se apercebem dos estragos que o seu egoísmo causa nos seus próprios filhos ao privá-los da presença fundamental do pai.

Mulheres tóxicas não só gostam de sistemas de quotas (em inglês, "affirmative action" = acção afirmativa) que negam empregos a homens mais qualificados, como ficam contentes quando podem iniciar processos legais contra os patrões por qualquer que seja a razão. Elas consideram isso como "dar poder às mulheres".

Devido ao seu egoísmo, elas não se apercebem do mal que tal atitude está a causar à economia ocidental.

Os homens e os rapazes são tratados como inferiores às mulheres e às meninas quando, de facto, o mundo depende do homem duma forma que não depende da mulher. Como diz o ditado, "o homem constrói, as mulher decora". Ao porem de parte os homens e os rapazes - na verdade ao oprimirem-nos - a sociedade ocidental caminha para a auto-destruição (exactamente o que os marxistas querem).

As mulheres são muito mais consumidoras do que geradoras de riquezas, e elas dependem mais do homem do que o homem depende das mulheres. Se as mulheres deixassem de existir amanhã de manhã, os homens provavelmente inventariam úteros artificiais e prosseguiriam com a vida.

No entanto, se todos os homens morressem hoje, a civilização iniciaria o processo de extinção mal a primeira lâmpada se fundisse.
As mulheres tóxicas são a norma e não a excepção no ocidente. Se queres minimizar as hipóteses de cair na rede duma mulher tóxica, eis aqui alguns passos que podes tomar:

1) Toma muito cuidado com quem te casas. Se não conseguires encontrar uma mulher que não esteja infectada com mentiras feministas, o melhor é ficares solteiro.

2) Nunca tenhas relações sexuais com mulheres que não conheças bem se ela tiver consumido álcool.

3) No local de trabalho, evita ficar sozinho com uma mulher tóxica. Se tiveres um escritório próprio, deixa sempre a porta aberta quando uma mulher ficar sozinha contigo. Se estiveres para entrar num elevador, e vires que vais ficar sozinho com uma feminista, vai pelas escadas. Nunca dês boleia a feministas a menos que esteja sempre presente uma terceira pessoa.

4) Não é por acaso que não existe uma pílula masculina e a maior parte das crianças são concebidas sem o conhecimento (e aprovação) do pai. Estes dois pontos requerem ponderação mais alongada.

5) Se tens uma empresa, não contrates uma feminista em idade para ter filhos (20-35). Se o fizeres, é provável que te tornes num ex-patrão.

6) Faz um teste de paternidade para todos os teus filhos. A tua mulher não levantará problemas se o teu propósito é ter o mesmo grau de certeza que ela tem. Se ela colocar objecção - mesmo de um modo passivo - e apelar ao argumento da "confiança" ("Não confias em mim?!!!") , então estás a lidar com uma mulher tóxica. Provavelmente um dos filhos que ela diz ser teu é de outro homem.
As coisas estão assim tão más?

Claro que não - espero eu. No entanto, tal como escrito em cima, a esmagadora maioria das mulheres ocidentais subscreve a muitos princípios do feminismo. Como tal, não prejudica nada estar preparado.

Nikolas Försberg
August 26th, 2012, 04:34 AM
Marcha das vadias - versão 2012

Previsivelmente, como um relógio parado (ou uma doença crónica), as vitimistas profissionais irão mais uma vez aterrorizar o mundo civilizado com mais algumas horríveis e totalmente desnecessárias "marcha das vadias".

A ideia por trás deste espantalho é simples: as feministas não querem tomar responsabilidade pelo seu comportamento. Elas já fazem isso em relação à gravidez não planeada (matam o bebé), em relação aos casamentos (pedem o divórcio mas querem que o marido lhes pague o estilo de vida a que estão habituadas) e em relação ao facto dos homens normalmente avançarem mais na carreira profissional (quotas empresariais).

Agora elas querem-se desculpar de qualquer consequência que possa advir do facto de estarem vestidas duma certa forma. Como dito no passado, nenhuma mulher deve ser violada devido a forma como está vestida, tal como nenhum homem deve ser roubado só porque anda com a carteira no bolso de trás num autocarro cheio. Mas da mesma forma que é imprudente fazer a segunda, é imprudente usar roupas que podem atrair a atenção de homens potencialmente perigosos.

Mas as feministas acham que não. Para elas, a mulher deve vestir o que bem entender sem levar em conta as consequências. A única pessoa que se deve comportar de forma responsável é o homem. As mulheres não.

Daí se conclui que as marchas das vadias mais não são que uma evidência óbvia de que o feminismo é mais uma ideologia que visa dar estatuto especial a um segmento da sociedade ao defender que esse segmento não tem que assumir responsabilidade pelo que faz. Quem acha que tem, é um machista.

Navegando pela internet ficamos a saber duma marcha de vadias que terá lugar em São Paulo (Brasil).

O espectáculo circense é apresentado assim:

Para nós foi um ORGULHO levar esse evento adiante, e ver que podíamos contar com tantos homens, e mulheres, que foram até a Av. Paulista prestar apoio à causa.

Não bastava a cidade de São Paulo ser todos os anos aterrorizada com a decadência da "parada gay", aparentemente agora terá que suportar mais uma marcha de pessoas politicamente motivadas a exigir que a sociedade aceite o seu comportamento como "normal" - por mais nojento, vergonhoso ou infantil que ele seja.

Eis aqui algumas imagens seguidas dos meus comentários.

http://2.bp.blogspot.com/-sXzsA7CpSys/T6MqGeEwFLI/AAAAAAAAJxQ/LGVwhxHq5rs/s640/1-ORI.jpg

Ela pode não aceitar que o seu devasso comportamento sexual seja alvo de julgamento mas - felizmente - ele vai ser alvo de julgamento. Além disso o pensamento "eu durmo com quantos homens quiser e ninguém me pode chamar de vadia" confirma que esta marcha nada mais é que um grupo de feministas que não quer crescer e tomar responsabilidade pelos seus actos.

http://4.bp.blogspot.com/-4Dq4btmwCxk/T6MqHN2N0xI/AAAAAAAAJxU/mp4J8TqH2-M/s640/10-ORI.JPG

TRADUÇÃO: "Não vou deixar que a sociedade me condene pelo meu comportamento - qualquer que seja o meu comportamento. Eu sou feminista e como tal, posso fazer o que eu bem quiser!"

http://4.bp.blogspot.com/-ox2WOhWnaUE/T6MqH_1BRVI/AAAAAAAAJxY/YnWkgCaHS6o/s640/11-ORI.jpg

Ser vadia não é ser livre. Ser vadia é ser vadia.

http://1.bp.blogspot.com/-PTcAyc5KeRk/T6MqIrmAYxI/AAAAAAAAJxg/WQwjqabWukg/s640/12-ORI.jpg

Estas opções não são mutuamente exclusivas. Pode-se construir legislação que visa punir quem abusa sexualmente de mulheres (ou homens) sem no entanto deixar de ensinar as mulheres formas de evitar atrair a atenção de homens potencialmente perigosos. Aparentemente, as feministas não querem isso. Toda a responsabilidade deve ser colocada nos ombros dos homens enquanto elas, os anjinhos, se recusam a crescer.

http://4.bp.blogspot.com/-u1uQlyv6sOw/T6MqJMaVEHI/AAAAAAAAJxk/bZZrAZEyj7o/s640/13-ORI.jpg

E nós somos livres para julgar os comportamentos de quem não aceite qualquer tipo de limite à sua sexualidade. Além disso, o violador também é livre para exercer a sua sexualidade sem aceitar repressões morais ou religiosas. Mais uma vez, não se entende como é que este cartaz vai combater a violação.

http://4.bp.blogspot.com/-Olh8dGO-QwE/T6MqJs0xT5I/AAAAAAAAJxs/wTr7cnaOXcs/s640/2-ORI.jpg

Não há um nome específico para as mulheres que usam o corpo para terem o que querem?

http://2.bp.blogspot.com/-lLWj8mbqtzY/T6MqKfoaHqI/AAAAAAAAJx4/P8bvWFLbyWA/s640/3-ORI.jpg

Não seria uma marcha esquerdista sem recurso a equivalência entre coisas totalmente distintas. Para já, não se conhece qualquer padrão de beleza que force as mulheres com cabelo ondulado a alisá-lo. Isto é puro vitimismo feminista. Segundo, não há nada de "racista" em preferir mulheres com cabelo liso do que com cabelo ondulado (ou vice-versa). Da mesma forma que existem mulheres que preferem homens com um certo tipo de cabelo, existem homens com certo tipo de preferências. Terceiro: como é que este cartaz vai combater a violação?

http://3.bp.blogspot.com/-MD5eeIBZMIk/T6MqLOQJG-I/AAAAAAAAJyA/lu7uWXIkZgk/s640/4-ORI.jpg

Se ficaram com o mesmo número de parceiros, então são vadios - quer sejam homens ou mulheres. A diferença é que algumas mulheres não querem ser chamadas de vadias embora vivam como vadias.

http://2.bp.blogspot.com/-xzTmvCaEirw/T6MqL1hVo4I/AAAAAAAAJyI/n7imxEdJOoM/s640/5-ORI.jpg

Os violadores também não abrem mão do seu prazer só para agradar a certas pessoas. E depois? Também não lhe fazia mal nenhum abrir mão de alguns quilinhos.

http://4.bp.blogspot.com/-7hFSkxeuUBc/T6MqMcih76I/AAAAAAAAJyU/NRiAw_t9Fik/s640/6-ORI.jpg

Ou seja, educa rapazes a adoptar comportamentos femininos, e raparigas a adoptar comportamentos masculinos. "Excelente" mãe.

http://2.bp.blogspot.com/-EPk7fVaxkRc/T6MqNl1YmQI/AAAAAAAAJyc/o70xf0nGsvw/s640/7-ORI.jpg

Excepto se o desrespeito vier dum homem em quem ela esteja interessada. Nesses casos, a "irmandade" feminina vai por água abaixo e é um "salve-se quem puder" atrás do alfa.

http://3.bp.blogspot.com/-73B-EVwU4gw/T6MqOfM8tcI/AAAAAAAAJyk/uo1VscxdaS0/s640/8-ORI.jpg

Não, não é.

http://1.bp.blogspot.com/-M6LiLKOIunY/T6MqPDhCz3I/AAAAAAAAJyo/Aeqi1yPk7xQ/s640/9-ORI.jpg

Curioso que exista um cartaz a apelar aos "direitos iguais" quando alguns dos cartazes anteriores exigiam direitos desiguais uma vez que apelavam a que estas mulheres não sejam alvo de algo que toda a sociedade é: julgamento. Quem quer "direitos iguais" não exige "privilégios especiais".

* * * * * * *

Estas marchas têm todas o mesmo propósito: afirmar que qualquer que seja o comportamento da mulher feminista, ela não pode ser criticada por isso. Ela pode dormir com 40 homens numa semana mas não quer ser censurada por isso. Se algum homem a censurar, então ele é um machista.

O feminismo tem como um dos seus propósitos isto mesmo: tornar o comportamento feminino livre de qualquer tipo de crítica ou censura (politicamente correcto). A forma de anular esta mentalidade é fazer exactamente o que elas não querem que seja feito em relação a elas (embora elas o façam em relação aos homens): juízos de valor em relação ao seu o comportamento. Toda a sociedade passa por isso - até as crianças - e como tal, não há motivos para se excluir as mulheres.

Nikolas Försberg
August 26th, 2012, 04:56 AM
Filhos segundo o feminismo

Continue lendo... (http://omarxismocultural.blogspot.com.br/2012/08/blog-post.html)

Abaixo um texto extremamente importante retirado do site http://marxismocultural.blogspot.com.br/ (não é o mesmo blog que eu postei antes, existe diferença nos links http://omarxismocultural.blogspot.com.br )

Marxismo cultural (http://marxismocultural.blogspot.com.br/)

"Quem irá nos salvar da cultura ocidental ?" Gyorgy Lukács (1875-1971)

1 - Origem do marxismo cultural


Marx escreveu no Manifesto Comunista em 1848 o seguinte:

http://3.bp.blogspot.com/_BLjGVUUdlaM/St4InT-pSiI/AAAAAAAAAkU/2Onn9L8hQAE/s320/capa_do_manifesto_comunista.jpg

"O trabalho industrial moderno, a sujeição do operário pelo capital, tanto na Inglaterra como na França, na América como na Alemanha, despoja o proletariado de todo caráter nacional."

"Os operários não têm pátria. Não se lhes pode tirar aquilo que não possuem."

"A ação comum do proletariado, pelo menos nos países civilizados, é uma das primeiras condições para sua emancipação."

"PROLETÁRIOS DE TODO O MUNDO, UNI-VOS !"


Em virtude destas palavras proféticas do "mestre", no início do século XX, era unanimidade entre os seguidores da doutrina marxista de que na próxima guerra entre os países "capitalistas" da Europa, os proletários iriam se negar a lutar pelas suas pátrias, e com as armas nas mãos, se uniriam internacionalmente para derrubar a burguesia em todos os países desenvolvidos e tomariam o poder político implantando o socialismo !

Os "intelectuais" socialistas falavam com júbilo em suas palestras e conversas entre "intelectuais" - sobre essa certeza - o que o "mestre" havia previsto estava próximo de acontecer !

Porém, quando da Primeira Guerra Mundial em 1914-19, que envolveu a maioria dos países da Europa, para surpresa geral dos "intelectuais" socialistas, não aconteceu o que o "mestre" havia previsto !
Os trabalhadores se alistaram em massa aos exércitos das suas nações e lutaram pelas suas respectivas pátrias !

http://4.bp.blogspot.com/_BLjGVUUdlaM/St4JX7qEybI/AAAAAAAAAkc/r6cqqS6fp6c/s320/soldados-alemaes-multidao.jpg

A refutação do marxismo pela realidade histórica - "Soldado a caminho do front, alemão conta que pediu aos pais que não esperassem sua volta – Para ele, vitória de seu Exército é certa – Momento 'maravilhoso' justificaria os sacrifícios de seu país!"



Os "intelectuais" socialistas ficaram como baratas tontas, o chão se abriu sobre seus pés, como pode ter acontecido isso ?
Se perguntavam com grande amargura...
Como pode não ter acontecido o que o "mestre" previu ?

Com o final da guerra e a consumação do fato, e com a tomada do poder na Rússia (parte oriental da Europa) em 1917, pelos comunistas, os "intelectuais" socialistas ocidentais continuaram amargurados a se perguntar por que no ocidente, nos grandes países "capitalistas" (Inglaterra, Alemanha, França, Itália, EUA), as previsões do "mestre" não aconteceram ?

Diante da realidade dos fatos históricos, e da prova incontestável de que os trabalhadores - tinham pátria sim !
Diante da prova incontestável que os trabalhadores prezavam suas nações e tinham patriotismo, era de se esperar que os "intelectuais" socialistas chegassem a conclusão que algo estava errado com as palavras do "mestre"...
Mas, isto seria sacrilégio !

http://3.bp.blogspot.com/_BLjGVUUdlaM/St4LAKyyxtI/AAAAAAAAAkk/TRQgHAyfAC0/s320/Marx+o+profeta.jpeg
O "profeta" não erra.

Então, aconteceu o inusitado, eles concluíram que:
o "mestre" não erra, o "mestre" não errou, algo existia na sociedade ocidental que fazia com que não acontecesse o previsto no dogma marxista - precisamos encontrar o culpado dessa heresia !

Marx já tinha dado algumas dicas no Manisfesto Comunista, dentre elas Marx escreveu:

"Abolição da família!
Até os mais radicais ficam indignados diante desse desígnio infame dos comunistas. Sobre que fundamento repousa a família atual, a família burguesa?
No capital, no ganho individual.
A família, na sua plenitude, só existe para a burguesia, mas encontra seu complemento na supressão forçada da família para o proletário e na prostituição pública.
A família burguesa desvanece-se naturalmente com o desvanecer de seu complemento e uma e outra desaparecerão com o desaparecimento do capital."

http://3.bp.blogspot.com/_BLjGVUUdlaM/St4M6m6QmPI/AAAAAAAAAks/NV1IqB41Eds/s320/familia+1.jpeg
A família, segundo a loucura marxista, é a culpada pelo marxismo não ter sido aceitono ocidente !


A família...
Ou mais precisamente "a família burguesa"...
Digamos, marido, mulher, filho, filha, avô, avó, são - "família burguesa".
Disto sabemos, o que não sabemos é como seria a "família comunista" para Karl Marx, isso ele nunca disse !

Então, eis ai a resposta !
A família cristã, centrada na Moral judaico-cristã, no Direito Romano e na Filosofia Grega clássica.

Eis ai os vilões !
A Moral judaico-cristã.
O Direito.
A Filosofia grega.

http://1.bp.blogspot.com/_BLjGVUUdlaM/St4OJPQYx_I/AAAAAAAAAk8/UyJVr3FC1eI/s320/aristoteles.jpghttp://1.bp.blogspot.com/_BLjGVUUdlaM/St4OIltOoBI/AAAAAAAAAk0/LyUJXhezum4/s320/Imperador+Adriano+-+Direito+Romano.jpeg
Aristóteles e Adriano, representantes da Filosofia Grega e do Direito Romano, segundo a insanidade marxista, também são os culpados pelas ideias do "mestre" não terem sido aceitas no ocidente.


Essas são as bases da cultura ocidental e são os culpados de no ocidente não terem acontecido as previsões do "mestre" !

Os descobridores desta macabra conclusão foram o húngaro Gyorgy Lukacs, e o italiano Antonio Gramsci.
Disseram eles - os trabalhadores são alienados e não percebem que são dominados por essas perversidades burguesas !

Aos iluminados "intelectuais" socialistas cabia a "nobre" tarefa de destruir a cultura ocidental, destruir a família e a Moral cristã, destruir o Direito, destruir a Filosofia Grega e tudo o mais que, segundo eles, pudessem impedir que as previsões do "mestre" não se realizassem, e finalmente, quando eles reduzissem a pó a cultura ocidental, o maravilhoso marxismo comunista finalmente seria implantado no ocidente.
Já que a realidade não bateu com a teoria marxista - mudemos a realidade !
Disseram os "intelectuais" socialistas...

Passaram então a imaginar estratégias que pudessem usar para atingir essa objetivo, que sabiam eles, era de longo prazo.

Dai surgiu o "marxismo cultural", que passou a atuar nas universidades e escolas em geral, na midia, no meio artístico, e produziu seus filhos - o "politicamente correto", o "terceiro setor" não governamental (ONGs) "sem fins lucrativos", onde eles continuam a agir sorrateiramente, camuflados, pois uma das estratégias fundamentais do "marxismo cultural" é não assumir a sua personalidade marxista, principalmente depois da derrocada do império soviético.

Tal poder corrupto acaba de conseguir o poder na maior nação do mundo, o EUA, que foi durante 60 anos o alvo principal da militância do "marxismo cultural".
E com isso, a sociedade atual está correndo sério risco de ser destruída e o marxismo - a doutrina do pensamento único, ser implantada no planeta, não mais pela "revolução", mas agora, pela corrupção da sociedade.

A seguir iremos descrever quais foram as loucas ideias desses dementes.

***

2 - Princípios Gerais.

As ferramentas para alcançar os objetivos do marxismo cultural foram surgindo.

Lukács forneceu as linhas gerais, a meta seria incutir nos trabalhadores a "consciência de classe".

Gramsci inventou a “revolução cultural”, com o objetivo de mudar o “senso comum” da humanidade.

O pessoal de Frankfurt, em especial Horkheimer, Adorno, Marcuse e Harbenas tiveram a idéia de misturar Marx e Freud, concluíram que a sociedade ocidental era dependente da "cultura burguesa".
Deram o nome as suas elucubrações de “teoria crítica”, que foi a única coisa que fizeram, crítica a tudo (menos ao falido socialismo é claro).
Propostas para o futuro, ou seja, o que viria após a destruição da sociedade ocidental, tal qual o "mestre" - jamais disseram como seria !

Da França, o "marxismo cultural" recebeu a providencial colaboração do “desconstrucionista” Jacques Derrida.
O Desconstrucionismo é o método através do qual se retira o significado de um texto para se colocar a seguir o sentido que se pretende para esse texto.
Este método é aplicado não só em textos, mas também na retórica política e ideológica em geral.
A desconstrução de um texto (ou de uma realidade histórica) permite que se elimine o seu significado, substituindo-o por aquilo que se pretende.
Por exemplo, a análise desconstrucionista da Bíblia pode levar um marxista cultural a inferir que se trata de um livro dedicado à superioridade de uma raça e de um sexo sobre o outro sexo.

A análise desconstrucionista das obras de Shakespeare, por parte de um marxista cultural, pode concluir que se tratam de obras misóginas que defendem a supressão da mulher.

Ou a análise descontrucionista dos Lusíadas de Luís Vaz de Camões, levaria à conclusão de que se trata de uma obra colonialista, machista e imperialista.


No EUA a lenta mas eficaz germinação do "politicamente correto" foi a faceta americana a contribuir com o "marxismo cultural".
Marcuse é o germe do politicamente correto no EUA, com a ajuda de Adorno.
Os dois fugiram para o EUA na segunda guerra.
"Faça amor, não faça a guerra", disse Marcuse... e com isso colocou a sexualidade na trama.
Marcuse via um futuro adverso para a humanidade e foi ele que iniciou a "luta de classes" entre sexos.
O rejeição de tudo que vem da "direita" como mal, e a aceitação de tudo que vem da "esquerda" como bom, também é uma criação de Marcuse.

Devido a influência da cultura norte-americana no mundo, o marxismo cultural "politicamente correto" se alastrou por todo o planeta e hoje está presente em todas as partes, na midia, no sistema educacional, nos filmes, nas peças de teatro, em tudo, não existe nada em termos culturais onde ele não esteja transfigurado de "boas intenções", de "humanista", de "igualdade" de "proteção" de um infindável número de "classes" incluindo nelas os animais, a alimentação, o fumo, etc.

O marxismo cultural só não ataca os bandidos, os viciados em drogas, os terroristas, os traficantes, e tudo o mais que seja ruim para a sociedade, o marxismo cultural os usa como importante ferramenta na sua única intenção - destruir a sociedade e a cultura ocidental.

Para o marxista cultural, a análise histórica resume-se tão só à análise da relação de poder entre grupos sociais.


3 - Fundamentos teóricos

Em Marx, o marxismo cultural tem a sua essência - a crítica à sociedade capitalista.

Em Freud, o marxismo cultural se baseou para inventar por exemplo o que é falado hoje em dia - que os povos da antiguidade, os índios, eram comunistas...
Ou seja, "adaptaram" o conceito freudiano de "retorno a origem".
Ao conceito freudiano de "repressão" atribuíra uma suposta opressão da sociedade ao "instinto original" do homem.

O marxismo cultural cria uma ojeriza para a humanidade - em tudo existe a sombra do "poder".
E inverte os valores.
Para o marxismo cultural, um bandido estuprador é uma vítima da sociedade opressora, e a pessoa estuprada recebeu o castigo por sua existência nessa sociedade opressora...
Como querem destruir a família, a procriação é para eles uma opressão da mulher, e o ato sexual sem procriação praticado por gays, é o símbolo de liberdade sexual !

Uma infinidade de coisas estúpidas desse tipo fazem parte do louco repertório "filosófico" dos marxistas culturais...


***

4 - Os artífices do marxismo cultural.

Gyorgy Lukács (1875-1971)
http://1.bp.blogspot.com/_BLjGVUUdlaM/St6SeqhW70I/AAAAAAAAAlE/573Vql-7aZ0/s320/Lukacs.jpeg
Gyorgy Lukács

Depois da desilusão socialista na Primeira Guerra Mundial, Lukács escreveu entre 1919 e 1922 e publicou em 1923, "História e Consciência de Classes", que foi o início da corrente de pensamento que passou a ser conhecida como "marxismo cultural".

Para Lukács, "ideologia" é a projeção da consciência de classe da burguesia, que funciona para prevenir que o proletariado assuma uma posição revolucionária classista.
Segundo ele a ideologia determina mais a "forma de objetividade" do que a estrutura do conhecimento.
A ciência do real deve se ater, de acordo com Lukács, ao pensamento da "totalidade concreta" através de que é possível pensar objetivamente um período histórico.

Ele também escreveu: "Somente quando o coração do ser mostra-se como ser social, pode aparecer como um produto, inconsciente, da atividade humana, e esta atividade, por sua vez, é o elemento decisivo de transformação do ser."

Lukács inventou o termo "reificação" dizendo que devido à natureza íntima da sociedade capitalista, as relações sociais transformam os indivíduos em "coisas", impedindo o surgimento da consciência de classe.

Em um ensaio com mesmo nome da sua obra Lukács tenta preencher uma lacuna do marxismo, a ausência da conceito de "classe" em Marx, definindo-o como sendo a posição que o indivíduo ocupa no modo de produção.
O que é trocar 6 por meia dúzia, uma vez que teria que explicar e demonstrar o que vem a ser "posição no modo de produção"...

Lukács era, digamos, despojado, como bom socialista, dava sua mulher para o amigo que a quisesse...

No final da sua vida, Lukács rejeitou as idéias de "História e Consciência de Classe", em particular a crença no proletariado como sujeito-objeto da história.
Passou tb a combater o partido comunista da URSS.
Provavelmente o "proletário" Lukács se conscientizou do seu amor a pátria húngara quando da invasão da Húngria pelo exército comunista da URSS !

*

Antonio Gramsci (1891-1937)

http://3.bp.blogspot.com/_BLjGVUUdlaM/St6T_eLFhfI/AAAAAAAAAlM/3uHrZJ7jj4k/s320/gramsci.jpg

Gramsci não mudou a teoria de Marx que diz que o que vai "mudar o mundo" é a luta de classes entre proletários e burgueses.
Só que para ele essa luta não mais será uma revolução armada, mas sim uma "revolução cultural", uma luta ideológica.

Gramsci foi preso pelo facismo em Fevereiro de 1929, na prisão ele começou a refletir sobre a situação, colocou essas reflexões em 32 "Cadernos do Cárcere", ao todo são 2.848 páginas, ele escreveu até 1935 qdo ficou doente.
Depois que a guerra acabou, sua cunhada Tatiana Schucht, recolheu e orhanizou os cadernos e os deu a Felice Platone que fez uma revisão do texto e o publicou com os seguintes títulos:
Il materialismo storico e la filosofia di Benedetto Croce, 1948
Gli intellettuali e l'organizzazione della cultura, 1949
Il Risorgimento, 1949
Note sul Machiavelli, sulla política e sullo Stato moderno, 1949
Letteratura e vita nazionale, 1950
Passato e presente, 1951

Para Gramsci, ao mudarmos a cultura de um povo, ao mudarmos suas tradições e valores (para uma outra pré condição - socialista - já planejada por ele), mudamos o modo de pensar e agir da sociedade, e com isso esperava ele, a sociedade estaria pronta para aceitar o marxismo.

Para chegar a esse objetivo as estratégias seriam duas:
- A escola unitária.
- O intelectual orgânico.

Com a escola única todos teriam os mesmos ensinamentos na área de humanas, biológicas e exatas, todos teriam quando crianças ensinamentos intelectuais e profissionais iguais.
Todos seriam filósofos, segundo Gramsci...
Segundo o seu modelo, seis de um período de dez anos seriam dedicados a uma educação que unisse as mateiras comuns com as matérias técnicas.

A ênfase dessa "escola" é no ensino das crianças, Gramsci não dá valor para o convencimento racional dos adultos, ele quer mudar o cerne do ser humano, quer mudar o subconsciente humano, quer mudar o "senso comum", por isso quer atuar nas crianças, que ainda não tem discernimento para saber que estão sendo doutrinadas. e não educadas de forma honesta sem segundas intenções.

Esse "trabalho" é a longo prazo, talvez séculos, essa estratégia pretende chegar a "hegemonia", a principal meta de Gramsci.
A "hegemonia" precede a tomada do poder pelo Partido Comunista (o "príncipe" segundo Gramsci), a "hegemonia" é uma total dominação psicológica da sociedade, de forma que ela esteja pronta quando da tomada do poder pelo "príncipe" comunista, e o aceite de forma singela.

Desta fantástica escola surgiria - o "intelectual orgânico", um cara que tanto pode ser um trabalhador braçal como pode ser um escritor, um jornalista ou um ator.

Neste contexto, os "intelectuais orgânicos" não são os filósofos, mas sim os professores primários, músicos, cineastas, jornalistas, educadores, professores da área de humanas, assistentes sociais, pedagogos, membros de instituições mundiais, membros de organizações não governamentais (ONGs), etc, que serão os doutrinadores incumbidos da corrupção infantil no dia a dia.
A "revolução cultural" seria feita pelas mãos deles, mas claro, jamais deixariam de ser marxistas e ter Marx como o "mestre" dessa conspiração.

Gramsci achava que era mais coerente todos pensarem de forma igual, do que necessitarem de um gênio filosófico.
Só não se sabe se ele incluiria Marx, o mestre dele Croce, ou ele próprio, nessa teoria...

Vamos ver palavras de Gramsci:

"O moderno Príncipe (partido comunista), desenvolvendo-se, subverte todo o sistema de relações intelectuais e morais, uma vez que seu desenvolvimento significa... que todo ato é concebido como útil ou prejudicial, como virtuoso ou criminoso, somente na medida em que tem como ponto de referência o próprio moderno Príncipe...
O Príncipe toma o lugar nas consciências, da divindade ou do imperativo categórico, torna-se a base de um laicismo moderno e de uma completa laicização de toda a vida e de todas as relações de costume".
Antonio Gramsci, Cadernos do Cárcere, 1935.

HEGEMONIA

http://3.bp.blogspot.com/-Yb030rRI9K0/T-CUWH6gnPI/AAAAAAAACsI/cWBL_yDkg5g/s320/existe%2Balgo%2Bem%2Bcomum.jpg

Você notou algo em comum nos rostos de todas as pessoas destas fotos ?
Acredito que sim... é bem visível.
Essa é a imagem da alienação que tomou conta da humanidade ocidental na atualidade.
Gramsci deu o nome de "hegemonia" a este estágio do domínio das mentes humanas pelo "príncipe".


Comntários:
Eis ai o plano marxista de subversão moral e intelectual da sociedade ocidental !
Na minha opinião, estamos diante da concepção de um demente.
Que ficou doente devido a impossibilidade de realização do seu enorme desejo de "mudar o mundo" e se tornar um ser divino.

Essa louca concepção ignora a evolução, ignora que os mamíferos são animais únicos (excetuando os gêmeos idênticos e os clones), ignora que cada ser humano tem uma personalidade diferente, e o principal, ignora que cada ser humano tem vontades e habilidades diferentes.

É uma irresponsabilidade supor que todos os humanos possam ter, se sofrerem lavagem cerebral na "escola" de Gramsci, a mesma opinião sobre determinado assunto !
O "homem socialista" é a negação da existência humana como tal, rebaixa os seres humanos ao nível mental dos insetos.

Gramsci parece considerar seres humanos semelhantes a formigas, abelhas, cupins, cuja personalidade e habilidades pouco diferem.
Da "escola" de Gramsci não sairia nenhum Planck, nenhum Ronaldinho, nenhum Freud, nenhum Picasso, nenhum Nietzsche, nenhum Pelé, nenhum Shakespeare, nenhum Senna, nada diferente existiria, nada com habilidades especiais existiria, não haveria mais lugar para os empreendedores na sociedade comunista, todas as aptidões humanas diversas seriam sufocadas, e todos os seres humanos se manteriam iguais - eles seriam o "homem socialista".

Mas, os seres humanos lúcidos sabem que quem leva a humanidade para frente, são os indivíduos diferentes, criativos, produtivos, sem eles, com a mais absoluta certeza, a estagnação evolutiva se perpetuaria como no caso das formigas, que existem a milhões de anos sem evoluir.

Este será sempre o destino do socialismo-comunismo - a estagnação, a miséria, a matança indiscriminada, e a falência, seja ele feito pela revolução armada ou pela hegemonia.

http://3.bp.blogspot.com/_BLjGVUUdlaM/St6Uj2G3dsI/AAAAAAAAAlU/y8v3jfQY0BU/s320/revolu%C3%A7%C3%A3o.jpg

A maldita "revolução" marxista, a pregação dessa desgraça entre os jovens universitários já levou milhares deles a morte.
Mas a loucura marxista é algo imenso, mesmo diante de todas as desgraças já causadas por essa ideologia cega, seus mentores continuam a doutrinar estudantes universitários (é muito raro ver um jovem trabalhador, que tenha aprendido um ofício, por exemplo ferreiro, marceneiro, ser dominado pela doutrinação marxista, ela consegue sucesso apenas no meio universitário.).

O terrível disso é que ao que tudo indica, a humanidade está propensa a essa louca corrupção e caminha para o "homem socialista" previsto na demência gramsciliana.


***

5 - Escola de Frankfurt

O pensamento alemão dominou na Europa Ocidental entre 1840 e 1935, porém, duas guerras mundiais perdidas pararam com essa supremacia.
A última representante dessa fase áurea alemã foi a "Escola de Frankfurt", foi a presença derradeira que se irradiou por campos até então não explorados.

http://2.bp.blogspot.com/_BLjGVUUdlaM/St9WDYin-xI/AAAAAAAAAmE/ALuV6J--7M4/s320/Instituto+-+Franskfurt.jpeg

Prédio do Instituto de Estudos Sociais da Universidade de Frankfurt

Os começos da Escola de Frankfurt

A "Escola" chamada oficialmente de Instituts fur Sozialforschun (Instituto de Pesquisa Social), foi fundada no auditório da Universidade de Frankfurt em 22/06/1924, foi o resultado de um encontro preliminar denominado de Erste Marxistische Arbeitswoche (Primeira Semana de Trabalho Marxista), ocorrido num hotel em Ilmenau.

http://1.bp.blogspot.com/_BLjGVUUdlaM/St6YBu1i43I/AAAAAAAAAlc/Jtn6RiEpRF4/s320/integrantes+da+primeira+reuniao+-+escola+frankfurt.jpeg

Participantes da primeira reunião que deu início a Escola de Franskfurt.

A fundação do Instituto é devida a Félix Weil, um jovem intelectual marxista que conseguiu convencer seu pai Herman Weil, um rico negociante judeu, a amparar o pessoal da instituição que ele idealizou.
Ela seria uma anexo da Universidade de Frankfurt ligado ao Ministério da Educação.
Além de ter um prédio próprio, o Instituto receberia uma doação anual de 120 mil marcos de Herman Weil.

Nos anos 1930, graças ao trabalho intenso de Max Horkheimer (1895-1973), filho de um industrial judeu, o Instituto se desenvolveu.
Com Horkheimer surgiu em 1937 a "Teoria Tradicional e Teoria Crítica", inicio da estratégia marxista "cultural" efetiva, com a intenção de destruir as bases da sociedade ocidental - a Moral Judaico-cristã, O Direito Romano e a Filosofia Grega.

http://3.bp.blogspot.com/_BLjGVUUdlaM/St6ZSxszHWI/AAAAAAAAAlk/jHyv_uBYR_A/s320/arquitetos+do+PC+-+frankfurt.jpeg

Eis ai a turma de Frankfurt, judeus ateus ("assiimilados"), revoltados com o mundo que tanto os oprimiu, e por isso querendo "mudar o mundo".

A escola procurou aproximar Marx com Freud, e por vezes a Heidegger, numa mistura um tanto complicada, tentando embutir no marxismo a psicanálise e o existencialismo.
Entre 1930 e 1950 os frankfurtianos entraram em todos os campos da área de ciências humanas procurando adaptar o marxismo a cada uma delas, criando novas formas - politicamente corretas - para expressar as mesmas ideias de Marx.

Os membros da escola, a maioria judeus, assistiram a rápida ascensão do nazismo na Alemanha, sendo por isso forçados a ter que abandonar o país em 1933.
Fugiram para Genebra, Paris, México e para várias cidades dos Estados Unidos..
Os que, mais tarde, retornaram para a Alemanha, como foi o caso de Horkheimer, Adorno e Pollock, o fizeram depois de vinte anos de exílio, quando, amargurados com as ideias que proclamaram antes, terminaram por renegá-las, como se deu com Horkheimer.


A indisposição contra a modernidade.

Os membros da escola afirmaram que a sociedade moderna, ao dominar a natureza por meio da tecnologia, provocara um empobrecimento geral dos seres humanos.

Segundo eles, no lugar da religião surgiu o culto ao progresso que a tudo sacrifica em nome de uma racionalidade cientifica sobre-humana.
Marcuse foi o que mais chamou atenção para os supostos efeitos da tecnologia sobre a sociedade, afirmando que "ela serve para instituir formas novas, mais eficazes e mais agradáveis de controle social e coesão social".

Porém, essa afirmação é uma enorme mentira, o progresso tecnológico advindo da Revolução Industrial trouxe com ele a DEMOCRACIA representativa pela primeira vez na humanidade.
Até então, por milênios, em todas as partes do mundo sempre as nações foram comandadas por uma nobreza absolutista e clero ricos, e o povo era pobre ou escravo e nada decidia.
O progresso tecnológico trouxe com ele a liberdade política e cultural e o fim do estado absolutista.
Pela primeira vez na humanidade o cidadão comum pode escolher seus representantes políticos e também se candidatar.
Pela primeira vez na humanidade, um operário, como Lula, pode ser presidente de uma nação, pela primeira vez na humanidade os seres humanos conseguiram viver, em média, mais de 35 anos, até atingir altos graus de qualidade de vida que possibilitam a humanos viverem bem até idades médias de 80 anos !
Infelizmente muitos, apesar das evidência contrárias, acreditaram nessa mentira de Marcuse...

Por fim, os membros da "escola" desligaram-se do próprio Iluminismo inicial, assumindo uma posição profundamente pessimista sobre o desempenho da razão.

A revolta estudantil de 1968, Marcuse com 70 anos foi promovido a ícone da rebelião da juventude ocidental.
Alcançou fama internacional e seus livros "Eros e Civilização" e "O Homem Unidimensional", tornaram-se best-sellers !

Horkheimer entretanto, quis distância de toda aquela agitação.
Ele acreditava, com muita correção, que a situação social das décadas que se seguiram à derrota alemã mudaram drasticamente em relação aos anos 20/30.
Com grande lucidez Horkheimer percebeu que as condições sociais e de produção haviam mudado.
Segundo ele, os indivíduos começavam a se integrar, superando os históricos antagonismos de luta de classes que haviam gerado o marxismo clássico.
Também com grande lucidez disse que devemos preservar a liberdade duramente conquistada, defendendo-a contra as ditaduras.
Toda a linguagem antiga de inconformismo, escreveu ele após mencionar um trecho de Otto Kircheimer, pertencia a uma época morta.
Deste modo, Horkheimer, o criador da Teoria Crítica, distanciou-se definitivamente de qualquer contestação da realidade capitalista em que os estudantes viviam naquele momento de fúria.

O arrependimento do autor da Teoria Crítica.

"Proteger, preservar e, onde for possível, ampliar a liberdade efêmera e limitada do indivíduo face à ameaça crescente a essa liberdade é uma tarefa muito mais urgente que sua negação abstrata, ou o pôr em perigo essa liberdade com ações que não tem esperança de sucesso".
Max Horkheimer, 1968.


Principais autores e títulos da Escola de Frankfurt

Horkheimer, Max
Estudos em Filosofia e ciências sociais,
O Colapso da Razão,
Dialética do Iluminismo,
Teoria Crítica,
Estudos social-filosóficos.

Adorno, Theodor W.
Dialética do Iluminismo,
A Personalidade Autoritária,
Dialética Negativa,
Mínima Moralia.

Marcuse, Herbert
Razão e Revolução: Hegel e a ascensão da teoria social,
Eros e civilização,
O marxismo soviético,
O homem Unidimensional,
O fim da utopia.

Benjamin, Walter
Quadro parisiense,
A obra de arte na época da sua reprodução mecanizada,
Iluminações.

Bloch, Ernst
O espírito da utopia.

Borkenau, Franz
O declínio da imagem feudal à imagem burguesa,
O rinhadeiro espanhol,
O fim e o começo: sobre as gerações das culturas e origens do Ocidente.

Fromm, Erich
A Evolução do Dogma de Cristo,
O Medo à Liberdade,
O Homem por ele mesmo,
Psicanálise e Religião,
A Revolução da Esperança,
A Crise da Psicanálise: ensaio sem Freud, Marx e a Psicologia Social.

Grossmann, Henryk
Acumulação - a lei do colapso do sistema capitalista.

Neumann, Franz
ehemoth: a estrutura e a prática do nacional-socialismo,
O estado democrático e o autoritário.

Krakauer, Siegfried
Os empregados na nova Alemanha,
De Caligari a Hitler.

Kirchheimer,Otto
Punição e estrutura social.

Pollock, Friedrich
A experiência da planificação econômica na União Soviética,
As conseqüências econômicas e sociais da automação.

Reich, Wilhelm
Análise do Caráter,
Psicologia de massas do fascismo.

Wittfogel, Karl August
O despotismo oriental.

Weil, Felix
Socialização,
O enigma argentino.

***

6 - Teóricos de Frankfurt

Walter Benjamin (1892-1940)

http://1.bp.blogspot.com/_BLjGVUUdlaM/St6axtvWxsI/AAAAAAAAAls/0tMQ9-h7ttE/s320/walterbenjamin0.jpg

Era judeu alemão, tinha em seu ensaio "A Obra de Arte na Época de suas Técnicas de Reprodução" na conta de primeira grande teoria materialista da arte.
O ponto central desse estudo encontra-se na análise das causas e conseqüências da destruição da “aura” que envolve as obras de arte, enquanto objetos individualizados e únicos.
Com o progresso das técnicas de reprodução, sobretudo do cinema, a aura, dissolvendo-se nas várias reproduções do original, destituiria a obra de arte de seu status de raridade.
Para Benjamin, a partir do momento em que a obra fica excluída da atmosfera aristocrática e religiosa, que fazem dela uma coisa para poucos e um objeto de culto, a dissolução da aura atinge dimensões sociais. Essas dimensões seriam resultantes da estreita relação existente entre as transformações técnicas da sociedade e as modificações da percepção estética. A perda da aura e as conseqüências sociais resultantes desse fato são particularmente sensíveis no cinema, no qual a reprodução de uma obra de arte carrega consigo a possibilidade de uma radical mudança qualitativa na relação das massas com a arte.

Embora o cinema diz Walter Benjamin exija o uso de toda a personalidade viva do homem, este priva-se de sua aura.
Se, no teatro, a aura de um Macbeth, por exemplo, liga-se indissoluvelmente à aura do ator que o representa, tal como essa aura é sentida pelo público, fico, o mesmo não acontece no cinema, no qual a aura dos intérpretes desaparece com a substituição do público pelo aparelho. Na medida em que o ator se torna acessória da cena, não é raro que os próprios acessórios desempenhem o papel de atores.

Benjamin considera ainda que a natureza vista pelos olhos difere da natureza vista pela câmara, e esta, ao substituir o espaço onde o homem age conscientemente por outro onde sua ação é inconsciente, possibilita a experiência do inconsciente visual, do mesmo modo que a prática psicanalítica possibilita a experiência do inconsciente instintivo.
Exibindo, assim, a reciprocidade de ação entre a matéria e o homem, o cinema seria de grande valia para um pensamento materialista. Adaptado adequadamente ao proletariado que se prepararia para tomar o poder, o cinema tornar-se-ia, em conseqüência, portador de uma extraordinária esperança histórica.

Em suma, Benjamin diz que as técnicas de reprodução das obras de arte, provocando a queda da aura, promovem a liquidação do elemento tradicional da herança cultural; mas, por outro lado, esse processo contém um germe positivo, na medida em que possibilita outro relacionamento das massas com a arte, dotando-as de um instrumento eficaz de renovação das estruturas sociais.
Trata-se de uma postura otimista, que foi objeto de crítica feroz por parte de Adorno.

Aura:
“aura” designa “Uma trama peculiar de espaço e tempo: aparência única de uma distância, por muito perto que se possa estar”.
uma existência histórica.
Outra definição, em “Alguns Motivos em Baudelaire” atribui a qualidade “aurática” aos objetos que têm a capacidade de devolver o nosso olhar.
Isto significa que são as marcas de temporalidade e vivência do próprio objeto que forçam o olhar a demorar-se nele, a confrontar-se com uma profundidade, um valor que ultrapassa o valor comercial ou de exposição.
Por outras palavras, a aura é um veículo de “desacelaração”, que parece diluir-se ou ser incompatível, na visão do autor, com a experiência de “choque” da modernidade e com os sonhos de consumo imediato do capitalismo.
Benjamim era o menos louco dos frankfurtinianos, porém, se suicidou.


Theodor Adorno (1903-1969)
http://3.bp.blogspot.com/_BLjGVUUdlaM/St6bOAwKilI/AAAAAAAAAl0/65tl84lIrnc/s320/Adorno5.jpg

Para Adorno, a postura otimista de Benjamin no que diz respeito à função possivelmente revolucionária do cinema desconsidera certos elementos fundamentais, que desviam sua argumentação para conclusões ingênuas.
Embora devendo a maior parte de suas reflexões a Benjamin, Adorno procura mostrar a falta de sustentação de suas teses, na medida em que elas não trazem à luz o antagonismo que reside no próprio interior do conceito de “técnica”.
Segundo Adorno, passou despercebido a Benjamin que a técnica se define em dois níveis:
primeiro “enquanto qualquer coisa determinada intra-esteticamente” e,
segundo, “enquanto desenvolvimento exterior às obras de arte”.
O conceito de técnica não deve ser pensado de maneira absoluta: ele possui uma origem histórica e pode desaparecer.
Ao visarem à produção em série e à homogeneização, as técnicas de reprodução sacrificam a distinção entre o caráter da própria obra de arte e do sistema social.
Por conseguinte, se a técnica passa a exercer imenso poder sobre a sociedade, tal ocorre, segundo Adorno, graças, em grande parte, ao fato de que as circunstâncias que favorecem tal poder são arquitetadas pelo poder dos economicamente mais fortes sobre a própria sociedade.


Estas teorias de Adorno são o lugar comum marxista.
Marxistas em tudo veem "poder", até na técnica !
Técnica é apenas um método para se fazer alguma coisa, técnica de refrigeração com gás por exemplo, que "poder" tem ela ?
Nenhum, é apenas um método para fazer esfriar coisas, que a qualquer momento pode ser superado por outro mais eficiente.


Em decorrência, a racionalidade da técnica identifica-se com a racionalidade do próprio domínio, nos diz Adorno.
Essas considerações evidenciariam que, não só o cinema, como também o rádio, não devem ser tomados como arte.
“O fato de não serem mais que negócios – escreve Adorno – basta-lhes como ideologia”.
Enquanto negócios, seus fins comerciais são realizados por meio de sistemática e programada exploração de bens considerados culturais.
A essa sua conclusão Adorno chamou de “indústria cultural”.


Podemos dizer o seguinte a respeito disso:
Técnica ser "negócio" é algo sem sentido... esse pessoal, estritamente teórico, não tinham o menor conhecimento do que vem a ser um negócio.
Adorno estava obcecado com a ideia pessimista da sociedade e procurou "refutar", de qualquer forma, a ideia otimista de Benjamim.


O termo "industria cultural" foi empregado pela primeira vez em 1947, quando da publicação da Dialética do Iluminismo, de Horkheimer e Adorno.
Este último, numa série de conferências radiofônicas, pronunciadas em 1962, explicou que a expressão “indústria cultural” visa a substituir a expressão “cultura de massa”, pois esta induz ao engodo que satisfaz os interesses dos detentores dos veículos de comunicação de massa.

Segundo Adorno, os defensores da expressão “cultura de massa” querem dar a entender que se trata de algo como uma cultura surgindo espontaneamente das próprias massas, a indústria cultural, ao aspirar à integração vertical de seus consumidores, não apenas adapta seus produtos ao consumo das massas, mas, em larga medida, determina o próprio consumo.

Temos ai, da conclusão de Adorno, de onde surgiu o preconceito de marxistas atuais contra a midia, a classificando como "manipuladora".
Para a ignorância marxista, difundir a arte para toda a população, é um crime, é "manipular" a população.
Essa é a loucura marxista.

Adorno continua sua avaliação...
Interessada nos homens apenas enquanto consumidores ou empregados, a indústria cultural reduz a humanidade, em seu conjunto, assim como cada um de seus elementos, às condições que representam seus interesses.

Eis ai Marx falando... que os burgueses consideram os proletários simples máquinas substituíveis.
O que Adorno está dizendo nada mais é que marxismo clássico, o que ele está tentando fazer é sistematizar o que Marx disse.


Segundo Asorno, a indústria cultural traz em seu bojo todos os elementos característicos do mundo industrial moderno e nele exerce um papel específico, qual seja, o de portadora da ideologia dominante, a qual outorga sentido a todo o sistema.
Aliada à ideologia capitalista, e sua cúmplice, a indústria cultural contribui eficazmente para falsificar as relações entre os homens, bem como dos homens com a natureza, de tal forma que o resultado final constitui uma espécie de antiiluminismo.

O "intelectual" marxista é essa coisa esdrúxula que busca de todas as formas, cegamente, passando por cima da lógica empírica, justificar "cientificamente" o que o "mestre" falou.


Considerando-se, diz Adorno, que o Iluminismo tem como finalidade libertar os homens do medo, tornando-os senhores e liberando o mundo da magia e do mito, e admitindo-se que essa finalidade pode ser atingida por meio da ciência e da tecnologia, tudo levaria a crer que o Iluminismo instauraria o poder do homem sobre a ciência e sobre a técnica.
Mas ao invés disso, liberto do medo mágico, o homem tornou-se vítima de novo engodo: o progresso da dominação técnica.
Esse progresso transformou-se em poderoso instrumento utilizado pela indústria cultural para conter o desenvolvimento da consciência das massas.

Diante dessa concepção de Adorno não dá para não dá para a gente ficar incrédulo !
O progresso e a tecnologia não domina ninguém, as pessoas apenas usam as mercadorias fabricadas, da mesma forma que os romanos usavam as coisas fabricadas antes de Cristo.
E no último parágrafo temos a maldita ideia fixa marxista...

Para Adorno a indústria cultural "impede a formação de indivíduos autônomos, independentes, capazes de julgar e de decidir conscientemente”.

Eis ai a fonte do ódio insano marxista contra a "midia" presente no mundo atual.


O próprio ócio do homem é utilizado pela indústria cultural com o fito de mecanizá-lo, de tal modo que, sob o capitalismo, em suas formas mais avançadas, a diversão e o lazer tornam-se um prolongamento do trabalho.
Para Adorno, a diversão é buscada pelos que desejam esquivar-se ao processo de trabalho mecanizado para colocar-se, novamente, em condições de se submeterem a ele.
A mecanização conquistou tamanho poder sobre o homem, durante o tempo livre, e sobre sua felicidade, determinando tão completamente a fabricação dos produtos para a distração, que o homem não tem acesso senão a cópias e reproduções do próprio trabalho.
O suposto conteúdo não é mais que uma pálida fachada: o que realmente lhe é dado é a sucessão automática de operações reguladas.
Em suma, diz Adorno, “só se pode escapar ao processo de trabalho na fábrica e na oficina, adequando-se a ele no ócio”.


Qual seria então a solução ?
- Viver como uma ostra, imóvel, sem trabalhar e sem diversão, uma vez que ambos, para a loucura marxista de Adorno, são alienação, submissão, dominação...
São esses doidos que querem "mudar o mundo"... não é por acaso que esses doidos mataram milhões de pessoas que não concordavam com assuas loucuras.


Adorno - tolhendo a consciência das massas e instaurando o poder da mecanização sobre o homem, a indústria cultural cria condições cada vez mais favoráveis para a implantação do seu comércio fraudulento, no qual os consumidores são continuamente enganados em relação ao que lhes é prometido mas não cumprido.

O que temos ai nada mais é do que a raivosa maledicência marxista...


Adorno - exemplo disso encontra-se nas situações eróticas apresentadas pelo cinema.
Nelas, o desejo suscitado ou sugerido pelas imagens, ao invés de encontrar uma satisfação correspondente à promessa nelas envolvida, acaba sendo satisfeito com o simples elogio da rotina.
Não conseguindo, como pretendia, escapar a esta última, o desejo divorcia-se de sua realização que, sufocada e transformada em negação, converte o próprio desejo em privação: A indústria cultural não sublima o instinto sexual, como nas verdadeiras obras de arte, mas o reprime e sufoca.

Isso é uma obsessão louca...
Dizer isso do cinema me parecem as palavras de um demente.


Adorno - ao expor sempre como novo o objeto de desejo (o seio sob o suéter ou o dorso nu do herói desportivo), a indústria cultural não faz mais que excitar o prazer preliminar não sublimado que, pelo hábito da privação, converte-se em conduta masoquista.
Assim, prometer e não cumprir, ou seja, oferecer e privar, são um único e mesmo ato da indústria cultural.
A situação erótica, conclui Adorno, une “à alusão e à excitação, a advertência precisa de que não se deve, jamais, chegar a esse ponto”.
Tal advertência evidencia como a indústria cultural administra o mundo social.

Na minha opinião Adorno era um perturbado que jamais soube o que é erotismo.


Adorno - criando “necessidades” ao consumidor (que deve contentar-se com o que lhe é oferecido), a indústria cultural organiza-se para que ele compreenda sua condição de mero consumidor, ou seja, ele é apenas e tão-somente um objeto daquela indústria.
Desse modo, instaura-se a dominação natural e ideológica.
Tal dominação, como diz Max Jiménez, comentador de Adorno, tem sua mola motora no desejo de posse constantemente renovado pelo progresso técnico e científico, e sabiamente controlado pela indústria cultural.
Nesse sentido, o universo social, além de configurar-se como um universo de “coisas”, constituiria um espaço hermeticamente fechado.
Nele, todas as tentativas de liberação estão condenadas ao fracasso.
Contudo, Adorno não desemboca numa visão inteiramente pessimista, e procura mostrar que é possível encontrar-se uma via de salvação.
Esse tema aparece desenvolvido em sua última obra, intitulada Teoria Estética.


Certo, com certeza, Adorno, um demente marxista, tem a solução para a humanidade !
O socialismo científico de Marx embutido na sua "estética" !

Kothe comentou a "Teoria Estética", ele afirma -“Adorno oscila entre negar a possibilidade de produzir arte depois de Auschwitz e buscar nela refúgio ante um mundo que o chocava, mas que ele não podia deixar de olhar e denominar”.

A seus críticos, Adorno responde que, embora plausível para muitos, o argumento de que contra a totalidade bárbara não surtem efeito senão os meios bárbaros, na verdade não releva que, apesar disso, atinge-se um valor limite.
A violência que há cinqüenta anos podia parecer legítima àqueles que nutrissem a esperança abstrata e a ilusão de uma transformação total está, após a experiência do nazismo e do horror stalinista, inextricavelmente imbricada naquilo que deveria ser modificado:
“ou a humanidade renuncia à violência da lei de talião, ou a pretendida práxis política radical renova o terror do passado”.

Em 1968, quando da revolta estudantil, estudantes entraram dentro do gabinete de Adorno para falar com ele, Adorno chamou a polícia e mandou colocá-los para fora !


Max Horkheimer (1895-1973)
http://4.bp.blogspot.com/_BLjGVUUdlaM/St6caZ2iAsI/AAAAAAAAAl8/vgLu8R-hxOo/s320/horkheimer.jpg

Era judeu alemão.
A expressão “teoria crítica” é empregada para designar o conjunto das concepções da Escola de Frankfurt.
Horkheimer delineia seus traços principais, tomando como ponto de partida o marxismo e opondo-se àquilo que ele designa pela expressão “teoria tradicional”.

Para o "jovem" Horkheimer, o típico da teoria marxista é, por um lado, não pretender qualquer visão concludente da totalidade e, por outro, preocupar-se com o desenvolvimento concreto do pensamento.
Desse modo, as categorias marxistas não são entendidas como conceitos definitivos, mas como indicações para investigações ulteriores, cujos resultados retroajam sobre elas próprias.
Quando se vale, nos mais diversos contextos, da expressão “materialismo” Horkheimer não repete ou transcreve simplesmente o material codificado nas obras de Marx e Engels, mas reflete esse materialismo segundo a óptica dos momentos subjetivos e objetivos que devem entrar na interpretação desses autores.

Por teoria tradicional Horkheimer entende uma certa concepção de ciência resultante do longo processo de desenvolvimento que remonta ao Discurso do Método de Descartes (1596-1650).
Descartes – diz Horkheimer – fundamentou o ideal de ciência como sistema dedutivo, no qual todas as proposições referentes a determinado campo deveriam ser ligadas de tal modo que a maior parte delas pudesse ser derivada de algumas poucas.
A exigência fundamental dos sistemas teóricos construídos dessa maneira seria a de que todos os elementos assim ligados o fossem de modo direto e não contraditório, transformando-se em puro sistema matemático de signos.
Por outro lado, a teoria tradicional encontrou amplas justificativas para um tal tipo de ciência no fato de que os sistemas assim construídos são extremamente aptos à utilização operativa, isto é, sua aplicabilidade prática é muito vasta.

Horkheimer admite a legitimidade e a validez de tal concepção, reconhecendo o quanto ela contribuiu para o controle técnico da natureza, transformando-se, como diz Marx, em “força produtiva imediata”.

Mas o reverso da moeda é negativo.
Para Horkheimer, o trabalho do especialista, dentro dos moldes da teoria tradicional, realiza-se desvinculado dos demais, permanecendo alheio à conexão global dos setores da produção.
Nasce assim a aparência ideológica de uma autonomia dos processos de trabalho, cuja direção deve ser deduzida da natureza interna de seu objeto.
O pensamento cientificista contenta-se com a organização da experiência, a qual se dá sobre a base de determinadas atuações sociais, mas o que estas significam para o todo social não entra nas categorias da “teoria tradicional”.

Em outros termos, a teoria tradicional não se ocupa da gênese social dos problemas, das situações reais nas quais a ciência é usada e dos escopos para os quais é usada.
Chega-se, assim, ao paradoxo de que a ciência tradicional, exatamente porque pretende o maior rigor para que seus resultados alcancem a maior aplicabilidade prática, acaba por se tornar mais abstrata, muito mais estranha à realidade (enquanto conexão mediatizada da práxis global de uma época) do que a teoria crítica.
Esta, dando relevância social à ciência, não conclui que o conhecimento deva ser pragmático; ao contrário, favorece a reflexão autônoma, segundo a qual a verificação prática de uma idéia e sua verdade não são coisas idênticas.

Obs. Talvez, para a visão marxista, a tecnologia não devesse ter criado o telefone celular, uma vez que o celular, no "todo social", pode ser usado por bandidos no comando de ações criminosas...
E assim tudo o mais, computadores não deveriam ter sido feitos, porque hackers os usam para roubar.
Aviões não deveriam ter sido feitos porque terroristas podem cometer ataques suicidas neles...
Nem o arco e flecha deveria ter sido inventados, porque da sua intenção inicial para caçar, também foi usada na guerra.
Ou seja, para a "teoria crítica" marxista os seres humanos deveriam ser iguais a tatus e viverem dentro de um buraco.


A teoria crítica ultrapassa, assim, o subjetivismo e o realismo da concepção positivista, expressão mais acabada da teoria tradicional.
O subjetivismo, segundo Horkheimer, apresenta-se nitidamente quando os positivistas conferem preponderância explícita ao método, desprezando os dados em favor de uma estrutura anterior que os enquadraria.
A teoria crítica, ao contrário, pretende ultrapassar tal subjetivismo, visando a descobrir o conteúdo cognoscitivo da práxis histórica.
Os fatos sensíveis, por exemplo, vistos pelos positivistas como possuidores de um valor irredutível, são, para Horkheimer, “pré-formados socialmente de dois modos: pelo caráter histórico de objeto percebido e pelo caráter histórico do órgão que percebe”.

Outros elementos de crítica ao positivismo, sobretudo os aspectos políticos nele envolvidos, encontram-se em uma conferência de Horkheimer, de 1951, com o título Sobre o Conceito de Razão.
Nessa conferência, ele afirma que o positivismo caracteriza-se por conceber um tipo de razão subjetiva, formal e instrumental, cujo único critério de verdade é seu valor operativo, ou seja, seu papel na dominação do homem e da natureza.

Obs. Sempre a ideologia cega como conclusão...
A tecnologia não é um meio para os seres humanos fazerem coisas cada vez melhores ... para esses alucinados a tecnologia tem outra finalidade - é dominação do homem.


Desse ponto de vista, os conceitos não mais expressam, como tais, qualidades das coisas, mas servem apenas para a organização de um material do saber para aqueles que podem dispor habitualmente dele; assim, os conceitos são considerados como meras abreviaturas de muitas coisas singulares, como ficções destinadas a melhor sujeitá-las; já não são subjugados mediante um duro trabalho concreto, teórico e político, mas exemplificados ficados abstrata e sumariamente, através daquilo que se poderia chamar um decreto filosófico.

Obs. Isso me parece loucura.
A ciência tem como base a prova empírica, uma teoria, para se tornar ciência precisa ser validada na prática.
E o marxista vem dizer que a ciência é abstrata !
Abstrato é o que ele está colocando, que jamais irá passar pelo teste prático, e vai ficar apenas na teoria.
Na verdade, essa forma de argumentar de marxistas, é apenas trapaça.


Dentro dessas coordenadas, a razão desembaraça-se da reflexão sobre os fins e torna-se incapaz de dizer que um sistema político ou econômico é irracional.
Por cruel e despótico que ele possa ser, contanto que funcione, a razão positivista o aceita e não deixa ao homem outra escolha a não ser a resignação.

Obs. Essa é a maledicência marxista.
A ciência é cruel e despótica ?
Prove.
Jamais provam, apenas lançam as suas mentiras "científicas" sem jamais apresentarem dados empíricos bem fundamentados que comprovem, o que eles falam.


A teoria justa, ao contrário escreve Horkheimer, “nasce da consideração dos homens de tempos em tempos, vivendo sob condições determinadas e que conservam sua própria vida com a ajuda dos instrumentos de trabalho”.
Ao considerar que a existência social age como determinante da consciência, a teoria crítica não está anunciando sua visão do mundo, mas diagnosticando uma situação que deveria ser superada.
Em suma, a teoria crítica de Horkheimer pretende que os homens protestem contra a aceitação resignada da ordem total, segundo ele, totalitária.

Obs. Totalitária é a "ditadura do proletariado" proposta por Marx, que deu origem a dezenas de ditaduras socialistas no mundo.
As democracias ocidentais jamais foram totalitárias.


A “razão polêmica” de Horkheimer, ao se opor à razão instrumental e subjetiva dos positivistas, não evidencia somente uma divergência de ordem teórica.
Ao tentar superar a razão formal positivista, Horkheimer não visa suprimir a discórdia entre razão subjetiva e objetiva através de um processo puramente teórico.
Essa dissociação somente desaparecerá quando as relações entre os seres humanos, e destes com a natureza, vierem á configurar-se de maneira diversa da que se instaura na dominação.
A união das duas razões exige o trabalho da totalidade social, ou seja, a práxis histórica.

Obs. Não existe nestas colocações uma sequer que seja verdade comprovada, todas são "opiniões" não comprovadas ditas sem o menor constrangimento para fazerem avaliações de coisas comprovadas.

Mas, estes absurdos foram ditos pelo "jovem" Horkheimer, o "velho" Horkheimer, em 1968, disse que o que ele havia dito estava ultrapassado, morto, a humanidade estava em outro estágio evolutivo, e o que deveria ser feito não era a "revolução", mas sim, a luta para preservar a liberdade contra a tirania.


Jürgen Habermas (1929- )
http://2.bp.blogspot.com/_BLjGVUUdlaM/St9W2FSwj5I/AAAAAAAAAmM/I3e4Bm048mk/s320/Habermas+-+a+imagem+da+corrup%C3%A7%C3%A3o.jpeg

Habermas - a personificação do doutrinador marxista, dentro da sala de aula, corrompendo a mente dos jovens desejosos em "mudar o mundo", e por isso presas fáceis do marxismo.
Essa ação planejada, preconcebida, contra jovens imaturos, em sala de aula, é uma das ações mais infames que um ser humano, na função de professor, pode cometer.


Harbernas é judeu ateu, alias, todos os judeus de Frankfurt eram "assimilados", abandonaram o judaismo.
Habermas desenvolve sua teoria no mesmo sentido d "jovem" Horkheimer.
Para ele, a teoria deve ser crítica, engajada nas lutas políticas do presente, e construir-se em nome do futuro revolucionário para o qual trabalha, é exame teórico e crítico da ideologia, mas também crítica revolucionária do presente.

Obs. Esses loucos, tem na cabeça a "revolução".
Para esses alucinados tem que haver matança, senão não estará bem feito.
Construir o mundo apenas com estudo e trabalho está fora de cogitação para esses loucos, eles querem a luta de classes e a revolução, onde irão matar outras pessoas, e depois, matam-se também entre si para mandarem nos demais.
Nada mais do que a ideologia que Marx pregou por toda a vida.


O projeto filosófico de Habermas pode ser sintetizado em termos de uma crítica do positivismo e, sobretudo, da ideologia dele resultante, ou seja, o tecnicismo.

Obs. Técnica = ideologia.
Ou seja, tecnologia de informática = ideologia.
Essa é a loucura marxista.


Para Habermas, o tecnicismo é a ideologia que consiste na tentativa de fazer funcionar na prática, e a qualquer custo, o saber científico e a técnica que dele possa resultar.

Ons. Um absurdo atrás do outro !
Jamais a ciência vai fazer algo funcionar a qualquer custo, isso é uma mentira suja !
Se não funciona a tecnologia rejeita, qualquer pessoa sensata sabe disso !

Para Habermas, “são os cientistas e os técnicos que, graças a seu saber daquilo que ocorre num mundo não vivido de abstrações e de deduções, adquiriram imensa e crescente potência (...), dirigindo e modificando o mundo no qual os homens possuem, simultaneamente, o privilégio e a obrigação de viverem”.

http://1.bp.blogspot.com/_BLjGVUUdlaM/St9ZHm2t4rI/AAAAAAAAAmc/Y0_id1LRXzo/s320/habermas.jpg

A imagem de um corruptor de mentes indefesas.

Assim, esse contexto, não apenas técnico-científico, mas também econômico-político, passa a ser a conotação da técnica.
Habermas ataca a ilusão objetivista das ciências.
Contra a ilusão da teoria pura, Habermas procura trazer à tona as raízes antropológicas da prática teórico-científica e evidenciar os interesses, que estão no princípio do conhecimento, particularmente do conhecimento científico.

No plano da filosofia social, Habermas critica o objetivismo ontológico e contemplativo da filosofia teórica tradicional.
Para ele, em nenhum caso a filosofia poderia ser propriamente uma ciência exata, e as pretensões que ela pode (e poderá) manifestar nesse sentido não fazem senão testemunhar sua contaminação pelo objetivismo positivista das ciências; nesse contexto ela não é mais que uma especial idade entre outras, no seio da instituição universitária, colocando-se “junto às ciências” e afastada das preocupações de um público leigo, devido a seus refinamentos teóricos.

A crítica do positivismo científico e filosófico, empreendida por Habermas, é inseparável de sua luta contra o objetivismo tecnocrático.
O positivismo e o tecnicismo não passam, para ele, de duas faces da mesma e ilusória moeda ideológica: tanto um, como outro, não seriam mais que “manchas turvas no horizonte da racionalidade”.


Herbert Marcuse (1898-1979)
http://4.bp.blogspot.com/_BLjGVUUdlaM/St9Z9AD-VaI/AAAAAAAAAmk/iYT21Zxuqbk/s320/Marcuse.gif

Também era judeu ateu alemão, o mais pernicioso deles...
Marcuse era hegeliano, ou seja, radicalmente dialético, a crítica ao modo de vida atual significa a manifestação de um dos lados da negatividade que Marcuse vê como sendo o núcleo da dialética em Hegel.
Como vê Marcuse a vida nas sociedades industriais modernas?
Um fantasma atravessa estas sociedades: o nacionalismo.

Para Marcuse, como antes dele para Adorno e Horkheimer, para Georg Lukács e mesmo para Marx, particularmente num de seus textos menos lidos e ainda menos compreendidos, particularmente nos últimos tempos: os “Fundamentos da Crítica à Economia Política”, o nacionalismo, a tendência das sociedades modernas à administração total, à tecnocracia, à planificação de todos os setores da vida tem sua origem no mercantilismo burguês.
Para haver comércio e preciso haver dinheiro, e preciso que todas as coisas sejam reduzidas a uma medida comum, o dinheiro, a moeda.

Obs. até parece que na Roma antiga não existia dinheiro e o comércio não era pago com dinheiro.
O pensamento desses caras é muito doido, eles apenas decretam, não falam por que as coisas são do jeito que eles alegam que são !
Mas, nunca podemos esquecer que toda essa "filosofia" é uma farsa.
A intenção é apenas uma, causar o caos na cultura ocidental para dai então destrui-la.


Essa quantificação manifestando-se nas relações interpessoais do homem atingirá, pouco a pouco, todas as regiões da vida humana.
A apologia que hoje em dia se faz do “rigor” das ciências, da "precisão" de resultados que as modernas técnicas nos oferecem é compreendida por todos os pensadores acima citados como resultando em última análise da extensão do comércio a todos os setores da vida humana.
Portanto, a crítica ao nacionalismo, Marcuse a encontra em Marx.

Em Freud Marcuse encontra a possibilidade do homem ser feliz.
Eros e Civilização tenta provar essa tese.
O que faz o homem infeliz é que o mundo bloqueia a realização de seus desejos.

Esta oposição do mundo a nós foi chamada por Freud “princípio da realidade”.
Será este princípio superável?
Como superá-lo?
Para Marcuse, o princípio da realidade resulta de condições históricas específicas, isto é, a infelicidade é um fenômeno inseparável de determinadas situações sociais.
Assim sendo, quando atingirmos a situação social correta, o homem poderia ser feliz.
Quando será?
No “Império da Razão”.
Em Eros e Civilização Marcuse nos mostrará que o homem guarda lembranças profundas de uma possibilidade da felicidade, lembrança presente nos mitos de Orfeu e Narciso.
Mas Eros e Civilização ainda se encontra numa região mais ou menos metafísica do pensamento.
A descida para o concreto se faz na Ideologia da Sociedade Industrial.
Neste livro Marcuse repete a crítica ao racionalismo (irracional, pois não fundado na verdadeira Razão) da sociedade moderna, e tenta ao mesmo tempo esboçar o caminho que poderá nos afastar dele.
O caminho será, por um aspecto, a contestação da sociedade pelos marginais que a sociedade desprezou ou não conseguiu beneficiar.
Será por outro aspecto o desenvolvimento extremo da tecnologia, que deverá ter, segundo Marx e Marcuse, efeitos revolucionários.

Obs. Estes caras eram loucos pela ideologia, a mesma de Marx, de querer "mudar o mundo", mas nessa tarefa, a única coisa que esses malucos conseguiram foi deixar o mundo mais conturbado que antes, mais beligerante que antes, mais estúpido que antes, que geram continuamente em universidades do terceiro mundo animais irracionais raivosos.

Esses malucos socialistas deveriam ter criticado Marx, deveriam ter criticado o socialismo, este sim, cujos seguidores do marxismo implantaram no planeta, criou a miséria, a tirania, e a morte de milhões de inocentes.

Marcuse e a sua criação, a "tolerância libertadora".

http://1.bp.blogspot.com/_BLjGVUUdlaM/St9bMjAx2GI/AAAAAAAAAms/7bpbJBrIgJg/s320/marcuse-discurso.jpeg

Marcuse: ele não está dando uma aula ou fazendo uma palestra, ele não quer ensinar, ele tem um único objetivo, corromper a mente dos ouvintes, em sua maioria jovens, com isso esse judeu ateu, espera "mudar o mendo" e transformar os humanos no "homem socialista".
É um dos atos mais infames que um professor pode praticar contra seus alunos,.


Nessa sua criação Marcuse preconiza o preconceito de que tudo que vem da "esquerda" é bom, e tudo que vem da direita é mal.

Vejamos os parágrafos finais do seu ensaio "Repressive Tolerence" a este respeito:

"No entanto, a alternativa para o semi-estabelecido processo democrático não é uma ditadura ou elite, não importa o quão intelectual e inteligente seja, mas a luta por uma democracia real.
Parte dessa luta é a luta contra uma ideologia de tolerância que, na realidade, favorece e fortalece a conservação do status quo da desigualdade e da discriminação.
Para essa luta, eu propus a prática de discriminar a tolerância.
Para ter certeza, esta prática já pressupõe a meta radical que pretende atingir.
Eu estou comprometido com essa petição de princípios a fim de combater a ideologia perniciosa que da tolerância já institucionalizada em nossa sociedade.
A tolerância, que é o elemento vital, o símbolo de uma sociedade livre, nunca será o dom dos poderes constituídos, ela pode, nas condições habituais da tirania da maioria, só pode ser vencedora com o esforço sustentado de minorias radicais, dispostos a quebrar essa tirania e trabalhar para o surgimento de uma maioria livre e soberano - minorias intolerantes, militâncias intolerantes e desobediência às regras de comportamento que toleram a destruição e supressão."

Eu tenho a impressão de que uma pessoa para afirmar isso de uma sociedade democrática e livre como era a que existia na época na Inglaterra, Alemanha, EUA, é um demente, um doente mental, vítima no mais alto grau pelo trauma existencial judeu.
Infelizmente para a humanidade existem nela muitos que em função da miséria existencial em que vivem, aceitam tais ideias, o que levará a humanidade ao caos.


7 - Conclusão

O marxismo é um trauma existencial de pequena parte do povo judaico, e o nazismo foi um amargo ápice deste trauma, não só para eles, mas, para todos os judeus.

Os judeus apesar de não serem arianos, tiveram na Alemanha e arredores uma importante "pátria" que os acolheu, mas que sempre os olhou de forma não ariana.

Marx era judeu alemão, os marxistas mais conhecidos eram judeus, a maioria da Escola de Frankfurt era judia - a maioria dos marxistas viveu ali, no centro da Europa ariana, e eram judeus - o marxismo surgiu ali ... o marxismo é uma doutrina idealizada por judeus ateus.
É importante repetir - judeus ateus, ou "assimilados".

Da perseguição que os judeus sofreram por milênios surgiu uma aversão incondicional contra a sociedade "opressora".
É também uma revolta contra o Deus que os desamparou, e já que Deus se esqueceu deles, a proposta do marxismo nada mais é que "a chegada de um Messias" não divino - material - o comunismo, o fim da história, o Apocalipse redentor dos judeus.

A numerosa produção dos judeus de Frankfurt, com fantasias inebriantes, infantis até, é uma desesperada tentativa de chegar a redenção, e o amargo fim deles, é a resignação com a impossibilidade dessa utopia.


Existe uma coisa decisiva em toda esta história que jamais podemos esquecer.
Todas essas teorias de subversão tem como causa única a não confirmação na Primeira Guerra Mundial das previsões de Marx.
Ou seja, todas as "científicas" teorias sociais desses caras - são falsas, são manipulações teóricas originadas do desgosto ressentido dos marxistas, e tem um objetivo pré determinado - mudar a sociedade para que ela abrace passivamente o marxismo.

Uma coisa é certa, todos os principais membros da "escola", todos eles judeus ateus, eram indivíduos cuja mente era dominada pela mente de Marx, o que eles faziam era determinado pelo o que o "mestre" judeu ateu havia dito.

Todas as ideias mirabolantes de "interpretação" da sociedade nada mais são do que uma outra forma de dizer as mesmas coisas que Marx havia dito, qual seja, a de que a sociedade capitalista é opressora e deve ser destruída.

Todas as artimanhas inventadas pelos membros da "escola", teoria crítica, industria cultural, e demais alegorias, eram baseadas apenas em uma loucura utópica em querer "mudar o mundo", sem apresentar justificativas reais de tal necessidade.
Na verdade, tal como Marx, que teve a sua "revelação" aos 17-18 anos em meio ao caos que a sua vida se transformou ao sair de casa e ir para a universidade, foram provocadas por uma doença existencial proveniente do trauma judeu ao longo da história, que agora aflorava em sua ânsia de libertação, não da sociedade capitalista, mas sim da sociedade de todos os tempos que em várias oportunidades humilhou e escravizou os judeus.
A "escola" de Frankfurt é a prova concreta de que o marxismo é uma doença espiritual, uma revolta contra deus estendida a toda sua criação - a humanidade.

***

8 - Teoria Crítica

Em 1937, Horkheimer publica na revista “Zeitschrift fur Sozialforschung”, (Jornal para a Investigação Científica), o artigo “Traditionelle und kritische Theorie”, no qual formula pela primeira vez a natureza
e a finalidade de um novo gênero de teoria, a crítica da sociedade "capitalista" (existia tb a sociedade socialista no mundo, mas esta, apesar de ser uma porcaria, não era motivo de crítica da teoria crítica), por oposição à concepção teórica tradicional, que defendia uma distinção entre teoria a prática.

http://2.bp.blogspot.com/_BLjGVUUdlaM/St9dCYcj_OI/AAAAAAAAAm0/0c2ZjOo4-_c/s320/teoria+critica.jpeg

Uma década mais tarde, Horkheimer e Adorno, no livro Dialética do Iluminismo, identificam as supostas causas que levaram a humanidade a reincidir na vontade de perseguir o caminho da barbárie, após o fracasso do projeto de autonomia da razão humana (não devemos esquecer que essa "fracasso da humanidade" foi a não aceitação do marxismo...), tal como o pensamento ocidental, iluminista, a identificou.
A razão terá falhado (em não abraçar o marxismo), dizem os autores, por não ter conseguido prever os conflitos, resolvendo-os por antecipação e de acordo com práticas racionais, a fim de evitar as mortes e os sofrimentos daí decorrentes.
Para eles, o fracasso social, econômico, político e cultural a que se chegara através dos ditames da razão, produzia efeitos tão visíveis que se acharam impelidos a examinar a razão através das suas figuras materializadas no decurso do processo histórico.
A metodologia crítica por eles utilizada consistia em reconhecer todas as formas de opressão potenciadas pela razão histórica (nos discursos e nas atividades), para depois procederem à desmontagem das ideologias opressoras.
Ao invés da razão se apresentar como motor dinamizador das “luzes”, do esclarecimento, da emancipação e do progresso do indivíduo e da sociedade onde está inserido, apresenta-se como uma “razão instrumental” que contribuindo para a
ilusória imagem que o homem tem de si como senhor da natureza, acabou por
transformar a civilização moderna numa época em que o autoritarismo, o
dogmatismo e o positivismo se estenderam a todas as áreas de atividade humana.
A autoridade e o domínio que se julga possuir sobre a natureza, os benefícios imediatos que estamos a ter das explorações das suas riquezas, o inevitável desenvolvimento tecnológico que se prende com as explorações e desenvolvimentos de meios mais eficientes para obter mais saber, poder, tempo e capacidade produtiva, fazem com que se privilegie como valor de interação social, e nas relações do homem com o mundo, o tipo de ação que se denomina de estratégica.
Por esta entende-se a ação cuja coordenação se estabelece sobre as relações de poder e de influência que os intervenientes no processo discursivo têm uns sobre os outros, e que poderá
conduzir à ação instrumental (teleológica).
Este termo caracteriza uma ação
orientada exclusivamente para produzir os efeitos desejados pelo locutor.
A razão, ao ter servido como meio através do qual se produziram os princípios teóricos que visaram criar as condições técnicas para instrumentalizarem a natureza, e numa
tentativa de se auto-conservar, acaba por ver-se ela própria como um instrumento
das forças naturais e irracionais que não consegue controlar.
A alternativa à ação repressora que caracteriza esta idade coeva à exaltação dos
ideais racionais burgueses de submissão da natureza em prol de interesses próprios
(cujos efeitos ao nível socio-político se revelam sob a forma de expansão da ideologia do respeito pela autoridade), é-nos dito ser o recurso às formas subjetivas de
manifestação da razão que, em Adorno e Horkheimer, se cristalizam na estética.

Os que preconizam os princípios da Teoria Crítica defendem que na sociedade
tecnocrática em que vivemos só poderemos emancipar-nos física, intelectual e
socialmente, se alcançarmos uma real qualidade de vida, e isso desde que se
transformem as condições socio-económicas que estruturam essa sociedade.

A Teoria Crítica propõe uma transformação da realidade social, tendo como objetivo
emancipar o homem de um conjunto de relações de poder exploradoras das suas
forças e aptidões.
Porém, jamais fizeram uma teoria que explicasse qual seria o método para se chegar a essa suposta nova sociedade.

9 - Conclusão

Uma pessoa que chegasse ao planeta Terra vindo de uma galáxia distante, e não soubesse nada do que existe na humanidade, e lesse a avaliação da sociedade feita por esses caras, com certeza concluiria que a sociedade ocidental (Europa Ocidental, Canadá, EUA) era o próprio inferno !
Onde os seres humanos viviam em escravidão explorados por uma minoria rica !
Esses malucos falam da sociedade ocidental como se nela tivesse acontecido a tragédia que Marx falou que iria acontecer !
Só que não aconteceu o que Marx falou !
A sociedade ocidental jamais teve a liberdade política e a qualidade de vida que atingiu no século XX !
Os países da Europa, da América do Norte, eram democracias onde o povo vivia em liberdade e progresso social jamais visto pela humanidade !

A sociedade ocidental, floresceu em grande cultura e progresso, os países da Europa que por milênios e até 1800 DC mantinham o povo pobre, em meados do século XX, haviam mudado essa condição do povo para uma condição muito melhor !
Autos graus de desenvolvimento e cultura foram atingidos nas democracias ocidentais.

A parte da humanidade que vivia em tirania e na miséria, cerca de 2,1 bilhões de pessoas, eram as dos países que implantaram o socialismo !
A miséria socialista no mundo jamais foi motivo de críticas dos mentores da teoria critica !
Tal qual loucos desvairados, em vez de eles se referirem a miséria social na URSS, China, Vietnã, onde realmente existia opressão, tirania e miséria... como loucos, lunáticos, eles viam na Inglaterra, Italia, Holanda, Alemanha Ocidental, Canadá, EUA, países onde o povo vivia livre e com excelente qualidade de vida e igualdade social - miséria social !

Em virtude disso, em virtude dessa visão torpe e falsa da sociedade vistas por esses caras, se deduz que eles eram dementes, loucos que viam um mundo que não existia.

***

10 - Industria Cultural

O termo "indústria cultural" foi utilizado pela primeira vez por Horkheimer e Adorno na Dialética do Iluminismo.

http://4.bp.blogspot.com/_BLjGVUUdlaM/St9dz5EXFMI/AAAAAAAAAm8/2WaDWY9KKbs/s320/Dialetica+do+iluminismo.jpeg

Anteriormente, empregava-se o termo "cultura de massa" que, conceitualmente, refere-se a uma cultura que nasce espontaneamente das próprias massas, a uma forma contemporânea de arte popular.
A realidade da indústria cultural é diferente: o mercado de massas impõe estadardização e organização, os gostos do público e suas necessidades impõem estereótipos e baixa qualidade.
A indústria cultural exerce um domínio sobre os indivíduos e, ao preferir a eficácia dos seus produtos, determina o consumo e exclui tudo que é novo, tudo o que se configura como risco inútil.

Segundo Adorno, é necessário discutir os objetivos: por exemplo, se a pesquisa administrativa coloca a questão de como conseguir incrementar a audição de boa música, através dos mass media, a teoria crítica defende que não se deveria estudar o comportamento dos ouvintes sem levar em consideração até que ponto esse comportamento reflete mais amplos esquemas de comportamento social e, mais ainda, até que ponto é condicionado pela estrutura da sociedade considerada como um todo.

Na época da indústria cultural, o indivíduo deixa de decidir autonomamente; o conflito entre impulsos e consciência soluciona-se com a adesão a crítica aos valores impostos
O homem se encontra em poder de uma sociedade que o manipula a seu bel-prazer
O consumidor não é soberano, como a indústria cultural queria fazer crer; não é o seu sujeito, mas o seu objeto.
A influência da indústria cultural, em todas as suas manifestações, leva a alterar a própria individualidade do consumidor, que é como o prisioneiro que cede à tortura e acaba por confessar mesmo aquilo que não fez.

Obs. Isso é uma mentira descomunal...
Isso é supor que os seres humanos não tem vontade própria. Isso é supor que os humanos tomam cerveja Skol porque a "industria cultural" os obriga a tomar Skol !
Esses marxistas muito malucos ignoram que não existe apenas um fornecedor de mercadorias...
Esses doentes mentais ignoram que para cada tipo de mercadoria existem vários fabricantes diferentes, como os diversos fabricantes de cerveja, ignoram que o consumidor escolhe a cerveja que ele mais gosta, e se ele não gosta de cerveja, ele simplesmente não compra cerveja !
De maneira que o que esses marxistas malucos veem na sociedade, é uma louca alucinação que não existe !


Os produtos da indústria cultural paralisam a imaginação e a espontaneidade.
Assemelha-se em tudo a um questionário de múltipla escolha: quem o preenche está limitado a alternativas muito precisas e previamente fixadas.
Num consumo deste tipo, a linguagem é transformada em uma linguagem que os consumidores pensam ser a sua, que serve de receptáculo às suas necessidades institucionalizadas.

Obs. Essas colocações são de uma demência sem precedentes...
Estas pessoas viviam em um ambiente teórico irracional e totalmente fora da realidade, desconhecem que milhares de produtos são colocados no mercado - mas não são aceitos pelos consumidores !
E os fabricantes desses produtos vão a falência, pois não conseguem vender o produto, coisa muito comum, mas que a demência socialista desconhece.

A manipulação do público - perseguida e conseguida pela indústria cultural entendida como forma de domínio das sociedades altamente desenvolvidas - passa assim para o meio televisivo, mediante efeitos que se põe em prática nos níveis latentes das mensagens.
Através do material que observa, o observador é continuamente colocado, sem o saber, na situação de absorver ordens, indicações, proibições.

Obs. Para esses alucinados, fazer propaganda do produto, é "manipular" as pessoas...
Essa loucura pressupõe que ao ver a propaganda, o telespectador fica hipnotizado e se dirige a loja como um autômato para compra´la !
Esses irracionais não levam em conta que os humanos tem vontade própria, escolhem comprar o que gostam, e se não gostam de nada, não compram.
Essa teoria, é uma coisa que apenas gente demente, louca, tal e qual os loucos autores da mesma, acreditam.

***

11 - Jacques Derrida (1930-2004)

Derrida com sua argumentação procura “desmontar” o que foi falado num texto.
"O significado que o escritor buscou impor ao texto deixa de existir, já que o texto agora expressa vários significados."

http://3.bp.blogspot.com/_BLjGVUUdlaM/St9ga20eTZI/AAAAAAAAAnE/rd9pVb-p4-4/s320/derrida.gif

Na sua interpretação o significado de um texto assume convenções variadas e contém seus próprios códigos.
Para Derrida em vez de procuramos o significado de um texto devemos mostrar os seus supostos diferentes significados.

O objetivo de Derrida era o de destruir toda a “escrita” pela demonstração de sua suposta falsidade.
Segundo ele, a linguagem expressada no texto distorce o que o autor pensou.

Derrida desenvolveu essa concepção em “A escritura e a diferença”, de 1967.
Nela ele ataca o racionalismo e Descartes.
Mas as ideias principais de seu pensamento estão em “Gramatologia”, também de 1967.
Nele Derrida argumenta que a filosofia se equivocou ao procurar a verdade na “essência das coisas”.
Para ele, o foco deveria ser na linguagem.
Ao prosseguir nesse raciocínio, Derrida procurou invalidar todo o processo da lógica, porém, ele próprio usou a lógica formal para argumentar !

Em 1972, tornou-se professor na Johns Hopkins University no EUA, onde lança três livros, a ideia central é a de que a força de diferentes significados causa uma diversidade de interpretações.

Em 1981 Derrida foi a comunista Tchecoslováquia.
Em Praga foi preso por porte de maconha.
A França protestou de forma veemente para defender seu maconheiro, e Derrida foi solto e ovacionado como herói em Paris.
Estes são os heróis do marxismo - viciados em drogas.
Derrida morreu em 8 de outubro de 2004, em tempo de ter a humilhação de ver a derrocada do socialismo.

***

12 - Conclusão Final.

O marxismo, que por todo o planeta implantou ditaduras sanguinárias, onde foram mortos dentro de seus próprios países milhões de pessoas, gerou o corrupto marxismo cultural politicamente correto, uma das vítimas dessa corrupção foi o meio artístico, e o apogeu dessa corrupção foi o domínio em Hollywwod.
Hollywood a já muito tempo produz filmes onde a estratégia marxista é embutida, filmes de 25 anos atrás onde o presidente do EUA era negro, dezenas de filmes onde Nova York, o símbolo do progresso e da democracia, é destruída por alguma catástrofe, e filmes como o "V de Vingança", onde em 2020, a Inglaterra, o país onde a população tem o mais alto grau de liberdade, onde a polícia nem arma usa, a mais antiga democracia do planeta - é governado por um ditador !
Por que Hollywood não vez tal filme na Russia, ou na China, ou no México, em vez de fazer na Inglaterra, onde jamais existiu uma ditadura ?
Isso jamais ninguém perguntou a seus autores.
Este filme na verdade infere um desejo do marxismo.
Desta forma, camuflada, sorrateira, suja, é que o marxismo cultural atua na corrupção das mentes descuidadas.

http://2.bp.blogspot.com/_BLjGVUUdlaM/St9mooZelXI/AAAAAAAAAnU/_bGdRgj89fg/s320/V+da+vingan%C3%A7a.jpeg

http://4.bp.blogspot.com/_BLjGVUUdlaM/St9l5J_Ot6I/AAAAAAAAAnM/_gKo3A4uIjw/s320/V+da+vingan%C3%A7a.jpeg

A intenção de todos os membros do marxismo cultural é apenas uma - criar mecanismos para destruir as bases da cultura ocidental.
A "teoria crítica", a "industria cultural", a "desconstrução", o "Eros", todos são ferramentas para mudar os conceitos estabelecidos, sem entretanto comprovar sua verdade e muito menos propor algo real em substituição ao que pretendem destruir.
Na verdade, eles não declaram, mas, o que pretendem colocar no lugar da sociedade destruída é o falido marxismo.

Uma das coisas que o marxismo cultural mais usa é a ignorância humana em todos os sentidos.
O ressentimento daqueles que não conseguem mudar as próprias vidas e permanecem estagnados é usada habilmente pelo marxismo cultural para fomentar o ódio contra as instituições e contra os seres humanos produtivos e competentes.

Depois de 80 anos dessa corrupção, principalmente no EUA, eles realmente conseguiram mudar parte da humanidade, dai surgiram as pessoas "politicamente corretas", uma falsidade hipócrita criada no seio da sociedade.
O marxismo porém, sempre estúpido e fora da realidade, se engana se espera que essa tolice implantada na sociedade levará ao socialismo...
É muito provável que leve a humanidade a uma irrealidade existencial que poderá custar muito caro no futuro, mas ao socialismo jamais levará.
Mas, pelo que tenho notado, o socialismo marxista mudou as suas intenções, não mais pretende a abolição da propriedade privada e a centralização da produção no "estado", ele pretende se instalar como parasita da sociedade, milhares de socialistas aquartelados no "estado" e em "ongs", sugando através de impostos o suor e o sangue da parte da sociedade produtiva.

Acredito que isto, a longo prazo, levará a uma luta de classes real, entre a classe dos produtivos e a classe dos parasitas, em um confronto final para ver o que vai prevalecer na humanidade, se a lucidez ou a estupidez, se a dignidade ou o embuste, se o esforçado ou o vagabundo, se a cultura e a razão ou a ignorância irracional.

http://3.bp.blogspot.com/_BLjGVUUdlaM/St9n6CMZiuI/AAAAAAAAAnc/0ue29RIad6I/s320/destruicao-total-o-fim-do-mundo1.jpg

http://3.bp.blogspot.com/_BLjGVUUdlaM/S5Ffl_gshBI/AAAAAAAAA8Y/rKqh-BpoCsQ/s320/2012-cristo-415.jpg

A destruição total da humanidade - eis ai o que o marxismo quer para a humanidade - e este filme, dentre muitos outros feitos na Hollywwood dominada pelo marxismo cultural, é uma enorme demonstração desse anceio da ideologia cega.


***


ARTIGOS COMPLEMENTARES

BANCOS REVOLUCIONÁRIOS !

A título de curiosidade, mas também de muita importância para quem quer entender o que está acontecendo na humanidade atual, coloco um vídeo com a mais recente propaganda "revolucionária" do Itaú.
O Itaú está apelando para a ideologia esquerdista e/ou socialista e/ou comunista e/ou marxista e/ou anarquista de "mudar o mundo" pois viu que nela vai ter um grande público alvo !

Essas ideologias pregam "mudar o mundo", não tem a menor idéia do o que colocar no lugar da sociedade atual, mas, tem a pretensão divinizada de "transformar o mundo"!
Essa multidão de humanos na impossibilidade de mudarem as próprias vidas, passaram a almejar "mudar o mundo", e isso na atualidade se transformou em uma ojeriza que afeta milhões.
Os bancos detectaram isso!
Identificaram esse enorme "público alvo", e da mesma forma que os fabricantes de cigarro usavam exemplos de pessoas de sucesso para alimentar o sonho das pessoas a consumirem seus produtos, os bancos vão passar a usar essa nova ambição de parte da humanidade para vender seus produtos !

O Itaú vai mudar o mundo junto com você!
MUDE 2012

http://www.youtube.com/user/BancoItau

Que beleza ! rsrsrs


O BRADESCO (e demais bancos e grandes empresas) também já entrou nessa com tudo e a principal motivação da sua propaganda atual é "transformar o mundo"... e pasmem !
- Mudar a cabeça das pessoas !

http://www.bradescorural.b.br/site/conteudo/resp_socioambiental/default.aspx

No link podemos ler:

"Responsabilidade Socioambiental
Transformar o mundo em um lugar melhor é tarefa de todos.
Mas, para isso, é preciso mudar primeiro a consciência humana."

Isto é marxismo cultural !
Gramsci deve estar orgulhoso da sua obra !
Conseguiu fazer a mais importante peça do capitalismo trabalhar em prol do "príncipe" !
príncipe = partido comunista.

O interessante disso tudo é que ninguém percebe que estão sendo conduzidos por uma ideologia que despreza isso tudo e quer destruir a sociedade atual !


***


HUMANOS QUE ODEIAM A PRÓPRIA ESPÉCIE E QUEREM DESTRUÍ-LA.


Estes dias atrás revi o primeiro filme da trilogia Matrix, eu já tinha conhecimento que Matrix era mais um das dezenas de filmes hollywoodianos apocalípticos (tais como 2012, O Dia Depois de Amanhã, V da Vingança, O fim dos tempos, Keanu Reeves, Wall-E, Fim dos dias, Impacto Profundo, Armagedom, Apocalipse Now, Terremoto, O dia seguinte, O livro de Eli, Vírus, O Inferno de Dante, Meteoro, Terra dos Mortos, Independence Day, Guerra dos Mundos, Eu sou a Lenda, O dia que a Terra parou, Presságio, etc.) feitos pelas mentes atrofiadas dos "salvadores do mundo" na sua luta contra a "perversa" espécie humana.

Acho conveniente saber que existe esse tipo de mente humana que odeia a própria espécie e prega o seu fim, é importante saber deste fato pois estes indivíduos estão presentes no mundo atual em todas as instituições internacionais no incansável trabalho para destruir a "perversa" sociedade humana civilizada que odeiam.

http://narcosphere.narconews.com/userfiles/save-planet-kill-yourself.jpeg

No filme o agente da Matrix ao aprisionar Morpheus diz a ele que: odeia a espécie humana, que odeia seu cheiro; e em seguida diz que: a espécie humana é a única entre os mamíferos que usa a natureza até a exaustão e depois a larga, e por isso, os humanos não são mamíferos, são uma praga, são vírus [que devem ser exterminados].

O ser humano é um virus - YouTube

Estas frases - foram feitas por seres humanos - os autores do roteiro e texto do filme... e expressam a opinião dessa classe insana de humanos que ficou louca e passou a odiar os próprios semelhantes indiscriminadamente.

Evidentemente os demais mamíferos também usam os recursos da natureza até a exaustão...
Uma manada de elefantes na África come todos os vegetais de uma região, o que não come destrói em sua passagem, e quando este alimento acaba a manada vai para outra região, os elefantes só não extraem mais da natureza porque não tem capacidade tecnológica para fazer isso.

Acho importante saber desse fato, pois tais mentes atrofiadas hoje são milhares e trabalham incansavelmente para alcançar o objetivo final de destruição do "perverso vírus" humano...
Todos os acontecimentos importantes mundiais que geram crises tem a ação camuflada dessa gente.


***


Textos relacionados ao assunto:

Síndrome Greenpeace
http://sindrgreenpeace.blogspot.com/

A água do planeta vai acabar?
http://aguaplanetavaiacabar.blogspot.com/2010/07/agua-vai-fugir-para-marte-quando-essa.html

Você quer mudar o mundo?
http://vcquermudarmundo.blogspot.com/2010/07/voce-quer-mudar-o-mundo-e-mesmo.html

Você precisa de uma ideologia para viver?
http://ideologiavcprecisa.blogspot.com/2010/07/ideologia-as-ideologias-sao-fonte-de.html

Nikolas Försberg
August 27th, 2012, 06:07 AM
A imagem fala por ela mesmo...

http://vnnforum.com/attachment.php?attachmentid=7765&stc=1&d=1346065638

Nikolas Försberg
September 11th, 2012, 10:33 AM
10 – PROCURE CATALOGAR TODOS AQUELES QUE TÊM ARMAS DE FOGO, PARA QUE SEJAM CONFISCADAS NO MOMENTO OPORTUNO, TORNANDO IMPOSSÍVEL QUALQUER RESISTÊNCIA

Este decálogo foi baseado nas cartas de Lenin, onde ele descrevia quais seriam os próximos passos.

Elas estão em "Às Portas da Revolução - Escritos de Lenin de 1917" de Slavoj Zizek

No Brasil... Lei Federal 10.826/03 (http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.826.htm).

Nikolas Försberg
September 19th, 2012, 12:49 AM
http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/5/5a/Jewguevara.gif

Nikolas Försberg
September 21st, 2012, 06:39 PM
Para onde o mundo esta caminhando?

Mulher quer usar os argumentos dos activistas homossexuais para casar com o seu cão. (http://networkedblogs.com/Crnde)

Fonte Traduzida (http://ohomossexualismo.blogspot.com.br/2012/09/mulher-quer-usar-os-argumentos-dos.html)

Cassandra White ofda Indiana do Norte deu entrada a uma petição junto do governo local de modo a que este lhe permita "casar" com o seu cão Brutus. Cassandra enviou várias cartas aos activistas homossexualistas como forma destes a ajudarem a liderar a marcha contra a discriminação contra ela e todos aqueles que se querem "casar com quem eles bem quiserem".

White levou a cabo várias tentativas sem sucesso para obter a licença de casamento depois de listar “Brutus” na secção do certificado de que diz FULL NAME OF PARTY B.

O formulário foi 3 vezes rejeitado quando os funcionários lhe perguntaram o primeiro nome de “Brutus”. Outras secções do formulário foram também deixadas em branco. Por exemplo, White não foi capaz de listar os nomes dos pais de Brutus. Aparentemente, Cassandra não foi capaz de listar essa informação devido ao facto dela ter adoptado Brutus quando este se encontrava num abrigo.

Cassandra White aplaudiu o anúncio do presidente Obama quando este deu o seu apoio ao "casamento" homossexual, e citou-o dizendo:

Fiquei muito feliz quando ouvi o comentário do presidente em torno do "casamento" homossexual quando ele disse, "Este é o tipo de coisa que leva a uma mudança de perspectiva....."

Cassandra pede agora ao estado de Indiana que reconheça o que o presidente disse e mudem a sua perspectiva, permitindo que ela se "case" com Brutus.

White recebeu o apoio da "Freedom To Marry Our Pets Society" que planeia organizar um protesto em Washington de modo a mudar a definição do casamento de modo a que este inclua os animais.

Fonte Original. (http://www.dividedstates.com/indiana-woman-wants-marry-her-pet-dog-tries-to-rally-support-from-gay-rights-activists/)

---

Um dos vídeos do filósofo Católico Olavo de Carvalho diz uma coisa muito importante; o casamento assente sobre três pilares:

A. Sexo. (1 homem + 1 mulher)
B. Espécie (humana)
C. Número (dois)

A partir do momento que um dos pilares é destruído (neste caso, a noção de que o casamento é entre dois seres humanos de sexos distintos), então os outros dois pilares podem ser postos em causa. Se o casamento não é entre um homem e uma mulher, porque é que tem que ser só entre duas pessoas? Porque não entre 3, 4, 5 ou 260,356 ?

Semelhantemente, se o casamento não é entre um homem e uma mulher, então não é preciso que seja só entre seres humanos. Esta é a consequência matemática da redefinição do que é um casamento (1 homem + 1 mulher). As pessoas que ignorantemente dizem que "as coisas nunca chegaram ao ponto de se casar pessoas com animais" estão erradas. Os engenheiros da destruição do casamento SABIAM que as coisas chegariam a este ponto, e DESEJARAM que as coisas chegassem a este ponto.

Obviamente que quando chegarmos à fase da "Normalização" [quando a elite esquerdista tiver o poder absoluto] o activismo gay será proibido uma vez que já cumpriram a sua parte na subversão da sociedade.

_______________________________________________________

Nikolas Försberg
September 26th, 2012, 03:46 AM
Um exemplo do Decálogo de Lenin...

O ponto numero 10 diz:

"Procure catalogar todos aqueles que tem armas de fogo, para que sejam confiscadas no momento oportuno, tornando impossível qualquer resistência."

Vejamos a imagem abaixo:

http://vnnforum.com/attachment.php?attachmentid=7810&stc=1&d=1348649160

Campanha de desarmamento na Rússia em 1921, pouco depois do Comunismo chegar ao poder. O poster diz: "CAMARADAS, DESARMEM-SE!" Depois disso todo mundo sabe o que aconteceu com o povo russo por 72 anos...

Um análise da frase:

"Procure catalogar todos aqueles que tem armas de fogo..."

Vide o registro obrigatório de arma de fogo em um banco de dados (SINARM/Polícia Federal e SIGMA/Exército) com os dados de todas as pessoas que possuem armas de fogo legalizadas no Brasil.

...para que sejam confiscadas no momento oportuno, ...

No Brasil eles vem tentando isso há muito tempo, alguém lembra-se do referendo de 2005 que visava proibir o comércio de armas e munições no Brasil?
A lei 10826/03 é parte do plano para desarmar a população.

"...tornando impossível qualquer resistência."

É auto-explicativo.

Alguém aqui ainda quer ser desarmado?

Ricardo Mendonça
November 2nd, 2012, 05:28 PM
Cavernas onde em França habitaram os antepassados de quase todos nós.

Gostaria que antes de começarem a ver integralmente o documento, pudessem primeiro ir directamente ao minuto 31.00 e que escutassem tudo até ao minuto 32.27...As últimas 3 frases desde o minuto 32.10 até ao minuto 32.27...são palavras magníficas.

O narrador diz: "We are locked in history...and they, were not..." magnífico de facto.

Apreciem, camaradas é parte de todos nós

http://www.youtube.com/watch?v=auIOTwfDiJQ&feature=relmfu

Ricardo Mendonça
November 2nd, 2012, 06:14 PM
Este documentário fala da enigmática destruição e queda de três das quatro maiores civilizações do mundo antigo na idade do bronze. Em cerca do século XII A.C, três das maiores civilizações do mundo antigo desapareceram, a minóica, a micénica e a hitita, sobrevive o egipto a mais poderosa de todas até à data, mas sem nunca mais recuperar o esplendor anterior.

É através dos egípcios que chega até nós o relato e a descrição do misterioso povo dos "homens do mar". Quem eram? De onde vinham? Como foi possível que conseguissem atacar e derrotar as maiores forças que o mundo já vira, as potências marítimas de Micenas e de Knossos, o exército dos poderosos faraós e dos aguerridos hititas com os seus carros de guerra?

Foram esses misteriosos guerreiros do mar cuja origem é até hoje desconhecida, ou terão as forças da natureza sido as responsáveis por um mundo em mudança forçando povos uns contra os outros na luta por recursos que diminuiam de ano para ano?

Tudo isto nos cativa a imaginação, a beleza dos palácios minóicos, os poderosos guerreiros ataviados em bronze tal como nos descreve Homero, as batalhas entre reis de outrora e o ribombar das rodas dos seus carros de guerra, tudo isso nos prende e cativa o pensamento, mas a mim são as histórias que hoje a ciência faz chegar até nós que mais me marcaram...

As histórias de sobreviventes, de gente que se recusou a morrer e que procurou refúgio nas agrestes montanhas de Creta e de Chipre...

Vejam como fizeram...Para mim, de todas as que neste documentário nos trazem, esta é a maior lição.

Um grande abraço a todos e boas reflexões!

http://www.youtube.com/watch?v=aJnBrXhVTvs

Nikolas Försberg
November 3rd, 2012, 11:55 PM
Aprendendo a mentir como uma feminista (http://omarxismocultural.blogspot.com.br/2012/10/aprendendo-mentir-como-uma-feminista.html)

http://4.bp.blogspot.com/-1FCvRZ3aF6w/UIM5Hgi3EuI/AAAAAAAAPtE/2xFMIuh_5eE/s320/Mentirosa.jpg

Olá. Eu sou Hugh Hess, e mais uma vez tenho ao meu lado a autora feminista Mary Hinch. Hoje ela vai-nos ensinar a mentir como uma feminista.

Ola, Mary, e bem vinda.

Obrigado Hugh, e se posso dizer, esta é a segunda vez que nos encontramos e tu ainda não me violaste nem me espancaste. Muito bem.

Ainda vamos a tempo.

De qualquer maneira, o que achas deste tempo agradável que tempos tido ultimamente?

Bem, quando se trata do recente tempo deixa-me dizer que as mulheres são as verdadeiras vítimas.

Esquece o que perguntei!

Com que então vai-nos ensinar mentir como uma feminista.

Sim, desde que, antes disso, eu tenha a hipótese de promover o meu último livro.

Outro livro? Se não me engano, acho que já escreveste para aí uns 200, não?

Na verdade, Hugh, já foram 223, mas eles são essencialmente todos iguais e como tal, entendo o porquê de teres perdido a conta. Ou isso, ou então tu tens uma péssima memória.

Deve ser da minha memória. Há muitos anos atrás um génio da lampada mágica deu-me a escolher entre ter uma memória longa ou um órgão sexual longo.

O que é escolheste?

Já não me lembro.

Mas, diz-me, qual é o tema do teu último livro?

A mesma lenga-lenga de sempre: como as mulheres são vítimas, como ser uma mulher é uma luta, como os homens são responsáveis por tudo de mau que existe ao mesmo tempo que as mulheres são responsáveis por tudo de bom que existe.

Já estou aborrecido. Qual é o título do livro ?

Chama-se "A Essência da Feminidade Feminina: O Percurso da Mulher Através da Feminidade e dos Seus Desejos Femininos. Um Livro Escrito por Uma Mulher Para as Mulheres".

"Para as Mulheres"? Então é bem provável que eu não goste do livro.

É provável que não. Não há mulheres nuas dentro do livro. E além disso, as livrarias não têm autorização para o vender aos homens.

Que pena. Venderias mais livros se colocasses fotos de mulheres nuas dentro do livro. Obviamente, desde que não sejam fotos tuas.

Isso é assédio! É uma falta de respeito não me achar atraente. Típico homem.

Peço desculpa.

Mentindo como uma feminista

Vamos lá então dar início à lição "Como mentir da forma que as feministas mentem". Diz-me, Mary, como é que mentes como uma feminista?

É fácil. Nós usamos a táctica de transformar pequenos montes em montanhas, especialmente em torno de assuntos que, na sua maioria, afectam as mulheres. Por exemplo, se uma mulher é violada, nós dizemos que quarenta mulheres foram violadas.

Portanto, as feministas exageram em torno do assunto da violação?

Constantemente. Nós também gostamos de exagerar quando falamos da violência doméstica que aflige as mulheres ao mesmo tempo que ignoramos por completo os homens que se encontram na mesma situação.

Porquê exagerar em torno da violência doméstica ou da violação? Qual é o propósito? Será isso para colocar as mulheres como vítimas e os homens como malignos?

Suponho que tenho que te explicar isto de forma que o teu pequenino cérebro masculino entenda.

Se não te importares.

Certamente que caracterizar as mulheres como vítimas e os homens como malignos é apenas uma pequena fracção do nosso objectivo. O objectivo maior é bem mais interessante, mas a melhor forma de sumarizar é dizer que tudo gira em torno vil metal.

Dinheiro? Como é que a feminista mediana, que propaga mentiras, ganha dinheiro com essas mentiras?

Ela não ganha. Sem ser da sua vontade, ela trabalha para aquelas que ganham. Elas usam a credulidade da mulher comum, bem como a sua enorme necessidade de estatuto de vítima, em seu favor.

De que forma?

Simplesmente alimentando as mentiras que conferem às mulheres o seu estatuto de vítima. A sua credulidade garantirá que elas acreditam nas mentiras sem as questionarem. A sua necessidade desesperada por estatuto de vítima garantirá que elas propaguem as mesmas mentiras junto de outras mulheres crédulas. Isto prossegue o seu curso e as mentiras propagam-se como um virus.

Mas quem é que ganha dinheiro com tudo isto?

Existem muitos grupos de mulheres, organizações de mulheres, e abrigos de violência doméstica que precisam de financiamento governamental. E é mais fácil obter fundos do governo se tu criares a impressão de que pertences a um grupo-vítima. É precisamente por isso que todas as feministas mentem para caracterizar as mulheres como vítimas.

O que é que a feminista comum ganha com essas mentiras?

Estatuto de vítima e uma desculpa pelos falhanços da sua vida. Repara, é mais fácil culpar uma mentira como o "telhado de vidro" como razão pelos seus falhanços do que admitir que elas não são tão boas como os homens têm que ser.

Agora sabemos o motivo por trás das mentiras e quem lucra com elas. Podes me dizer mais algumas mentiras que são usadas?

As feministas mentem em torno de tanta coisa que a lista de mentiras é demasiado grande para listá-las todas. Devido a isso, vou-me restringir às mentiras mais comuns.

Diferenças Salariais.

A mentira mais popular, e a minha favorita, é a mentira em torno das diferenças salariais.

Explica-a.

Típico homem. Sempre a precisar que lhe expliquem as coisas.

A mentira em torno das diferenças salariais é aquela que afirma que as mulheres recebem menos que os homens - às vezes menos 18%, às vezes menos 22%; sempre dependendo do nosso estado espírito no momento em afirmamos estas coisas. Obviamente que só podemos convencer mulheres crédulas de que isto é verdade se só usarmos as médias. Não digam a estas mulheres que, em média, o oceano só tem 91 centímetros de profundidade senão muitas mulheres crédulas afogarão quando tentarem viajar para outro país.

Então as mulheres são pagas de forma justa, e não existe diferença nenhuma no dinheiro que se recebe quando todos os factores são levados em consideração?

As únicas pessoas que acreditam na mentira das diferenças salarias são as pessoas que têm a cabeça cheia de lixo. É por isso que tantas mulheres acreditam nessa mentira.

Porque é que esta mentira é a tua favorita?

Eu gosto da maneira como pode ser usada para ignorar os problemas que os homens enfrentam na sociedade. Por exemplo, se alguém levanta uma questão em torno do que os homens têm que enfrentar na sociedade actual, nós podemos dizer "Isso pode ser discutido mal nós estejamos a receber o mesmo."

Também gosto dela porque é uma mentira que durará para sempre uma vez que, em média, as mulheres sempre receberão menos que os homens visto que os homens fazem os trabalhos mais sujos e mais perigosos, e que pagam mais, ao mesmo tempo que muitas mulheres escolhem fazer trabalhos mais fáceis onde podem ficar sentados sobre os seus traseiros. Para além disso, elas fazem grandes pausas nos empregos, e frequentemente molengam quando se dão ao trabalho de aparecer para trabalhar.

Telhado de vidro

Verdade. Tens algum outro exemplo?

Como ja disse há pouco, a mentira em torno do "telhado de vidro", que afirma que as mulheres são impedidas de chegar ao topo da sua carreira devido a existência duma invisível barreira. Esta mentira é usada pelas mulheres que não se importam assim tanto com a sua carreira, ao mesmo tempo que preferem ficar em casa a ver novelas, ocasionalmente dando a luz uma criança como forma de impedir que elas voltem a trabalhar. Elas podem assim dizer que foram impedidas de atingir o seu objectivo devido ao "telhado de vidro", ou, como é às vezes conhecido, "a rede dos amigos."

Essa mentira só é usada para esconder os seus fracassos?

Não. Às vezes as mulheres da politica usam essa mentira como forma de levar as mulheres crédulas a votar nelas, sendo a Hillary Clinton um exemplo perfeito. Ele repetiu de forma consistente que o telhado de vidro existia ao mesmo tempo que tentava ser a presidente dos EUA. Isto foi feito para que as mulheres mais crédulas sentissem que existia uma injustiça contra as mulheres que precisava de se reparada, e que só ela poderia fazê-lo.

Ironicamente, se o telhado de vidro realmente existisse, ela nunca se poderia candidatar a presidente dos EUA. Mas, claro, aqueles que têm a inteligência dum balde de medusas nem se aperceberam dsta ironia.

Violência Doméstica e Abuso Sexual

Que tipo de mentiras são usadas para exagerar nos números em torno da violação e da violência doméstica?

Quando estamos em dúvidas, usamos a mentira 1-em-4. Isto significa que usamos a estatística "uma em cada quatro". É por isso que as feministas dizem "uma em cada quatro mulheres sofrerá um abuso sexual" ou "uma em cada quatro mulheres sofrerá violência doméstica." Tudo mentira, mas "uma em cada quatro" é mais ameaçador. Certamente é mais ameaçador que a verdade.

As feministas parecem obcecadas com a violação. Porquê?

Porque é um crime que na sua maioria, afecta as mulheres, e é maioritariamente feito pelos homens. O problema para as feministas é que, não só a violação é um crime muito raro, como é na maior parte das vezes feito por alguém que a mulher conhece. É precisamente por isso que temos que mentir.

É um problema para as feministas o facto da violação ser um crime raro? De que forma?

Porque para as feministas, o mundo ideial seria um mundo cheio de violadores por todos os cantos, e mulheres sexualmente abusadas a amontarem-se nas ruas. De facto, a utopia feminista seria uma onde as mulheres só engravidariam através da violação e fizessem um aborto.

De que outras formas é que vocês mentem em torno da violação?

Basicamente, nós inventamos as mentiras à medida que vamos andando. A mentira mais recente é a de que 85% das violações não são reportadas à polícia, "facto" que foi amplamente propagado pelos órgãos de informação. Mas, claro, isto é um engenhoso monte de mentiras uma vez que não há forma de saber o que não é reportado. As mulheres seriam as primeiras a protestar se alguém disse que 85% de abuso infantil feito por mulheres não é reportado. No entanto, elas acreditam automaticamente quando essa estatística é usada contra os homens. É por isso que é tão fácil propagar as nossas mentiras e ninguém questioná-las. As mulheres são tão crédulas.

Entendo o que dizes.

Existem muitas outras mentiras, mas há uma coisa que tem que ser esclarecida: sempre que uma mulher disser alguma coisa que, de alguma forma, coloca as mulheres como vítimas, podes ter a certeza que ela está a mentir. E se ela cita uma estatística que fomenta o estatuto de vítima nas mulheres, de certeza que foi uma pesquisa manipulada que produziu a estatística desejada, ou a estatística será de alguma forma modificada.

Isso é muito trabalho nos esforços de se caracterizar as mulheres como vítimas.

Bem, Hugh, se vocês homens vivessem de acordo com o esteriótipo violento que nós feministas vos atribuímos, e começassem a cometer mais abusos sexuais, nós não teríamos de mentir. Portanto, enquanto vocês homens preguiçosos não se levantarem dos vossos traseiros, e começarem a fornecer o que nós feministas queremos - mais vítimas de violação - seremos obrigadas a continuar a mentir.

Achas que as vossas mentiras serão algum dia expostas?

Isso só acontecerá se as mulheres inteligentes se tornarem mais vocais, e começarem a questionar o que elas ouvem. Isso será o pior pesadelo das feministas.

Mas, felizmente, as mulheres inteligentes tendem a ficar caladas e raramente confrontam as feministas. Começo a ter suores frios quando penso na possibilidade das mulheres começarem a questionar o que elas ouvem em vez de deixarem as coisas tal como elas estão agora, e aceitarem cegamente tudo o que elas ouvem.

Bem, temos que terminar antes que a Mary desmaie. Gostaria de agradecê-la por nos ensinar a mentir como uma feminista. Obrigado pela entrevista, Mary.

Dispõe, Hugh. Bem, dispõe sempre que eu tiver alguma coisa para vender.

Nikolas Försberg
November 5th, 2012, 10:24 AM
Esse vídeo é bom pra fazer exame de fezes da mente de um esquerdopata... a caricatura perfeita de um comunista doutrinado pelo "sistema" que ele acredita combater... explica sua própria insanidade... parabéns pra repórter pela pérola!

Punk, a ideologia de um.

Os caras falam mal do "sistema", quer derrubar o "sistema". Você pergunta o que é o "sistema" e eles não sabem responder. Pergunta o que propõem no lugar e também não respondem.

Com esse ideia de anarquia e sem hierarquia, nunca vão se organizar politicamente, como fazem -- e muito bem -- os marxistas. São bichos sem futuro algum e que só servem pra fazer barulho. São como as gralhas.

São idiotas úteis do marxistas.

Nikolas Försberg
November 5th, 2012, 07:48 PM
Qual é a maior ameaça que a mulher enfrenta hoje em dia? (http://omarxismocultural.blogspot.pt/2012/11/qual-e-maior-ameaca-que-mulher-enfrenta.html)

http://4.bp.blogspot.com/-SFGe3p2OcRc/UJgO8F7j9dI/AAAAAAAAQ5s/I3xT2lwcYco/s400/Binge02.jpg
Oprimida

A colunista inglesa Esther Rantzen assistiu a um documentário televisivo que acompanhou o trabalho dos serviços de emergência, e ficou chocada com o comportamento das mulheres jovens:

O foco principal deste documentário chocante e desmotivador, filmado nos serviços de emergência em Blackpool, é o facto do maior perigo que as jovens mulheres, aqui na Grã-Bretanha, no ano de 2012, enfrentam não vir dum potencial estranho violento mas delas mesmas.

Ela continua:

Nunca como hoje houve tantas moças a paralisarem-se deliberadamente com bebedeiras, colocando-se a elas mesmas em perigo através das brigas e do porte de facas, e usando os punhos e linguagem ofensiva como armas. Tenho que perguntar, ecoando o tal policial e falando como mãe de filhas adolescentes, onde estão as mães destas raparigas brutalizadas e boçais?

Estas jovens mulheres parecem tão determinadas em se auto-destruírem que pergunto-me se elas alguma vez tiveram um exemplo cheio de amor, nomeadamente, a sua própria mãe.

...Será que isto acontece porque elas foram educadas a acreditar que as suas vidas não têm valor algum, o que lhes leva a ficar entorpecidas devido ao elevado consumo de álcool forte, gastando £100 por noite, se tiverem, bebendo 10 ou 12 copos de ‘Jager Bomb’ até vomitarem ou desmaiarem até que sejam ajudadas?

...O mais chocante é a violência levada a cabo por estas raparigas. Elas não se magoam só a elas; elas magoam outras pessoas....O documentário da Channel 4 mostrou homens com sangue a escorrer pela cara abaixo, esfaqueados por mulheres que, segundo a polícia, andavam sempre com facas. ‘tal como telemóveis’, disse um policial, ‘nas suas bolsas’.

Esther Rantzen avança com um certo número de ideias como forma de explicar a ascensão desta cultura ladette. Gostei muito do seu instinto quando ela perguntou:

Será que é emancipação adoptar o comportamento dum homem bruto, violento e bêbado? O policial entrevistado pelo canal de TV disse que as bêbadas (inglês "binge drinkers") determinam-se a comportarem-se de forma pior que os homens. Se um homem tem 12 copos alinhados para beber, as mulheres tentarão acompanhá-lo.

Esta é a pergunta chave. O que é que significa ser uma "mulher emancipada"? O esquerdismo assume que o nosso sexo é uma camisa de forças, uma coisa que não escolhemos e que, portanto, limita a nossa autonomia. O esquerdismo assume também que os homens são um grupo privilegiado na sociedade, aqueles com um padrão dourado de autonomia no estilo de vida..

Se colocarmos estas duas ideias lado a lado, o resultado é a ideia de que as mulheres são emancipadas quando elas conseguem provar que o sexo não importa, e que elas podem competir com o estilo de vida masculino. Se a masculinidade está grosseiramente associada à bebedeira e à violência, então isso torna-se na medida com a qual medir a "emancipação."

Contra isto, Esther Rantzen correctamente afirma algo decidamente não-esquerdista, nomeadamente, que existem qualidades femininas que são ao mesmo tempo inatas e admiráveis, e que fornecem "limites" (isto é, orientação) para o comportamento feminino:

Se uma mulher se torna numa banshee então algo correu mal. Quando observo a minha filha com o seu novo filho, confirmo a minha ideia de que as mulheres são, instintivamente educadoras [inglês: "nurturers"] e que nós naturalmente respondemos à ternura.

As jovens mulheres presentes neste documentário parecem ter perdido esse instinto e, com isso, ter perdido todos os seus limites, expondo sem vergonha a sua pele a estranhos agarradores e bêbados, e vomitando sem vergonha. Com sorrisos arrogantes, elas gabam-se do quanto elas beberam, proclamam nunca terem tido uma ressaca, ou alegam que ser esfaqueada por uma amiga foi um "acidente resultante da bebedeira."

Que tipo de mães elas se tornarão? Será que há esperança para os nossos filhos? Pode ser que sim; se eles tiverem exemplos, pode ser que sejam capazes de mudar o seu comportamento e a sua maneira de pensar.

A reveladora série da ITV com o nome de Ladettes To Ladies mostrou raparigas como estas, bebendo e a seguir vomitando, usando todas os palavrões do vocabulário, lutando e tendo encontros sexuais inconsequentes, ao mesmo tempo que acreditam que provaram que a elas mesmas que podem ser "tão boas como os homens".

* * * * * * *

É trágico que o zeitgest cultural tenha indoutrinado o sexo complementar a subscrever a errónea mas ideologicamente útil noção de que validação feminina vem não das suas inatas capacidades maternais, mas sim da imitação do comportamento masculino - seja ele bom comportamento ou mau comportamento. A verdade dos factos é que nenhuma sociedade normal, funcional, operacional exige que as mulheres "se provem" da mesma maneira que os homens têm que se "provar".

Para além disso, se estas mulheres "querem ser iguais aos homens", podem sempre levar a cabo funções tradicionalmente masculinas tais como trabalhar na construção civil, nas docas ou nas minas. (Curioso que este tipo de "validação" nunca seja propagado junto das hostes do sexo complementar).

Colocando de lado a errada noção de que a mulher tem que se provar perante a sociedade imitando o comportamento masculino, não deixa de ser perturbadoramente curioso o facto de muitos intelectuais britânicos actuais não se aperceberem que a destruição da figura feminina, levada a cabo por vários grupos esquerdistas, com especial ênfase no nojento movimento feminista, faz parte da agenda marxista tendo em vista a subversão da sociedade.

Como ficamos a saber noutro post, tudo o que é preciso para destruir uma raça e uma civilização é a recusa feminina em ser uma fiel mãe e esposa. A elite esquerdista que promove e glorifica junto das mulheres o comportamento acima descrito, fá-lo precisamente porque estão cientes que daí se gerará um caos social, levando a uma crise e, consequentemente, a uma subversão das forças políticas e à entrega do poder total nas mãos de elite não representativa.

Concluindo, e respondendo à pergunta que serve de título do post, a maior ameaça que a mulher "emancipada" enfrenta hoje em dia é ela mesma. O lobby feminista pode não gostar da responsabilização das mulheres, mas, francamente, as evidências ao nosso dispor não nos permitem muita margem de manobra.

http://2.bp.blogspot.com/-uWh3dwF1Dho/UJgPTQzB3HI/AAAAAAAAQ50/lcXGPd_eODc/s400/Binge01.jpg
Moças de família, prontas para casar.

Colonus
November 6th, 2012, 07:16 PM
Spengler: The Decline of The West - YouTube

Ronald Grant
November 7th, 2012, 01:41 PM
Que tópico ótimo este! Acho que resume bem tudo o que é o ocidente atual.
O que eu percebo no mundo atual é o seguinte:

As massas brancas, mesmo na sua maioria ignorantes quanto aos reais problemas, são biologicamente brancas, portanto ainda minimamente mais inteligentes que massas não-brancas.
Todas as ideologias marxistas são criadas para esses brancos sem crítica que engolem o lixo e encontram uma "causa" para devotar a sua vida. Massas mestiças mal são capazes de interpretar um texto, então é certo dizer que os lixos culturais são feitos para os brancos, mesmo entrando um preto ou algum outro lixo de brinde às vezes nesses "movimentos".
Geralmente esses brancos alienados são levados a acreditar que se o objetivo ridículo de seu movimento não for realizado, o mundo acabará.

- Feministas lutam contra a "opressão da mulher", fazem arruaça e agridem moralmente e fisicamente os homens e principalmente as verdadeiras mulheres. Caso elas não cumpram o objetivo delas, a "sociedade patriarcal" vai destruir o mundo e tudo está acabado.

- Ambientalistas greenpeace geralmente são os mais burros entre todos. São incapazes de ajudar um branco em necessidade, mas não pensam duas vezes em matar ou fazer ataques terroristas por causa de um hamster ou uma galinha. Assim acreditam protestar contra o "homem poluidor do planeta". Se não alcançarem o "desenvolvimento sustentável" à tempo, acham que a água do mundo vai secar de um dia para o outro e que o "aquecimento global" destruirá a humanidade. :confused:

- Drogados (aqui tem muitos pretos também) lutam pela legalização de substâncias, senão o mundo deles também acaba. Claro que eles consomem drogas todos os dias, mas por algum motivo querem que seja legalizada, deve ser alguma questão de "honra" para eles.

- Comunistas "old school" ainda acham que podem fazer uma Revolução Russa em 2012. Engraçado que nem eles percebem a forma que o marxismo tomou nesse século.

E assim com muitos outros derivados dessas merdas, sem citar as marchas homossexuais, punks... é só isso que eu concluo pelo que passa na judimídia todos os dias. Isso é que eu chamo de marxismo cultural; idiotas úteis lutando pelos interesses dos marxistas sem nem saberem. E infelizmente isso é a vida de muitos brancos.

Camaradas, parabéns pela construção deste tópico que está excelente. Quando a minha conexão melhorar tento postar alguns vídeos para contribuir.

Nikolas Försberg
November 7th, 2012, 03:33 PM
Os créditos e e agradecimentos do tópico devem ser dados ao nosso Moderador Ricardo Mendonça, que brilhantemente introduziu o assunto - que é um assunto importante - na nossa grade de debates.

Deixo aqui publicamente meu obrigado ao meu amigo Ricardo Mendonça por este tópico e pelas centenas de outras contribuições dadas a essa seção, incluindo até um agradecimento pela grande contribuição na criação desta seção em português no VNN!

Duff Hill
November 8th, 2012, 04:57 PM
EU: Books portraying 'traditional' families could be barred (http://www.dailymail.co.uk/news/article-2229022/Now-Brussels-takes-aim-Famous-Five-Books-portraying-traditional-families-barred.html)

"Livros que ilustram Famílias Tradicionais podem ser Barrados"

"Books that reinforce traditional roles can contribute to gender stereotyping".

"Traditional stories can damage women's career opportunities".


------------------------------------------

Em tempos onde o óbvio começa a ser questionado, é porque não há mais qualquer senso crítico nas pessoas. O engraçado, é que a idéia da proposta em questão, é da "instiuição" ganhadora do Prêmio Nobel da Paz: União Européia.

E com isso, a conclusão que se chega de imediato, é que esse bloco que além de completamente falido e insuficiente para sustentar qualquer resquício benéfico do que a Europa pode ser ou já foi, está completamente engajado na própria destruição das nações européias, de suas tradições e culturas.

As sucessivas crises que aconteceram, sempre mal resolvidas e explicadas, apenas aumentam a insatisfação das pessoas, e com isso, volta-se à tona, o debate sobre movimentos separatistas, intensificado por grupos de esquerda que nesses momentos só tendem a aumentar suas fileiras e corromper mais ainda a sociedade com suas falsas promessas.

Não bastasse o perigo do total colapso econômico na região (o que já está a causar desemprego, fome, desabrigados e a perda de fé no futuro) ainda por cima surge como uma força em pleno potencial, como poucas vezes se viu, os movimentos marxistas. Os quais podem ser a fonte do futuro para a Europa devido a uma oposição cada vez menor. Calada, frágil e insufciente, a oposição tem-se mostrado algo ínfimo perto da conta-revolução que ocorreu na Guerra Civil Espanhola, por exemplo.

Investindo na imagem de "bons moços", os marxistas de hoje em dia são do pior tipo (para os que realmente sabem de suas intenções): Simpáticos, bem vestidos e prestativos, conseguem arrebanhar milhares de pessoas que nutrem ódio aos bancos, ao sistema econômico e aos governantes liberais que estão no poder.

Em suma, há muitos motivos para se preocupar, e poucos para manter alguma esperança. Questiona-se a família, a história, os valores e as diferenças culturais. E para se prever o futuro, basta olhar para os jovens de hoje, ou seja, o futuro da Europa e do Ocidente será o reflexo da juventude européia atual.

Ronald Grant
November 8th, 2012, 05:25 PM
Os créditos e e agradecimentos do tópico devem ser dados ao nosso Moderador Ricardo Mendonça, que brilhantemente introduziu o assunto - que é um assunto importante - na nossa grade de debates.

Deixo aqui publicamente meu obrigado ao meu amigo Ricardo Mendonça por este tópico e pelas centenas de outras contribuições dadas a essa seção, incluindo até um agradecimento pela grande contribuição na criação desta seção em português no VNN!

De fato: meus sinceros parabéns ao Ricardo Mendonça. Este e outros tantos tópicos seus são excelentes!

É difícil quando você vê um fórum largado pela moderação e etc. Quando os moderadores aparecem é para banir alguém ou encher o saco. Muitos fóruns brancos são assim. Aqui não é, ainda bem!

Cassinelli
November 8th, 2012, 07:18 PM
http://www.youtube.com/watch?v=FJi7CugwzVw&feature=related

Nikolas Försberg
November 10th, 2012, 04:49 PM
Cassinelli: Um ótimo video postado por você! (recomendo ao pessoal que assista o video deixado pelo Cassinelli e que assistam a parte II também)

02 - Marxismo Cultural e Revolução Cultural - Segunda Aula

Há tempos que eu venho acompanhando o trabalho do Padre Paulo Ricardo (http://padrepauloricardo.org) inclusive postando alguns materiais dele aqui no VNN. É claro que existe uma pequena discordancia em um ponto ou outro, mas 99% do que ele diz é extremamente proveitoso.

Recomendações:

Aula: 1
Título: Visão histórica (http://padrepauloricardo.org/aulas/visao-historica) (clique no link para ver o video, ter acesso a faixa de audio e ler o material)
Duração: 59:54
Data: Janeiro 05, 2012

Aula: 2
Título: O Fascismo e Marxismo Cultural (http://padrepauloricardo.org/aulas/o-fascismo-e-marxismo-cultural) (clique no link para ver o video, ter acesso a faixa de audio e ler o material)
Duração: 01:05:09
Data: Janeiro 11, 2012

Aula: 3
Título: Reação à crise marxista (http://padrepauloricardo.org/aulas/reacao-a-crise-marxista) (clique no link para ver o video, ter acesso a faixa de audio e ler o material)
Duração: 01:01:21
Data: Janeiro 19, 2012

Aula: 4
Título: A infiltração do marxismo cultural no Brasil (http://padrepauloricardo.org/aulas/a-infiltracao-do-marxismo-cultural-no-brasil) (clique no link para ver o video, ter acesso a faixa de audio e ler o material)
Duração: 58:51
Data: Janeiro 25, 2012

Aula: 5
Título: Teologia da Libertação e sua influência na Igreja (http://padrepauloricardo.org/aulas/teologia-da-libertacao-e-sua-influencia-na-igreja) (clique no link para ver o video, ter acesso a faixa de audio e ler o material)
Duração: 45:57
Data: Fevereiro 01, 2012

Aula: 6
Título: Como lutar o bom combate (http://padrepauloricardo.org/aulas/como-lutar-o-bom-combate) (clique no link para ver o video, ter acesso a faixa de audio e ler o material)
Duração: 01:03:53
Data: Fevereiro 20, 2012

MCM
November 10th, 2012, 05:12 PM
EU: Books portraying 'traditional' families could be barred (http://www.dailymail.co.uk/news/article-2229022/Now-Brussels-takes-aim-Famous-Five-Books-portraying-traditional-families-barred.html)

"Livros que ilustram Famílias Tradicionais podem ser Barrados"

Alguns anos atrás colocaram uma família de dois homens viados com filhos adotivos, com o intuíto de acabar com a "homofobia". Na mente desses liberais, se você colocar uma família de pai e mãe, pode constranger alguma criança adotiva.

Nikolas Försberg
November 10th, 2012, 05:51 PM
Alguns anos atrás colocaram uma família de dois homens viados com filhos adotivos, com o intuíto de acabar com a "homofobia". Na mente desses liberais, se você colocar uma família de pai e mãe, pode constranger alguma criança adotiva.

No tópico criado pelo Jonas Hoffman (http://vnnforum.com/showthread.php?t=147790) eu havia falado sobre isso (leiam neste post (http://vnnforum.com/showpost.php?p=1460431&postcount=3)) que medidas como essas adotadas pelos marxistas em nada tem haver com defesa de direitos, é única e exclusivamente para destruir a familia tradicional e desmoralizar e desestabilizar a sociedade, e se nesse processo os homosexuais se favorecem temporariamente disso é uma questão de "efeito colateral". Os próprios homosexuais serão levados a campos de concentração e paredões de fuzilamento por aqueles que dizem "defender os gays". Querem uma prova disso? Alguém ouve falar de homosexuais em Cuba? Não. Recomendo que leiam aqui (http://vnnforum.com/showpost.php?p=1436146&postcount=344) e aqui (http://vnnforum.com/showpost.php?p=1436484&postcount=346) como os "oprimidos" se tornam opressores, e exatamente como os negros, homosexuais e etc são utilizados no processo de desestabilização de uma sociedade.

Nikolas Försberg
November 10th, 2012, 06:08 PM
O triunfo do Marxismo Cultural? (http://omarxismocultural.blogspot.com.br/2012/11/o-triunfo-do-marxismo-cultural.html)

Há cerca de 30 anos atrás, o dissidente soviético Yuri Alexandrovitch Bezmenov alertou a nação americana dos perigos do marxismo cultural, afirmando que o processo de desmoralização no país estava practicamente finalizado:

http://3.bp.blogspot.com/-QhMm7zGCse0/UJq5WR5CQpI/AAAAAAAAQ-M/SK6u_Thj7kc/s400/Yuri.jpg

Segundo ele, esse processo é irreversivel:

http://3.bp.blogspot.com/-X1wQEtl1IHE/UJrCg6yNZmI/AAAAAAAARAM/g-JYUU7KFF8/s400/Yuri6_Desmoraliza%C3%A7%C3%A3o.jpg

Depois deste processo seguiu-se o processo de desestabilização:

http://3.bp.blogspot.com/-vW6BIVTkjTE/UJq5ZRYVx1I/AAAAAAAAQ-Y/OiTeq0KiRz4/s400/Yuri3_Des.jpg

O resultado das eleições americanas provam que o processo de desestabilização se não está completo, está bem próximo de estar. O senso comum "americano" foi de tal maneira subvertido que já não são capazes de se aperceber que o país está a ser literalmente destruído através da subversão cultural e remoção e/ou perversão dos valores morais.

Uma cultural que passou pela desmoralização e enfrenta a desestabilização, já não tem a capacidade de organizar a sua estrutura lógica de forma a analisar os dados de forma coerente. Já não é possível converter a forma de pensar desta cultura porque exposição a genuína informação não a vai fazer mudar de posição:

http://4.bp.blogspot.com/-ukvxSQAKgXU/UJq5YuDY5vI/AAAAAAAAQ-U/ILHqfC64ojQ/s400/YUri2.jpg

O registo económico de Obama, fundamentalista keynesiano, seria o suficiente para ele ser expulso duma escola primaria, caso ele fosse professor na mesma. Mas como os americanos já foram sedados para a realidade, Obama tem carta branca para continuar com a destruição do país.

http://1.bp.blogspot.com/-pP10KVR8vzw/UJq5Z86TXuI/AAAAAAAAQ-g/ZGQuB6ZQAOQ/s320/Yuri4_Bezmenov.jpg

Como é normal, os constituintes do marxismo cultural - minorias e mulheres solteiras - foram decisivos na vitoria de Obama.

http://3.bp.blogspot.com/-zpxq9phqOww/UJq7bgxNz0I/AAAAAAAAQ-s/z9b2WyjDg7U/s640/Racismo+Anti+Branco.jpg

O que isto significa é que vão ser mais 4 anos de amnistias aos imigrantes ilegais, para além do avanço forçado da agenda feminazista, até ao colapso do país. Depois disto, segue-se a crise, e, por fim, o período da "normalização".

http://2.bp.blogspot.com/-r_cn7IO5hQc/UJrA5KudTYI/AAAAAAAAQ_8/NkAGhWkKJ7g/s400/Yuri7_Normaliza%C3%A7%C3%A3o.jpg

Durante esta fase do processo, a elite esquerdista que tomou o poder durante a crise - o sonho de Lukacs, Gramsci e todos os terroristas culturais da Escola de Frankfurt. - eliminará os idiotas úteis que foram instrumentais no processo de desmoralização e desestabilização. Isso inclui as feministas e os activistas homossexuais.

Como diz Bezmenov:

http://4.bp.blogspot.com/-wmsw19GCFI4/UJrAIGldKMI/AAAAAAAAQ_0/gzcl6oO1EoM/s400/Yuri9_MesmoPadr%C3%A3o.jpg

O inimigo que Yuri identificou na altura é o mesmo inimigo que colocou Obama no poder...

http://1.bp.blogspot.com/-bOgV_Vj0htY/UJrB5uuqiKI/AAAAAAAARAE/8o6iqI3P0Ls/s400/Yuri8_Conspira%C3%A7%C3%A3o.jpg

O escritor Vox Day afirma que o total colapso americano ocorrerá por volta do ano 2033, mas, da forma como os eventos se estão a desenrolar, e com o decréscimo acelerado dos valores morais, é bem provável que o colapso ocorra antes disso. O que é preocupante nestas eleições é saber que, se a agenda marxista pode destruir um país como os EUA, então, se a mesma não for frontalmente resistida e condenada, ela pode destruir qualquer sociedade e qualquer civilização.

http://1.bp.blogspot.com/-BheVdg5pYf0/UJrHQx39zNI/AAAAAAAARBU/o80HgK5CmHw/s1600/Smash+Cultural+Marxism.jpg

Nikolas Försberg
November 10th, 2012, 08:57 PM
http://m.ak.fbcdn.net/sphotos-d.ak/hphotos-ak-prn1/60641_492079924145810_245792081_n.jpg
(clique na imagem para ampliar)

Colonus
November 13th, 2012, 12:00 PM
The Problem - Peak Oil - Part One Understanding and looking forward. - YouTube

Colonus
November 13th, 2012, 05:35 PM
The Problem - Peak Oil - Part Two Understanding and looking forward. Part 2a - YouTube


The Problem - Peak Oil - Part Two Understanding and looking forward. Part 2b - YouTube

Colonus
November 15th, 2012, 10:13 AM
World Without Oil - YouTube

Ricardo Mendonça
November 15th, 2012, 08:30 PM
COLONUS

Só para te dar um abraço enorme!

P.S. - Aos outros camaradas e amigos, por agora novamante tenho de vos deixar sem uma palavra de atenção ao que escreveram, mas estou a seguir o fórum como sempre.

Nikolas a ti meu irmão, não posso deixar de dizer algo em especial. Aguenta aqui o leme mais uns tempos eu assim que puder volto a participar com mais quantidade. Mas estou aqui meu irmão, parabéns por tudo o que tens feito nestas últimas semanas.

Duff Hill
November 18th, 2012, 01:53 PM
http://www.youtube.com/watch?v=PsdBsXiO-uE

Nikolas Försberg
November 22nd, 2012, 01:21 PM
https://imageshack.us/scaled/landing/513/52777528632706814460421.jpg

Colonus
November 24th, 2012, 05:36 PM
Viking journeys 1 (1/4) - YouTube

Viking journeys 2 (2/4) - YouTube

Viking journeys 3 ( 3/4) - YouTube

Viking journeys 4 (4/4) - YouTube

Nikolas Försberg
November 24th, 2012, 10:23 PM
Acabei foi lembrando dos idiotas úteis e deformadores da história que falam que "comunismo" é igual "nacional socialismo", lol.

Alguém aqui já viu isso?

Os idiotas não entendem que o SOCIALISMO do NS (Nacional Socialismo) em nada tem haver com o falso socialismo iguálitário soviético judaico que os marxistas-leninistas-comunistas tanto pregam falsamente. O socialismo do NS se difere em 99% do "socialismo" comunista, a começar que o NS não é igualitário, o NS visa o mérito.

Algumas coisas do NS foram utilizadas para atrair os comunistas ideológicos que eram enganados pelos judeus a se juntarem ao NS. O "camarada" utilizado pelos NS é importado dos comunistas, o vermelho na bandeira "nazi" é para atrair os comunistas ideológicos, que em sua grande maioria eram pessoas boas e que estavam sendo enganados pelos judeus marxistas.

A Alemanha NS e a URSS entraram em guerra na IIGM, alguém se lembra de algum país comunista que entrou em conflito um com o outro? NÃO EXISTIU.

A URSS desarmou todos os cidadãos, a Alemanha NS desarmou apenas os judeus e os que eles consideravam inimigos. [Lembre-se que Hitler facilitou a aquisição de armas de fogo na Alemanha ao invés de PROIBIR, passando de 21 anos a idade mínima para 18 anos.]

O NS de Hitler em NADA TEM HAVER COM comunismo! NADA!!!

A União Soviética era controlada por judeus, os mesmos que criaram a farsa do holocausto judeu. Os judeus é que armaram a IGM e a IIGM, lembram disso?

Em 1933 os judeus de todo o mundo declararam guerra contra a Alemanha, 6 anos antes do conflito ir para o campo de batalha militar, que de fato ocorreu em 1939.

Os judeus da URSS, da Inglaterra, da França e outros países declararam guerra contra a Alemanha. Os judeus dos EUA fizeram de tudo para os EUA entrarem em guerra contra a Alemanha.

Uma frase comunista: "Acuse o seu inimigo do que você é, acuse ele de fazer as coisas que você faz."

Se procurarem realmente a fundo sempre verão que tem o judeu envolvido em todos os conflitos da humanidade.

Ricardo Mendonça
November 24th, 2012, 11:51 PM
Acabei foi lembrando dos idiotas úteis e deformadores da história ...


Um bom exemplo é este individuo aqui...http://en.wikipedia.org/wiki/David_Nicolle

Eu só descobri este tipo porque leio alguma coisa. Demorou-me vários anos a juntar tudo, porque não foi através de nenhum fórum ou blogue, ou outra coisa que não apenas por ler...

Ou seja, com este choquei de caras "esbarrei" por acaso e apenas por mim. Demorei alguns anos a perceber porque não estava à "procura" dele, ia lendo e como normalmente leio por assunto e não por autor, acabava por ir lendo os livros e artigos deste crápula, deste verme, deste vendido, ao longo dos anos, ia misturando os livros deles com os de outros.

(Por exemplo com livros da medievalista Régine Pernaud, ou do Professor Christopher Marshall...)

Bom assim ia lendo e nem reparava que de entre o que lia o veneno vinha tantas vezes da mesma cúspide.

E foi agora, na verdade esta semana ao revisitar a obra do Professor Kaufmann sobre fortificações medievais e depois ao fazer o confronto com outros livros que sabia ter e que podiam também mencionar o assunto que percebi que tipo de homem é este David Nicolle.

Possuo e li vários livros dele e fiquei sempre com a mesma sensação de raiva mas sempre sem nunca me ter apercebido que eram do mesmo autor...Repito li-os, creio que a todos, com vários anos de intervalo entre cada um, e como uso os livros como ferramentas de pesquisa geralmente dou muito pouca importância aos autores quando os vou buscar e "faço o monte" da pesquisa...

Foi então pelo meu entretém preferido que é a busca por tudo aquilo que sinta que ao aprender me pode ajudar perceber o mundo que percebi a forma ignóbil com este agente se colocou ao serviço de outros e distorce e corrompe e mente.

Enquanto que a nós (a seu próprio sangue...) avilta e NUNCA tem nada de bom a dizer, para com os outros seja lá onde estejam desde que lutem contra nós tem sempre um elogio.

A forma como este indivíduo, se dobra em vénias que de tão baixo que desce causa repulsa a qualquer um e usa o seu inegável saber para cumprir a sua agenda sórdida tem de servir como um alerta sobre onde se escondem os nossos inimigos...Não são, de facto...sempre dos "outros".

David Nicolle...convém ter este nome na memória...

Nikolas Försberg
November 25th, 2012, 03:29 PM
http://m.ak.fbcdn.net/sphotos-a.ak/hphotos-ak-snc6/255131_489306191114777_1368156000_n.jpg

Mesmo sem ter muito haver com a imagem acima, acabei lembrando de uma frase que diz: "As mulheres de hoje vestem-se como as prostitutas de 30 anos atrás."

http://m.ak.fbcdn.net/sphotos-d.ak/hphotos-ak-prn1/68449_537605976267313_1167088342_n.jpg

Colonus
November 25th, 2012, 10:18 PM
Uncommon Knowledge: White America Is "Coming Apart"- YouTube

San Dimitri
November 28th, 2012, 12:19 PM
Degeneração!!!

Este é um assunto bem interessante, agradeço ao moderador Ricardo/Aki por te-lo iniciado!

A degeneração da nossa raça é cada vez mais clara para nós que somos despertos e sabemos que a maior causa disto não é o marxismo cultural e mão judaica nisso mas a fraqueza e ingenuidade da nossa raça que esta deixando-se devorar por esse câncer que nos mata lentamente. Os efeitos disto são bem visíveis e podem até ser sentidos por pessoas que não são despertas para a questão racial e cultural. Quantas vezes não ouvimos os nossos pais por exemplo (ou pessoas mais velhas em geral) reclamando da juventude, promiscuidade e liberalismo de hoje em dia? No meu caso não foram poucas, a verdade é que até temos muitas pessoas do nosso lado quando se trata de cultura e conservadorismo o problema é que existe sempre aquela apatia tipica das pessoas que as levam a pensarem que as coisas são assim mesmo e não podem ser mudadas, ou porque são os efeitos da era moderna, alguns chegam até a pensar que são moralmente atrasados com conceitos e dogmas já ultrapassado para o mundo moderno e então para passar do lado "certo" eles tentam até se juntar a toda essa merda anti-cultural e pensar que estavam errados. Por causa destas atitudes que temos familhas fracas e moralmente instáveis, onde o pai por exemplo não liga mais se o filho esta sendo pervertido demais, se só fala merda e se tem conceitos totalmente distorcidos, ou seja a degeneração começa desde a própria casa e depois na escola que nos enchem de merda através a doutrina da fraqueza e do nihilismo suicida marxista, nos transformam em animais primitivos que pensam só em merda, em necessidades totalmente materialistas e carnais destruindo a força espiritual e creativa do homem ariano. O que a doutrina marxista faz é fazer-nos pensar que somos seres inúteis e fracos, iguais a todos, onde a excelência e a auto-superação não existe mais, a vida se resume na filosofia niilista do "carpe diem" onde o homem não deve lutar e não pertence a nada, só aproveitar o "momento" e a vida enquanto dura, o homem é reduzido ao estado de um simples animal.

É muito triste ver a raça mestre reduzida a esse estado de animalismo total e poder fazer pouco em relação a isso. As pessoas não são capazes de perceber o perigo em que a nossa raça corre, o futuro que se reserva para as gerações seguintes nesse mundo já fraco e consumido, porque alem do problema racial temos também o problema ecológico que é uma coisa muito seria na qual poucas pessoas param para pensar, que toda essa erosão da atmosfera, esse abuso do petróleo e outros materiais por parte do capitalismo judaico selvagem por causa de um bem estar a curto prazo e de uma economia que faz tudo fora economizar, só abusar de todos os recursos naturais que temos. Temos também que nos lembrar do problema da superpopulação que a longo prazo terá consequencias ENORMES (outro motivo para apoiar uma guerra racial total) e que nós somos só 9% (ou até menos segundo eu) da população total deste mundo o que é pior ainda. Tudo isso é para ser divulgado e para pensar-se muito bem, para refletir com calma.

Devemos também nos lembrar que essas massas de idiotas liberalistas são até pessoas "bem" intencionadas que querem "contribuir" de um jeito com a sociedade, mas infelizmente não passam de idiotas úteis para o sistema que vivem apenas criando revoluções culturais, um ótimo exemplo disso são as pessoas no facebook, passar horas naquela merda postando lixo cultural inútil, coisas como a liberação das drogas, feminismo, liberalismo selvagem, pseudo-deprimidos/as, tipos que se lamentam sempre da vida entre outros seres desse tipo. A vida social da nossa geração virou um lixo, hoje em dia estamos vivendo em uma epoca onde aquilo que eu classifico como "emoções e relações artificiais" essas pessoas que só se relacionam através social networks como o facebook, twitter e todas essas outras judiarias que tem por ai. Isto esta a destruir o lado social dos brancos e nos enfraquecendo, destruindo toda a ética moral que tem por trás de um relacionamento humano, tem pessoas por ainda se declando no msn por exemplo sem nunca ter visto a outra pessoa em questão:eek::eek: Os valores da nossa raça ficaram tão distorcidos e fracos que os judeus nem encontram mais dificuldades para nos subverter.

Agora vem a pergunta: Se o futuro depende dos nossos jovens como que irà ser o nosso futuro sendo que cada geração é mais mentalmente lavada, mais fraca e menos determinada do que a outra? O nosso povo esta a ser tratado como gado de rebanho, somos todos ovelhas.

Por isso eu digo que só individuos superiores poderão mudar o nosso destino, SEMPRE foi assim na historia, essa imagem mostra muito bem o que eu penso:

https://lh3.ggpht.com/_avv5DqJMTr8/S5-AyBHW0EI/AAAAAAAAAGQ/4ZTT7UxxhV4/s320/her%C3%B3is.JPG

Espero de poder continuar com esse ótimo assunto, por enquanto é tudo.

Nikolas Försberg
December 1st, 2012, 12:51 AM
http://m.ak.fbcdn.net/sphotos-e.ak/hphotos-ak-snc7/481618_539604786067432_1487132941_n.jpg

Nas palavras de Georg Lukacs

"Todas as forças sociais que eu odiava desde a minha juventude, e que em espírito busquei formas de as aniquilar, juntaram-se para dar início à Primeira Grande Guerra. Vi a destruição revolucionária da sociedade como a única solução para as contradições culturais do discurso. A questão é: quem nos livrará do jugo da Civilização Ocidental?

Qualquer movimento político
capaz de trazer o Bolshevismo para o Ocidente teria quer ser "Demónico". O abandono da singularidade da alma resolve o problema da "libertação" das forças diabólicas que espreitam por trás de toda a violência que é necessária para gerar a revolução.."

-----

A forma de pensar de Lukacs era típica de todos aqueles que representavam as forças do Marxismo Revolucionário.

Num encontro secreto levado a cabo na Alemanha, em 1923, Lukacs propôs o conceito da indução do "Péssimismo Cultural" como forma de aumentar o estado de desespero e alienação dos ocidentais como pré-requesito para a revolução.

Este encontro deu origem ao estabelecimento do "Institute for Social Research" na Universidade de Frankfurt (1923) - organização Marxista composta por psicólogos, sociólogos e outros intelectuais de orientação Comunista que veio a ficar conhecida como a Escola de Frankfurt (dedicando-se a implementar o programa de Georg Lukacs.

http://m.ak.fbcdn.net/sphotos-h.ak/hphotos-ak-ash4/401191_384724438282501_621422818_n.jpg

Colonus
December 2nd, 2012, 01:35 PM
Prof. Richard Lynn– Eugenics and Dysgenics: A Promise Denied - YouTube

Nikolas Försberg
December 5th, 2012, 12:35 AM
http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/f/f2/Anti-Socialist-Symbol.svg/250px-Anti-Socialist-Symbol.svg.png

Anticomunismo na Igreja Católica

O Magistério da Igreja Católica sempre condenou oficialmente qualquer forma de comunismo, porque ela achava que o comunismo nunca poderia ser compatível com a doutrina católica:

Em 1846, o Papa Pio IX afirmou que o comunismo é:

“ sumamente contrária ao próprio direito natural, a qual, uma vez admitida, levaria à subversão radical dos direitos, das coisas, das propriedades de todos e da própria sociedade humana (Encíclica Qui pluribus)[18] ”

Em 1878, o Papa Leão XIII disse que o comunismo é uma:

“ peste mortífera, que invade a medula da sociedade humana e a conduz a um perigo extremo (Encíclica Quod Apostolici muneris) [19] ”

Em 1891, o Papa Leão XIII defendeu que:

“ a teoria marxista da propriedade colectiva deve absolutamente repudiar-se como prejudicial àqueles membros a que se quer socorrer, contrária aos direitos naturais dos indivíduos, como desnaturando as funções do Estado e perturbando a tranquilidade pública. (Encíclica Rerum Novarum, n. 7) ”

Em 1931, o Papa Pio XI comentou que:

“ ninguém pode ser ao mesmo tempo um católico sincero e um verdadeiro socialista revolucionário" [20] ”

Em 1937, o Papa Pio XI criticou os bolchevistas e ateus que pregavam que o comunismo era o:

“ novo evangelho e mensagem salvadora de redenção ”

.

Ele considerou ainda que o comunismo era um:
“ sistema cheio de erros e sofismas, igualmente oposto à revelação divina e à razão humana; sistema que, por destruir os fundamentos da sociedade, subverte a ordem social, que não reconhece a verdadeira origem, natureza e fim do Estado; que rejeita enfim e nega os direitos, a dignidade e a liberdade da pessoa humana. (Encíclica Divini Redemptoris, n. 14) ”

Em 1949, a Igreja Católica, mais concretamente o Santo Ofício, emitiu o decreto contra o comunismo, que estipula que todos os católicos que sejam comunistas são automaticamente excomungados.[21]
Em 1961, o Papa João XXIII defendeu que:

“ entre comunismo e cristianismo, [...] a oposição é radical, e acrescenta não se poder admitir de maneira alguma que os católicos adiram ao socialismo moderado: quer porque ele foi construído sobre uma concepção da vida fechada no temporal, com o bem-estar como objetivo supremo da sociedade; quer porque fomenta uma organização social da vida comum tendo a produção como fim único, não sem grave prejuízo da liberdade humana; quer ainda porque lhe falta todo o princípio de verdadeira autoridade social. (Encíclica Mater et Magistra, n. 34) ”

O Catecismo da Igreja Católica afirma que:

“ a Igreja rejeitou as ideologias associadas, nos tempos modernos, ao "comunismo" ou ao "socialismo" (Catecismo da Igreja Católica, n. 2425).

http://m.ak.fbcdn.net/sphotos-f.ak/hphotos-ak-ash4/252370_564653143552124_310710867_n.jpg

A imagem acima mostra uma pequena parte dos novos opressores que vem ganhando força nas ultimas décadas.

-Feministas anti-naturais, abortistas e assassinas que enganadas pelas mulheres judias que criaram o feminismo, defendem o assassinato de crianças, o assassinato de homens e etc.

-Homosexuais que aos poucos estão implantando o homosexualismo forçado (ditadura gay) na sociedade, incluindo homosexualizando crianças. Uma corrente mais diabólica (mais judaica) defende até aberrações como a pedofilia, vide o homosexual Luiz Mott.

-Defendem ataques a fé cristã com desculpas exdrúxulas de liberdade (?).

Os 3 casos citados acima mostram bem como os idiotas úteis agem para desestabilizar a sociedade.

http://m.ak.fbcdn.net/sphotos-h.ak/hphotos-ak-ash3/559828_309480712484852_657673467_n.jpg

Alguém discorda da atitude das mães mostradas na matéria?

Do jeito que as coisas estão essas mães podem ser indiciadas por exporem suas filhas ao ridículo. Na minha época, se fosse eu quem escrevesse nos muros da escola, meus pais me dariam uma surra para que nunca esquecesse, me obrigariam a consertar os estragos (no caso pintar novamente as paredes), cobrariam de mim os custos e eu ficaria com sérias limitações de privilégios e liberdades. Hoje o governo obriga os pais a serem coniventes com o erro.

Nikolas Försberg
December 5th, 2012, 01:59 PM
IDIOTA ÚTIL. O que é?

http://m.ak.fbcdn.net/sphotos-b.ak/hphotos-ak-ash4/302771_540630375964873_564140589_n.jpg

Se nunca ouviste falar do termo "idiota útil", fica a saber que era a atitude que Vladimir Lenin nutria pelos ocidentais que viam com bons olhos o avanço da Revolução de 1917.

Inventado pela Rússia Soviética, este termo descrevia pessoas que davam apoio a pessoas como Lenin e Stalin enquanto estes levavam a cabo atrocidades atrás de atrocidades.

Lenin e os comunistas olhavam para estas pessoas com grande desprezo mas apercebiam-se da sua utilidade na dessiminação da propaganda comunista nos seus países.

Actualmente, esse termo refere-se a esquerdistas e outros "progressistas" existentes por todo o mundo - normalmente (mas não exclusivamente) estudantes e professores universitários, activistas homossexuais, feministas, ambientalistas radicais, líderes dos movimentos negro/índio/cigano/muçulmano, e outros.

Estas pessoas, em grande parte, não são idiotas no verdadeiro sentido do termo, mas sim pessoas que se alinharam com um movimento, assumindo que estão a trabalhar para um "mundo melhor".

Eles são "idiotas" porque operam com informação parcial mas assumem que têm informação suficiente para saber como todas as outras pessoas existentes no mundo devem viver as suas vidas.

Depois da sua missão estar terminada [total subversão da ordem social], eles deixam de ser úteis e normalmente fazem parte do primeiro grupo a ser fisicamente eliminado pelas mesmas entidades para quem eles trabalharam.

Colonus
December 5th, 2012, 04:25 PM
Alan Watt: The Neo-Eugenics War On Humanity (Full Length) - YouTube

Colonus
December 8th, 2012, 10:06 AM
The Boer War - a bitter and bloody clash of arms Part 1 of 4 - YouTube

The Boer War - a bitter and bloody clash of arms Part 2 of 4 - YouTube

The Boer War - a bitter and bloody clash of arms Part 3 of 4 - YouTube

The Boer War - a bitter and bloody clash of arms Part 4 of 4 - YouTube

Nikolas Försberg
December 10th, 2012, 04:29 AM
http://m.ak.fbcdn.net/sphotos-f.ak/hphotos-ak-prn1/549612_518525954824632_1033218272_n.jpg

http://m.ak.fbcdn.net/sphotos-b.ak/hphotos-ak-ash4/484359_252798181513929_1160399957_n.jpg
PS: Só retirem a foto do Hitler lá de cima.

Nikolas Försberg
December 10th, 2012, 04:43 AM
Absurdo: duplas lésbicas são agora “melhores” do que mães e pais? (http://www.midiasemmascara.org/artigos/movimento-revolucionario/13660-duplas-lesbicas-sao-agora-melhores-do-que-maes-e-pais.html#.UMVCaxLqEls.facebook)

http://cdn.thedailybeast.com/content/dailybeast/articles/2012/05/14/media-reaction-to-newsweek-s-obama-the-first-gay-president-cover/_jcr_content/body/inlineimage.img.503.jpg/1337256000000.cached.jpg

É de admirar que esse estudo tenha produzido os resultados que seu fundador e o instituto estavam esperando achar?

Isso não é ciência. É política - pura e simplesmente.


Não demorará muito para que a revolução da perversão sexual receba muito mais aceitação.

Com Barack Obama firmemente estabelecido por mais quatro anos no governo americano e agora apoiando solidamente as pressões que querem impor o “casamento” homossexual, quero lhe dar um vislumbre do futuro.

Provavelmente, passou-lhe despercebido um acontecimento importante que foi anunciado no dia em que Obama foi eleito. Esse acontecimento foi o anúncio de que os “pais” homossexuais não são mais simplesmente tão bons quanto pais heterossexuais. Um estudo realizado por professores do Instituto Williams na Faculdade de Direito da Universidade da Califórnia em Los Angeles que seguiu o rastro de famílias de mesmo sexo por 26 revelou que esse é o caso.

O estudo, envolvendo 78 filhos de “pais” lésbicos revelou que todos os participantes estavam se saindo melhor na escola e estavam mais felizes com seus colegas. Eles também têm “mente mais aberta”, concluiu o estudo.

O único problema que qualquer participante encontrou, revelou o estudo, foi a tão chamada “homofobia” dentro de seu grupo social.

Com reportagens desse tipo, não demorará muito para as duplas homossexuais e lésbicas receberem preferência em processos de adoção em detrimento de casais no modelo tradicional de homem e mulher casados. (N. do E.: Isso já ocorre na Inglaterra.)

Aliás, se essa pesquisa for acurada e imparcial, o que não é, por que simplesmente não criar todas as crianças em lares lésbicos? Isso presumivelmente reduziria os índices de criminalidade, aumentaria o desempenho acadêmico e criaria a sociedade perfeita? Não?

Não.

Na verdade, o estudo é muito desonesto e tendencioso. É um crime que tenha sido autorizado e apoiado por uma universidade pública — onde no passado dei aulas de jornalismo.

Para começar, os participantes desse estudo usaram, como participantes clínicos, apenas duplas que permaneceram juntas por um mínimo de 28 anos. Como sabemos, a maioria dos casais heterossexuais e das duplas homossexuais não permanece unida por tanto tempo assim. De fato, apesar do horrendo índice de divórcio os casais heterossexuais e as duplas homossexuais e lésbicas tendem a não ter aproximadamente a mesma longevidade que os pais tradicionais.

Então há o problema dos padrões de medição. A vida consiste muito mais do que só desempenho acadêmico e “felicidade”. Será que os pais são inúteis? Será que os homens não contribuem nada de importante para a criação das crianças? Isso é exatamente o que esse estudo sugere.

Então há o grupo que conduziu o estudo. O que é o Instituto Williams? Em suas próprias palavras, é uma organização que faz “pesquisas independentes sobre leis e políticas públicas de orientação sexual e identidade de gênero”. Essa organização então espalha essa pesquisa para juízes, legisladores, elaboradores de políticas públicas, meios de comunicação e o público.

O Instituto Williams foi fundado em 2001 por um homem — Charles R. Williams. Quem é Williams? Ele é um empresário proeminente e bem-sucedido — e um ativista homossexual. Ele é membro da Comissão Consultiva Sociável da Fundação Gill. Ele “teve o reconhecimento de várias organizações e publicações LGBT. Em 2002, a Ordem dos Advogados Gays e Lésbicos o honrou com sua distinção de co-presidente, e a revista homossexual OUT o nomeou um de seus ‘100 mais importantes homossexuais fora do armário’ na edição de dezembro. Em outubro de 2003, o Centro Gay e Lésbico de Los Angeles o premiou com um cargo na sua junta diretora”.

Ele doou 2,5 milhões de dólares para lançar o instituto — a maior doação já dada a alguma instituição acadêmica em apoio de um programa acadêmico gay e lésbico em qualquer matéria de ensino. Desde então, ele deu ao instituto um total de 13 milhões de dólares.

É de admirar que esse estudo tenha produzido os resultados que seu fundador e o instituto estavam esperando achar?

Isso não é ciência. É política — pura e simplesmente.

E é desse jeito que a agenda homossexual está sendo promovida mediante os meios de comunicação, assembleias legislativas e tribunais. Esse é um exemplo da “ciência” fajuta por trás desse estudo.

Mas, marquem minhas palavras, estudos assim, independente de sua inutilidade e desonestidade, estão fazendo um impacto em nossa sociedade.

Não demorará muito e os tribunais e assembleias legislativas começarão a dar tratamento preferencial para homossexuais e lésbicas porque é um fato provado que eles são simplesmente pais melhores.

Você acha que algum esquerdista contestaria isso?

Você acha que Barack Obama contestaria isso?

Você acha que a esquerdista Assembleia Legislativa da Califórnia contestaria isso?

Você acha que algum jornalista fora do WND contestaria isso?

Essa é a decadência cada vez mais profunda em que se encontra a cultura dos EUA em 2012.

Joseph Farah é fundador e editor-chefe do WND.

Tradução: Julio Severo

Lusi
December 10th, 2012, 04:58 AM
Falas-te num caso em que as mães puseram as filhas a pintar o muro de branco, acho bem. O que achas disto:

http://www.top10digital.net/2011/05/pai-flagra-filha-nua-na-webcam-e-da-uma.html

San Dimitri
December 10th, 2012, 11:02 PM
Prof. Richard Lynn– Eugenics and Dysgenics: A Promise Denied - YouTube (http://www.youtube.com/watch?v=8tLowyAEA54)

Perfeito este video camarada! Gostei muito dele, o parabenizo por te-lo postado, obrigado! Grande richard lynn!

Como ia dizendo acho me despertei muitos antes em relação a degeneração da nossa raça e da cultura ocidental antes do que a questão racial em si, se não fosse por todo esse lixo cultural e pelo comportamento e estilo de vida primitivo e animal das massas eu talvez nem estaria aqui postando neste forum.

Continuando com o que estava a discutir no meu ultimo post...

Ultimamente notei que os social network e a perversão sexual são uma ameaça muito grave para a nossa raça que cada vez cresce, isso já foi debatido mas deveria ser explorado melhor segundo eu. Graças a Social Networks como o Facebook parece que as pessoas estão começando a largar de uma vez por todas o contato social na vida real. Pessoas estão a trocar as emoções verdadeiras por emoções "digitais" ou seja, quando por exemplo uma pessoa começa a provar sentimentos fortes por outra só por te-la conhecida na internet e nunca te-la vista ao vivo, isso a longo termo cria uma pessoa incapaz de socializar-se com outras na vida real e de consequência da vida a esses tão famosos "desajustados socias" que necessitam de qualquer jeito de um computador para manter algum tipo de relação social e principalmente para namorar o que è um absurdo! Essas pessoas dizem "te amo" ou contam os segredos delas para pessoas desconhecidas (ou que tem pouco contato real/pouco tempo de conhecimento) na internet e perdem a noção do que è real e do que não è! Elas tem uma visão totalmente distorcida quando se tratam de assuntos socias, pensam que na internet podem construir e substituir verdadeiras emoções e laços de amizade (ou amor). Isso só acaba alienando mais as pessoas, deixando-as mais medrosas, incapazes, inseguras e principalmente não confiaveis pois NUNCA podemos confiar em pessoas fracas e desajustadas. Esses social networks servem tambèm para fazer as pessoas brigarem por coisas futeis que talvez não ligariam se fossem mais focadas nas situações serias da vida real.

Outra coisa também é essa onda de niilismo e pseudo depressão que encontra-se nos adolescentes de hoje em dia (e muitos destes se consideram intelectuais e até "despertos" e superiores em alguns casos) e parece sempre ganhar mais forças! Essas pessoas "deprimidas" se acham o maximo, superiores e só sabem criticar tudo e todos mas nada fazem na vida real, vivem trancados nos seus quartos a chorarem e a frustarem-se com a situação na qual se encontram porque não conseguem encontrar nenhum motivo para viver e por isso acabam (inconscientemente) entregando-se ao niilismo total, em poucas palavras os social networks para eles são como um muro das lamentações.

Isso tudo para mim e uma nova ferramenta dos judeus para espalhar mais "disgenia" como o richard lynn fala no seu video, e essa ferramenta (facebook e afins) será totalmente letal a longo termo pois não é ilegal como as drogas, ou imoral como a perversão.

Graças a isso e outras nota-se um bando de adolescentes (e adultors jovens tambèm) fracos, medrosos e incapazes que perderam a noção de que certos sentimentos e istintos devem ser controlados, tudo isso leva sempre mais o homem branco a comportar-se como um animal, a cultura do "carpe diem", aquilo que eu considero "adultescentes" pessoas totalmente infatis que não dão a importancia a certos valores e não sabem medir o grau de seriedade de certas palavras e principalmente atitudes.

Nikolas Försberg
December 11th, 2012, 06:59 AM
Mãe e filha criam site pornográfico (http://omarxismocultural.blogspot.pt/2012/12/mae-e-filha-criam-site-pornografico.html)

"Porque todas estas abominações fizeram os homens desta terra, que nela estavam antes de vós; e a terra foi contaminada." - Levítico 18:27

http://3.bp.blogspot.com/-G272SxSsgjQ/UMaK-JRSTpI/AAAAAAAAU0k/A7k0dGmVghE/s320/Incesto.jpg

Uma mãe e uma filha inventaram uma nova forma de relação: criaram juntas um site de pornografia em que aparecem juntas e a polémica instalou-se no estado norte-americano Florida. Para evitar problemas legais, não trocam carícias, mas actuam em cenas em conjunto com um ou mais parceiros.

Conhecidas como as ‘Sexxxtons’, a mãe Jessica, de 56 anos, e a filha Monica, de 22, criaram um site de conteúdo sexual e lançaram recentemente um DVD. “Eu gosto de sexo e divirto-me com a minha mãe. Durante as cenas, só penso no dinheiro que vamos ganhar”, afirmou Monica, em entrevista ao jornal 'Huffington Post'.

Depois da família ter sido despejada de casa, há três anos, Monica decidiu ser bailarina e entrou na indústria pornográfica para pagar as despesas.

A ideia de Jessica entrar também no mundo da pornografia partiu da filha.

“Foi ideia minha. Deixei a escola no nono ano e achei que era uma boa oportunidade pra ganhar dinheiro”, afirmou a jovem, que perdeu a virgindade aos 12 anos.

Apesar de estarem juntas, mãe e filha não se podem tocar para evitar problemas legais. “Não temos nenhum problema em estar as duas com um homem. Podemos ter sexo com o mesmo homem, mas não podemos interagir as duas”, explicou Jessica. Para Monica não é tão simples: “Não é fácil. Os nossos lábios nunca tocam e isso é um problema quando estamos a filmar”.

Apesar de não violarem a lei, há muita controvérsia. Para o psiquiatra de Beverly Hills Carole Lieberman, este tipo de actividade pode ser comparado a ‘incesto emocional’. “Passa muitas fronteiras. Apesar de não haver sexo entre as duas, há prazer para uma ou para as duas e isso passa a linha das relações sexuais”.

Apesar de Jessica e Monica conseguirem ganhar muito dinheiro, o histórico da indústria pornográfica Bill Margold não acredita que tenham muito sucesso. “A indústria para adultos não é estúpida. Eles já têm problemas suficientes para estar a criar um incesto à frente das câmaras”, disse.

Fonte (http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/internacional/insolito/mae-e-filha-criam-site-pornografico)

* * * * * * *

Repetindo o que já falamos no passado: por algum motivo as sociedades mais bem sucedidas e prósperas da história da Humanidade exerciam um controle rigoroso sobre a sexualidade humana, especialmente sobre a sexualidade feminina.

Isto era assim não porque a promiscuidade feminina seja moralmente mais grave que a masculina, mas sim porque os efeitos da promiscuidade feminina são socialmente mais destrutivos que os efeitos da também moralmente condenável promiscuidade masculina.

Quem colocou em marcha esta "nova sexualidade" sabia que a sociedade entraria em colapso, e foi precisamente tendo em vista esse colapso que essa "sexualidade" foi instalada.

O que nós assistimos agora são 40/50/60 anos de "sexo livre" e terrorismo cultural, posto em práctica como arma de destruição social. Quando mães começam a fazer filmes eróticos com as filhas, podemos ter a certeza que a guerra cultural está practicamente perdida e a cultura está moralmente muito longe daquela que gerou esta mesma civilização. Como diz Vox Day (http://perigoislamico.blogspot.pt/2012/12/a-meia-vida-da-utopia-secular.html), a cultura pós-Cristã não é nem secular nem científica mas sim pagã e pré-Civilização Ocidental.

Uma coisa é certa: sem intervenção Divina o mal só avança numa direcção; levando isso em conta, podemos prever que o que a notícia de cima reporta vai passar a ser "normal" num futuro muito próximo.

"Agora vem o fim sobre ti, porque enviarei sobre ti a Minha ira, e Te julgarei conforme os teus caminhos, e trarei sobre ti todas as tuas abominações. E não te poupará o Meu Olho, nem terei piedade de ti, mas porei sobre ti os teus caminhos, e as tuas abominações estarão no meio de ti: e sabereis que Eu sou o Senhor."
Ezequiel 7:3-4

Colonus
December 14th, 2012, 09:19 AM
http://www.youtube.com/watch?feature=endscreen&NR=1&v=13Rll6ZHbow

Esse canal possui otimos videos

San Dimitri
December 17th, 2012, 09:54 PM
Nota-se ultimamente que as mulheres na faixa dos 20-25 hoje em dia estão cada vez mais inclinadas ao feminismo, mesmo de forma inconsciente, cheguei a falar com mulheres que declaram-se abertamente superiores aos homens e que eles são obrigados a trata-las como deusas, isso tudo graças a lixos culturais como sex and the city, seriado feito por judeus e marxistas para desestabilizar a sociedade atravez subversão ideológica e a endotrinação enganosa. Esta cada vez mais complicado arrumar uma companheira decente hoje em dia graças a essas merdas (sinceramente até amigos decentes) principalmente no nosso caso que somos pessoas nobre movidas por ideais nobres, somos superiores a todo este lixo humano que nos cerca. Outra coisa que notei è que os adultos de hoje em dia estão cada vez mais infantis e adolescentes, principalmente está cheio de pessoas medrosas e assustadas, incapazes de fazer certas escolhas na própria vida e viver como pessoas adultas aceitando a realidade desse mundo e da nossa situação geopolitica atual, mas infelizmente preferem viver de romantismo e idéias malucas de paz e amor como se nada estivesse acontecendo e como se não tivessem a responsabilidade de nada. Nós como seres humanos, raça e sociedade temos o dever moral de assegurar o futuro dos nossos proximos e preservar o mundo onde vivemos e a propria existência deste!

Nikolas Försberg
March 1st, 2013, 05:31 PM
http://m.ak.fbcdn.net/sphotos-b.ak/hphotos-ak-ash4/200703_297989243642575_1728387752_n.jpg

http://m.ak.fbcdn.net/sphotos-a.ak/hphotos-ak-ash4/304800_297989600309206_1431778821_n.jpg

http://m.ak.fbcdn.net/sphotos-h.ak/hphotos-ak-prn1/542507_297990643642435_1695329014_n.jpg

http://lh4.ggpht.com/-ZGLRvWVGEvc/UAVOSOG2FeI/AAAAAAAAE7w/avnLhBUIpxA/video3b157d740ba5%25255B3%25255D.jpg?imgmax=800

AS 45 METAS PARA A JUDAIZAÇÃO DO MUNDO VIA COMUNISMO

http://3.bp.blogspot.com/-3onwWdIoFUI/TkM4phyPLtI/AAAAAAAAAgg/VatRRqgnHm4/s1600/soviet_reenactor_obama_stalin.jpg

The Naked Communist
http://3.bp.blogspot.com/-oJYkw1oCTgc/TkB0PKcElHI/AAAAAAAAAek/GYiXvMTxrsA/s200/The_Naked_Communist_200w.jpg

1) U.S. acceptance of coexistence as the only alternative to atomic war.

1) Aceitação, por parte dos EUA, da coexistência como única alternativa à guerra atômica.

2) U.S. willingness to capitulate in preference to engaging in atomic war.

2) Boa vontade dos Estados Unidos em desistir como melhor opção para evitar uma guerra atômica.

3) Develop the illusion that total disarmament by the United States would be a demonstration of moral strength.

3) Desenvolver a ilusão de que o desarmamento total dos Estados Unidos seria uma demonstração de superioridade moral.

4) Permit free trade between all nations regardless of Communist affiliation and regardless of whether or not items could be used for war.

4) Permitir comércio livre entre todas as nações independente da filiação comunista e independente de serem ou não itens que poderiam ser usados para guerra.

5) Extension of long-term loans to Russia and Soviet satellites.

5) Extensão de empréstimos de longo prazo para a Rússia e satélites soviéticos.

6) Provide American aid to all nations regardless of Communist domination.

6) Fornecer ajuda americana para todas as nações independente da dominação comunista.

7) Grant recognition of Red China. Admission of Red China to the U.N.

7) Conceder reconhecimento da China Vermelha. Admissão da China para as ONU.

8) Set up East and West Germany as separate states in spite of Khrushchev's promise in 1955 to settle the German question by free elections under supervision of the U.N.

8) Configurar Alemanha Ocidental e Oriental como estados independentes apesar da promessa de Khrushchev's em 1955 de resolver a questão alemã por eleições livres sob supervisão da O.N.U.

9) Prolong the conferences to ban atomic tests because the United States has agreed to suspend tests as long as negotiations are in progress.

9) Prolongar as conferências sobre proibição de testes atómicos, pois os Estados Unidos concordaram em suspender os testes, enquanto as negociações estivessem em andamento.

10) Allow all Soviet satellites individual representation in the U.N.

10) Permitir a todos os satélites soviéticos representação independente/individual na O.N.U.

11) Promote the U.N. as the only hope for mankind. If its charter is rewritten, demand that it be set up as a one-world government with its own independent armed forces.

11) Promover a ONU como a única esperança para a humanidade. Se sua carta [das Nações Unidas] é reescrita, exigir que seja estabelecido um governo mundial com direito à forças armadas próprias e independentes.

12) Resist any attempt to outlaw the Communist Party.

12) Resistir a qualquer tentativa de proibir/ilegalizar o Partido Comunista.

13) Do away with all loyalty oaths.

13) Acabar com todos os juramentos de fidelidade.

14) Continue giving Russia access to the U.S. Patent Office.

14) Continuar dando acesso a Rússia ao Escritório de Patentes dos E.U.A.

15) Capture one or both of the political parties in the United States.

15) Capturar um ou ambos os partidos políticos dos Estados Unidos.

16) Use technical decisions of the courts to weaken basic American institutions by claiming their activities violate civil rights.

16) Usar decisões de caráter técnico dos tribunais para enfraquecer instituições americanas de base/fundamentais, alegando que suas actividades violam os direitos civis.

17) Get control of the schools. Use them as transmission belts for socialism and current Communist propaganda. Soften the curriculum. Get control of teachers' associations. Put the party line in textbooks.

17) Tomar o controle das escolas. Usá-las como centros de transmissão paras as propagandas socialista, e comunista atual. Tomar o controle de associações de professores. Inserir linha ideológica nos livros didáticos.

18) Gain control of all student newspapers.

18) Adquirir o controle de todos os jornais estudantis;

19) Use student riots to foment public protests against programs or organizations which are under Communist attack.

19) Utilizar-se de revoltas estudantis para incitar manifestações públicas contra programas e organizações que estão sob ataque comunista.

20) Infiltrate the press. Get control of book-review assignments, editorial writing, policymaking positions.

20) Infiltrar-se na imprensa. Tomar o controle da cessão de crítica literária, redação do editorial, posicionamento político.

21) Gain control of key positions in radio, TV, and motion pictures.

21) Adquirir o controle de postos-chave na rádio, TV, e cinema.

22) Continue discrediting American culture by degrading all forms of artistic expression. Skousen claimed that an American Communist cell was told to "eliminate all good sculpture from parks and buildings, substitute shapeless, awkward and meaningless forms."

22) Continuar desacreditando a cultura americana através da degradação de formas de expressão artísticas. Skousen alegou que uma célula comunista americana lhe contou: "eliminar todas as boas esculturas dos parques e prédios, substituir por estruturas: disformes, estranhas e sem sentido.

23) Control art critics and directors of art museums.

23 Controlar os críticos de arte e diretores de museus de arte.

http://1.bp.blogspot.com/-NTLDdnGL1G0/TkB0PvbLUbI/AAAAAAAAAeo/xgDMKmMYX7Y/s400/cleon-skousen.jpg
Skousen Cleon

24) Eliminate all laws governing obscenity by calling them "censorship" and a violation of free speech and free press.

24) Eliminar todas as leis que regulam a obscenidade, chamando-as de "censura" e violão da liberdade de expressão e liberdade de imprensa.

25) Break down cultural standards of morality by promoting pornography and obscenity in books, magazines, motion pictures, radio, and TV.

25) Derrubar os padrões de cultura e moralidade, promovendo pornografia e obscenidade em livros, revistas, filmes, radio e televisão.

26) Present homosexuality, degeneracy and promiscuity as "normal, natural, healthy." Skousen claimed Communists sought to encourage the practice of masturbation.

26) Apresentar homossexualidade, degeneração e promiscuidade como "normais, naturais, saudáveis." Skousen alegou que os comunistas procuraram incentivar a prática da masturbação.

27) Infiltrate the churches and replace revealed religion with "social" religion. Discredit the Bible and emphasize the need for intellectual maturity which does not need a "religious crutch."

27) Infiltrar-se nas igrejas e substituir a religião de revelação por uma religião "social". Desacreditando a Bíblia e enfatizando a necessidade de maturidade intelectual que não necessita de uma "muleta religiosa".

28) Eliminate prayer or any phase of religious expression in the schools on the ground that it violates the principle of "separation of church and state."

28) Eliminar orações ou qualquer forma de expressão religiosa nas escolas sobre o fundamento de que viola o princípio de "separação entre igreja e estado."

29) Discredit the American Constitution by calling it inadequate, old-fashioned, out of step with modern needs, a hindrance to cooperation between nations on a worldwide basis.

29) Desacreditar a Constituição Americana, rotulando-a de inadequada, antiquada/fora de moda, fora de sintonia com as necessidades modernas, obstáculo para a cooperação entre as nações a nível mundial.

30) Discredit the American Founding Fathers. Present them as selfish aristocrats who had no concern for the "common man."

30) Desacreditar os Pais Fundadores da América. Apresenta-los como aristocratas egoístas que não tinha preocupação com o "homem comum".

31) Belittle all forms of American culture and discourage the teaching of American history on the ground that it was only a minor part of the "big picture." Give more emphasis to Russian history since the Communists took over.

31) Depreciar todas as formas de cultura americana e desencorajar o ensino de história americana sobre o fundamento de que era apenas uma pequena parte da "imagem global". Dar mais ênfase à história russa desde que os comunistas assumiram.

32) Support any socialist movement to give centralized control over any part of the culture—education, social agencies, welfare programs, mental health clinics, etc.

32) Apoiar qualquer movimento socialista para dar controle central sobre qualquer aspecto da cultura - educação, entidades sociais, programas de bem-estar, clínicas de saúde mental, etc.

33) Eliminate all laws or procedures which interfere with the operation of the Communist apparatus.

33) Eliminar todas as leis ou procedimentos que interferem no funcionamento do aparelho Comunista.

34) Eliminate the House Committee on Un-American Activities.

34) Eliminar aComitê de Atividades Anti-Americanas.

35) Discredit and eventually dismantle the FBI.

35) Desacreditar e finalmente desmantelar o FBI.

36) Infiltrate and gain control of more unions.

36) Infiltrar-se e adquirir o controle de mais sindicatos.

37) Infiltrate and gain control of big business.

37) Infiltrar-se e adquirir o controle de grande negócios.

38) Transfer some of the powers of arrest from the police to social agencies. Treat all behavioral problems as psychiatric disorders which no one but psychiatrists can understand or treat.

38) Transferir alguns poderes de prisão da polícia para entidades sociais. Tratar todos os problemas comportamentais como desordens psiquiátricas que ninguém senão psiquiatras podem compreender ou tratar.

39) Dominate the psychiatric profession and use mental health laws as a means of gaining coercive control over those who oppose Communist goals.

39) Dominar o carreira psiquiátrica e usar as leis de saúde mental como um meio de obter controle coercitivo sobre aqueles que se opõem aos objetivos comunistas.

40) Discredit the family as an institution. Encourage promiscuity, masturbation and easy divorce.

40) Desacreditar a família enquanto instituição. Encorajar a promiscuidade, masturbação e divórcio fácil.

41) Emphasize the need to raise children away from the negative influence of parents. Attribute prejudices, mental blocks and retarding of children to suppressive influence of parents.

41) Enfatizar a necessidade de criar os filhos longe da negativa influência dos pais. Atribuir: preconceitos, bloqueios mentais e retardo de crianças à influência supressiva dos pais.

42) Create the impression that violence and insurrection are legitimate aspects of the American tradition; that students and special-interest groups should rise up and use "united force" to solve economic, political or social problems.

42) Criar a impressão de que a violência e a insurreição são aspectos legítimos da tradição americana; que estudantes e grupos de interesses deveriam se levantar e "unir as forças" para resolver problemas econômicos, políticos, e sociais.

43) Overthrow all colonial governments before native populations are ready for self-government.

43) Derrubar todos os governos coloniais antes que as populações nativas estejam prontas para se auto-governar.

44) Internationalize the Panama Canal.

44) Internacionalizar o Canal do Panamá.

45) Repeal the Connally reservation so the United States cannot prevent the World Court from seizing jurisdiction over domestic problems. Give the World Court jurisdiction over nations and individuals alike.

45) Revogar a "reserva" Connally para que os Estados Unidos não possam impedir que o Tribunal Internacional de Justiça interfira na jurisdição do país, em seus problemas domésticos. Dar ao Tribunal Internacional de Justiça jurisdição sobre as nações e indivíduos.

Nikolas Försberg
March 16th, 2013, 10:27 AM
Multiculturalismo floresce por toda a Europa (http://omarxismocultural.blogspot.com.br/2012/06/multiculturalismo-floresce-por-toda.html)

Uma vez que o multiculturalismo já está perfeitamente enraizado na Europa, é altura de se fazer uma avaliação do seu "sucesso". Para quem não sabe, o multiculturalismo apela a imigração em massa de pessoas com culturas distintas e impede ao mesmo tempo que sejam feitos movimentos que visem a assimilação das mesmas.

Eis então a forma como isso está a funcionar na Europa.

Grã-Bretanha:

Na área Tower Hamlets do Este de Londres (também conhecida como "A República Islâmica de Tower Hamlets"), clérigos maometanos, conhecidos como Talibãs de Tower Hamlets, regularmente emitem ameaças de morte dirigidas às mulheres que se recusam a usar o véu. As estradas foram invadidas por cartazes contendo frases como:

Acabou de entrar numa área controlada pela sharia. As leis islâmicas estão em operação.

Em Luton os maometanos foram acusados de levar a cabo uma "limpeza étnica" ao assediarem os não-muçulmanos ao ponto de muitos deles simplesmente se mudarem para fora das áreas muçulmanas.

Em West Midlands, dois Cristãos foram acusados de "crimes de ódio" por oferecerem panfletos Bíblicos nesta área predominantemente muçulmana de Birmingham.

Em Leytonstone, Este de Londres, o extremista maometano Abu Izzadeen perturbou o discurso público do Home Secretary John Reid dizendo “Como é que te atreves a vir para uma área islâmica?”

França:
Largo número de vizinhanças muçulmanas são agora consideradas zonas "no-go" pela polícia local. Zonas "no-go" são aquelas áreas onde os não-muçulmanos não se atrevem a entrar ou só se atrevem a entrar acompanhados por uma escolta policial.

Segundo contagem recente, existem cerca de 751 Zonas Urbanas Sensíveis (Zones Urbaines Sensibles, ZUS), como elas são eufemisticamente conhecidas. Cerca de 5 milhões de maometanos vivem nas ZUS, parte da França que o governo já perdeu o controle.

Os imigrantes maometanos estão, ao mesmo tempo, a tomar conta de outras partes da França. Em Paris e em outras cidades com elevada presença muçulmana - tais como Lyon, Marselha e Toulouse - milhares de muçulmanos fecham as estradas e as passadeiras - e, por extensão, fecham o comércio local, encerrando os não-maometanos nas suas casas e escritórios - de modo a acomodar as multidões que se juntam para as rezas de 6-Feira.

Algumas mesquitas começaram já a emitir sermões e gritos de "Alá é o maior" pelos megafones e altifalantes. Apesar das inúmeras queixas públicas, as autoridades declinaram levar a cabo qualquer tipo de iniciativa temendo dar início a tumultos.

Bélgica:

Na capital belga de Bruxelas (onde 20% da população é maometana) várias vizinhanças maometanas tornaram-se também em zonas "no-go" para a polícia local - onde são frequentemente atacados por pedras provenientes de jovens muçulmanos.

No distrito de Kuregem em Bruxelas, que aparenta ser uma zona de guerra urbana, a polícia é forçada a patrulhar a área com dois carros: um carro para fazer o serviço de patrulha e outro para prevenir que o primeiro seja atacado.

No distrito de Molenbeek em Bruxelas a polícia foi ordenada a não beber café ou comer sandwiches em público durante o mês islâmico do ramadão.

Alemanha:

Numa entrevista dada ao Der Westen, o Comissário policial Bernhard Witthaut revelou que os imigrantes estão a impor zonas “no-go por toda a Alemanha a um ritmo preocupante.

Itália:

Os maometanos têm vindo a ocupar a Piazza Venezia em Roma para as suas rezas de 6ª Feira. Em Bolonha os muçulmanos repetidamente ameaçam bombardear a catedral de San Petronio devido ao facto dela conter um fresco com 600 anos exibindo o Inferno de Dante e Maomé a ser atormentado no inferno.

Holanda:

Um tribunal ordenou ao governo que publica-se a politicamente incorrecta lista de 40 zonas “no-go” da Holanda.

Suécia:,

Largas zonas da cidade de Malmö -- que é mais de 25% muçulmana -- são agora zonas "no-go" para os não-maometanos. Por exemplo, os bombeiros e os serviços de emergência médica recusassem a entrar na predominantemente muçulmana área do distrito de Rosengaard sem escolta policial. Estima-se que a taxa de desemprego dos homens em Rosengaard seja superior a 80%. Na cidade sueca de Gotemburgo jovens muçulmanos têm estado a atirar bombas de petróleo aos carros policiais.

. . . .

Enquanto esta destruição vai ocorrendo, a elite esquerdista dominante continua a subsidiar os invasores e a propagandear em seu nome. Críticas à conquista islâmica têm que ser criminalizadas.

A menos que a Europa morra de forma tranquila e se torne em algo análogo ao Médio Oriente, pobre, violento e retrógrado, o continente está em vias de entrar num momento bastante colorido da sua história onde a população nativa irá reclamar o seu território de forma violenta depois de se ver livre da elite politica - tanto da esquerda como da direita - que os traiu .

Fonte

* * * * * * *

Por incrível que pareça, as coisas estão a evoluir tal como a elite esquerdista pretende uma vez que eles estavam bem cientes que a imigração maciça de pessoas não assimiláveis traria desorganização social. Como tal, deram o seu apoio activo a essa traição dos europeus.

O multiculturalismo foi instalado não para acomodar as várias culturas no ocidente, mas sim para destruir a unidade social ocidental. Depois dessa unidade social ter sido reduzida a cacos, a elite esquerdista irá usar a força policial para "restaurar a ordem" - ordem essa que foi destruída pelas suas políticas.

É assim que funciona o esquerdismo; primeiro geram os problemas através das suas políticas sociais (e não só) e depois colocam-se a eles mesmos como os agentes capazes de resolver os problemas que eles mesmos criaram.

http://2.bp.blogspot.com/-lgGQOdlgeGc/T93pjJcyUEI/AAAAAAAALfc/qd6Fkltl_v8/s400/0401_Eurabia_Burns.jpg
Dentro em breve?

Nikolas Försberg
March 16th, 2013, 10:32 AM
O previsível lamento da mulher promíscua (http://omarxismocultural.blogspot.pt/2013/01/o-previsivel-lamento-da-mulher-promiscua.html)

http://4.bp.blogspot.com/-otR7gaqntT0/UQUy7u2-BvI/AAAAAAAAAQs/GZerDBP64i0/s200/Promiscua.jpg

Vocês mulheres que planeiam encontrar "O Tal" e contrair matrimónio com ele, POR FAVOR, oiçam o que eu vos tenho a dizer. Mais do que TUDO, quem me dera que eu tivesse tido esta informação valiosa - da forma como os homens pensam do sexo e das mulheres promíscuas - quando eu era adolescente.
Se algum dia tiver uma filha, vou-lhe educar com esta preciosa lição de vida. Sinto que só agora, com 29 anos, é que estou a aprender a verdade acerca dos homens. Os meus olhos foram finalmente abertos. Como é que eu pude ser tão cega no passado?!

Sinto-me incrivelmente triste; estou a viver uma vida cheia de arrependimento. Actualmente encontro-me casada com um homem maravilhoso - o sonho de qualquer mulher. Primeira impressão: atraente, musculado, alto, macho alfa, excelente comunicador. Impressão duradoura: amoroso, preocupado, gentil, provedor, amante excepcional. As mulheres atiram-se aos seus pés, mas ele rejeitou as outras e escolheu-me.

Infelizmente, eu não me guardei para ele; fui promíscua quando era solteira, e o meu passado sexual está a colocar uma pressão ENORME sobre o nosso relacionamento. Este é o único ponto que gera algum tipo de discussão entre nós. Ele ama-me e toma conta de mim, mas ele não me respeita. Eu oro e espero que sejamos capazes de ultrapassar isto. O teu passado [sexual] tem MUITA importância, e invariavelmente ele retornará para te assombrar.

Quando eu e o meu marido começamos a namorar, ele disse-me que tinha problemas com mulheres promíscuas; como tal, ele perguntou-me que tipo de vida eu tinha levado quando era solteira. Eu não revelei o número total [de amantes] mas disse apenas que "Não tive relações sexuais com muitos homens". Dentro do meu círculo de amizades o meu número era considerado abaixo da média, mas numa escala global, é um número verdadeiramente alto.

[ed: Quando ela fala no seu passado sexual, é muito comum a "mulher moderna" - aquela que está sob o feitiço da ética sexual vigente - colocar-se a ela mesma como a única pessoa cujo comportamento sexual era moralmente aceitável dentro do seu grupo de amigas. O problema é que esse tipo de argumento, para os homens, soa a algo como "Eu era a única pessoa honesta dentro da prisão" ou "Eu era a única pessoa sã dentro do manicómio"]

Na altura, o meu marido ficou satisfeito com a minha resposta, mas seis meses mais tarde o tópico voltou a ser falado; ele queria o número exacto. Eu fiz o que muitas mulheres fazem e menti. O número que eu lhe disse deixou de fora 10 outros amantes que eu tinha tido, mas mesmo assim ele ficou verdadeiramente enojado comigo. No entanto, ele ficou comigo.

Finalmente, e seis meses depois, revelei toda a verdade e confessei o número exacto de amantes que tinha tido. Na altura, ele ficou MUITO próximo de acabar com o nosso relacionamento uma vez que não só eu era uma promíscua [inglês "slut"], como era também uma mentirosa - o que era ainda pior. Danificar a confiança num relacionamento é a PIOR coisa que se pode fazer.

Ele ficou visivelmente zangado por lhe "atirar areia para os olhos" ao tentar passar a imagem de que eu era melhor do que realmente era, mas eu só não queria ser julgada pelo meu passado. Queria primeiro que ele me conhecesse como pessoa, me amasse e me aceitasse pelo que sou hoje. Ele disse que o que eu tinha feito era injusto porque ele havia-se apaixonado por mim . . . . . mas odiava o meu passado. Não havia a menor chance dele se envolver comigo se soubesse com quantas pessoas eu havia dormido.

Passado que está um ano ele continua comigo, e recentemente casamo-nos. Actualmente ele sabe tudo sobre mim. O meu passado é vergonhoso e embaraçoso, mas sabe bem ser totalmente franca e aberta com ele. Já não há mais segredos e ele faz todos os possíveis para me amar e aceitar por aquilo que eu sou. Ele sabe que sou uma boa pessoa e uma esposa amorosa com muito para oferecer. Ele apenas deseja que eu tivesse feito melhores escolhas no passado.

Há dias que são mais difíceis de superar quando ele não pára de pensar no que eu fiz. Sinto-me mal e fico a pensar como ele poderia ter tido qualquer mulher no mundo - uma mulher mais inocente - mas ele está preso a mim. Mercadoria estragada.

* * * * * * *

É perfeitamente comprensível que algumas mulheres fiquem genuinamente perturbadas com o facto dos homens usarem de modo mais severo o passado sexual da mulher contra ela do que a forma como as mulheres usam o passado sexual dos homens contra eles. Mas é assim que as coisas são. Como se diz no Fórum Mundo Realista, "biologia supera ideologia". Tentar envergonhar os homens chamando-os de - por exemplo - "inseguros" não vai mudar nada.

Mesmo que seja gerada suficiente pressão social para silenciar a normal aversão que os homens têm por mulheres promíscuas (quando se fala em relacionamento sério), eles nunca deixarão de se sentir incomodados com a "quilometragem sexual" da sua futura ou actual esposa (do mesmo modo que a esposa ficará genuinamente perturbada se o marido se despedir do emprego e passar os dias a jogar Playstation - quer ela verbalize ou não a sua frustração).

Quando se fala da história sexual a honestidade é sempre a melhor opção - especialmente quando existe uma míriade de formas através da qual a verdade pode vir ao de cima. Se o teu passado sexual faz com que percas alguém que tu realmente gostas, mais vale cedo do que tarde. E não penses que o passar do tempo irá de alguma forma ajudar, visto que a realização de ter sido deliberadamente enganado durante muito tempo irá certamente endurecer ainda mais o coração do homem contra a mulher.

Esconder o passado é, logisticamente, muito difícil, e, ao mesmo tempo, psicologicamente muito cansativo.

O feminismo não acabou com a dualidade de critérios na sexualidade: os homens continuam a sentir aversão por mulheres com uma experiência sexual considerável. E porquê? Porque quanto mais promíscua for a mulher, maiores são as probabilidades do homem passar 20 anos da sua vida a sustentar filhos que ele PENSA serem seus - algo que, obviamente, não é do seu interesse. Devido a isto, os homens olham para o passado sexual da mulher como uma previsão válida para o seu comportamento futuro.

A nossa sociedade penaliza as mulheres que se preservam e que exigem algum tipo de compromisso sério antes de se entregarem sexualmente aos homens. Isto está muito longe de ser fácil, mas a mulher só tem duas escolhas:

Escolha A: Esperar

Escolha B: Ceder.

A Nancy, que é um exemplo trágico da Escolha B, resolveu agora partilhar a sua história como testemunho das consequências dessa escolha.

Para os homens, a mensagem é mesma já repetida por várias pessoas: se têm planos de casar e formar uma família, é aconselhável tentar saber o quanto antes que estilo de vida sexual a futura esposa levava, e quantos parceiros sexuais ela já teve. E, como diz uma mulher neste site, "Se nós [as mulheres] dizemos 5, então isso quer dizer 20. Se nós dizemos 2, então queremos dizer 8, e se nós dizemos que tu és o primeiro, então isso quer dizer que já nem nos lembramos dos nomes dos nossos parceiros sexuais".

http://2.bp.blogspot.com/-iIO6ACKz8-k/UQU3oKldhBI/AAAAAAAAARM/HnxFpnghPDs/s320/046.jpg
Pronta para casar.

Nikolas Försberg
March 16th, 2013, 10:34 AM
Marxismo Cultural: A estratégia primária da Esquerda Ocidental (http://omarxismocultural.blogspot.pt/2013/01/marxismo-cultural-estrategia-primaria.html)

http://2.bp.blogspot.com/-hrK-wYvbO-g/UPxn7lD0rNI/AAAAAAAAZQE/fEO3VsEM-5E/s1600/Gramsci02.jpg

O filósofo Marxista Antonio Gramsci postulou que aquilo que sustém uma sociedade são os pilares da sua cultura; as estruturas e as instituições do sistema educacional, a família, o sistema legal, os média e a religião, na medida em que providenciam a coesão social necessária para uma sociedade funcional e saudável. Transformando os princípios que estas instituições personificam, pode-se destruir a sociedade que eles moldaram. O seu pensamento seminal foi adoptado pelos radicais dos Anos 60, muitos deles, obviamente, pertencendo à geração que actualmente detém o poder no Ocidente.

Gramsci acreditava que a sociedade poderia ser subvertida se os valores que a sustém fossem transformados para a sua antítese: se os seus princípios cardinais fossem substituídos por aqueles mantidos pelos grupos que eram considerados estranhos ou aqueles que activamente transgrediam os códigos morais de tal sociedade. Devido a isto, ele propôs uma "longa marcha através das instituições" como forma de capturar as cidadelas da cultura e transformá-los numa Quinta Coluna colectiva, minando-a através do seu interior, transformando e subvertendo completamente os valores cardinais da sociedade.

Esta estratégia está a ser levada a cabo até ao ponto mais ínfimo. A família nuclear foi largamente destruida. A ilegitimidade deixou de ser um estigma e passou a ser um "direito". A trágica desvantagem das "famílias" sem uma figura paterna foi redefinida como uma neutra "escolha de vida". Isto é tanto assim que muitos afirmam agora que as crianças não precisam dum pai e duma mãe, mas sim do apoio dum adulto "se preocupa".

O sistema de ensino/educacional foi devastado; o seu princípio nuclear de transmitir uma cultura para as gerações sucessivas foi substituído pela ideia de que o que as crianças já sabiam era de valor superior a qualquer coisa que o adulto valorizava. A consequência desta política "centrada nas crianças" foi a propagação do analfabetismo e da ignorância, e uma capacidade limitada para o pensamento independente.

A agenda dos "direitos", também conhecida como "politicamente correcto", subverteu a moralidade ao desculpar os erros dos auto-designados "grupos-vítima", tendo como base a ideia de que as "vítimas" não podem ser responsabilizadas pelo que fazem. A Lei e a Ordem foram igualmente minadas, com os criminosos a serem caracterizados como pessoas muito para além do castigo uma vez que eram "vítimas" do que foi classificada como uma sociedade "injusta".

Devido a isto, as feministas radicais, os grupos "anti-racistas" e os militantes homossexuais transformaram os homens, os brancos e especialmente os Cristãos (como os proponentes primários dos valores basilares da civilização ocidental) em inimigos da decência. Uma estratégia ofensiva de neutralização foi criada como forma de manter os propagadores dos valores da civilização ocidental na defensiva, essencialmente caracterizando-os como "culpados até prova em contrário".

Esta forma de pensar revertida assenta na crença de que o mundo encontra-se dividido entre os poderosos - responsáveis por tudo que existe de mau - e os oprimidos - totalmente inocentes de qualquer mal. Isto é doutrina Marxista pura. Isto gerou a crença de que o sentimento nacional (nacionalismo) é a causa de muitos dos problemas no mundo, e, como consequência, instituições transnacionais como a União Europeia e a ONU, bem como as doutrinas que apoiam as leias internacionais em torno dos "Direitos Humanos", estão de modo incremental a passar por cima das leis e valores nacionais.

Estas instituições têm um compromisso com o relativismo moral e cultural, que coloca grupo contra grupo e garante um poder supremo e anti-democrático aos burocratas que não só estabelecem as regras da "diversidade", como tornam ilegal qualquer tipo de voz contrária às atitudes permitidas.

A doutrina do "oprimido e do opressor" é a grande mentira que muitos dentro das elites esquerdistas usam para justificar o seu apoio às formas de pensar totalmente divorciadas da realidade e da natureza humana em si. Fundamentalmente, a aquisição de poder encontra-se no âmago do sistema de crenças esquerdista, usando para isso os "soldados rasos" como os "verdadeiros crentes". (Stalin referiu-se a estes como "idiotas úteis".)

Fonte

* * * * * * *
Uma vez que o propósito primário (único?) da elite esquerdista é a aquisição de poder absoluto, é bom lembrar aos militantes homossexuais e às feministas (idiotas úteis do esquerdismo) que se eles forem bem sucedidos nos seus planos de subversão cultural, todos nós (eles inclusive) seremos governados por um sistema político autoritário.

A tragédia dos idiotas úteis é que, como dizia Yuri Bezmenov, eles só se apercebem que estão do lado errado da moral e da decência quando a bota esquerdista se assenta de modo firme sobre os seus pescoços; a feminista só se vai aperceber que foi enganada quando vir o governo esquerdista a ignorar por completo muito do genuino sofrimento pelo qual muitas mulheres ocidentais atravessam, especialmente em países que deveriam ser "paraísos feministas" (Suécia ou Holanda).

Semelhantemente, os militantes homossexuais só se aperceberão que a sua integridade física toma um lugar subalterno (sempre que isso entra em rota de colisão com a agenda da esquerda política) quando situações como esta se tornarem lugar comum.

Tal como aconteceu com os idiotas úteis que foram descartados por todos os revolucionários mal estes conquistaram o poder total, vai ser irónico observar, num futuro cada vez mais próximo, as feministas e os activistas homossexuais a adoptarem um discurso mais conservador quando se mentalizarem que a sua luta pela "igualdade" foi um logro, e que eles mais não foram que peões descartáveis do jogo de xadrez político que teve como profetas importantes Karl Marx e os seus discípulos da Escola de Frankfurt.

Nikolas Försberg
March 23rd, 2013, 03:00 PM
Alain Soral nos demonstra que o FEMEN depende de ex-prostitutas lutando contra a “degradação da mulher” (http://lucianoayan.com/2013/03/19/alain-soral-nos-demonstra-que-o-femen-depende-de-ex-prostitutas-lutando-contra-a-degradacao-da-mulher/)

Alain Soral - FEMEN: Prostitutas em nome do Globalismo - Full HD - Legendado - YouTube

Gente, numa boa, a vida intelectual de um cético político anti-esquerda é sempre uma diversão. Tem gente que prefere ser um conservador, liberal ou libertário, mas eu prefiro ser um cético quanto ao esquerdismo.

Nota: você pode ser conservador, liberal ou libertário, e ser um cético político em direção a esquerda, mas o meu foco, em particular, é ser um cético político em direção a esquerda, sem focar em defender nenhum dos 3 paradigmas de direita em especial. Aliás, Eu acho as propostas liberais e conservadores melhores que as esquerdistas, mas, como já disse, prefiro focar nas contradições do esquerdismo.

Melhor ainda é quando eu posso usar as críticas feitas por Alain Soral, que é um marxista, contra a esquerda fashion ocidental.

Aqui, ele coloca o FEMEN abaixo de merda. Classificação mais do que justa para esse grupo que luta para ser reconhecido como legítimo mas é mais falso que nota de 3 reais.

A melhor parte é quando ele demonstra, através da carta de um de seus leitores, que Eloise Bouton, uma das líderes do FEMEN, é uma ex-prostituta.

Abaixo imagens do site de acompanhantes do qual ela fazia parte:

http://lucianoayan.files.wordpress.com/2013/03/femen_ukrainian_agents_provocateurs_are_prostitutes_eloise_bouton_aka_alise_lizaliz_boutoneloise_01.jpg?w=176&h=300

http://lucianoayan.files.wordpress.com/2013/03/femen_ukrainian_agents_provocateurs_are_prostitutes_eloise_bouton_aka_alise_lizaliz_boutoneloise_02.jpg?w=300&h=272

http://lucianoayan.files.wordpress.com/2013/03/femen_ukrainian_agents_provocateurs_are_prostitutes_eloise_bouton_aka_alise_lizaliz_boutoneloise_03.jpg?w=230&h=300

http://lucianoayan.files.wordpress.com/2013/03/femen_ukrainian_agents_provocateurs_are_prostitutes_eloise_bouton_aka_alise_lizaliz_boutoneloise_04.jpg?w=300&h=198

http://lucianoayan.files.wordpress.com/2013/03/femen_ukrainian_agents_provocateurs_are_prostitutes_eloise_bouton_aka_alise_lizaliz_boutoneloise_05.jpg?w=300&h=181

http://lucianoayan.files.wordpress.com/2013/03/femen_ukrainian_agents_provocateurs_are_prostitutes_eloise_bouton_aka_alise_lizaliz_boutoneloise_06.jpg?w=300&h=153

http://lucianoayan.files.wordpress.com/2013/03/femen_ukrainian_agents_provocateurs_are_prostitutes_eloise_bouton_aka_alise_lizaliz_boutoneloise_07.jpg?w=300&h=146

http://lucianoayan.files.wordpress.com/2013/03/femen_ukrainian_agents_provocateurs_are_prostitutes_eloise_bouton_aka_alise_lizaliz_boutoneloise_09.jpg?w=300&h=204

http://lucianoayan.files.wordpress.com/2013/03/femen_ukrainian_agents_provocateurs_are_prostitutes_eloise_bouton_aka_alise_lizaliz_boutoneloise_10.jpg?w=300&h=298

Por uma das imagens, dá para notar que Eloise Bouton custava 200 euros por programa, o que demonstra um nível estético acima da média. Mas agora os seus “serviços” estão a cargo de George Soros [judeu], financiador de “causas” como FEMEN.

O mais engraçado é que lutam por causas como “contra a objetificação do corpo da mulher”, e colocam como líder de um movimento radical feminista… uma mulher que cobrava 200 euros por programa. Por que não colocaram uma mulher que cobrasse 3 euros?

Aha… como sempre, os esquerdistas comportam-se de maneira oposta àquela vista em seus discursos.

A diversão é garantida.


_________________________________________________________________

Desmascarando feministas por completo e a cortina de MENTIRAS criada em torno dos homens - YouTube

Nikolas Försberg
March 24th, 2013, 03:30 AM
Como funciona o Marxismo Cultural nas universidades (http://omarxismocultural.blogspot.com.br/2013/03/como-o-marxismo-cultural-funciona.html)

http://4.bp.blogspot.com/-TgIcU7VG-70/UT5Jqb-8X_I/AAAAAAAAZ5o/HxThtfp0RVM/s400/UnivLeeds.jpg

Titulo original: "Teenage Wasteland: The Marxist Demolition of American Colleges"

Eu sou actualmente um estudante do segundo ano a frequentar uma universidade esquerdista americana. O "Politicamente Correcto" circula de forma descontrolada na faculdade - como eu sei que circula de igual modo em muitas outras universidades do mundo ocidental. Como todos nós sabemos, o batalhão PC (Politicamente Correcto) Esquerdista abomina discussões abertas e é precisamente por isso que eu escrevo este texto. Ao documentar o Modus Operandi das instituições actuais controladas pelos marxistas culturais, espero honestamente ser capaz de influenciar outros estudantes com a mesma visão que a minha - demasiado intimidados para falar abertamente - e conduzi-los na direcção certa.

Este ensaio é uma breve exposição das minhas experiências até ao dia de hoje. Nas secções que se seguem, escreverei mais sobre as minhas interacções com o corpo directivo da faculdade, com outros estudantes, e escreverei também mais sobre os métodos draconianos através dos quais os estudantes são indoutrinados, intimidados e, por fim, atraídos para a visão Marxista [cultural] do mundo.

Fomentando uma Cultura de Depravação.

Aquando do nosso primeiro dia na universidade, eu e os outros caloiros (cerca de 600 estudantes) tomamos parte dum seminário mandatório no auditório da faculdade. O tópico (surpresa!) era a "diversidade" e como nós tínhamos que "abraçar" este fenómeno. A palestra foi conduzida por um homem negro corpulento, que usou o humor e a inteligência para suavizar a mensagem.

O palestrante mostrou-nos um vídeo em particular - dum filme de comédia - onde um homem experimentava vários tipos de roupas "masculinas" numa tentativa de ter uma aparência menos feminia. Eventualmente, o homem do clip pára de se esforçar, coloca sobre si roupagem homo-erótica, sai do sítio onde está e toma parte duma parada homossexual. Enquanto os outros estudantes riam-se com a cena o homem negro explicou-nos que não havia problemas em ser diferente (anormal). Ele concluiu afirmando que cada um de nós, independentemente da raça, sexo, preferência sexual, ou crença, "melhorava as pessoas à sua volta".

No dia seguinte tomamos parte duma apresentação com o nome de "Sex Life", liderado por uma lésbica "especialista" em saúde. Naturalmente, ela promoveu a cultura do sexo casual (inglês: "hook-up culture") e disse maravilhas dos "benefícios" de se tomar parte em váris actos sodomisticos. Nenhuma menção foi feita às doenças que ameaçam os jovens estudantes que adoptam este estilo de vida, e nenhuma menção foi feita aos méritos de se abster do hedonismo Marxista, prefindo no seu lugar construir uma família.

Não; esta apresentação foi feita com o expresso propósito de me corromper e corromper os meus colegas universitários - isto sem qualquer tipo de protesto do corpo directivo, do clero ou dos profissionais médicos da faculdade.

Normalizando os Desvios.

Cerca de um mês após o início do ano escolar, o grupo activista homossexual da faculdade celebrou a sua semana anual “Coming Out Week”. [ed: "Coming out" = assumir publicamente o seu homossexualismo e/ou "sair do armário"]. Durante uma semana, decorações com arco-íris cobriram o centro principal da faculdade, muitos rapazes vestiram-se como raparigas (e vice-versa), e um pregador homossexual veio até à universidade para "refutar" as passagens Bíblicas que condenam o homossexualismo. Como sempre, não houve qualquer tipo de protesto. Os estudantes pareciam concordar que ser homossexual é completamente normal, ou pelo menos nada digno de se levantar oposição.

Quando eu tentei convencer vários estudantes de que tal comportamento não é normal, foi-me dito "Qual é o problema? Há pessoas que gostas de rapazes enquanto outras gostam de raparigas". Parecia que este era o consenso entre a maioria dos estudantes. As suas mentes foram corrompidas de tal forma pelo sistema educacional Marxista que são incapazes de distinguir o comportamento natural e saudável do comportamento anti-natural e prejudicial.

Para além disso, e durante o Outono, o nosso grupo "Young Feminist" leva a cabo o seu "Slut Walk" anual [ed: Marcha das Vadias] onde a promiscuidade é promovida entre os jovens.

O local onde estudo foi sufocado pelo esquerdismo da linha dura e uma pequena minoria de pervertidos tomou conta do discurso. É uma pena que isto tenha ocorrido porque quem sofre com isto são os estudantes normais da faculdade. Como cereja no topo do bolo, a minha universidade adoptou uma legislação contra o "discurso de ódio", que proíbe o uso de linguagem crítica dirigida às minorias, aos homosexuais e aos outros "grupos oprimidos". Obviamente, o único grupo que não está protegido pelas leis do "discurso de ódio" é o grupo dos estudantes brancos.

Atacando a História e os Valores Americanos

Durante alguns feriados - Dia de Colombo, Dia de Acção de Graças ("Thanksgiving"), etc - os vários grupos da "diversidade" levam a cabo seminários/apresentações em torno da forma como estes feriados injustamente celebram actos da "maldade do homem branco." O grupo Africano, o grupo Latino, e alguns outros grupos menos proeminentes, espalham pela faculdade panfletos publicitando os seus eventos, onde - supostamente - se "revelará a verdade" (sobre o Dia de Colombo e os outros feriados).

Com relativa frequência, a nossa faculdade recebe um palestrante convidado que nos fala do racismo, do aquecimento global, da grandeza de Obama, ou dos méritos da diversidade. Todos os grupos da "diversidade" - desde aqueles que fomentam a depravação sexual até aqueles que promovem uma mensagem contra os brancos - são tornados viáveis devido ao "concílio da diversidade" da faculdade, do qual falarei num próximo ensaio.

Esta mentalidade anti-brancos foi visivelmente má durante as recentes eleições presidenciais. Uma esmagadora maioria do local onde estudo é esquerdista, e desde logo, vota no partido Democrata. Depois de eu ter votado, falei com raparigas brancas, estudantes do primeiro ano, que se econtravam particularmente alegres por terem votado no Obama. Depois de lhes ter dito que havia votado no Mitt Romney (devido à raiva que sentia contra o presidente actual), perguntei-lhes dos motivos que lhes levaram a votar no Obama. Uma delas disse que temia que Romney "proibisse o aborto", ao mesmo tempo que outra afirmou, "Sou mulher e como tal, eu tinha que votar no Obama..."

Aparentemente, muitas jovens mulheres erradamente acreditaram nas alegações feitas pelos órgãos de comunicação de que Romney era contra as mulheres e contra os seus direitos. Fiquei chocado ao ouvir estas mulheres justificarem as suas decisões com base na tolerância do candidato para a matança de bebés! Isto é, suponho, o quão baixo nós caímos.

Mais tarde, uma festa - consequente dos resultados das eleições - foi levada a cabo na zona central da faculdade. Por lá encontrava-se uma larga multidão, e eu ouvi muitos estudantes discutirem o "racismo" de Romney e os males que ele instalaria se por acaso se tornasse presidente. Havia uma ridicularização maciça levada a cabo contra os apoiantes de Romney, que eram qualificados de “ignorantes pacóvios, vítimas de lavagem cerebral" (quão irónico!).

Sempre que era anunciado que Obama havia vencido um estado, os estudantes manifestavam-se de forma efusiva como se a sua equipa favorita tivesse vencido a Super Bowl. Algumas das reacções mais caóticas foram levadas acabo pelos estudantes Africanos e Latinos - que nem sequer podiam votar. (...)

Quando Obama foi finalmente anunciado como vencedor, os estudantes enlouqueceram - arrancando todos os banners com a imagem de Romney e decapitando imagens suas presentes em cartazes de tamanho real. Este tipo de comportamento foi levado a cabo principalmente pelos estudantes brancos - muito provavelmente numa tentativa de limparem as suas almas devido ao "privilégio do homem branco" e devido à escravatura.

O que me surpreendeu de forma impactante foi a facção demográfica que apoiava Obama de forma mais vigorosa, e criticava Romney: as jovens mulheres brancas. Eram elas que pareciam mais jubilantes - mais ainda que os estudantes que pertenciam às minorias. Foram elas que acreditaram piamente nos mitos levantados contra os Republicanos, para além de acreditarem muitas esperanças numa recuperação económica liderada por Obama.

Tal como sabemos, elas tornaram-se num alvo particular dos Marxistas culturais quando estes se aperceberam do seu potencial como "classe oprimida". Havendo enganado as mulheres brancas com as mentiras da Esquerda, as taxas de natalidade dos brancos vão continuar a diminuir e, consequentemente, eles tornar-se-ão cada vez mais demograficamente irrelevantes.
...
Este ensaio serve como uma visão global das minhas observações. Tenho ainda que cobrir as mentiras esquerdistas que são ensinadas dentro das salas de aula, para além das formas através das quais o Marxismo Cultural manipula a mente dos mais jovens. Na minha próxima edição, escreverei mais sobre o "concílio da diversidade" da minha faculdade e os métodos que eles usam para amordaçar a discussão e intimidar os estudantes.

Colonus
May 1st, 2013, 10:07 PM
What the Economic Crisis Really Means - and what we can do about it - YouTube

Colonus
May 10th, 2013, 02:12 PM
Termodinamica;ERORI;interesse&debito...


Peak Oil and Economic Contraction - YouTube

Nikolas Försberg
May 13th, 2013, 10:43 PM
Subversão ideológica nas escolas

http://m.ak.fbcdn.net/sphotos-d.ak/hphotos-ak-prn1/935206_10200544159059220_1764937533_n.jpg

Conteúdo do livro:

http://m.ak.fbcdn.net/sphotos-h.ak/hphotos-ak-prn1/936871_377786842338588_718745167_n.jpg

Nítida propaganda comunista! É doutrinação desde cêdo nas crianças. Isso não é ensino, é doutrinação.

Ariaramnes
May 24th, 2013, 12:22 AM
Livro escrito em 1958, vejam como tudo que acontece hoje já estava planejado!! O livro é em inglês mas vou deixar o link com as traduções das 45 metas (que considero a parte principal, pois não li o livro ainda) e vou transcrever algumas que merecem destaque:

Livro:

http://www.systemdns.us:9722/loc.svr.b/books/the-naked-communist-w-cleon-skousen.pdf

As 45 metas em português:

http://cavaleirodotemplo.blogspot.com.br/2012/07/as-45-metas-para-comunizacao-do-mundo.html

E ainda uma série de vídeos (em inglês) sobre o assunto:

The Naked Communist #1 - YouTube


Metas que merecem destaque:


17) Tomar o controle das escolas. Usá-las como centros de transmissão paras as propagandas socialista, e comunista atual. Tomar o controle de associações de professores. Inserir linha ideológica nos livros didáticos.
https://fbcdn-sphotos-h-a.akamaihd.net/hphotos-ak-ash4/p480x480/181490_546795975359076_898744357_n.jpg

20) Infiltrar-se na imprensa. Tomar o controle da cessão de crítica literária, redação do editorial, posicionamento político.

22) Continuar desacreditando a cultura americana através da degradação de formas de expressão artísticas. Skousen alegou que uma célula comunista americana lhe contou: "eliminar todas as boas esculturas dos parques e prédios, substituir por estruturas: disformes, estranhas e sem sentido.
http://4.bp.blogspot.com/_UhBJkrDpRqA/Se4r0JHXJTI/AAAAAAAAArI/R-hhgNmMpLQ/s400/kandinsky.jpg

Essa parte é importante:

24) Eliminar todas as leis que regulam a obscenidade, chamando-as de "censura" e violação da liberdade de expressão e liberdade de imprensa.

25) Derrubar os padrões de cultura e moralidade, promovendo pornografia e obscenidade em livros, revistas, filmes, radio e televisão.

26) Apresentar homossexualidade, degeneração e promiscuidade como "normais, naturais, saudáveis." Skousen alegou que os comunistas procuraram incentivar a prática da masturbação.

Isso foi escrito em 1958!

27) Infiltrar-se nas igrejas e substituir a religião de revelação por uma religião "social". Desacreditando a Bíblia e enfatizando a necessidade de maturidade intelectual que não necessita de uma "muleta religiosa".

31) Depreciar todas as formas de cultura americana (branca e européia) e desencorajar o ensino de história americana sobre o fundamento de que era apenas uma pequena parte da "imagem global". Dar mais ênfase à história russa desde que os comunistas assumiram.

Também muito atuais:

40) Desacreditar a família enquanto instituição. Encorajar a promiscuidade, masturbação e divórcio fácil.

41) Enfatizar a necessidade de criar os filhos longe da negativa influência dos pais. Atribuir: preconceitos, bloqueios mentais e retardo de crianças à influência supressiva dos pais.

Podemos ver que tudo foi planejado e está acontecendo!

Colonus
May 25th, 2013, 02:27 AM
Gostei desse canal:

Mediocracy - YouTube

The Noble Savage - YouTube

The Mega-Killers - YouTube

Revolt of the Masses - YouTube

Ariaramnes
June 8th, 2013, 11:53 AM
https://si0.twimg.com/profile_images/2209624184/Fabian_Society_Logo_CMYK.JPG



A Sociedade Fabiana foi fundada em Londres no dia 4 de janeiro de 1884, era uma agremiação política de centro-esquerda que se opunha à luta de classes e às ações sindicais.
Seu nome era uma homenagem ao chefe militar romano Fábio Máximo, conhecido como o "Contemporizador", pois adotou uma tática de expectativa, evitando os combates decisivos na guerra com Aníbal.
Era composta principalmente por intelectuais burgueses: cientistas, escritores e políticos, que negavam a necessidade da luta de classes do proletariado e a necessidade da revolução socialista, por acredita que a transição do capitalismo para o socialismo deveria ocorrer de forma "evolucionista", ou seja, por meio de pequenas e paulatinas reformas sociais, defendendo que o bem-estar da maioria exigia o intervencionismo da máquina estatal.





Abaixo um documento descrevendo o Socialismo Fabiano na prática:


http://www.pesadelodospoliticos.com.br/wp-content/uploads/2013/04/G.Edward-Griffin-explica-o-Socialismo-Fabiano.pdf

Ariaramnes
June 8th, 2013, 12:25 PM
http://2.bp.blogspot.com/-EDnUbkm9zYE/TwD6mYDG4NI/AAAAAAAAC6Y/6-DkvsjPBOI/s1600/Architects%2Bof%2BPC.bmp

http://homemculto.files.wordpress.com/2011/11/319636_128854047224150_100002986656063_150813_327709016_n.jpg

Colonus
June 12th, 2013, 09:35 PM
Nikolas,ainda vou escrever sobre a obsolesencia planejada e o agradeço por lembrar desse tema.Vou deixar um video aqui,parece-me que o que voce deixou foi removido.

Pyramids of Waste (2010), AKA The Lightbulb Conspiracy - Planned obsolescence documentary - YouTube

Colonus
July 5th, 2013, 12:24 PM
Demographic Winter - the decline of the human family (Full Movie) - YouTube

Antônio Salles
July 30th, 2013, 05:10 PM
http://24.media.tumblr.com/tumblr_m82880v6Vf1rch2ido1_500.png

Ricardo Mendonça
October 27th, 2013, 07:36 PM
http://www.youtube.com/watch?v=19l3L-ldLas

Um dos melhores documentários produzidos sobre o grande tabu dos nossos tempos, as diferenças raciais.

Neste documentário norueguês, ver-nos-emos confrontados com a dificuldade que se tem hoje em até mesmo abordar o assunto principalmente, como é dito no filme, se essas diferenças residirem naquilo que pode estar "do pescoço para cima".

Elementos incómodos, que contradigam a posição política vigente, ou seja, que contradigam o dogma que afirma que as pessoas são virtualmente idênticas em capacidades, caso as agrupemos por raça, são pura e simplesmente evitados numa discussão.

O incómodo que alguns dos convidados demonstram até mesmo a abordar a questão é por vezes para quem assiste, penoso. Em grande medida porque todos nós, no Ocidente em maior ou menor medida, numa situação ou noutra, já nos vimos nessa posição. Locais há em que o assunto não pode sequer ser levantado, é uma heresia dos tempos modernos.

Aliás como é do conhecimento comum, hoje pode-se sem qualquer dificilculdade criticar, acusar, discutir sem dificuldade de maior, por exemplo, Deus, mas as consequências de falar no assunto raça, sem que seja pelo diapasão "politicamente correcto" trazem a quem se atreva a fazê-lo consequências muito mais graves que as da mera reprovação social...a loucura chegou a este estado.

Gostaria ainda de dizer nestas minhas pequenas impressões inicias deste problema, recordando a impossibilidade de hoje se discutir o assunto de forma pública, quanto mais pretender que seja devidamente investigado e avaliado na globalidade das suas consequências, que a situação é agravada pela já referida negação sequer da possibilidade da existência de diferenças de capacidade entre grupos racias. Através daquilo que é para todos os efeitos práticos, um verdadeiro dogma dos nossos dias, defendido com o que não posso deixar de classificar como um fanático zelo religioso pelo poder político vigente.

A gravidade da situação hoje é tal, que já transvasou, como voltamos a ver confirmado no documentário, para o plano social...Como é que agora se revertem sociedades inteiras a um estado de mínima sanidade racional?

Verdadeiros zelotas da verdade inquestionável, são diversos os agentes que como assistimos no documentário se encarregam de forma mais ou menos voluntária de garantir a inviolabilidade e perpetuação do dogma.

Esta situação verdadeiramente bizarra, de consequências gravíssimas, para o presente e acima de tudo para um futuro próximo de todos os individuos envolvidos, não permite tão pouco que se aponte para o paradoxo que cai imediatamente entre nós quando nos negamos a aceitar que a mesma ciência que se espera que aceitemos para explicar a evolução de todos os organismos vivos, inclusivé a espécie humana dispensando por príncípio fundamental a noção arcaica e demonstradamente obsoleta de qualquer intervenção consciente de carácter divino, seja a mesma ciência a que não consiguemos recorrer para que nos explique como é que em todo o mundo natural e na ausência de uma consciência superior se conseguiu o princípio de carácter moral, de igualdade entre raças...No entanto esta bizarra posição de equilibrismo mental é defendida com todo o ardor de que só são capazes os verdadeiros sacerdotes do templo.

Vemo-nos assim, impossibilitados de retirar conclusões lógicas por um lado porque quando nos tentamos valer dos mesmos príncipios científicos pelos quais um regime de sacerdotes e oráculos nos diz que - "é assim que as coisas são...", e por isso nos impõe realidades sociais e políticas, nomeadamente a descoberta "que somos todos irmãos com origem comum", por outro lado se ignore o paradoxo que cai, repito, mesmo no meio de nós, e que eu teimo em apontar, e que consiste pura e simplesmente, em que as mesmas forças naturais responsáveis pela tão ardentemente defendida evolução das espécies, como tal tenham de ser óbviamentes desprovidas (ou tenham sido, despojadas....) ao mesmo tempo da consciência moral necessária capaz de para nos poupar a injustiças, nos ter ainda assim e pelos vistos, feito iguais nas capacidade enquanto grupos raciais!! É de pasmar de facto.

De entre as realidades sociais e políticas, que referi nos sãos impostas através da manipulação Délfica da ciência, posso destacar necessidade de convivência com toda e qualquer agenda política que se esconda por detrás da cortina que entretanto se levantou, como é exemplo a bandeira do multi-culturalismo....

Quer se queira quer não queira...

Mas é assim, nem que seja por repetição nos querem fazer convencer, que uma força inteiramante natural, mecânica, como tal desprovida de qualquer sentido moral, foi ainda assim capaz de fazer na espécie humana, e só na espécie humana, aquilo que não fez em mais nenhum grupo do reino natural, ou seja foi capaz de nos fazer em grupos de seres aparentados em toda e qualquer diferença seja meramente estética, superficial e por isso com exactamente a mesma capacidade intelectual média entre grupos. A pergunta que qualquer dissidente religioso, que qualquer herege faz, é no entanto a seguinte : Como é a que a natureza sendo necessáriamente amoral, conseguiu realizar esse "nobre" e "desejável" princípio político teórico?

É de no mínimo nos fazer esfregar o olhos de espanto...Porque de certeza que não estamos a ver bem...Mas é no máximo capaz de muito mais. Hoje quem se atreve a discordar e a fazê-lo abertamente é perseguido, e não sãp poucos os exemplos que temos....Lembro a trágica morte que todos nós tanto lamentamos do glorioso dissidente mental Dominique Venner.

Assim, se as referidas recentes descobertas contemporâneas permitiram que se levantasssem bandeiras onde arvoram os tais princípios políticos e sociais inquestionáveis, agitadas hoje com o vigor provindo da sua recém descoberta legitimitade científica, permitem que por trás de si se escondam e se movam todos os intresses e agentes envolvidos, assim escondidos repito, pelas ditas bandeiras propagandísticas, num processo que não serve os interesses da humanidade mas sim os seus, ou os dos seus mandantes. Uma cortina de fumo, uma bandeira agitada, pelas mesmas forças que apenas há meros 150 anos patrocinavam o discurso nacionalista do "nós contra eles"

As consequências desta situação, então, são desde logo visíveis na explicação dos sofistas contemporâneos, que é a de que, NÃO EXISTINDO quaisquer dferenças então...a explicação para todo e qualquer problema tem de residir num outro campo..."encontram-na" numa força de carácter obscuro, necessáriamente e suficientemente metafísico, para que seja universalmente capaz de tratar todos os males...

O racismo passa portanto a panaceia universal, capaz de explicar todos os problemas, todos os males e aflições da sociedade moderna que, se desejando perfeita, tem de ser multicultural...Resultados estão à vista de todos, mas e emulando os sacerdotes de outros cultos igualmente tenebrosos, a solução passa por um gigantesco sacríficio aos novos deuses no altar do multiculturalismo, de povos inteiros, de uma forma, ou de outra. Nós somos o sacríficio. Como em qualquer falsa religião, independentemente da dimensão do banho de sangue, principlamente para os sacrificados, no fim não fará qualquer diferença...O desfecho é inevitável.

O "racismo" só acaba acabando com as raças, eliminando os povos, nem que para isso se sacrifiquem incontáveis individuos se sacrifiquem incontáveis vidas. Como a história teima em demonstrar também nós, como povos, teimando persistir nesta senda perfeitamante irresponsável caminhamos para um banho de sangue. Se o peso da história não chegar que se pense, mas pense mesmo, naquilo de que são feitos os homens...

No fim, repito, quando perdermos o controlo de qualquer território onde nos tenhamos estabelecido, depois de incontáveis sacríficios, de mortes, estupros, de vidas destruídas, do perigo de vermos ainda em vida, na Euroapa ou nas Américas, situações de verdadeiro pesadelo que colectivamante ou individualmente, decidimos esquecer por nossa conta e risco, então, eafirmo, aos vencedores aos responsáveis e cúmplices em tudo isto, recordo-lhes, nem isso fará diferença.

Haverá outra qualquer diferença a ser explorada logo a seguir, e a panaceia será a mesma, assim lhe permite o seu revelado carácter metafísico... Haverá sempre outro "racismo", outros zelotas. Mantendo-se as condiões originais, o problema fundamental irá persisitir. Entretanto o Ocidente enfrenta a maior crise da sua história, mesmo olhando à situação da actualidade onde conflitos de contornos verdadeiramente selvagens (Síria apenas como exemplo...) têm de fazer gelar a quem quer que a eles esteja atento, ou até relembrando episódios de um passado recente, perseguições étnicas e religiosas em todo o continente africano, entre pretos, de pretos contra brancos, sob todo e qualquer pretexto, recordo porque me foi próximo os massacres de homens mulheres e crianças brancas ou pretas, num verdadeiro banho de sangue, onde só peço a quem investigue que tente imaginar o terror que sentiria se se visse numa situação dessas a tentar proteger por exemplo mulher e filhinhos, ou os balcãs, no coração da Europa, hoje na Síria em que podemos assistir a videos de mães serem queimadas VIVAS a segurar os filhinhos ao colo depois de regadas com gasolina, onde os gritos da sua agonia e inamaginável sofrimento são indescritíveis.

Penso que hoje é nossa obrigação, honrár-los não virando a cara, não esquendo as lições de sofrimento que a história nos conta. Temos o caso paradigmático da história do Líbano, de engenharia demográfica, temos ainda toda e qualquer situação de vazio de poder, de ausência de lei além da lei do mais forte, em inúmeras latitudes, lembro o que aconteceu no furação Katrina, a forma como os homens se organizam nas prisões, etc, etc, etc Que futuro podemos nós esperar vir a viver mantendo-se esta loucura?

Os homens serão sempre homens, se a humanidade num mundo Nuclear, conseguir sobreviver sem a raça branca, assim creio, esse mundo nesse tempo, esse futuro será vermelho de sangue e de chamas, dentro de umas décadas num mundo de ambição, de exploração, de ganância, mil vezes ampliado à medida em que ultrapassarmos a barrreira dos 9 biliões, 10 biliões e desses cada vez menos brancos, cada vez menos países brancos com populações capazes de assumir o destino político dos países que fundaram, quando mais se defender...nesses, mundo onde Detroit, Haiti, África sub-sahariana, todos os lugares onde o negro habite e se tente governar, são arautos, eu quero ver que lugar haverá para as mulheres brancas e que destino se reservará aos homens de pele branca, quero ver. Lembro a história.

Lembro o perigo demográfico de um Islamismo que nos coloniza, que neste preciso momento, nos subsititui demográficamente dentro das últimas terras, do último reduto para onde pudemos recuar com o "fim" dos impérios...

O mundo, a humanidade pode dar-se ao luxo de ver cair o Ocidente? De conhecer um muito possível colapso civilizacional que não deixará de ocorrer com o ocaso demográfico da raça branca?

Ricardo Mendonça
October 28th, 2013, 10:17 PM
American Blackout!

http://channel.nationalgeographic.com/exposure/content/photo/photo/2073918_watch-the-trailer_wpqcl4sp5hrctsdllz4ccbpndxncurxrbvj6lwuht2ya6mzmafma_640x360.jpg

Documentário que saiu ontem no National Geographic, ainda não vi

Trailer aqui:

http://www.youtube.com/watch?v=R_5P90qIzUw

Alguma informação aqui :

http://channel.nationalgeographic.com/channel/american-blackout/

aqui um link para o documentário completo:

http://delishows.com/american-blackout-2013.html

Nota: 1) Este ainda não vi, estou em viagem e estou a vê-lo neste preciso momento.

2) Este post ainda não é definitivo. [COLOR="Red"] Quero ver se o documentário corresponde às expectativas geradas, estou a deixar isto aqui porque como o video é recente por motivos legais podem tirar o video da rede.

Colonus este é para ti amigão, espero que valha a pena parece que sim!

Só falta depois nós aqui analisarmos isto neutralizando os efeitos dos "circuitos integrados" do politícamente correcto.

Colonus
October 29th, 2013, 04:57 PM
Vi todo o documentário e digo que é bom,apesar de durar uma hora e meia.
Não percebi nada de ilógico ou absurdo,foi feito de maneira objetiva,apenas expondo os cenários.O fator que inicia a crise é a sabotagem da rede elétrica por meio virtual(ataque cibernético).Dai acompanha-se vários grupos e pessoas no decorrer dos dias após o desastre.
A escalação dos problemas,como falta de água,comida e combustível;fuga das cidades;lei marcial...segue uma ordem adequada,creio.
Diria que é recomendado a quem tem pouco contato com o tema,já que os cenários geralmente seguem uma ordem parecida em outros filmes e documentários.Evidente que não há muitas mortes e nem cenas mais pesadas,mas isso já é esperado.O final é bastante "otimista",se posso dizer assim,pois,é mais para quem nunca ou pouco viu sobre o tema.

Nikolas Försberg
January 23rd, 2014, 05:37 AM
Pensei em um lugar para postar esse video e cheguei na conclusão de que o tópico ideal é este. O tema do video pode parecer "estranho" a primeira vista, mas trata de um assunto real e que não é tratado de forma honesta na literatura e pelas pessoas atualmente. A literatura judaica, os judeus e outros idiotas constumam tratar isso como "normal" sendo que não é. Antes de falarem qualquer besteira assistam o video, e após assistirem verão que trata-se de assunto pertinente e que cabe aqui no tópico.

Medica da palestra sobre consequencias e sequelas do sexo anal O prazer que destrói
Médica dá palestra sobre consequências e sequelas do sexo anal | O PRAZER QUE DESTRÓI! - YouTube

Como complemento ao tema acima exposto, o video do Dr Enéas Carneiro falando sobre o homosexualismo.

Dr Enéas sobre o homosexualismo

A verdade pode até ofender alguns, mas não deixa de ser verdade.

Nikolas Försberg
January 23rd, 2014, 08:11 AM
Apenas atualizando uns links de videos...

"Raça não é construção social. Sociedade é construção racial."

Quem esta matando o Ocidente? Video com legendas em português.
Os agentes socialistas estão matando o ocidente a muito tempo - YouTube

The Bloody Truth About Communism - A verdade sangrenta sobre o Comunismo
The Bloody Truth About Communism - A Verdade Sangrenta Sobre o Comunismo. - YouTube

--------------

Filosofia abismal (http://inacreditavel.com.br/wp/filosofia-abismal/)

Quando recorro a figuras como Schopenhauer ou Nietzsche, questionadores da moral cristã, ou o próprio Sagan, astrônomo renomado, que acreditava na dúvida como primeira virtude humana, dou-me ao exercício de ouvir todas suas vozes em forma de lamento, prestes a solicitar-nos perdão: “Não, não pensávamos que ao aclamar pela dúvida, teria a sociedade chegado a tal ponto!”

Será passageira a onda que vê a tudo enquanto construção social?

Não creio que o conceito de verdade seja passível de discussão em todas e quaisquer situações. Há momentos onde ela é simplesmente uma só.

Com a derrota mundial, mudanças significativas se estenderam até mesmo ao campo da Filosofia. Tirado o foco de Heidegger, Sartre, junto de sua companheira Beauvoir, passou a relativizar tudo. Foi o estopim, em suma, de tempos estranhíssimos dos quais estamos sendo testemunhas, em uma realidade que mais nos parece um coma, um estado de transe, um pesadelo ou simplesmente uma ilusão.

O que teria iniciado enquanto questionamento de dogmas milenares em torno do cristianismo, algo perfeitamente compreensível, hoje se assume, no entanto, como dúvidas que se aplicam a elementos notoriamente palpáveis. Uma das vítimas prediletas foi a Biologia.

A relativização do conceito de verdade deu a permissão para que o leitor passasse a direcionar seu instinto de dúvida a elementos óbvios, de modo que estas linhas, conforme a interpretação, “podem ou não existir”. Em outras palavras, não passam bobagens munidas de terminologias vistosas e roupagens filosóficas, mas que, no fundo, nada dizem. Melhor: trazem mais confusão ainda.

http://inacreditavel.com.br/imagens/leao.jpg
“Sr. Leão, pois saiba que, a partir de agora, sua agressividade para com as presas é, no fundo, apenas uma construção social!”.

Como reflexo da penetração marxista nas universidades, temos notado um número cada vez maior daqueles que entendem o sexo enquanto uma construção social. Alegam que mulheres e homens não cumprem seus papéis conforme suas aspirações naturais, mas absolutamente por fruto de um sistema burguês, que, para os sabichões intelectualóides, sempre está carregado dos mesmos adjetivos: conservador, branco, católico, reacionário, machista, etc.

O feminismo não é mais que a negação da feminilidade, cujos propósitos são necessariamente políticos. Vê no leite materno um aprisionamento. A educação dos filhos como uma escravidão. O sinônimo de libertação estaria no corpo. Entendendo a vulgaridade e a promiscuidade como conceitos relativos, as feministas se igualam a uma desprezível crosta masculina; contudo, fazem-no como sinônimo de conquista!

http://inacreditavel.com.br/imagens/estudante_minisaia.jpg
Mulher brasileira ideal, da Faculdade à capa de revista pornográfica: a trajetória de uma guerreira, um verdadeiro sinônimo de libertação de tudo o que a oprimia

http://inacreditavel.com.br/imagens/xadrez_ira.jpg
Mulher iraniana: dominada, submissa, escravizada, intelectualmente imprestável, que desconhece os grandes prazeres da vida

Como que brincando em uma de suas palestras, José Monir Nasser desconstruiu tal idéia de “segundo sexo”, através de um simples raciocínio: “Quando você tem filhos pequenos”, dizia ele, “você observa o quanto os meninos se comportam diferente das meninas. Isto é óbvio, constatado por qualquer pai. Cumprem papéis naturais, sem quaisquer imposições. Mas isso jamais foi compreendido por um Sartre ou uma Beauvoir, até porque, aliás, ambos nunca tiveram filhos…”.

Raça também é outra coisa que passou a não existir mais que como uma invenção do homem. Ao mesmo tempo, quando se abrem as portas das universidades, através das ditas ações afirmativas, cidadãos passam a apontar para os próprios traços, no intuito de disputar a uma vaga por caminhos menos penosos. Os mesmos que alegavam a construção da raça são os que forneceram e ainda fornecem uma espécie de “race card” a alguns.

Se tudo correr assim, chegaremos a dias em que também a idade será vista como relativa (se já não o é), a fim de justificar a sexualidade dos novos e a “aborrecência” dos velhos. Chegaremos também a tempos onde as diferenças entre homens e animais serão vistas também como relativas, a fim de se justificar a bestialidade. E qualquer tipo de decência, pudor, de bons modos, será visto também como normas reacionárias. E a cada avanço do quais muitos se dizem orgulhosos, rumaremos ao abismo.

http://inacreditavel.com.br/imagens/homem_gravido.jpg
Dirão agora que se trata de mais uma das invenções do Dr. Mengele? Em quem agora irão jogar a culpa?

Vejo a própria medicina se sujeitando ao lobby daqueles que têm colocado políticos à parede, criando artificialmente ventres em homens. Que catástrofe, quando a sapiência ilude ao homem, fazendo-o acreditar que, conforme a razão absoluta, tudo está sob sua batuta!

Todas as civilizações grandiosas prezavam pela completude entre homem e mulher. Não é a bissexualidade que nos pertence por natureza, mas sim uma união de seres que se complementam, de modo mágico. O que vivemos, no entanto, está longe disso.

Quando recorro a figuras como Schopenhauer ou Nietzsche, questionadores da moral cristã, ou o próprio Sagan, astrônomo renomado, que acreditava na dúvida como primeira virtude humana, dou-me ao exercício de ouvir todas suas vozes em forma de lamento, prestes a solicitar-nos perdão: “Não, não pensávamos que ao aclamar pela dúvida, teria a sociedade chegado a tal ponto!”.

http://inacreditavel.com.br/imagens/questionario_homofinis.jpg
Aos poucos, com a naturalização de tais absurdos, sequer teremos opções. Seremos colocados contra a parede e diante de tudo, irão nos obrigar a responder que todo sintoma de regresso é “perfeitamente natural e aceitável”.

Esta é a Era Negra. Para nós e para os gênios que não são compreendidos, cujas mensagens têm sido profanadas.

Newton Schner Jr.,

Um sobrevivente do capital-marxismo universitário

------------

Brasil rumo ao bolchevismo (http://inacreditavel.com.br/wp/brasil-rumo-ao-bolchevismo/)

Pergunte-se, caro leitor, se você escolheu algum dos tais ministros, que com uma filosofia de prostíbulo, impuseram tal abominação. Como algo de tal importância e dimensão, que afetará todo o país, pode ter sido decidido da forma que foi? Com este estupro da constituição, além de inúmeros benefícios estatais, os constituintes da “nova família” poderão adotar crianças.

Brasil, de gigante do futuro à República Federativa de Gângsteres.

Ler um jornal ou ver um noticiário no Brasil se tornou um verdadeiro exercício de paciência e determinação. A visível manipulação das notícias está alcançando um nível tal de descaramento que, apenas sendo um completo boçal ou o mais submisso escravo do sistema para não se dar conta disto. Com tradicional hipocrisia e cinismo, eles se auto-rotulam com pomposos nomes tais como imprensa livre, voz do povo, consciência coletiva e opinião pública.

É perceptivelmente claro como o Brasil caminha a largos passos rumo a uma bolchevização cada vez mais completa. O governo da infame ex-guerrilheira tenta espalhar seus tentáculos tuberculosos em tudo o que for possível. O povo, emburrecido e imbecilizado, aplaude de pé ao réquiem de seu próprio funeral. O que será necessário para que as pessoas acordem de seu estupor?

A população parece envolta em uma espécie de transe diabólico. A dominação mental que o marxismo cultural alcançou em nossas terras é realmente impressionante. A estúpida e diabólica programação televisiva executa fielmente os ditados da nova ordem mundial. Nova ordem esta que nada tem a ver com aquela anunciada por Hitler e Mussolini, que significaria o fim da exploração plutocrática e o início de uma era onde valeria o trabalho e a autodeterminação das nações. Esta ordenação segue uma velha cartilha para implosão dos povos e sua conseqüente escravização.

A meta imediata deles parece ser a criação de uma lei contra a homofobia. Não existe um único dia em que não se reproduz, exaustivamente, uma enxurrada de supostas agressões contra homossexuais. Estatísticas falsificadas são apresentadas e tudo é degustado passivamente pela sociedade. Seja uma briga entre esses próprios indivíduos ou mesmo um assassinato onde drogas e prostituição estejam envolvidas, a notícia é sempre a mesma: homofobia.

Esse chavão foi cunhado e posto em circulação pelo psiquiatra George Weinberg em 1966, a pedido da organização Gay Activist Alliance (GAA). Não possui qualquer base científica demonstrada, e é unicamente uma arma semântica para neutralizar os opositores do movimento homossexual. [1]

Sendo assim, o que esse termo ridículo significa, ninguém sabe ao certo. O que se sabe mesmo é que, se tal aberração jurídica for aprovada, todos aqueles que não concordam com atitudes sodomitas serão passíveis de serem processados e condenados. A simples citação de algum termo não politicamente correto para se referir aos tais elementos será crime.

Desta forma, vai se criando mais um grupo privilegiado dentro do estado. Vai se constituindo a minoria intocável pela lei. Pois, se um cidadão, pai de família, que acorda todos os dias as 4, 5 horas da manhã para sua pesada rotina de trabalho, para ganhar seu miserável salário mínimo e sustentar seus filhos. Se esse honrado e tão comum brasileiro, tem menos direito que as hordas que andam escandalosamente pelas ruas, se prestando a todo tipo de exibição esdrúxula, então que diabo de país é esse?

Com a PL 122, portanto, o pastor em sua igreja ou padre em sua paróquia, ao lerem a Bíblia e afirmarem que “os sodomitas e os afeminados não herdarão o reino dos céus” [2] já serão considerados odiosos homofóbicos. E ai daqueles que se opuserem ao “democrático” processo de homolatria. Estes serão (e já são) apontados como preconceituosos, intolerantes e nazistas pela mídia “livre”. O caso mais recente é o do Deputado Estadual do RJ, Jair Bolsonaro.

Bolsonaro caiu na armadilha de um “educativo” programa de TV, onde supostamente identificara o ato de namorar uma mulher negra com promiscuidade. Como esta ridícula acusação parece não ter “colado” perante a população, ele agora é carimbado e identificado como homofóbico.

Estampando as manchetes diárias, o deputado é vítima de quatro processos na puríssima assembléia legislativa do RJ, onde alguns poucos, porém barulhentos, asseclas da homossexualização estatal até já promoveram espalhafatosos protestos.

A tentativa desesperada de destruir o prestígio do deputado é bem simples. Ele é um dos únicos políticos que declaradamente é anti-comunista, anti-lobby gay e luta pelo direito dos militares e policiais. Há alguns meses denunciou a formulação de uma cartilha gay criada para ser distribuída nas escolas públicas para crianças de 8 anos!

Bolsonaro tem sido a pedra no sapato da bancada vermelha e de sua agenda para aniquilação do que resta de bom na sociedade brasileira. Daí ele ser a “bola da vez” a ser na lista desses interesses obscuros.

Mas se quem não coaduna com atos homossexuais irá para trás das grades como um “terrível” intolerante propagador de ódio, semelhante destino terá qualquer pessoa, seja um erudito acadêmico ou historiador independente que apresentar um estudo diferente sobre um polêmico episódio da história.

Sim, caros senhores, um determinado grupo de indivíduos articula leis visando também a criminalização do revisionismo histórico. [3]

De qualquer modo, se depender da vereadora Teresa Bergher (PSDB), talvez em breve, os alunos das escolas municipais do RJ terão uma surpresinha. A tal vereadora cita o clube maçônico da ONU como sua inspiração para criar um nefasto projeto de lei tornando obrigatório o “ensino do holocausto”. [4]

Como algo que não se sustenta histórica nem cientificamente pode fazer parte de um currículo escolar? Este tipo de proposta objetiva claramente a instrumentalização do ensino para uma agenda pró-sionista e pró-comunista. Isto é óbvio! Basta notar que a história do terror marxista no mundo, bem como a criação do estado de Israel com o roubo da Palestina, não estarão presentes integralmente nos livros. Com isso, tenta-se envenenar as mentes dos alunos desde sua juventude.

Não aguardando um momento sequer, a escalada da repressão continua. O brutal assassinato de várias crianças por um criminoso enlouquecido no RJ foi o acontecimento perfeito para um velho sonho dos marxistas. Tão logo os corpos das vítimas eram retirados do colégio, palco do massacre, já era possível ouvir os brados de certo senhores, clamando por um desarmamento da população. [5]

O sangue dos inocentes ainda nem tinha sido limpo das paredes e já se fazia de tudo para articular um novo plebiscito sobre o tal desarmamento. Ainda que referido evento tenha se realizado em 2005, mostrando que 63,94% do povo brasileiro eram contra a proibição. [6]

Com a ridícula desculpa de que a maior parte das armas em posse de bandidos é de origem roubada de casas, certos políticos, de nebuloso histórico, juntamente com determinados grupos de mídia, que ultrapassam os limites da repugnância, iniciam uma campanha de alarde, medo e lavagem cerebral da população.

Usando de sofismas e malabarismos lingüísticos, fazem de tudo para tirar um meio do cidadão se defender. Mas parece haver mais do que apenas isso. É fato que, em muitos países que estavam prestes a serem bolchevizados foram implementadas leis vetando a posse de armas pelo povo.

Se até certo grau o processo de bolchevização do Brasil ainda está em andamento, em outro, entretanto, ele parece já ter alcançado o seu ápice. É na arte em geral que a relativização, a planificação e o igualitarismo antinatural do comunismo já dominam soberanos.

O marxismo cultural é concreto e real. Ele é a consumação do fetichismo multicultural dos poderes fácticos. Isto é patente e apenas sendo um portador de doenças mentais ou completo alienado para não vê-lo.

Na música, não se contentaram em produzir aberrações sonoras. Ao elevarem o asqueroso funk carioca ao nível de patrimônio cultural, rebaixam e humilham um Villa Lobos. Na pintura, o abstrato e o moderno foram apenas um primeiro ato de rebeldia contra a excelência da beleza, pois agora, até imundas pichações são tidas como manifestações artísticas. Na escultura só há espaço para pregos e parafusos retorcidos. Até mesmo na arquitetura, louvam as niilistas obras de Oscar Niemeyer. Inveterável marxista e famoso idealizador da estéril Brasília. Este abominável personagem teve a cara de pau dizer, em uma entrevista datada de 2009, que Stálin era um “rapaz como todos os outros… alegre”.

***

Brasil, de gigante do futuro à República Federativa de Gângsteres. Desde o fim da ditadura militar, caminhando cambaleante e moribundo. Quando será dado o último passo rumo à cova rasa, não sabemos. Este fim, todavia, não parece assim tão distante.

Muitos irão ponderar que o comunismo é algo velho, ultrapassado, não funciona. Que a União Soviética se desintegrou e que esta chaga não é mais que uma mera lembrança. Esta é uma visão superficial e uma forma medíocre de tratar a realidade.

Antigo, em termos históricos, não é, já que seu parto se iniciou na revolução francesa. Ultrapassado, também, não é o termo correto para tratá-lo, pois sendo um sistema de idéias, não pode ser analisado assim, mas como correto ou errado. Por último, o fato de “não funcionar” alude, supostamente, apenas ao sistema financeiro/econômico. Esta é uma afirmação que também não se sustenta, vide a moderna economia capitalista da China vermelha.

O comunismo é sim uma ameaça verdadeira. No momento, vivemos assolados por mais de dezesseis anos pelo bolchevismo rosado. Quando deixará de usar suas iníquas leis, se transformar em vermelho sangue e utilizar o poder da metralhadora, não se pode prever.

A população, subjugada cultural, intelectual e espiritualmente, entregue ao hedonismo mais individualista e escrava de seus corruptos vícios está à mercê do bel prazer desses conquistadores.

Por último, há de se notar que quanto mais capitalista e democrática é uma sociedade e seu governo, tanto mais rumam em direção ao bolchevismo marxista. Simples e lógico, uma vez que, o comunismo é o fruto mais amado do super-capitalismo.

Nota adicional: Após este artigo ser escrito, o Supremo Tribunal Federal, em 05/05/2011, decidiu pela alteração da compreensão de unidade familiar para a união de indivíduos do mesmo sexo. Pergunte-se, caro leitor, se você escolheu algum dos tais ministros, que com uma filosofia de prostíbulo, impuseram tal abominação. Como algo de tal importância e dimensão, que afetará todo o país, pode ter sido decidido da forma que foi? Com este estupro da constituição, além de inúmeros benefícios estatais, os constituintes da “nova família” poderão adotar crianças.

Democrático. Mui democrático. Extremamente democrático. Asfixiantemente democrático!

A escolha sexual dos indivíduos é algo pessoal e pertence ao espaço limitado por quatro paredes. Porém, com a decisão do STF que não fez qualquer ressalva à adoção de crianças por casais homossexuais, chegou-se ao cúmulo da perversão moral. Ao envolver um terceiro – ainda mais uma criança – a causa da legalização da união homossexual aniquilou qualquer resquício de “razão” que ainda poderia existir – NR.

“Quem escandalizar um destes pequeninos que acreditam em Mim, melhor seria para ele pendurar uma pedra de moinho ao pescoço e ser lançado ao fundo do mar.” São Mateus, cap. 18:6.

Viktor Weiß

Fontes:

[1] http://www.ipco.org.br/home/noticias/confirmado-a-“homofobia”-nao-existe

[2] 1 Coríntios 6:9. Novo Testamento, Bíblia.

[3] http://www.inacreditavel.com.br/novo/mostrar_artigo.asp?id=179

[4] http://oglobo.globo.com/rio/mat/2011/04/25/alunos-da-rede-municipal-de-ensino-devem-ter-aulas-sobre-holocausto-924320665.asp

[5] http://g1.globo.com/politica/noticia/2011/04/sarney-quer-plebiscito-sobre-desarmamento-para-outubro.html

[6] http://noticias.terra.com.br/brasil/referendodesarmamento/interna/0,,OI725143-EI5475,00.html

Panzerfaust
January 25th, 2014, 04:01 PM
"Raça não é construção social. Sociedade é construção racial."

É por aí mesmo. Sociedade, cultura, religião, ciência e tecnologia, são todos construtos raciais.

E democracia é meio-caminho andado pro comunismo.

Nikolas Försberg
January 29th, 2014, 08:30 AM
Não Chore a morte de Nelson Mandela: É um racista que odeia branco e é comunista da pior espécie Stalinista (http://homemculto.com/2013/07/05/nao-chore-a-morte-de-nelson-mandela-e-um-racista-que-odeia-branco-e-e-comunista-da-pior-especie-stalinista/)

"Raça não é construção social. Sociedade é construção racial."

É por aí mesmo. Sociedade, cultura, religião, ciência e tecnologia, são todos construtos raciais.

O difícil é fazer as pessoas entenderem isso.

E democracia é meio-caminho andado pro comunismo.

A democrácia tem suas faces (boas - ou pelo menos aparentemente boas - e ruins - de fato bem ruins), mas é no fundo o governo da escória.

Uma das merdas da democrácia, principalmente a democrácia judaica - judeucracia - é que o voto de dois analfabetos "zé ninguém" valem mais que o voto de um sábio. Igualdade? Como pode existir igualdade se a natureza nos fez diferentes, a igualdade é uma utopia mentirosa, que por mais bem intencionado - ou não - possa estar uma pessoa, pregar isso só serve para destruir a sociedade que por meio de seus legisladores impõe isso.

Nenhuma sociedade - povo - no planeta exigiu igualdade, mas isso nos foi imposto a força. E o que ganhamos com isso? Olhe ao redor e verá.

Isso só serve para minar o status quo de uma sociedade.

"Quebrar" o que de bom existe em uma sociedade. Assim como o comunismo, é uma idéia meio, para se chegar em algo de ruim, não uma idéia fim, uma mera teoria que nada signifíca de bom no campo dos fatos.

Nossas terras foram tomadas nas vias legais (a luz da lei, da mesma lei que pode ser escrita por homens maus e desonestos), dando aparência de serem "democráticamente", nossas "boas" leis foram mudadas ou reinterpretadas pelos judeus ou por seus lacaios.

Colocaram no seio de nossas sociedades que liberdade é o direito de fazer o que a lei não proíbe (permite), e as leis estão nas mãos de uma turminha suja.

Como uma pessoa pode defender "liberdade" e "igualdade" ao mesmo tempo? (Lembra-se do lema da revolução francesa que diz "liberdade, igualdade e fraternidade"? Aliás, revolução judaica) Será que a pessoa não é capaz de entender que essas palavras se contradizem? Como posso ser livre e ao mesmo tempo ter a igualdade imposta a mim, ou mesmo tentar pregar igualdade, que mata a alma e destrói o mérito. Simplesmente não podemos.

As pessoas pararam de pensar por elas mesmo há tempos, só repetem utopias como pagaios.

Nikolas Försberg
February 26th, 2014, 08:25 AM
Olhando um tópico do SF (http://www.stormfront.org/forum/t1025723/) que foi criado pelo Manue (um bom membro do SF), achei interessante alguns materiais e por isso irei disponibilizar parte do conteúdo aqui. Muito interessante a introdução desses materiais no SF, é sinal de evolução. O conhecimento tem o poder de fazer revoluções! A idéias movem o mundo.

Temos um vasto material aqui no VNN em língua portuguesa sobre esse tema que é de vital importância e portanto pesquisem.

Complemento
Carta de Amor para América (http://vnnforum.com/showthread.php?t=145819)
Yuri Bezmenov - videos (http://vnnforum.com/showthread.php?t=144473)
A morte do encanto e da graça (http://vnnforum.com/showthread.php?t=144472)
Pesquisem os outros tópicos do VNN fórum pois existem vários outros tópicos sobre o tema.
__________

Escola de Frankfurt – Judaísmo satânico em ação

http://3.bp.blogspot.com/-rx4e-fC8kYI/URBMSF3-zII/AAAAAAAAAWE/rtO6UYVusIw/s1600/frankfurtschool.jpg

Timothy Mathews

Basicamente, a [tarefa da] Escola de Frankfurt era minar o legado cristão. Para executá-lo, eles buscaram a crítica mais destrutiva possível de toda esfera da vida que seria designada para desestabilizar a sociedade e pôr abaixo o que eles viam como ordem ‘opressiva’.

Suas políticas, eles esperavam, se difundiriam como um vírus - 'continuando o trabalho dos Marxistas Ocidentais por outros meios' como um de seus membros registrou.

Para promover o avanço de sua ‘quieta’ revolução cultural – mas nos dando nenhuma idéia a respeito de seus planos para o futuro – a Escola recomendava (entre outras coisas):

1. A criação de crimes de racismo;
2. Mudanças constantes para criar confusão;
3. O ensinamento de sexo e homossexualismo às crianças;
4. Minar a autoridade das escolas e professores;
5. Imigração volumosa para destruir a identidade;
6. A promoção das bebedeiras;
7. Esvaziamento das igrejas;
8. Um sistema legal não confiável com preconceito contra as vítimas de crime;
9. Dependência do Estado ou de benefícios estatais;
10. Controle e emburrecimento planejado da mídia;
11. Encorajar o colapso da família.

Uma das principais idéias da Escola de Frankfurt foi explorer a idéia de Freud do 'pansexualismo' – a busca pelo prazer, a exploração das diferenças entre os sexos, a abolição dos relacionamentos entre homens e mulheres. Para favorecer seus objetivos eles:

• atacariam a autoridade paterna, negariam os papéis específicos de pai e mãe, e arrancariam das famílias seus direitos como educadores primários de seus filhos;

• aboliriam as diferenças na educação de garotos e garotas;

• aboliriam todas as formas de dominação masculina – conseguintemente a presença das mulheres nas forças armadas;

• declarariam as mulheres como ‘classe oprimida’ e homens como ‘opressores’.

A Escola acreditava que haviam dois tipos de revolução: (a) política e (b) cultural. A revolução cultural demole-se por dentro. 'Formas modernas de sujeição são marcadas pela brandura'. Eles viam-na como um projeto de longo prazo e mantinham suas visões claramente focadas na família, educação, mídia, sexo e cultura popular.

FAMÍLIA

Seguindo Karl Marx, a Escola enfatizava como a 'personalidade autoritária' é um produto da família patriarcal – foi Marx quem escreveu tão desprezivelmente a respeito da idéia da família sendo a unidade fundamental da sociedade. Tudo isso preparou o caminho para a Guerra contra o sexo masculino promovido por Marcuse sob a aparência da 'liberação das mulheres' e pelo Novo movimento de Esquerda dos anos 60.

Eles propunham transformar nossa cultura como dominada apenas pela mulher. Em 1933, Wilhelm Reich, um de seus membros, escreveu em A Psicologia de Massa do Fascismo que o matriarcado era a único tipo genuíno de família da 'sociedade natural'.

Eric Fromm, era também um ativo defensor da teoria do matriarcado. Masculinidade e feminilidade, ele alegava, não era reflexos das diferenças sexuais ‘essenciais’, como os românticos pensavam, mas eram derivadas, em vez, das diferenças nas funções da vida, que eram ‘em parte determinadas socialmente.' Seu dogma foi o precedente para os pronunciamentos feministas radicais que, hoje, aparecem em quase todo jornal maior e programa de televisão.

Os revolucionários sabiam exatamente o que precisavam para fazer e como fazer. Eles foram bem sucedidos.

EDUCAÇÃO

Bertrand Russell juntou-se à Escola de Frankfurt em seu esforço em engenharia social de massa e descobriu o segredo em seu livro de 1951, “O Impacto da Ciência sobre a Sociedade”. Ele escreveu que: 'Fisiologia e psicologia proporcionam campos para técnica científica que ainda aguarda o desenvolvimento.'

A importância da psicologia de massa “foi enormemente acrescida pelo crescimento dos métodos modernos de propaganda. Destes, o mais influente é o que é chamado de ‘educação’. Os psicólogos sociais do futuro terão um número de salas de educação infantil nos quais tentarão diferentes métodos de produzir uma inabalável convicção que a neve é preta. Vários resultados logo chegarão. Em primeiro lugar, que a influência do lar é obstrutiva.

Segundo, que não muito possa ser feito, a menos que a doutrinação comece antes dos dez.

Terceiro, que versos agrupados em música e repetidamente entoados são mais efetivos.

Quarto, que a opinião que neve seja branca deva ser sustentada a mostrar um gosto mórbido pela excentricidade. Mas eu antecipo. Isso é para futuros cientistas tornarem essas máximas precisas e descobrirem exatamente quanto custa por cabeça fazer as crianças acreditarem que a neve seja preta, e quanto menos custaria fazê-las acreditar que seja cinza escuro. Quando a técnica tivesse sido perfeita, todo governo que tenha estado encarregado de educação para uma geração, estará pronto a controlar seus súditos seguramente sem a necessidade de armas ou policiais."

Escrevendo em 1992 na Fidelio Magazine, Michael Minnicino observou como os herdeiros de Marcuse e Adorno agora dominam completamente as universidades, 'ensinando seus próprios estudantes a substituir a razão com exercícios rituais do ‘Politicamente Correto’.

Há muito poucos livros teóricos sobre arte, letras ou lingüística publicados hoje nos EUA ou Europa que não reconhecem abertamente sua dívida com a Escola de Frankfurt. A caça às bruxas nos campus de hoje é meramente a implementação do conceito de Marcuse de 'tolerância repressiva'- 'tolerância para movimentos da esquerda, mas intolerância para movimentos da direita'- reforçado por estudantes da Escola de Frankfurt'.

MÚSICA, TV & CULTURA POPULAR

Adorno era para se tornar chefe de uma unidade de 'estudos de música', onde na sua Toeria da Música Moderna ele promovia o prospecto da liberdade sem tom e outras músicas populares como uma arma para destruir a sociedade, formas degeneradas de música para promover a doença mental. Ele disse que os EUA poderiam ser trazidos aos joelhos pelo uso da radio e da televisão para promover uma cultura de pessimismo e desespero – no final dos anos 30 ele (junto com Horkheimer) migrou para Hollywood.

A expansão dos videogames violentos também apoiava os objetivos da Escola.

SEXO

Em seu livro “The Closing of the American Mind” (O Declínio da Cultura Ocidental, em português), Alan Bloom observou como Marcuse apelou aos estudantes das universidades dos anos 60 com uma combinação de Marx e Freud. Em Eros e Civilização e Um Homem Dimensional, Marcuse prometeu que a derrota do capitalismo e sua falsa consciência resultará em uma sociedade onde as maiores satisfações sejam sexuais. O rock toca no mesmo acorde na juventude. Expressão sexual livre, anarquismo, exploração da inconsciência irracional e dar-lhe rédea livre são aquilo que eles têm em comum.'

Frankfurt School - Satanic Judaism in Action (http://www.henrymakow.com/frankfurt-school-satanic-judaism-in-action.html)
__________
O Talmude levou à revolução. Não é necessário ser religioso para ser Talmudista. Karl Marx era ateu, mas de acordo com Bernard Lazare, também era “um claro e lúcido Talmudista” e portanto “pleno desse velho materialismo hebreu que sempre sonha com um paraíso na terra e sempre rejeita a distante e problemática esperança de um paraíso depois da morte”. Marx foi o arquétipo do Talmudista e o arquétipo do judeu revolucionário, e como tal propôs um dos mais prominentes falsos Messias da história judaica: o Comunismo mundial. Baruch Levy, um dos correspondentes de Marx, propôs outro falso Messias igualmente poderoso, a Raça Judaica. Segundo Levy, “o povo judeu tomado coletivamente será seu próprio Messias... Nesta nova organização da humanidade, os filhos de Israel hoje espalhados por toda a superfície do globo... se tornarão a classe dominante sem nenhuma oposição... Os governos das nações que formam a República Mundial ou Universal passarão, sem nenhum esforço, às mãos judaicas graças à vitória do proletariado... Assim é que a promessa do Talmude será cumprida, de que quando a Era Messiânica chegar, os judeus controlarão a riqueza de todas as nações da terra.”
Portanto, havia um fundamento na história judaica para entender o que disse Mahathir Mohammed, além de ampla evidência – a criação do estado de Israel, por exemplo – de que a judaria mundial havia avançado consideravelmente em seu objetivo de domínio mundial no século e meio desde que Levy escreveu a Karl Marx. Os judeus simplesmente não puderam desvencilhar-se da ideia de que eram o povo escolhido de Deus, nem sequer depois que deixaram de crer em Deus. Rejeitando Cristo, condenaram-se à adoração de Messias falsos, um atrás do outro – mais recentemente o Comunismo e o Sionismo. No livro La Question du Messie, os irmãos Lemann, ambos conversos do Judaísmo ao Catolicismo e ordenados sacerdotes, comparam os judeus contemporâneos aos israelitas ao pé do monte Sinai: “Tendo cansado de esperar o retorno de Moisés... festejaram e dançaram ao redor do bezerro de ouro.” O Sionismo e o Comunismo são dois dos últimos Messias ante os quais os judeus se prostraram e adoraram. Tendo rejeitado o Messias sobrenatural que morreu na cruz, os judeus se condenaram a adorar uma sucessão de falsos Messias naturais e a repetir o ciclo de entusiasmo seguido de desilusão várias vezes ao longo da história. Essas ilusões ao mesmo tempo se prestaram à criação do estado judaico e nele se realizaram. Em 6 de janeiro de 1948, o rabino-chefe da Palestina anunciou que “eventualmente [Israel] levará à inauguração da verdadeira união das nações, mediante a qual se cumprirá a mensagem eterna de nossos profetas imortais à humanidade.” Na história do messianismo judaico, fantasias de superioridade racial se alternam com fantasias contraditórias de irmandade universal. “O grande ideal do Judaísmo”, o Jewish World declarou em 9 de fevereiro de 1883, “é que... o mundo inteiro esteja imbuído de ensinamentos judaicos e que em uma Irmandade Universal de Nações – na verdade um Judaísmo ampliado – todas as raças e religiões separadas tenham desaparecido.”
Os judeus foram condenados a buscar o céu na terra por meio de falsos Messias desde o momento em que escolheram Barrabás em lugar de Cristo, um fato que leva ao já mencionado ciclo de entusiasmo seguido de desilusão. Quando os judeus rejeitaram ser os “arautos do reino sobrenatural”, condenaram-se à interminável tarefa de impor ao restante do mundo sua visão de um paraíso natural na terra, “e puseram toda sua energia e tenacidade na luta pela organização da futura Era Messiânica.” Toda vez que uma nação dá as costas ao Messias Sobrenatural, como foi o caso durante as Revoluções Francesa e Russa, essa nação “tende a cair sob o domínio do Messias Natural” e termina sendo governada por judeus.
Quer dizer que todo judeu é má pessoa? É claro que não. A liderança judia controla a “sinagoga de Satanás” que controla o grupo étnico no qual o judeu nasce. Ninguém tem controle sobre as circunstâncias de tal nascimento. Essa é a razão por que o anti-semitismo, se com esse termo nos referimos ao ódio aos judeus devido a características raciais imutáveis e irreversíveis, está errado. Ao longo de suas vidas, os judeus se dão conta de que o seu grupo étnico é diferente dos outros. Apesar da propaganda de superioridade racial que o Talmude busca inculcar-lhes, muitos judeus compreendem que um espírito peculiarmente maligno se estabeleceu no coração de sua etnia. Quando se dão conta da magnitude do mal, os judeus têm que tomar uma decisão. Dependendo da disposição da alma, que só Deus pode julgar, eles se voltam para o mal ou o rejeitam – completamente, como no caso de São Paulo, Nicolau Donin, Joseph Pfefferkorn e outros judeus bastante numerosos para mencionar aqui – ou parcialmente, como no caso dos judeus que se negam a realizar ações que sabem ser moralmente repreensíveis, como o aborto ou a expulsão dos palestinos de suas terras ancestrais.
O propósito do Talmude é evitar defecções da sinagoga de Satanás. Uma educação baseada no Talmude naturalmente leva ao ressentimento por parte daqueles que não são judeus. Os líderes dos judeus promovem esse comportamento sabendo muito bem que causará reações porque “os pogroms nos quais as classes baixas judaicas sofreram serviram ao objetivo de mantê-las em absoluta dependência de seus líderes.” Essa é uma outra forma de dizer que os Trotskys promovem a revolução e os Braunsteins sofrem as conseqüências. Os lideres judeus promovem audazmente pogroms como o de Gomeler em 1905 ou quando agentes do Mossad deliberadamente mataram judeus iraquianos com a finalidade de criar pânico, porque os pogroms geram medo, e o medo é a maneira pela qual o Kahal mantém os judeus comuns na linha.”

(E. Michael Jones, The Conversion of The Revolutionary Jew)

Complemento em KARL MARX e seu livro ?Oulanem?: O satanismo no*comunismo | Time de Cristo (http://timedecristo.wordpress.com/2010/04/21/karl-marx-e-seu-livro-%E2%80%9Coulanem%E2%80%9D-o-satanismo-no-comunismo/)
__________
http://i.imgur.com/FCKEuae.png

O vice-presidente dos Estados Unidos, o católico Joe Biden, confirma sem nenhum tipo de constrangimento a Engenharia Social para a homossexualização. Em recentes declarações recolhidas pela emissora ABC, afirma que a arte e os meios de comunicação são vitais para mudar as atitudes das pessoas: “séries da NBC como Will e Grace mudaram as opiniões da população sobre a homossexualidade”. “Aposto que 85% da influência, seja através de Hollywood como dos meios midiáticos de massa, o devemos aos líderes judeus que dirigem estas indústrias”.


“Os judeus impuseram a homossexualização através de seus meios de comunicação”
Isto foi dito na última terça-feira numa conferência perante um lobby judaico onde acrescentou que “os valores judaicos são essenciais para a cultura norteamericana”.

Não há melhor exemplo do que foi dito por Biden que no passado festival de Cannes onde deram o prêmio a um filme “lesbianizador”, justamente quando os cidadãos franceses se levantavam à favor do amor entre homem e mulher e recusando a Engenharia Social homossexualizante.
Para que o leitor veja como esta Engenharia está sendo repetida ponto a ponto em todos os países, no Brasil a Rede Globo está divulgando atualmente uma série cujo protagonista é um homossexualizado (casado); a MTV estréia uma série sobre uma jovem bissexual (”a menina sem qualidades”) e a televisão inteira está sendo recheada de personagens com sua sexualidade invertida. “Casualmente”, o senado brasileiro acaba de aprovar o “matrimônio” entre pessoas do mesmo sexo. Exatamente o que aconteceu na Espanha a partir de 1999.


Com estas declarações, a Conspiração para homossexualizar a população deixou de ser algo secreto e se converte numa política de Estado planetária, transparente.
Outra coisa é analisar o descaramento destas declarações de Biden e os judeus, com a que está caindo nos Estados Unidos; claramente parece uma provocação projetada pelo Lobby judaico para que os norteamericanos se levantem contra a minoría hebraica.

Vice-presidente dos EUA Joe Biden: ?Graças aos judeus e seus meios massivos, temos matrimônio gay? | Caminho Alternativo (http://caminhoalternativo.wordpress.com/2013/05/28/vice-presidente-dos-eua-joe-biden-gracas-aos-judeus-e-seus-meios-massivos-temos-matrimonio-gay/)
__________
Como emburrecer alunos seguindo técnica de Antonio Gramsci. - YouTube

Nikolas Försberg
March 7th, 2014, 12:34 AM
Ministério Público como agente do marxismo cultural (http://roberto-cavalcanti.blogspot.com.br/2014/03/ministerio-publico-como-agente-do.html)

http://2.bp.blogspot.com/-r2AIJTmK3Fg/Uxj7WfxGQPI/AAAAAAAAAHM/FaCjMX7n6Hc/s1600/10jun2013-henry-cavill-o-novo-super-homem-participa-da-pre-estreia-mundial-de-o-homem-de-aco-em-nova-york-1370912747737_pozk.jpg

Jurandir Aquino

Deve ser digno de nota como nesta nossa “democracia” certos promotores e procuradores vêm querendo aparecer como se fossem verdadeiros super-heróis em defesa dos fracos e oprimidos, faltando-lhes apenas uma capinha e o poder de voar, pois aqui embaixo julgam-se onipotentes!

Mascaram uma pose institucional que na prática representa na realidade uma postura de engajamento político, sujeitando-se ao lobby das chamadas “minorias desfavorecidas”, verdadeira casta que nesta nossa “democracia” se superpõe a todos os demais mortais.

Notícia recente oriunda da Folha de São Paulo (http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/02/1418119-procuradoria-recomenda-retirar-videos-que-atacam-igrejas-de-matriz-africana.shtml) nos revela que o MPF resolveu atender a um pedido de seguidores da umbanda e do candomblé recomendando ao Google a censura de vídeos no Youtube exibindo pessoas de religiões de matriz africana apostatando e convertendo-se às religiões ditas “evangélicas”.

Segundo o MPF, os vídeos contendo testemunhos de conversão “promovem a discriminação e a intolerância a religiões de matrizes africanas”.

Caros leitores, a tentativa de censurar os vídeos é mordaz, pois o Estado não deve interferir no confronto aberto entre religiões, obstaculizando o proselitismo. Isso é autêntico cerceio do direito de religião, e não combate à discriminação!

O que deve ser contido é o abuso no confronto, como se dá, por exemplo, com as conversões forçadas ou a exteriorização de violências, todas estas condutas tipificadas na lei penal. Mas neste caso é muito diferente. Trata-se da propaganda pacífica de fé, exibida através de testemunhos, o que é da própria natureza do pluralismo religioso.

Como uma pessoa poderá mudar de religião se a propaganda de fé e moral é censurada pelas exigências totalitárias de certas minorias?

Seis anos atrás (http://blog.opovo.com.br/blogdoeliomar/justica-baiana-manda-recolher-livro-do-padre-jonas-abib/), o livro do padre Jonas Abib, “Sim, Sim! Não, Não! Reflexões de Cura e Libertação” foi confiscado das livrarias baianas por ordem judicial, acolhendo denúncia do Ministério Público, que dizia que a obra “faz afirmações inverídicas e preconceituosas à religião espírita e às religiões de matriz africana, como a umbanda e o candomblé, além de flagrante incitação à destruição e desrespeito aos seus objetos de culto”, bem como porque “a Constituição Estadual diz que é dever do Estado preservar e garantir a integridade, respeitabilidade e permanência dos valores da religião afro-brasileira”.

Ainda hoje tramita na 12ª Vara Criminal da Comarca de Salvador o processo de nº 0064540-64.2008.8.05.0001 em desfavor de Jonas Abib, encontrando-se suspenso desde 2011.

Dizem por aí que o Estado é laico. Porém, se é laico, porque este promotor tomou partido da “integridade, respeitabilidade e permanência dos valores da religião afro-brasileira”?

Por que o mesmo não é feito em favor do cristianismo?

Se o Estado é laico, este não pode se posicionar como protetor e guardião da doutrina espírita e das religiões de matriz africana, impondo-se acima das demais crenças com privilégios odiosos.

Lembro aos leitores que eu mesmo, Jurandir Aquino, não estaria aqui para dar continuidade ao trabalho do meu predecessor, pois se não fosse a ação da propaganda cristã, me encontraria até hoje titubeando pelas quimbandas e pelo espiritismo.

Ora, o confronto público entre religiões (crenças e descrenças) sempre se exteriorizará na exclusão mútua de suas convicções, cada qual a sua maneira.

Na arena política não é diferente. Os diferentes partidos existem para se excluírem mutuamente com debates acalorados dos quais nem sempre brota um consenso, mas essa é a essência do assim chamado “pluralismo democrático".

Parece que a pretensão não declarada dos chamados “fiscais da lei” seja a de liquefazer todas as religiões num ‘milkshake’ de princípios comuns subordinados a certas diretrizes político-ideológicas, no ideal de forjar uma religião mundial unificada. Este me parece ser o leitmotiv do Ministério Público, como um poderoso agente do marxismo cultural para o propósito de controlar a população.

Falar em discriminação num tal contexto é um disparate, e, devo enfatizar, assemelha-se a uma camuflada tentativa de controle social sob a demagogia do “combate à discriminação e ao preconceito”.

Diga-se realmente “demagogia” porque a mesma postura de “combate à intolerância” não é adotada em favor das religiões cristãs, que sempre são boicotadas em suas reivindicações direcionadas ao Ministério Público.

Que providências foram tomadas pelo Ministério Público depois de formalizada uma denúncia pela Associação Nacional Pró-Vida e Pró-Família contra os integrantes do “Porta dos Fundos” (http://extra.globo.com/tv-e-lazer/associacao-de-catolicos-entra-com-acao-no-mp-contra-porta-dos-fundos-membro-do-grupo-diz-objetivo-fazer-humor-11291471.html), que continuam ridicularizando e vilipendiando os símbolos cristãos?

Por que o Ministério Público não vai encher o saco do Fábio Porchat enquanto pega no pé dos pastores evangélicos e do Padre Jonas Abib?

O que faz o Ministério Público contrariamente às investidas criminosas dos neo-ateus em vários sites da internet?

É óbvio que os cristãos estão sendo paulatinamente despidos de seus direitos, devendo ter a obrigação de respeitar as demais religiões, mas sem qualquer reciprocidade.

Quanto aos vídeos das igrejas evangélicas, deve ser frisado aqui que o âmago do cristianismo é o proselitismo. Se o proselitismo é condicionado a não poder criticar ou mesmo discriminar as demais religiões, isso representa um sério engessamento ao direito de religião, pois as práticas ilícitas contidas na Bíblia não poderão mais sofrer restrições, como é o caso da censura doutrinária à evocação dos mortos (espiritismo).

Mas isso não é só. O que a chamada “Lei Caó” veda é a discriminação de pessoas por motivo de religião, e não a discriminação às próprias religiões, e isso preciso ficar claro, a fim de que a lei não descampe para o arbítrio, instituindo uma espécie de crime de "blasfêmia"!

O direito ao proselitismo é garantido pelo Tratado de São José da Costa Rica do qual o Brasil é signatário. O Tratado de São José da Costa Rica é um tratado de direitos humanos, que, com o advento da Emenda nº 45/2004, foi elevado a mesma estatura de uma Emenda Constitucional.

Assim, o tratado em referência praticamente regulamenta como se deve exteriorizar o direito à religião, sendo certo que a “Lei Caó” não pode se insurgir contra suas disposições.

Vejamos o que diz o artigo 12 do Tratado:

“Artigo 12 - Liberdade de consciência e de religião

1. Toda pessoa tem direito à liberdade de consciência e de religião. Esse direito implica a liberdade de conservar sua religião ou suas crenças, ou de mudar de religião ou de crenças, bem como a liberdade de professar e divulgar sua religião ou suas crenças, individual ou coletivamente, tanto em público como em privado.

2. Ninguém pode ser submetido a medidas restritivas que possam limitar sua liberdade de conservar sua religião ou suas crenças, ou de mudar de religião ou de crenças.

3. A liberdade de manifestar a própria religião e as próprias crenças está sujeita apenas às limitações previstas em lei e que se façam necessárias para proteger a segurança, a ordem, a saúde ou a moral públicas ou os direitos e as liberdades das demais pessoas.

4. Os pais e, quando for o caso, os tutores, têm direito a que seus filhos e pupilos recebam a educação religiosa e moral que esteja de acordo com suas próprias convicções.”


Pergunto então: como uma pessoa poderá conservar sua religião se não pode ter o direito de contestar práticas religiosas contrárias às suas?

Como uma pessoa poderá mudar de religião se não pode ter mais o direito de ser informado de práticas lícitas ou ilícitas de determinada religião?

Como uma pessoa poderá professar e divulgar sua religião, se não lhe for mais permitido propagar o que sejam as práticas permitidas ou proibidas em seu sistema de crenças?

Fica claro, portanto, que o Ministério Público vem cerceando os direitos das religiões cristãs, colocando-lhes à frente um verdadeiro campo minado, gerando intranqüilidade nas pregações e insegurança jurídica na sociedade.

Onde iremos parar enquanto estas minorias puderem dar as cartas, subjugando os poderes oficiais para que as maiorias se curvem às suas suscetibilidades?

Celso
March 7th, 2014, 12:56 PM
Esse vídeo é muito bom, mostra como a mídia e as escolas espalham mentiras sobre o regime militar brasileiro:

Lobão e Olavo de Carvalho falam sobre o Regime Militar e a mÃ*dia esquerdista - YouTube

Sei que o Olavo de Carvalho é pró-judeu, mas enfim...

Eu gosto muito dos Guias Politicamente Incorreto do Brasil/América Latina/Mundo. O que vocês acham deles?