Full Thread: Wake up!
View Single Post
Old August 18th, 2018 #532
Willers
Junior Member
 
Willers's Avatar
 
Join Date: Sep 2014
Location: Proelium
Posts: 34
Willers
Default

Quote:
Originally Posted by RickHolland View Post


A Suécia parece um universo paralelo caras, parecem exageradas as piadinhas que circulam web à fora, sobre a passividade deles. Porém, cada vez mais, infelizmente, isso se mostra verdadeiro. E a Itália representando todo seu amor fraterno aos forasteiros. hahaha
Tenho uma conhecida que é nascida no Brasil, mas é de família nihonjin, ela foi para Itália uma vez para fazer especialização (em Roma) e ela contou que passou por VÁRIAS situações onde foram abertamente grosseiros com ela por causa da raça da mesma, uma das vezes que ela disse que ficou mais constrangida foi quando um italiano se recusou a sentar do lado dela em uma viagem, e falou alto: "Chineses de merda! Eles estão em todos os lugares agora."
Engraçado é que americanos jovens, envolvidos com nacionalismo e afins, vindos de família anglo ou germânica, quase sempre consideram todo italiano de cabelos e olhos escuros prontamente árabes ou mestiços - ou seres como Varg Virkernes, que afirmam que se um ser, por mais branco que seja, se tiver olhos e/ou cabelos escuros significa que ele é mestiço - mesmo que só um pouco (isso tudo só me faz pensar que uma união ampla etno-europeia, minimamente harmônica que combateria um mal comum, nunca rolaria de verdade - por sorte, apenas uniões estatais).
Bom, acredito que a Itália é um dos únicos países atualmente que, apesar da onda enorme e quase sem fim de "refugiados", tem alguma chance de retornar a situação e manter sua cultura, povo e orgulho próprio. Não tenho quase dúvida alguma agora que o U.K. já não tem mais volta, assim como lugares como Paris...
viram isso:
https://www.thecollegefix.com/post/47928/
White male professors to be given female minority scholar mentors in anti-bias effort
Quote:
“[W]e will trial some innovative interventions such as ‘reverse mentoring,’ where a junior BAME [Black, Asian, and minority ethnic] woman coaches a senior male, white professor, and empowering academics to challenge senior-level decisions, with appropriate backing and support,” said computer science Professor Jon Rowe, the program’s director, in a news release.
?